RSS

    OSBA faz concerto neste domingo (24) com repertório de marchinhas

    OSBA faz concerto neste domingo (24) com repertório de marchinhas


    A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) promove neste domingo (24) mais uma edição do Domingo no TCA. Criada em 2007, a iniciativa engloba apresentações de teatro, música e dança, trazendo diversos espetáculos para Salvador. E no clima de...

    A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) promove neste domingo (24) mais uma edição do Domingo no TCA. Criada em 2007, a iniciativa engloba apresentações de teatro, música e dança, trazendo diversos espetáculos para Salvador. E no clima de Carnaval, a OSBA reedita o show Baile Concerto, na Sala Principal do Teatro Castro Alves. 

    Conduzida pelo maestro Carlos Prazeres, o repertório traz de volta antigos ritmos da folia baiana. A apresentação ainda terá a participação do grupo Bailinho de Quinta, presente em todas as edições do evento, e do cantor, compositor e guitarrista Armandinho Macêdo, que participa pela 1ª vez.

    Armandinho é o convidado especial do show (Foto: Divulgação)

    Com intuito de resgatar marchinhas clássicas carnavalescas, a primeira parte da montagem homenageará canções que foram sucessos nos anos 30, como As Pastorinhas, de Noel Rosa (1910-1937), e Touradas de Madrid e Balancê, escritas pelo carioca Braguinha (1907-2006), conhecido como João de Barro. 

    Já na segunda metade, a orquestra interpreta músicas que marcaram o Carnaval da Bahia com seus Trios Elétricos. Armandinho, convidado especial, tocará sucessos como Chame Gente e Vida Boa. Artistas como Caetano Veloso, Gerônimo, Moraes Moreira e Fausto Nilo também serão lembrados durante a exibição no teatro. 


    Baile Concerto
    O quê: Baile Concerto no Domingo no TCA
    Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves (Praça Dois de Julho, Campo Grande)
    Quando: Amanhã (24), às 11h 
    Ingresso: R$1| R$0,50 
    Venda: Somente na bilheteria do teatro, a partir das 9h, com acesso imediato do público. 

    Bancos brasileiros podem se tornar aliados do meio ambiente

    Bancos brasileiros podem se tornar aliados do meio ambiente


    Nove entre 14 bancos brasileiros podem se beneficiar da implementação de políticas que garantam a produção sustentável de commodities leves, como  carne, soja, azeite de dendê e produção de madeira. Com isso, essas instituições financeiras...

    Nove entre 14 bancos brasileiros podem se beneficiar da implementação de políticas que garantam a produção sustentável de commodities leves, como  carne, soja, azeite de dendê e produção de madeira. Com isso, essas instituições financeiras podem captar a oportunidade de alinhar seus portfólios com as Metas de Desenvolvimento Sustentável e transição para uma economia de baixa emissão de carbono. Foi isso o que mostrou um levantamento realizado pela Fundação Global Canopy, desenvolvido em parceria com a organização não governamental World Wide Fund for Nature (WWF).

    A pesquisa mostrou que 64% declararam explicitamente que seus clientes precisam operar legalmente e apenas um banco encorajou as empresas a assegurar o Consentimento Livre, Prévio e Informado, sendo que nenhum exige que as empresas atendam aos principais padrões trabalhistas.

    Para se ter ideia da importância da adoção dessas políticas por parte das instituições financeiras, basta lembrar que a produção de commodities leves é um dos principais fatores de desflorestamento tropical e contribui com uma parcela significativa de 15 a 20% de emissões de carbono associadas à perda de florestas em todo o mundo.

    Para o associado sênior de Finanças Sustentáveis na Global Canopy, Tom Bregman, o setor bancário na América Latina tem uma oportunidade histórica de garantir a segurança alimentar regional e colher os benefícios de vários trilhões de dólares através de seus portfólios de empréstimos e investimentos.

    “Primeiro há uma necessidade real de colocar em prática políticas que avaliem, de modo adequado, os riscos ambientais e sociais daqueles que financiam. A cada ano, mais de nove milhões de hectares de florestas tropicais são liberadas para abrir caminho à produção de commodities leves como azeite de dendê, soja, pecuária e madeira”, ressalta Bregman, que salienta que mais de 30% da pesca mundial ultrapassa limites biológicos.

    Com uma postura parecida, o Vice-Presidente de Finanças Internacionais no Fundo Mundial para a Vida Selvagem, Raj Kundra, festeja os sinais de encorajamento de que bancos regionais estejam começando a atuar em áreas como direitos trabalhistas. “A maioria dos bancos avaliados não têm políticas adequadas de commodities leves e frutos do mar para aproveitar a oportunidade de financiar a segurança alimentar do futuro. Esta é a razão porque as ferramentas e orientações do presente são tão importantes”, afirma.

    As sugestões para adoção de políticas em prol do desenvolvimento sustentável incluem o uso da Plataforma de Risco de Commodities Leves da Global Canopy, para ajudar os bancos e investidores a analisarem sua exposição aos riscos em cadeias de abastecimento de commodities. A plataforma , por sua vez, contempla uma orientação de materialidade para demonstrar os riscos comerciais frente às empresas, operando de modo insustentável em cadeias de abastecimento, orientação corporativa e um documento informativo a fim de definir expectativas para os conselhos de empresas operando em cadeias de abastecimento.

    Espera-se que esses instrumentos ajudem a fomentar o engajamento financeiro mais eficiente da instituição para empresa em torno dos impactos ambientais e sociais associados com a aquicultura e pesca. 



    Raquel Dodge defende transferência de travestis que optarem por presídios femininos

    Raquel Dodge defende transferência de travestis que optarem por presídios femininos


    A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso acolha pedido cautelar da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABLGT para que travestis e...

    A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso acolha pedido cautelar da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABLGT para que travestis e mulheres transexuais sejam imediatamente transferidos a prisões femininas, caso optem. Em parecer, a PGR destacou ser 'patente' a violação constitucional e dos direitos humanos manter as pessoas em estabelecimentos prisionais que não condizem com suas identidades de gênero. Raquel ainda ressaltou ser um 'risco à incolumidade física e moral' de quem estiver nesta situação. O parecer foi enviado à Suprema Corte nesta quinta, 21.

    (Foto: Marcos Corrêa/PR)

    Em seu pedido, a entidade sustentou que decisões que mantém essas pessoas em presídios masculinos ferem resolução conjunta do da Presidência da República e do Conselho de Combate à Discriminação, de abril de 2014. A artigo 3 da resolução determina que 'às travestis e aos gays privados de liberdade em unidades prisionais masculinas, considerando a sua segurança e especial vulnerabilidade, deverão ser oferecidos espaços de vivência específicos'. Já o artigo 4 prevê que 'as pessoas transexuais masculinas e femininas devem ser encaminhadas para as unidades prisionais femininas.

    A Associação requer ainda 'que as custodiadas travestis, identificadas socialmente com o gênero feminino, possam optar por cumprir pena em estabelecimento prisional do gênero feminino ou masculino'. E argumenta que 'as custodiadas travestis e transexuais que estão em estabelecimentos prisionais incompatíveis com o gênero feminino encontram-se em situação desconforme à dignidade humana e em condição degradante, o que afetaria sua condição de saúde'.

    Ao receber a ação, o ministro Luís Roberto Barroso determinou a intimação do Conselho Nacional de Justiça. Em parecer, a advocacia-geral da União se manifestou pelo não conhecimento da ação e por seu indeferimento. Raquel discordou do parecer.

    Jurisprudência
    A procuradora-geral da República cita que o plenário Supremo Tribunal Federal já decidiu, em março de 2018, que seja reconhecido 'aos transgêneros que assim o desejarem, independentemente da cirurgia de transgenitalização, ou da realização de tratamentos hormonais ou patologizantes, o direito à substituição de prenome e sexo diretamente no registro civil'. Na ocasião, todos os ministros da Corte reconheceram o direito, e a maioria entendeu que, para a alteração, não é necessária autorização judicial.

    Ainda acrescentou que o próprio ministro Barroso, em 2014, 'concedeu ordem de habeas corpus de ofício para determinar ao Juízo da Comarca de Tupã/SP a colocação de pacientes transgênero, que se encontravam em penitenciária masculina, em estabelecimento prisional compatível com as respectivas orientações sexuais'.

    "Imperioso, então, concluir que o reconhecimento legal da identidade de gênero de uma pessoa independe de alteração no registro civil, de travestimento, da conclusão de processo transexualizador ou de que ele/ela seja inconfundível com alguém do sexo oposto ao seu sexo biológico. Basta, para tanto, que a pessoa, por não desejar ser identificada e socialmente reconhecida pelo seu sexo biológico - ou seja, por uma questão de identidade -, apresente-se como do sexo oposto", diz Raquel.

    A procuradora-geral, no entanto, pondera não ser 'demais exigir que haja um mínimo de exteriorização dessa vontade de se identificar como do sexo oposto'. "Isto é: não é razoável presumir o dano praticado em relação àquele que não apresente processo mínimo de transformação de gênero que permita perceber essa vontade de identificação individual e social".

    "O direito ao reconhecimento, portanto, deve afirmar-se como um direito, em primeiro lugar, e precisará traduzir-se em esforços públicos - estatais e não-estatais - que retirem, ou, ao menos, minimizem, as consequências jurídicas de um estigma social sofrido pelo indivíduo estigmatizado",argumenta.

    Raquel ressalta que 'impedir a alocação em presídios femininos de transexuais do gênero feminino, e de travestis identificadas socialmente com o gênero feminino, equivale a negar-lhes, individual e socialmente, a identidade feminina'.

    Segurança e Saúde
    A procuradora-geral afirma que a 'desarmonia psicossocial que a entrada de alguém com aparência de mulher em um presídio masculino causa à sua identidade pessoal é inegável, e dispensa maiores considerações'. "Note-se que todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Todos os direitos humanos são universais, interdependentes, indivisíveis e inter-relacionados. A "orientação sexual" e a "identidade gênero" são essenciais para a dignidade e humanidade de cada pessoa e não devem ser motivo de discriminação ou abuso".

    "Outro direito fundamental diretamente ligado ao caso é o direito à segurança, uma vez que obrigar transexuais femininas e travestis a permanecerem custodiadas em estabelecimento prisional destinado a sexo diverso daquele com o qual se identificam pode colocá-las não apenas em situação de constrangimento e, por isto, atentatória à sua dignidade, mas também de efetivo risco à sua incolumidade física e moral, violando-se o seu direito à segurança pessoal", escreve.

    A procuradora-geral afirma que 'são de conhecimento público os episódios de violência física, moral e sexual sofridos por transmulheres em presídios masculinos, como também é evidente o prejuízo à saúde dessas pessoas daí decorrente'.

    Decisões
    A procuradora-geral afirma que 'razões como a ausência de cirurgia de transgenitalização e o risco à integridade física e sexual de mulheres cisgênero têm sido usadas para justificar a negativa de alocação de travestis e de mulheres transexuais em presídios femininos, em afronta ao entendimento manifestado pelo Supremo Tribunal Federal e pela Corte Interamericana de Direitos Humanos, no sentido da impossibilidade de condicionar-se o reconhecimento da identidade transgênero a fatores objetivos externos à subjetividade da pessoa trans, bem como da vedação de tratamento discriminatório baseado na identidade de gênero'.

    "É patente, assim, a existência de quadro de violação inconstitucional e inconvencional de direitos humanos das mulheres transexuais e de travestis mantidas em estabelecimentos prisionais incompatíveis com sua identidade de gênero", sustenta.

    Ainda afirma que os 'argumentos relativos à suposta lesão à dignidade humana, e ao risco à integridade física e à liberdade sexual de mulheres cisgênero que tenham de dividir estabelecimento prisional com travestis e mulheres transexuais, não são aptos a afastar as conclusões aqui manifestadas, quer porque partem, eles próprios, de injustificável tratamento discriminatório entre pessoas transgênero e pessoas cisgênero, quer porque se apoiam em premissas meramente hipotéticas, que não podem prevalecer sobre os dados concretos acerca da violência física, sexual, moral e emocional a que são submetidas as travestis e mulheres transexuais mantidas em estabelecimentos prisionais incompatíveis com sua identidade de gênero'.


    Salvador tem 1,5 milhão de pessoas ocupadas no 4º trimestre de 2018


    A população ocupada em Salvador foi estimada em 1.509 milhão de pessoas no quarto trimestre de 2018, um aumento de 41 mil ocupados em relação ao trimestre anterior, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios...

    A população ocupada em Salvador foi estimada em 1.509 milhão de pessoas no quarto trimestre de 2018, um aumento de 41 mil ocupados em relação ao trimestre anterior, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) Contínua, divulgada nesta sexta-feira (22).

    Salvador liderou o ranking com a maior variação absoluta no número de ocupados, seguida de São Luís, com 28 mil, Goiânia, 17 mil, e Recife e Porto Alegre, empatados com 16 mil cada uma. 

    No comparativo do quarto trimestre de 2018 com o mesmo período de 2017, foi registrado um aumento de 4 mil novos ocupados.  Esse indicador abrange tanto os ocupados formais quanto os informais.

    “Esses números são resultado do trabalho intensivo da prefeitura para transformar Salvador, ativando a economia e criando fontes de geração de renda. Por meio das ações do programa Salvador 360, em seus diversos eixos, temos conseguido estimular os investimentos na cidade e promover o desenvolvimento econômico. Estamos no caminho certo e vamos continuar seguindo esse passo”, declara o secretario municipal de Desenvolvimento e Urbanismo, Sérgio Guanabara.

    Venezuela amplia fechamento da fronteira com Brasil

    Venezuela amplia fechamento da fronteira com Brasil


    A Guarda Nacional Bolivariana ampliou na manhã deste sábado (23) o fechamento da fronteira com o Brasil, segundo o Exército brasileiro. Além do posto de fronteira entre Pacaraima e Santa Elena do Uairen, soldados venezuelanos foram mobilizados em...

    A Guarda Nacional Bolivariana ampliou na manhã deste sábado (23) o fechamento da fronteira com o Brasil, segundo o Exército brasileiro.

    Além do posto de fronteira entre Pacaraima e Santa Elena do Uairen, soldados venezuelanos foram mobilizados em torno de grandes partes da fronteira seca entre os dois países, para dificultar a passagem de venezuelanos que tentem ir para o Brasil. Apesar do cerco, alguns venezuelanos ainda estão entrando em território brasileiro.

    Caminhões com ajuda humanitária para os venezuelanos, enviados a pedido do líder opositor Juan Guaidó, saíram de Boa Vista as 5h30 e devem chegar agora pela manhã à fronteira.

    Ajuda humanitária
    O chanceler Ernesto Araújo disse, em entrevista coletiva na manhã deste sábado em Pacaraima, que espera que autoridades venezuelanas liberem a passagem de ajuda humanitária enviada do Brasil para a Venezuela enviada desde a Base de Boa Vista por um dever moral e político.

    "A expectativa é de que se libere o ingresso" disse Araújo, ao lado da embaixadora do líder opositor Juan Guaidó, Maria Teresa Belandria e de autoridades diplomáticas americanas. " A entrega será conduzida pela equipe do governo legítimo do presidente Guaidó."

    Ainda de acordo com o chanceler, são 178 toneladas de remédios e alimentos não perecíveis como feijão, arroz açúcar e leite em pó

    A embaixadora lembrou que em Cúcuta durante a noite guardas da Guarda Nacional Bolivariana desbloquearam uma parte da ponte e esperam o mesmo procedimento aqui. Segundo ela, Maduro dificultou a saída de caminhões venezuelanos para o Brasil por meio de pressao junto a empresas de transporte.

    Ainda de acordo com Araújo, a movimentação de segurança do lado brasileiro da fronteira é normal e o Itamaraty trabalhará junto a autoridades venezuelanas para que brasileiros que ficaram em Santa Elena do Uairen antes do fechamento da fronteira retornem ao País.

    Delegado pede para entrar na casa do BBB para interrogar Paula

    Delegado pede para entrar na casa do BBB para interrogar Paula


    A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro solicitou à Globo, na tarde desta sexta-feira a entrada de uma equipe policial na casa do BBB 19. A intenção do delegado Gilbert Stivanello é interrogar Paula e...

    A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro solicitou à Globo, na tarde desta sexta-feira a entrada de uma equipe policial na casa do BBB 19. A intenção do delegado Gilbert Stivanello é interrogar Paula e Rodrigo. A participante é investigada preliminarmente por intolerância religiosa contra o colega de casa.

    Paula será interrogada sobre as falas contra Rodrigo, que é do candomblé (Foto: Reprodução/TV Globo)

    "Fizemos um contato com a emissora solicitando a possibilidade de ouvir os dois envolvidos no caso: a suposta autora e a suposta vítima. Pedimos um espaço reservado porque a nossa intenção não é tirá-los do programa e, consequentemente, provocar uma dupla eliminação. Os interrogatórios vão nos ajudar a dar andamento a apuração já realizada", disse Stivanello.

    Paula está sendo investigada por causa de declarações durante uma conversa com Diego, integrante já eliminado, e Hariany, que segue na casa. A advogada mineira disse que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato com "esse negócio de Oxum" e completou com "nosso deus é maior". 

    Rodrigo, o alvo das falas supostamente intolerantes de Paula, também deve ser ouvido pelo delegado (Foto: Reprodução/TV Globo)

    Vamos ao local para confrontar o que vimos nos vídeos. "A questão em análise é de intolerância religiosa", contou o delegado.  "Ainda há dúvida no fato de haver crime na fala dela e a conversa vai ajudar bastante a elucidar", completou.

    De acordo com o delegado, a Globo pediu para ver a possibilidade de um espaço reservado e ficou de retornar o contato no início da semana. A emissora não se pronunciou sobre o assunto.

    Dono de lava-jato é espancado ao ser acusado de ser informante


    Um homem foi espancado por traficantes no bairro de Canabrava, na tarde desta sexta-feira (22). De acordo com o boletim registrado no Posto da Polícia Civil no Hospital Geral do Estado (HGE), o rapaz, de 22 anos, foi atacado por traficantes armados...

    Um homem foi espancado por traficantes no bairro de Canabrava, na tarde desta sexta-feira (22). De acordo com o boletim registrado no Posto da Polícia Civil no Hospital Geral do Estado (HGE), o rapaz, de 22 anos, foi atacado por traficantes armados porque teria sido confundido com um ‘informante’. 

    À polícia, ele afirmou que tem um lava-jato no Conjunto Paralela Park, na Avenida Paralela, nas imediações de Canabrava. Ele teria ficado amigo de policiais militares do batalhão local. Esses policiais estiveram em seu lava-jato na sexta, quando teria sido deflagrada uma operação contra o tráfico de drogas no bairro – mais especificamente, na localidade conhecida como Primeira. 

    Os traficantes teriam achado que ele era o informante. Um grupo de suspeitos armados foi até o lava-jato do jovem e deram início às agressões no rosto e na cabeça, além de socos, pauladas, pedradas e chutes. 

    Depois, o grupo fugiu. Ele foi encaminhado ao HGE, mas o estado de saúde dele não foi divulgado. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil. 
     

    Em duas horas, três pessoas são baleadas por roubo de celular em Salvador


    Em menos de duas horas, três pessoas foram baleadas em Salvador por tentativa de assalto. Os casos aconteceram na Avenida Garibaldi e no bairro de Monte Serrat, na noite desta sexta-feira (22). Em todas as situações, o alvo era um aparelho...

    Em menos de duas horas, três pessoas foram baleadas em Salvador por tentativa de assalto. Os casos aconteceram na Avenida Garibaldi e no bairro de Monte Serrat, na noite desta sexta-feira (22). Em todas as situações, o alvo era um aparelho celular.  

    O primeiro caso foi por volta das 19h50, de acordo com o boletim registrado no Posto da Polícia Civil no Hospital Geral do Estado. Augusto dos Santos Rocha, 27 anos, estava na Avenida Garibaldi com o amigo Manuel Francisco Cordeiro Silva de Jesus Santos, 31, quando foram abordados por um desconhecido. 

    O suspeito anunciou o assalto e fez os disparos. Augusto foi atingido no abdômen. Manuel também ficou ferido, mas o local onde foi atingido não foi informado. 

    Já Vinícius Saad Lobo, 27, foi baleado na Rua Rio Almada, em Monte Serrat, por volta das 21h40. Ele foi abordado por dois homens que estavam a bordo de um carro preto. A dupla anunciou o assaltou e disparou um tiro. Vinícius foi atingido no braço esquerdo. 

    Todas as vítimas foram encaminhadas para o HGE, mas o estado de saúde delas não foi divulgado. Os casos devem ser investigados pela Polícia Civil.
     

    Polícia prende terceiro suspeito de matar advogado em Feira; homem teria sido contratado

    Polícia prende terceiro suspeito de matar advogado em Feira; homem teria sido contratado


    Um dos suspeitos de matar o advogado Júlio Zacarias Ferraz, 43 anos, foi preso em Feira de Santana, na noite desta sexta-feira (22). Cleidson Marques Vasconcelos, 35, é apontado como um dos executores do crime – ele teria sido contratado pela...

    Um dos suspeitos de matar o advogado Júlio Zacarias Ferraz, 43 anos, foi preso em Feira de Santana, na noite desta sexta-feira (22). Cleidson Marques Vasconcelos, 35, é apontado como um dos executores do crime – ele teria sido contratado pela própria ex-mulher da vítima, a servidora aposentada do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) Glaucia Mara Ottan Ferraz, 47. 

    O advogado foi encontrado morto no dia 5 de fevereiro deste ano – 21 dias após ser dado como desaparecido. O corpo foi encontrado na zona rural de Santo Amaro, no Recôncavo baiano. Júlio estava sem roupas, com as mãos amarradas e com duas perfurações de tiros. A ex-mulher dele, Glaucia, e a empregada doméstica dela, Maria Luiza Borges do Carmo, já estavam presas desde o dia 14. 

    Advogado foi morto em Feira de Santana (Foto: Reprodução)

    Ele foi localizado no bairro de Pedra de Descanso, perto da casa de parentes. 

    “Desde o início das investigações, depois da prisão delas, já tínhamos a identidade dele como sendo um dos executores. A empregada o reconheceu como uma das pessoas que foi convidada por ela. Ela o conheceu através de uma pessoa, justamente para o cometimento do crime”, afirmou o delegado, ao CORREIO, na manhã deste sábado (23). 

    À polícia, inicialmente, Cleidson afirmou que não tem envolvimento com o assassinato do advogado. Ele, que disse ser comerciante, deve prestar depoimento neste sábado. 

    Cleidson já foi preso por homicídio, em 2013. Conhecido como ‘Vermelho’, Cleidson foi acusado de ser um dos responsáveis pela morte de um soldador, naquele mesmo ano, em Feira. 

    “Tem outros fatos que estão sendo investigados e estamos procurando outros envolvidos”, completou o delegado, sem entrar em detalhes. Cleidson foi encaminhado para o Complexo Penal do Sobradinho, em Feira. 

    Além da 1ª Coorpin, a operação, batizada de ‘Viúva Negra’, contou com policiais da 3ª Coorpin (Santo Amaro), da Polícia Militar e da Polícia Federal. 

    Júlio foi encontrado morto na zona rural de Santo Amaro (Foto: Reprodução)

    Contratação
    O irmão da vítima, Bráulio Ferraz, confirmou que o suspeito não conhecia Júlio antes do crime.

    “Para nós, não vai ser Justiça até todos serem presos e até o júri popular de todos. A gente sabe que o processo não é tão rápido, mas a nossa esperança é que todos sejam condenados, em júri popular, à pena máxima de 30 anos”, disse Bráulio. 

    Segundo a polícia, a ex-mulher de Júlio, Glaucia, não aceitava a partilha de bens proposta no divórcio. Os dois estavam separados há seis anos. Para resolver a situação, ela teria decidido contratar dois homens para matar o advogado. O pagamento de cada um deles seria de R$ 2 mil.  

    Já a empregada doméstica Maria Luiza Borges do Carmo teria sido pressionada pela patroa para contratar os executores do crime. À polícia, Maria Luiza confirmou que contratou os homens, mas negou que tenha sido paga por isso. Ela contou que cedeu à pressão de Glaucia porque teria sido ameaçada de morte.

    O crime teria sido cometido porque Glaucia não aceitava a partilha de bens (Foto: Reprodução)

    Na semana passada, uma reportagem do CORREIO mostrou que a ex-servidora do TJ tem um histórico longo na Justiça Criminal do estado. Ela já se envolveu em um incêndio criminoso no condomínio onde morava, em Feira, além de ser acusada de ameaça de morte e falsificação de documentos, junto com a mãe, para se apropriar indevidamente da herança da avó morta em 2004.

    Ao todo, Gláucia responde a cinco ações penais. Em todas as ações, Júlio era seu advogado de defesa. Ela também moveu três ações contra o município de Feira de Santana, com pedido de isenção do pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). 

    Conselho Federal de Medicina revoga resolução que autorizava telemedicina

    Conselho Federal de Medicina revoga resolução que autorizava telemedicina


    O Conselho Federal de Medicina (CFM) revogou sexta a resolução que regulamenta a prática de telemedicina no país. A regra permitia a realização de  consultas, diagnósticos e até cirurgias à distância. A medida ocorre após uma série de...

    O Conselho Federal de Medicina (CFM) revogou sexta a resolução que regulamenta a prática de telemedicina no país. A regra permitia a realização de  consultas, diagnósticos e até cirurgias à distância. A medida ocorre após uma série de críticas de conselhos regionais, que consideraram o texto pouco claro e com pontos que poderiam, em última análise, trazer risco à qualidade do atendimento de pacientes e para o sigilo das informações médicas. Entidades apontaram ainda a falta de debate sobre a normatização.

    'Vulnerabiliza médicos e pacientes', diz Cremeb sobre consultas pela internet

    Em comunicado, o CFM informou que a decisão foi tomada por causa do grande volume de manifestações de médicos e entidades que representam a classe. Anunciada no início de fevereiro, a regra permitiria que pacientes em regiões mais afastadas do País tivessem a primeira consulta médica a distância, desde que acompanhados de um outro profissional de saúde, como auxiliar de enfermagem.

    As exigências eram mais frouxas do que as apresentadas para habitantes de cidades mais próximas do centro. No caso desses moradores, as consultas a distância poderiam ser feitas apenas em retornos e sempre intercaladas com outras consultas presenciais. 

    A norma surgiu no momento em que prefeituras se deparam com vazios de assistência em áreas distantes do País, causados pela saída de profissionais cubanos do Mais Médicos. Havana decidiu abandonar o programa e convocar os médicos de volta em novembro.

    Diante das queixas, o CFM abriu consulta para que sugestões fossem encaminhadas. A ideia inicial era manter o cronograma e não revogar a norma. Mas, diante do alto número de sugestões, a autarquia decidiu recuar. Não há prazo para se apresentar um novo texto.

    A suspensão foi anunciada no mesmo dia em que a Associação Médica Brasileira, até então neutra diante da polêmica resolução, disse ser favorável à revogação. Entre os conselhos regionais que criticaram a medida, estavam os de São Paulo, Rio, Bahia e Rio Grande do Sul. 

    Até o momento, foram encaminhadas 1.444 propostas de mudanças na regra. A partir de agora, as contribuições serão organizadas, analisadas e debatidas para construir um novo texto. A revogação será oficializada em reunião extraordinária do CFM, marcada para a terça.

    Reações

    A notícia da suspensão da norma provocou reação imediata. A Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), disse lamentar a decisão. Para a entidade, diante da evolução do mundo digital, "soa estranho" qualquer tentativa de frear a evolução. A Abramge afirmou ainda que a saúde a distância proporciona melhora de qualidade de vida dos pacientes, com economia de tempo para pacientes e prestadores de serviços. 

    Em nota, a Federação Nacional da Saúde Suplementar (Fenasaúde) afirmou que a revogação é uma oportunidade para o debate ser aprofundado e a norma, aperfeiçoada. Para a entidade, que reúne operadoras de planos de saúde, a telemedicina é uma ferramenta importante, que já é usada, e a regulamentação é necessária.

    Diretor de tecnologia da informação da Associação Paulista de Medicina (APM), Antonio Carlos Endrigo, disse que o debate é necessário. "A última resolução sobre telemedicina data de 2002. Temos, então, 17 anos de defasagem e todo mundo sabe que a tecnologia tem evolução absurda de um ano para o outro. As entidades médicas não podem ficar tão atrasadas em relação a isso."

    Endrigo apontava a necessidade de ajustes em relação à versão original, mas se mostrou frustrado com o recuo do CFM. "Revogaram da noite para o dia, depois de eles mesmo terem proposto 60 dias para todo mundo contribuir. A mobilização agora acaba paralisada."

    Para ele, um dos pontos mais polêmicos é a teleconsulta, que abre a possibilidade de consulta sem presença física do médico. "Um novo perfil de profissional tem de ser preparado, desde a faculdade, para isso e é preciso haver conscientização da sociedade. Mas a resolução previa 90 dias para implementar. Assim não pode, está errado." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Incêndio de grandes proporções atinge fábrica em Candeias

    Incêndio de grandes proporções atinge fábrica em Candeias


    Uma explosão atingiu uma fábrica no município de Candeias na noite desta sexta-feira (22), gerando um incêndio de grandes proporções nas dependências da empresa Proquigel na localidade de Caroba, segundo a prefeitura da cidade.  Não hopuve...

    Uma explosão atingiu uma fábrica no município de Candeias na noite desta sexta-feira (22), gerando um incêndio de grandes proporções nas dependências da empresa Proquigel na localidade de Caroba, segundo a prefeitura da cidade. 

    Não hopuve vítimas, segundo o Corpo de Bombeiros (Foto: Divulgação)

    Apenas na madrugada deste sábado (24), por volta das 3h, as equipes do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) conseguiram conter as chamas. Por meio de nota, a prefeitura relatou que ao tomar conhecimento da explosão e do incêndio tomou urgentemente as primeiras providências. 

    De acordo com os bombeiros, não houve vítimas e as causas da explosão ainda são desconhecidas.

    Durante a madrugada os militares, com três viaturas de combate a incêndio e apoio de brigadas de incêndio de empresas privadas da região, atuaram no resfriamento dos tanques, evitando que o fogo se alastrasse e que novas explosões acontecessem. 

    Incêndio atingiu fábrica na cidade (Foto: Divulgação)

    Moradores da Urbis 2, bairro próximo, e região sentiram abalos em suas casas na hora da explosão devido ao impacto. 

    O prefeito da cidade esteve no no local do incêndio e determinou aos secretários municipais de Serviços Públicos, Meio Ambiente, Desenvolvimento Social e de Saúde que montassem equipes extraordinárias de plantão para apoiar as ações de contenção de danos e estragos.

    A defesa civil do município e equipes de Assitente Social também participaram da ação.

    'Não há possibilidade de confronto', diz ministro da Defesa sobre Venezuela


    Mesmo com o conflito registrado nesta sexta-feira (22) na região da fronteira, o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, disse que "não há possibilidade de confronto militar" entre Brasil e Venezuela. "A determinação que nós recebemos...

    Mesmo com o conflito registrado nesta sexta-feira (22) na região da fronteira, o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, disse que "não há possibilidade de confronto militar" entre Brasil e Venezuela. "A determinação que nós recebemos do presidente Jair Bolsonaro é de que, de jeito nenhum, as Forças Armadas brasileiras atravessarão a fronteira" para levar ajuda humanitária aos venezuelanos.

    O Brasil poderá entrar na Venezuela para levar alimentos e medicamentos?

    De jeito nenhum as Forças Armadas brasileiras atravessarão a fronteira. A ajuda se dará pelo lado brasileiros, com o abastecimento de caminhões venezuelanos, dirigidos por motoristas venezuelanos. O Brasil não entrará em território venezuelano. Esta já é a segunda operação humanitária e logística. Nós vamos nos preposicionar na faixa de fronteira com medicamentos, gêneros para que os venezuelanos ou as autoridades constituídas venham apanhá-las aqui. De forma alguma nós vamos manter qualquer ingerência em relação ao território venezuelano. É uma operação simplesmente humanitária, de levar uma possível ajuda para fronteira Brasil-Venezuela, para que os venezuelanos venham pegar isso aqui.

    E se eles não conseguirem passar para o lado brasileiro ou regressarem para o lado venezuelano?

    Os medicamentos e alimentos estarão à disposição dos venezuelanos assim que eles puderem vir buscar, a partir deste dia 23 de fevereiro. A determinação que nós recebemos do presidente Jair Bolsonaro é de que, de jeito nenhum, as Forças Armadas brasileiras atravessarão a fronteira para levar ajuda humanitária aos venezuelanos. A ajuda se dará pelo lado brasileiro, com o abastecimento de caminhões venezuelanos.

    Houve mortes do lado de lá. Se esse quadro se repetir, o Brasil pode agir, fazer alguma coisa para defender os venezuelanos?

    Não vamos fazer nada. Não temos ingerência sobre território venezuelano. A soberania venezuelana tem de ser respeitada.

    Há preocupação com confrontos de tropas brasileiras e venezuelanas?

    Nenhuma preocupação em relação a isso. Não há motivo para isso. Não há motivo para um confronto entre tropas brasileiras e venezuelanas. Não tem essa possibilidade. Não haverá isso. Não há possibilidade de confronto militar.

    Há prontidão na fronteira brasileira por conta da tensão na Venezuela? Ou aumento de pessoal na fronteira?

    Nenhuma. A posição das nossas forças no local é de completa normalidade.

    Não seria natural que se aumentasse o número de militares na fronteira diante de uma possibilidade de confronto?

    Não. Não aumentamos número de militares porque não há possibilidade de confronto.

    Circularam informações de que o presidente Maduro posicionou o Sistema de Mísseis de Defesa Aérea próximo à fronteira com o Brasil? O governo tem essa confirmação? É uma atitude hostil?

    Nenhuma informação a respeito disso. Não vejo essa possibilidade como informação verdadeira.
     

    Três homens são mortos a tiros em Sete de Abril; irmãos foram atingidos em casa


    Três homens morreram no bairro de Sete de Abril, na noite desta sexta-feira (22). Duas das mortes aconteceram com intervalo de cerca de 50 minutos entre uma e outra, de acordo com o boletim da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA).  Os...

    Três homens morreram no bairro de Sete de Abril, na noite desta sexta-feira (22). Duas das mortes aconteceram com intervalo de cerca de 50 minutos entre uma e outra, de acordo com o boletim da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA). 

    Os irmãos Daniel Pitta dos Reis Santos, 19 anos, e Emanoel Pitta dos Reis Santos, 25, foram mortos na Rua da Boa Paz, na localidade conhecida como Peba. Os dois foram atingidos por tiros, por volta das 22h55. Já Edmilson Alves da Silva, 30, foi morto na Avenida Maria Lúcia, na Travessa dos Humildes. Ele também foi alvejado por tiros, às 23h49. 

    Ao CORREIO, a Polícia Militar confirmou que policiais da 50ª Companhia Independente (Sete de Abril) foram acionados para atender a uma denúncia de triplo homicídio. 

    “Quando chegaram aos locais as guarnições isolaram a área e acionaram o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) para realização da perícia e remoção dos corpos. O primeiro foi localizado na Via Regional atingido por disparos de arma de fogo e as outras duas vítimas dentro de uma casa onde moravam”, afirmou a PM, em nota.

    Os crimes serão investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

    Ilê Ayiê comanda festa no Parque Costa Azul

    Ilê Ayiê comanda festa no Parque Costa Azul


    O bloco afro Ilê Ayiê comanda mais uma edição do festival Música no Parque, que acontece neste sábado (23), às 17h, no Parque Costa Azul, com entrada gratuita. Será uma boa oportunidade para quem quer curtir o Ilê, que agora só volta a se...

    O bloco afro Ilê Ayiê comanda mais uma edição do festival Música no Parque, que acontece neste sábado (23), às 17h, no Parque Costa Azul, com entrada gratuita. Será uma boa oportunidade para quem quer curtir o Ilê, que agora só volta a se apresentar durante o Carnaval. Com uma temporada empolgante, o Ilê está comemorando 45 anos e revive a própria história com o tema Que Bloco é Esse?

    A abertura do show fica por conta da cantora Gab Ferreira. Gab ficou conhecida por representar a Bahia em dois realitys musicais da Rede Globo: Superstar (2016) e The Voice (2017). A artista traz seu primeiro trabalho solo na apresentação, que tem como influência o próprio Ilê e o Olodum, além de artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ivete Sangalo e Daniela Mercury. 

    Gab Ferreira participou da edição de 2017 do The Voice Brasil (Foto: Reprodução)

    Em clima de pré-Carnaval, o Música no Parque é mais uma opção para curtir o Verão de Salvador. Em sua história, o festival acumula mais de 170 shows entre artistas e bandas presentes nas outras edições, onde mais de 500 mil pessoas assistiram os shows realizados ao longo de 16 anos.  Essa é a terceira  edição do evento em 2019.

    Nomes como Luiz Caldas, Guilherme Arantes, Belchior, Mariene de Castro e Marcia Short já subiram no palco. As bandas Scambo, Cascadura e Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta também já tocaram na festa.  
     

    Música no Parque
    O quê: Música no Parque
    Onde: Parque Costa Azul (Costa Azul)
    Quando: Sábado (23), às 17h 
    Entrada gratuita

    Emprego: plano de carreira e especializações complementares fazem a diferença

    Emprego: plano de carreira e especializações complementares fazem a diferença


    Você já parou para se questionar sobre o que idealiza para sua vida profissional? Para refletir sobre carreira não se pode levar em consideração apenas o crescimento em cargos e salários. É importante se questionar sobre quais áreas e indústrias...

    Você já parou para se questionar sobre o que idealiza para sua vida profissional? Para refletir sobre carreira não se pode levar em consideração apenas o crescimento em cargos e salários. É importante se questionar sobre quais áreas e indústrias têm a ver com as suas paixões pessoais, com o que você sempre gostou de conhecer e fazer, desde que era criança.

    “E aqui estamos falando de propósito. Cada vez mais é importante ter esse olhar quando pensamos em carreira, e mais do que isso, há um movimento em que o mercado de trabalho também começa a procurar por profissionais que tenham fit cultural. Ou seja, empresa e colaborador compartilhem dos mesmos valores e propósito”, pontua Fernanda Vio, gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil.

    Ter um plano de carreira será sempre a grande questão para que possa se especializar e ser mais competitivo no mercado de trabalho. “É essencial investir tempo e reflexão em autoconhecimento. Sugiro que o profissional faça um exercício muito simples: enumere seus pontos fortes e fracos e invista naquilo em que se é naturalmente bom. Esse pode ser um bom começo!”, sugere Fernanda.

    E não precisa ficar limitado há apenas uma qualificação. A pessoa quando escolhe uma profissão é muitas vezes jovem e solteira, e sua própria vida vai sofrendo alterações. Com o tempo, naturalmente as pessoas migram e ressignificam sua trajetória. Além de o profissional ir se interessando por novas áreas e possibilidades ao longo da vida, há ainda casos em que as especializações são exigidas pelo próprio mercado.

    “A pessoa pode ter uma profissão, mas pode ter inúmeras carreiras ao longo de sua vida. Nessa fase contemporânea que nós estamos, é esperado que essas transformações aconteçam mais vezes, em um número maior de pessoas e em um lapso menor de tempo. Por isso a necessidade de estar permanentemente aprendendo”, destaca Alessandra Calheira, gestora do Setor de Carreiras da Rede FTC.

    Conhecimento
    Percursos formativos têm uma importância muito grande, porque se trata de uma troca de experiências, sobretudo a pós-graduação lato sensu, que chamamos de especializações. “Ali é uma oportunidade de ter aulas, encontros e práticas com profissionais, que embora dedicados à vida acadêmica, estão também ligados à grandes empresas.  Por isso, passam experiências vividas, fazem uma troca com o aluno”, ressalta o reitor da Universidade Católica do Salvador, padre Maurício Ferreira.

    O reitor destaca que os alunos na pós-graduação têm mais oportunidade de tocar no real, partilhar experiências já vividas pelos seus tutores. “Tem essa vantagem, essa vitalidade. Eu diria que fazer uma pós-graduação é muito importante para qualquer pessoa que está procurando crescer na vida, tanto para seu emprego, tanto para seu conhecimento científico e acadêmico. Do ponto de vista do conhecimento, eu diria que é imprescindível. Quem tem possibilidade de fazer uma pós-graduação, não deve deixar de fazê-la, porque se trata de um novo exercício para a inteligência”, sugere o reitor. 

    Caminhos
    A pós-graduação lato sensu, neste caso, é um importante caminho para que o profissional tenha um aprendizado complementar. “A pós-graduação é um curso mais curto, que tem uma robustez de conteúdo, que garantem ao profissional atualização de qualidade com uma velocidade maior, tempo menor e preço também mais acessível. A pessoa vai poder se atualizar e contribuir com os rumos novos que as carreiras vão exigir”, destaca Alessandra Calheira.

    Mas é importante que o profissional associe as próprias aptidões e formação de base com as tendências de mercado. “Não adianta insistir em áreas que não são mais demandadas ou que já têm muita gente no mercado e que você acaba não se diferenciando por isso. Tem que buscar novos conhecimentos do são tendências”, destaca Tatiana Ferraz, gerente do Centro Universitário Senai Cimatec.

    Além de adquirir novos conhecimentos e alimentar o seu networking, ter no currículo cursos e especializações é bom indicativo de que se trata de alguém que investe em sua carreira e está preocupado com o seu desenvolvimento. “Neste cenário, as chances de ser um colaborador também preocupado com sua performance e resultados são maiores, aumentando as chances de conseguir uma boa oportunidade”, ressalta a gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil.

    A pós-graduação é um percurso formativo imprescindível também para quem quer seguir uma carreira acadêmica. “Stricto Sensu, que são os mestrados e dourados, está ligada à formação acadêmica e de pesquisador”, esclarece Maria de Lourdes, pró-reitora de ensino de graduação e pós-graduação da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. 

    Na Bahiana de Medicina é possível, ainda, fazer os mestrados e dourados profissionais, que estão ligados ao profissional de saúde que está atuando e tem como objeto de estudo uma pergunta ou um questionamento relacionado à prática dele.  O mais novo deles, disponível a partir de julho, será na área de Psicologia.

    “Ele é o primeiro programa de mestrado profissional de Psicologia da Bahia. A ideia é qualificar quem está no mercado de trabalho, para que ele possa transformar as práticas e dê a elas um status científico”, explica Mônica Daltro, coordenadora do Programa de Mestrado Profissional em Psicologia da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

    Pós-graduação

    Lato Sensu
    Especialização e MBA
    Média de 18 meses 

    Stricto Sensu
    Mestrado e Doutorado
    De 2 a 4 anos

    Residência
    Exige dedicação exclusiva do aluno
    Média de 2 anos


    Novos horizontes
    O estudo tem o poder de mudar a vida de um profissional. Nadjane Ribeiro, 54 anos, que o diga. Ela não fazia ideia do rumo que sua carreira iria tomar ao iniciar um curso técnico de instrumentação cirúrgica em 1995. Naquela época, entrou no mercado de trabalho como técnica em hospitais e anos depois passou a conciliar a profissão com uma graduação em Turismo, concluída em 2008.

    O caminho percorrido, a partir daí, passou a ter rumos muito pouco imagináveis. Ainda estudante de Turismo, recebeu uma proposta para trabalhar em uma multinacional da área de saúde. Foi aí que vislumbrou uma carreira promissora. Mas para chegar ao cargo de especialista clínica, que exerce neste momento, tinha que ter uma graduação em Enfermagem – que fez e concluiu em 2015.

    Desde então outras duas especializações entraram na sua formação acadêmica: MBA em Sistemas de Saúde na UniJorge e MBA em Auditoria dos Serviços em Saúde na Rede FTC. Ambas fundamentais para a ascensão na multinacional que trabalhou por 17 anos e na nova empresa, também com projeção internacional, que trabalha há um ano e nove meses. “Nas duas empresas o colaborador é mais reconhecido quanto mais se especializa. Isso nos estimula. Agora mesmo já planejo uma nova de marketing estratégico”, conta Nadjane Ribeiro.

    A formação acadêmica de Nadjane passou por duas questões diferentes: mudança de área da graduação e, depois, especialização da área de atuação. Mas Alessandra Calheira, gestora do setor de Carreiras da Rede FTC, alerta que cada caso deve ser considerado individualmente. Não há uma fórmula que irá servir para todos os profissionais.

    “A decisão entre fazer uma nova graduação ou uma pós-graduação depende do seu objetivo de carreira. Se a mudança que vai fazer é radical, mudando completamente a área de atuação, daí você precisa de uma nova graduação. Mas se é algo transversal ou complementar, uma pós-graduação é uma boa solução”, indica.

    O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

    O Carnaval é do folião: blocos e festas resgatam tradição dos antigos carnavais

    O Carnaval é do folião: blocos e festas resgatam tradição dos antigos carnavais


    Quem está ligado no Carnaval de Salvador sabe: as cordas têm caído e  blocos com novas configurações  têm surgido dentro e fora dos circuitos tradicionais. Diferente do esquema  abadá, trio elétrico e som potente, os novos blocos têm atraído...

    Quem está ligado no Carnaval de Salvador sabe: as cordas têm caído e  blocos com novas configurações  têm surgido dentro e fora dos circuitos tradicionais. Diferente do esquema  abadá, trio elétrico e som potente, os novos blocos têm atraído multidões não menos animadas, dispostas a caprichar na fantasia e se divertir ao som de fanfarras ou grupos percussivos. Além disso, a movimentação dos chamados “bloquinhos”, como são carinhosamente apelidados, também não está restrita aos dias oficiais da folia.

    Caso dos bloquinhos Moraes e Moreira, organizado pelo Movimento Etílico dos Barris (MEB), e que desde 2014 tomam conta do bairro na quarta-feira que antecede a folia. A iniciativa, que não tem fins lucrativos e desfila também na  Mudança do Garcia, surgiu da vontade de um grupo de amigos moradores dos Barris, apaixonados por Carnaval e fãs de Moraes Moreira.

    Com estandartes, bloquinhos dão o tom dos eventos pré-Carnavalescos (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

    “São dois blocos porque é uma brincadeira que a gente faz com uma tentativa de uma rivalização saudável: uma parte é Moraes, outra é Moreira. Só que todo mundo sai junto”, explica Maria Manuela, 30, uma das quinze pessoas envolvidas na organização. 

    Surgido nos Barris, o MEB sempre prezou por fazer o desfile dos bloquinhos no bairro. Por isso, desde o início há uma interlocução com os demais moradores e comerciantes da região. “Todo ano fazemos reuniões, calculamos o impacto disso no bairro e organizamos a infraestrutura para receber o público, que tem crescido a cada ano”, conta. 

    A gente quer ver o nosso sonho ganhar corpo, mas com prudência, com responsabilidade. Carnaval não é tempo de esquentar tanto a cabeça, é tempo de ser feliz - Maria Manuela, organizadora dos bloquinhos Moraes e Moreira


    Sustentabilidade
    A preocupação de fazer uma festa sustentável e segura é unânime entre todos aqueles que organizam movimentos dessa natureza. O Bloco de Hoje a 8, que costumava sair uma semana antes do início do Carnaval  pelas ruas do Santo Antônio Além do Carmo, suspendeu o desfile em sua já tradicional data e anunciou uma saída-relâmpago este ano, a fim de minimizar os danos ao histórico bairro e manter a segurança dos brincantes.

     “Estamos levando em conta, principalmente, o nosso próprio tamanho e a gigantesca festa que se tornou o sábado antes do Carnaval, com um aglomerado de blocos que buscam esse mesmo dia e horário para ir à rua no Santo Antônio”, explicaram, em nota,  reiterando a preocupação com “blocos comercias ou ligados a indústria do Carnaval em utilizar esse espaço para fins lucrativos”.

    Bloco De Hoje a 8, do Santo Antônio Além do Carmo, não sairá na tradicional data e fará saída-relâmpago (Foto: Israel Lima/Divulgação)

    Quem tem lidado de forma mais tranquila com esse crescimento é o movimento cultural Palhaços do Rio Vermelho, que há nove anos tem feito seu desfile no próprio bairro semanas antes do início oficial da festa. Em 2020, eles completam uma década querendo manter a mesma missão: um espaço seguro para toda a famíla se divertir com fantasias, ao som de fanfarras e grupos culturais do interior da Bahia.

    O movimento surgiu na década de 80, quando um grupo de amigos decidiu sair fantasiado  pela Avenida. Com a chegada dos grandes trios e blocos com cordas, eles trocaram o Circuito Osmar pelo Dodô, onde saíam formando uma espécie de ala, no bloco Os Mascarados. Com o crescimento do bloco, decidiram criar um desfile pré-carnavalesco no bairro que nominava o grupo. 

    No primeiro ano, reuniram 400 pessoas. Hoje, chega a milhares. “Não imaginávamos que iríamos atrair tanta gente ao longo dos anos. Sentimos que já abarca a cidade inteira e é uma coisa feita do povo para o povo”, comenta Rui Santana, um dos fundadores.

    Palhaços do Rio Vermelho levam milhares de pessoas às ruas do bairro nas semanas que antecedem o Carnaval (Foto: Divulgação)

    Mais que diversão
    Apesar de não ser um bloquinho, o Banho de Mar à Fantasia, que acontece há sete anos na Ladeira da Preguiça, tem a mesma preocupação e também resgata uma antiga tradição pré-folia  da cidade, surgida na década de 30 e interrompida por 20 anos.

    “Durante um bom tempo, esta foi uma referência de manifestação popular pré-carnavalesca. De lá surgiram alguns blocos, principalmente de travestidos, como As Kuviteiras e As Muquiranas, e também de samba”, conta  Maurício Galvão, criador do projeto Salvador Meu Amor, que retomou a festa em 2013 junto com a equipe do Centro Cultural Que Ladeira É Essa?.  

    A edição desse domingo promete ser a maior desde então e, por conta disso, também preocupa os realizadores, que  contam com patrocínio de uma grande cervejaria e com apoios da prefeitura e do governo.

    O evento começa com uma concentração na própria ladeira, a partir das 9h, com shows de Ministereo Público, Samba 2 de  Julho e Guiga de Ogum. O cortejo com  fanfanfarras e grupos culturais do Recôncavo acontece às 12h. Às 14h, o DJ Roger’n Roll assume o comando da festa, que depois terá shows de Xarope MC e da banda Afrocidade, com participações de Xênia França e Luedji Luna .

    Banho de Mar à Fantasia resgata tradição iniciada na década de 30, na Ladeira da Preguiça (Foto: Antonello Veneri/ Divulgação)


    Como o nome já diz, a ideia é que todo mundo vá fantasiado e aproveite a proximidade com o mar  para dar um mergulho. “A gente tem uma preocupação com a sustentabilidade do evento, mas também acreditamos que ele ainda tem muito a crescer, dando esse retorno à comunidade durante todo o ano”, comenta Maurício. 

    A maior parte dos bloquinhos e eventos que nutrem uma relação íntima com os locais onde surgem tem um forte caráter político. Valorização do bairro, grito contra a violência, críticas à especulação imobiliária e à apropriação  cultural por grandes empresas, tudo é pauta durante a diversão. “É uma dupla jogada: se divertir marcando essa resistência, que é uma característica do Carnaval, com bloco na rua, gente ocupando cidade”, resume Maria Manuela, que descarta a ideia de que seja um fenômeno passageiro.

    “A história do Carnaval é essa. Eu vejo com muito gosto e naturalidade a gente voltar a fomentar e acreditar que o cidadão é quem faz a festa, não necessariamente grandes articulações. Claro que a gente precisa da estrutura, que o estado auxilie nisso, mas não precisa de uma estrutura muito grandiosa em termos de instituição para poder botar o bloco na rua. Acho muito bonito de ver e é um reencontro de Salvador com sua história”, comenta, ao sugerir que os blocos troquem experiências e pensem alternativas juntos.

    Para Maurício, o sucesso de eventos desse tipo tem a ver com o desgaste do formato de corda e camarote. “As pessoas cansaram disso e Salvador está começando a se movimentar num sentido próximo ao que já acontece no Rio de Janeiro, quando blocos tomam conta do centro da cidade, de forma autônoma e espontânea. Essa é a nova leva, que na verdade é a de um Carnaval antigo, mais próximo, mais junto, mais autêntico”.

    Bloco de Hoje a Oito repensa maneiras sustentáveis de continuar a fazer o Carnaval no Centro Antigo de Salvador (Foto: Israel Lima/ Divulgação)

    Bloco na rua 
    Para bancar os custos com a saída na quarta-feira, os bloquinhos costumam vender camisas personalizadas, que não são uma condicionante para participar da festa, e também promover festas pagas. O Movimento Etílico dos Barris realiza neste sábado (23), uma festa no Clube do Samba, no Pelourinho, onde a entrada só é permitida para aqueles pagantes que estiverem fantasiados - eles realizam ainda um concurso que elege a melhor fantasia, com direito a edital e tudo.

    O Palhaços do Rio Vermelho também faz uma festa fechada semanas antes do desfile pelas ruas do bairro, para coroar o rei e a rainha da edição e também angariar fundos que serão revertidos na saída pré-Carnavalesca. "Nenhum de nós somos profissionais de Carnaval e nos reunimos para fazer isso, entre amigos, para curtir o Carnaval como a gente gosta. Não há fins lucrativos. Hoje já uma ajuda de empresas, da prefeitura para que a gente custeie a vinda dos grupos do interior, pague os músicos. Tem a festada coroação do rei e da rainha, uma festa paga. Também pomos à venda camisas exclusivas, feitas por artistas parceiros. A gente vê esse crescimento de uma forma sadia. Cada vez a gente se organiza mais, busca informações sobre outros grupos, sobre produção de movimentos dese tipo, para fazer o melhor possível", diz Rui Santana.

    O que parece uma contradição, na verdade, revela o espírito indomável do Carnaval, tradição secular que se reiventa de décadas em décadas. “O futuro do Carnaval está nas mãos do povo, como sempre esteve. Nunca existiram regras e, naturalmente, a festa foi se moldando e ganhando os contornos que tem hoje. O futuro do Carnaval não é fácil de definir, mas ele existe e sempre terá a cara que o folião quiser”, complementa.

    Ministério convocará militares para atuar na área da saúde

    Ministério convocará militares para atuar na área da saúde


    O Ministério da Saúde vai convocar militares para atuar em áreas consideradas como críticas da pasta. Na lista, está a direção do Hospital Federal de Bonsucesso, o maior da rede pública do Estado do Rio de Janeiro. Com capacidade para realizar 15...

    O Ministério da Saúde vai convocar militares para atuar em áreas consideradas como críticas da pasta. Na lista, está a direção do Hospital Federal de Bonsucesso, o maior da rede pública do Estado do Rio de Janeiro. Com capacidade para realizar 15 mil consultas mensais, a unidade enfrenta uma grave crise no atendimento e suspeita de envolvimento com milícias. A pasta também estuda passar para o comando dos militares uma das funções mais delicadas da Secretaria de Saúde Indígena (Sesai): os contratos para o transporte aéreo.

    A ideia do Ministério da Saúde é de que, nessas duas atividades, militares fiquem encarregados sobretudo da parte de contratos e da gestão de recursos. No Hospital de Bonsucesso, por exemplo, a recomendação é os militares ocuparem seis diretorias subordinadas ao diretor do corpo clínico. Os nomes já foram escolhidos e aguardam a aprovação do presidente Jair Bolsonaro.

    No hospital, o grupo ficaria com a responsabilidade das compras de medicamentos, e de contratos de limpeza e alimentação, por exemplo. Logo ao assumir o cargo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, cogitou a possibilidade de os hospitais do Rio de administração federal passarem a ter um sistema centralizado para compras. A tendência é de que a equipe de militares fique encarregada dessa atividade.

    O argumento da pasta é de que militares teriam mais condições de resistir a eventuais pressões de milícias. Órgãos de controle iniciaram investigação para identificar a eventual ação desses grupos. As denúncias são de que milicianos teriam o poder de definir a ordem no atendimento de pacientes. 

    Moradores de Seropédica, região metropolitana do Rio, teriam preferência. Esses grupos também controlariam a rede de fornecedores da instituição. Nenhuma das suspeitas foi comprovada até agora. 

    Transporte
    Na área da saúde indígena, o plano do ministério é transferir para a Força Aérea Brasileira (FAB) a gestão dos contratos feitos para atender a população. Relatório do Tribunal de Contas da União de 2018 identificou uma série de irregularidades em um dos contratos de transporte aéreo e determinou a anulação do processo de licitação. Na auditoria, o tribunal apontou fragilidades no edital para o fornecimento do serviço que, entre outras coisas, acabam limitando a participação.

    Um dos problemas foi a exigência de que só podem participar da disputa de contratos empresas aéreas com três anos ininterruptos de atividade na Amazônia. O requisito reduz de significativamente o grupo apto a participar da concorrência.


    Dez dúvidas sobre pós-graduação

    Dez dúvidas sobre pós-graduação


    Após concluir a graduação, o profissional se depara com inúmeros questionamentos de o que fazer para adquirir novos conhecimento. Confira dicas de especialistas da área 1 - Para fazer pós-graduação é preciso algum pré-requisito? É preciso ter...

    Após concluir a graduação, o profissional se depara com inúmeros questionamentos de o que fazer para adquirir novos conhecimento. Confira dicas de especialistas da área

    1 - Para fazer pós-graduação é preciso algum pré-requisito?
    É preciso ter nível, mas pode ser até ser um curso superior de tecnologia. (Tatiana Ferraz, gerente do Centro Universitário Senai Cimatec)

    2 - Para fazer mestrado ou doutorado é preciso ter antes uma especialização?
    Pode fazer mestrado e doutorado sem ter especialização. No Brasil é comum que as pessoas façam doutorado depois do mestrado. Mas isso também não é um requisito. É possível até partir para um doutorado sem ter feito um mestrado. (Tatiana Ferraz, gerente do Centro Universitário Senai Cimatec)

    3 - Qual a diferença entre especialização, MBA e MBI?
    Os dois são direcionados para profissionais que atuam no mercado de trabalho. Enquanto o MBA foca mais em aspectos direcionados a negócios e gestão, enquanto a especialização tem foco no aperfeiçoamento em uma área profissional. MBI são cursos novos, com temáticas e tecnologias inovadores, focados em inovação (Tatiana Ferraz, gerente do Centro Universitário Senai Cimatec)

    4 - É possível fazer uma pós-graduação em uma área diferente da formação na graduação?
    Ela pode mudar de área, mas talvez ela tenha um pouco mais de dificuldade se for algum conteúdo específico. Existem cursos que têm pré-requisitos exigidos, por ter conteúdo muito técnico. Saber onde quer chegar é fundamental para tomar a decisão certa (Tatiana Ferraz, gerente do Centro Universitário Senai Cimatec)

    5 - Qual a melhor maneira de organizar um currículo?
    Além dos dados pessoais e básicos - trajetória profissional, formação acadêmica, idiomas e sistemas que domina, vale fazer um pequeno resumo, de um parágrafo, contando por onde andou e o que o moveu dentro dessas escolhas, destacando seu ponto forte. (Fernanda Vio, gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil)

    6 - Como incluir no currículo as formações acadêmicas?
    Colocar na parte de informação acadêmica, sempre da formação de maior nível para a de menor nível. Se está fazendo alguma formação, incluir e colocar em andamento.  Se já concluiu, colocar o ano que finalizou. É importante que ele coloque porque isso mostra para o mercado que está buscando se desenvolver. Não só graduações e pós-graduações, como também palestras, cursos e workshops. Mas tem que ser uma ação planejada e casada, para não passar a ideia para o mercado de que é um profissional que não tem foco. (Cecília Spínola, coordenadora da Central de Carreiras da UNIFACS)

    7 - Para cada processo seletivo é preciso fazer um currículo direcionado?
    Eu defendo a ideia do currículo individualizado. O currículo tem que ser um documento objetivo e a gente muitas vezes não consegue dar conta de todas as vivência, atividades e potenciais que este candidato possui. Quando direciona o currículo, dá para destacar as atribuições mais relevantes para essa vaga, para essa empresa e para esse momento de minha carreira. Quais os cursos que fiz que casam melhor com essa oportunidade de emprego? Você responde essa pergunta casando melhor as informações que devem estar no currículo customizado. (Cecília Spínola, coordenadora da Central de Carreiras da UNIFACS)

    8 - É importante conectar a graduação com as pós-graduações?
    Para o recrutador é essencial ter evidências de que o candidato efetivamente vivenciou tudo que está escrito em seu currículo. A pós-graduação faz parte dessa história e deve fazer parte de um plano de carreira maior. (Fernanda Vio, gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil)

    9 - Na entrevista de emprego, de que maneira é possível potencializar os investimentos realizados com pós-graduações?
    A pós-graduação deve fazer parte de uma narrativa maior. O candidato, ao se preparar para uma entrevista, deve fazer um resumo que conte tanto os cargos que ocupou como os projetos em que se envolveu, bem como as experiências profissionais que tiveram relação com a especialização. Podemos traçar o seguinte paralelo. A entrevista de emprego é o filme que você quer contar e o currículo é o trailer – a versão curta da sua história. (Fernanda Vio, gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil)

    10 - No momento de uma entrevista de emprego, qual a melhor maneira de contar sobre o interesse em estudo contínuo?
    Para falar sobre o interesse contínuo no estudo, nada melhor do que contar alguma vivência que você teve na pós, ou alguma disciplina específica, e o quanto aquilo enriqueceu a sua trajetória.  (Fernanda Vio, gerente de Carreiras da Adtalem Educacional do Brasil)

    O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

    Martagão implanta tecnologia que reduz em até 90% riscos de intervenções cardíacas


    A aorta, principal artéria do sistema respiratório, não bombeava o sangue para o resto do corpo do pequeno Miguel, 2 anos. Por isso, ele não mexia braços e pernas. Mas, nessa quinta-feira (21), o pequeno de Morro do Chapéu, que sofre de cardiopatia...

    A aorta, principal artéria do sistema respiratório, não bombeava o sangue para o resto do corpo do pequeno Miguel, 2 anos. Por isso, ele não mexia braços e pernas. Mas, nessa quinta-feira (21), o pequeno de Morro do Chapéu, que sofre de cardiopatia congênita, ganhou uma nova vida, numa sala cirúrgica do Martagão Gesteira, em Salvador.

    Pela primeira vez, o hospital utilizou uma pequena estrutura metálica, chamada “stent”, para fazer com que o sangue voltasse a circular. 

    A cirurgia pode ser entendida com a seguinte explicação: imagine que a aorta é um cano entupido. A intervenção o repararia por dentro, sem nenhum corte ou quebra, e o fluxo poderia correr livremente. A intervenção não é novidade no mundo médico. Mas certamente uma vitória para o hospital que atende via Sistema Único de Saúde (SUS) – em Salvador, as duas outras unidades de saúde pública que oferecem o tratamento são o Santa Izabel e o Ana Neri. 

    Cada stent, endoprótese normalmente metálica, chega a custar R$ 40 mil, valor que torna rara a existência do material nesses hospitais. O procedimento é colocado por meio de uma artéria no braço até chegar a aorta, para que ela possa ser reparada.  

    “É um projeto de três anos só dessa cirurgia. Antes, tínhamos que cortar e colocar outra. Agora não. É uma vitória, porque estamos tentando aumentar a complexidade tecnológica do hospital”, comenta Emanuel Melo, médico e presidente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, instituição mantenedora do Martagão Gesteira.

    Quando nasceu, Miguel já havia sido imediatamente operado. Tinha uma obstrução que impedia a circulação de sangue por todo o corpo. Dois anos depois, o quadro retornou, como costuma ocorrer na maioria dos quadros clínicos. “É comum que a aorta estreite novamente. Mas, ao invés da cirurgia aberta, essa oferece menos riscos. Diria que o risco cai em 90%”, calcula Mila Simões, coordenadora do Serviço de Cardiopediatria do Martagão.

    A cirurgia durou duas horas e foi realizada pelos médicos Adriano Dourado e Joberto Sena. Implantado o chamado “stent”, a veia abre, permanentemente, passagem para o sangue enfim seguir para o resto do corpo. No caso de Miguel, até a locomoção estava comprometida. O menino, mesmo somente um dia depois da intervenção, já consegue respirar sozinha. “Não tem sangramento, nada disso”, explica Mila. 

    Vitória
    Miguel é portador da chamada cardiopatia congênita, quando existe uma anormalidade na estrutura do coração mesmo antes do nascimento. Como explica Carlos Emanuel, trata-se de uma espécie de cateterismo, muito menos agressivo ao paciente. No entanto, raro entre famílias mais pobres, devido aos custos elevados. 

    O procedimento foi realizado com financiamento de doações da sociedade ao hospital. Em 2017, a instituição filantrópica realizou cerca de 200 cirurgias cardíacas. Anualmente, em média, são atendidos 80 mil pacientes e realizados cerca de 500 mil atendimentos gratuitamente, inclusos tratamentos de alta complexidade como neurocirurgia, cardiologia e oncologia.

    A implantação da novidade demorou, em média, três anos e ocorre num período de dificuldade financeira na instituição, segundo relato de funcionários. A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) afirmou à reportagem que "vem realizando pagamentos regulares e consecutivos". 

    Vai para o pré-Carnaval? Confira a ordem de desfile do Fuzuê e do Furdunço


    Chegou! Apesar de iniciar apenas na próxima semana no resto do país, o Carnaval de Salvador já começa com sua pré-folia neste sábado (23). A ampliação da festa é motivo de comemoração para muitos foliões, que aguardam pela data durante todo o...

    Chegou! Apesar de iniciar apenas na próxima semana no resto do país, o Carnaval de Salvador já começa com sua pré-folia neste sábado (23). A ampliação da festa é motivo de comemoração para muitos foliões, que aguardam pela data durante todo o ano. São mais de 80 atrações e um milhão de pessoas que irão para Ondina acompanhar os trios no Circuito Orlando Tapajós (Ondina-Barra). Vai pra folia, mas ainda não sabe a ordem que a sua atração preferida sai? O CORREIO te ajuda com a programação (veja abaixo).

    Dentre os destaques do Fuzuê, que ocorrerá neste sábado (23) a partir das 16h, estão Oficinas de Frevos e Dobrados, Quabales, Cia. de Danças e Folguedos, As Ganhadeiras de Itapuã, Mascarados de Maragojipe, Zambiapunga, Paroano Sai Milhó e Walter Queiroz. No domingo (24), dia de Furdunço, os destaque são Rixô Elétrico, Micro Trio de Ivan Huol, Quabales, Irmãos Macêdo, Mudei de Nome, Duas Medidas, Jau, Fit Dance, Gerônimo, Orquestra de Pandeiros, Denny Denan, Colher de Pau e Àttooxxá.

    É tanta paixão que o estudante Dayves Guedes, 22 anos, inicia a contagem regressiva para o próximo Carnaval assim que acaba a folia. Desde 2014, ano em que veio de Xique-Xique para a capital, é só alegria. No início, ele estava tímido, mas depois se soltou e passou a curtir todos os dias. “No ano passado, eu bati o recorde e fui até para o arrastão. E não é o artista que me move, eu vou porque gosto da festa mesmo, do clima. No Fuzuê deste ano, com certeza eu estarei lá, batendo ponto”, disse ele. 

    O gosto pela festa é tanto que os amigos de Dayves até já sabem e dizem que ele tem um pré e um pós-Carnaval. “Eles dizem que meu calendário é baseado no Carnaval. Neste ano mesmo, eu ia fazer uma viagem e olhei as datas antes de marcar. Vou dia 13, uma semana depois”, riu.

    O assessor administrativo Raoni Ferreira, 30, também é um apaixonado pelo Carnaval. Até agora, ele vai para cinco blocos e para todos os dias de pré-Carnaval. “Vou para Fuzuê, Furdunço, Pipoco, Sérgio Bezerra, e os blocos já estão comprados! Estou começando a pensar na alimentação e na suplementação de vitaminas para aguentar a maratona”, contou.

    Ele já está equipado: comprou vários “shortinhos”, como define, para combinar com os abadás. Tarefa que, segundo ele, é “super difícil”. A ida dele para o pré-Carnaval não é nova. “Há 10, 15 anos, quando tinha o Farol Folia, eu já ia. Acho essa ideia incrível”, disse ele, que vai há 15 anos para o circuito e considera a festa a favorita do ano.

    Ordem Fuzuê (sábado a partir das16h):
    Bike Fuzuê
    Banda da Guarda Municipal
    Tio Paulinho
    Stripulia
    Coral Cant@art
    Oficina de Frevos e Dobrados
    Quabales
    Cia de Danças e Folguedos
    Terno de Reis Rosa Menina
    As Ganhadeiras de Itapuã
    Fanfarra Canelight
    Tudo X Transforma
    Grupo Malcolm X
    Mascarados de Maragojipe
    Chegança dos Marujos Fragata Brasileira
    Barquinha de Bom Jesus dos Pobres
    Grupo Cultural Mandu
    Caretas Tradicional de Acupe
    Grupo Folclórico Zambiapunga
    Grupo de Mascarados de Maragojipe – Maralegia
    Caretas de Cairú
    Paroano Sai Milhó
    Valter Queiroz
    Fanfarra.bbg
    Afoxé Korin Nagô
    Só Samba de Roda
    Escola de Samba Unidos de Itapuã
    Pierrot Tradição Plataforma
    Axé Dadá
     Capoeira Mangangá
    Insaba Maza
     Gravata Doida
    Amigos do Babá
    Grupo Fuzuê Junino
    Bejuzeiras de Areia Branca
    Aldeia Coletivo Cênico
    Banda Big Show
    Arraiá das Marias
    Fanfarra Santa Barbara 

    Ordem Furdunço (domingo a partir das 15h):
    Rixô Elétrico
    Paulo DJ
    Gira Ingonça
    Andarilho Elétrico
    Bike Axé
    Mamah Soares
    Bike da Alegria
    Sylvia Patrícia e Tuk Tuk Sonoro
    Espaço Musical
    Forró do tico*
    Jau*
    Armandinho*
    Maira Lins e o Boteco Elétrico
    Micro Trio Ivan Huol
    Flor Serena – Rural Elétrica
    Grupo Marana
    Dj Parente e Dj sucesso Ton
    DNA Dodô Primos Elétricos
    Faustão e os Mongas
    Vitrola Baiana
    Eletric Team
    Mudei de Nome*
    Quabales
    Forró Massapê
    Geovana Costa
    Forró Zé Baratino
    Duas Medidas*
    Fit Dance*
    Os Informais
    Samba de Farofa
    Banda Cativeiro
    Gerônimo*
    Adriano Rezende
    Mambolada
    A Mulherada
    Mammá Di Souza
    Trio Bahia Bass - TeleFunkSoul e Convidados
    Orquestra de Pandeiros de Lauro de Freitas
    Solares*
    Deni Denan*
    Trio do Reggae
    Shantay
    Furdance
    Colher de Pau*
    Filhos de Jorge*
    Daniel Vieira*
    Attooxxà*