G1 > Minas Gerais

    Acontece agora em Belo Horizonte


    Em tempo real, veja as notícias do trânsito, a previsão do tempo e os acontecimentos na cidade e região. Acontece agora em Belo Horizonte Em tempo real, veja as notícias do trânsito, a previsão do tempo e os acontecimentos na cidade e...

    Em tempo real, veja as notícias do trânsito, a previsão do tempo e os acontecimentos na cidade e região. Acontece agora em Belo Horizonte Em tempo real, veja as notícias do trânsito, a previsão do tempo e os acontecimentos na cidade e região.

    Sine de Araxá disponibiliza diversas novas vagas de emprego


    Há oportunidades para biomédica, operador de usina, entre outras. Novas vagas de emprego foram disponibilizadas para esta segunda-feira (23) no Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Araxá, no Alto Paranaíba. Há oportunidades para biomédica,...

    Há oportunidades para biomédica, operador de usina, entre outras. Novas vagas de emprego foram disponibilizadas para esta segunda-feira (23) no Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Araxá, no Alto Paranaíba. Há oportunidades para biomédica, operador de usina, entre outras. Os interessados devem apresentar carteira de trabalho e currículo no Sine, que fica na Rua Dr. Franklin de Castro, nº 178, no Centro. O horário de atendimento é de 8h às 16h45. A unidade ainda recebe currículos de pessoas com deficiência para diversos cargos. Nesse caso, os candidatos devem entregar cópia do laudo médico. Confira as vagas disponíveis
    Sine oferece 11 vagas para vendedor pracista em Uberlândia

    Sine oferece 11 vagas para vendedor pracista em Uberlândia


    Confira outras oportunidades. Salários variam de R$ 954 a R$ 1.600. Novas vagas de emprego são oferecidas pelo Sine de Uberlândia Reprodução/TV Rio Sul O Sistema Nacional de Emprego (Sine) divulgou novas oportunidades de trabalho para esta...


    Confira outras oportunidades. Salários variam de R$ 954 a R$ 1.600. Novas vagas de emprego são oferecidas pelo Sine de Uberlândia Reprodução/TV Rio Sul O Sistema Nacional de Emprego (Sine) divulgou novas oportunidades de trabalho para esta segunda-feira (23) em Uberlândia. Entre as opções, há vagas para vendedor pracista, montador industrial e cortador de roupas. Os salários variam de R$ 954 a R$ 1.600. Os candidatos devem procurar a unidade com os documentos de identificação pessoal, carteira de trabalho e o cartão do Programa de Integração Social (PIS). O Sine de Uberlândia fica na Avenida Nicomedes Alves dos Santos, nº 136. O atendimento é feito das 7h às 17h. Confira as vagas disponíveis
    Construção civil alavanca o saldo de empregos em Uberlândia

    Construção civil alavanca o saldo de empregos em Uberlândia


    Além da construção civil, setor de serviços também teve bom saldo. A cidade gerou 211 novos empregos com carteira assinada no mês passado, apontou o Caged.  Setores que conseguiram os melhores saldos de emprego no mês foram construção civil...


    Além da construção civil, setor de serviços também teve bom saldo. A cidade gerou 211 novos empregos com carteira assinada no mês passado, apontou o Caged.  Setores que conseguiram os melhores saldos de emprego no mês foram construção civil e serviços Fundo Social/Divulgação Uberlândia gerou 211 novos empregos com carteira assinada em março deste ano, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. O levantamento mostra que foram 8.536 admissões e 8.325 desligamentos no município no mês passado. Pelo segundo mês consecutivo, os setores que conseguiram os melhores saldos de emprego no mês foram construção civil e serviços. Veja detalhes na tabela abaixo: Saldo de empregos no mês de março em Uberlândia Os bons resultados de fevereiro e março auxiliaram a cidade a ter saldo positivo no acumulado do ano. Janeiro foi o único mês com saldo negativo de empregos formais. Balanço Nacional O mês de março registrou a abertura de 56.151 novos postos de trabalho no Brasil, um aumento de 0,15% em relação ao estoque de fevereiro, conforme dados do Caged. Os números revelaram que, em março, houve abertura de vagas em seis dos oito principais setores da economia. O maior número de empregos criados foi no setor de serviços.
    Acidente com ônibus, carreta e caminhonete deixa mortos e feridos na BR-116, em Governador Valadares

    Acidente com ônibus, carreta e caminhonete deixa mortos e feridos na BR-116, em Governador Valadares


    Seis pessoas que estavam no ônibus morreram no local e um homem morreu depois de dar entrada no hospital; veículo seguia de Itaobim para Belo Horizonte. Segundo os bombeiros, seis pessoas que estavam no ônibus morreram no local Corpo de...


    Seis pessoas que estavam no ônibus morreram no local e um homem morreu depois de dar entrada no hospital; veículo seguia de Itaobim para Belo Horizonte. Segundo os bombeiros, seis pessoas que estavam no ônibus morreram no local Corpo de Bombeiros/Divulgação Sete pessoas morreram em um acidente envolvendo uma caminhonete, uma carreta e um ônibus na BR-116, próximo a Governador Valadares, na madrugada desta segunda-feira (23). Seis pessoas morreram na hora e, segundo os bombeiros, 12 feridos foram atendidos no local. Um homem, que chegou a ser socorrido, morreu horas depois ao dar entrada no Hospital Municipal. Segundo a assessoria da unidade, cinco pessoas permanecem internadas, sendo uma mulher em estado grave. Grave acidente em Minas Gerais deixa sete mortos De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a caminhonete seguia sentido Valadares, invadiu a contramão e bateu de frente com a carreta, que seguia em direção a Teófilo Otoni. Com o impacto, o motorista da carreta perdeu o controle da direção e bateu no ônibus que estava atrás da caminhonete. O trânsito no local ficou totalmente interditado por cerca de quatro horas e já foi liberado. O acidente foi por volta da meia-noite. Seis pessoas que estavam no ônibus turismo morreram no local. Segundo a polícia, o veículo havia sido fretado para levar um grupo de pessoas de Itaobim, no Vale do Jequitinhonha, para Belo Horizonte. A PRF informou que entre as vítimas estão duas idosas, de 76 e 75 anos, um estudante de 20 anos e um policial reformado, de 63 anos. As outras duas pessoas que morreram no local ainda não foram identificadas. Um homem de 39 anos morreu depois de dar entrada no hospital. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal de Valadares. Três veículos se envolveram no acidente na BR-116 Corpo de Bombeiros/Divulgação Os veículos foram removidos para o pátio credenciado. A carreta transportava tubos metálicos e o material ficou espalhado fora da pista. O G1 entrou em contato com a empresa de turismo responsável pelo ônibus, mas ninguém foi encontrado para comentar o caso. Feridos foram encaminhados para o hospital de Valadares Zana Ferreira/G1 Durante toda a manhã, familiares buscam informações sobre os parentes no hospital de Valadares. Renato Vieira Cacique é sobrinho de uma idosa, de 75 anos, que morreu no acidente. “Ele estava indo para Belo Horizonte fazer tratamento médico com outros familiares, todo mês minha tia tinha costume de ir nessa mesma empresa e infelizmente aconteceu o acidente. A nora dela também estava no ônibus e ficou ferida”, diz. Juliane Monteiro/G1
    Polícia encontra 417 tabletes de maconha dentro de veículo capotado na MGC-497 em Iturama

    Polícia encontra 417 tabletes de maconha dentro de veículo capotado na MGC-497 em Iturama


    Condutor do veículo foi encontrado na cidade de Carneirinho. Ao todo, 419,57 kg de maconha foram apreendidos. Tabletes de maconha foram apreendidos pela Polícia Militar Rodoviária (PMR) de Iturama Polícia Militar Rodoviária/Divulgação A...


    Condutor do veículo foi encontrado na cidade de Carneirinho. Ao todo, 419,57 kg de maconha foram apreendidos. Tabletes de maconha foram apreendidos pela Polícia Militar Rodoviária (PMR) de Iturama Polícia Militar Rodoviária/Divulgação A Polícia Militar Rodoviária (PMR) de Iturama apreendeu, na manhã deste domingo (22), 419,57 kg de maconha. A droga, dividida em 417 tabletes, estava dentro de um carro, que foi encontrado capotado às margens da MGC-497. O condutor do veículo não foi encontrado no local. No entanto, após diligências, ele foi identificado e localizado na cidade de Carneirinho, onde havia se deslocado em busca de atendimento médico. Ainda segundo a PMR, o condutor, cuja idade ainda não foi informada, contou que a droga saiu de Campo Grande (MS) e teria como destino Uberlândia. Após vistoria, os policiais constataram que o veículo é clonado. Droga foi encontrada dentro de veículo Polícia Militar Rodoviária/Divulgação
    Comerciante de 36 anos morre após bater caminhonete de frente com caminhão na BR-267

    Comerciante de 36 anos morre após bater caminhonete de frente com caminhão na BR-267


    Acidente aconteceu na noite de sábado, próximo a Aiuruoca. Comerciante de 36 anos morre após caminhonete bater de frente em caminhão Polícia Rodoviária Federal Um comerciante de 36 anos morreu depois de bater de frente com uma caminhonete em um...


    Acidente aconteceu na noite de sábado, próximo a Aiuruoca. Comerciante de 36 anos morre após caminhonete bater de frente em caminhão Polícia Rodoviária Federal Um comerciante de 36 anos morreu depois de bater de frente com uma caminhonete em um caminhão na noite deste sábado (21) na BR-267, próximo a Aiuruoca (MG). Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a Saveiro seguia no sentido a Juiz de Fora (MG) quando o motorista perdeu o controle e entrou na contramão. O caminhão, com placas de Ubá (MG), seguia para o interior de São Paulo com uma carga de móveis. Ainda conforme a polícia, o comerciante Paulo Roberto da Silva ficou preso nas ferragens e morreu ainda no local. O motorista do caminhão, de 57 anos, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros de São Lourenço (MG) com dores na lombar. Depois, ele foi transferido para o Hospital de Aiuruoca (MG). O motorista disse à polícia que ainda tentou jogar o veículo para o acostamento, mas não conseguiu evitar a batida. Parte da carga caiu do acostamento e até a manhã deste domingo continuava no local. A perícia esteve no local e o caminhoneiro foi liberado. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Dono de construtora diz à PF que transferiu R$ 35 milhões para Aécio por meio de empresa de amigo do senador tucano

    Dono de construtora diz à PF que transferiu R$ 35 milhões para Aécio por meio de empresa de amigo do senador tucano


    Sérgio Andrade, da Andrade Gutierrez, prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito que apura se Aécio recebeu propina de construtoras. Senador diz que doações da empresa foram legais. Dono de construtora diz à PF que repassou R$ 35...


    Sérgio Andrade, da Andrade Gutierrez, prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito que apura se Aécio recebeu propina de construtoras. Senador diz que doações da empresa foram legais. Dono de construtora diz à PF que repassou R$ 35 milhões a Aécio Um dos donos da construtora Andrade Gutierrez, o empresário Sérgio Andrade, disse nesta semana em depoimento à Polícia Federal que repassou R$ 35 milhões ao senador Aécio Neves (PSDB). Segundo informou o jornal "O Globo", Sérgio Andrade afirmou que o contrato firmado em 2010 entre a construtora e uma empresa de um amigo de Aécio tinha como objetivo fazer com que o dinheiro chegasse ao senador. O empresário foi ouvido no inquérito que apura se Aécio recebeu propina das construtoras Andrade Gutierrez e Odebrecht para beneficar as empresas na construção da usina de Santo Antonio, no Rio Madeira, em Rondônia. Outros executivos da Andrade Gutierrez também podem ser chamados a depor. Aécio disse que as doações da Andrade Gutiérrez e da Odebrecht, foram declaradas à Justiça Eleitoral e que ele não teve participação no leilão e nas obras da usina de Santo Antônio. De acordo com as investigações, as empresas sabiam que existia um pedido de propina para Aécio Neves relacionado a essa obra. No depoimento, Sérgio Andrade disse que o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht avisou a ele que Aécio Neves o procuraria para confirmar os pagamentos. E que Aécio realmente entrou em contato. De acordo com o depoimento, os pagamentos ao senador foram feitos com base em um contrato fraudulento de R$ 35 milhões assinado em 2010 com a empresa de Alexandre Accioly, amigo de Aécio. Accioly disse que a Andrade Gutierrez tem participação minoritária em sua empresa, que, segundo afirmou, jamais distribuiu dividendos porque os resultados continuam sendo investidos na companhia. A Andrade Gutierrez não quis comentar sob o argumento de que a investigação está sob sigilo. A Odebrecht disse que já reconheceu seus erros e que está colaborando com a Justiça. Nesta semana, o Supremo Tribunal Federal transformou Aécio Neves em réu por corrupção passiva e obstrução de Justiça. Ele foi acusado em denúncia da Procuradoria Geral da República de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores políticos e de tentar atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante sessão no plenário do Senado Jefferson Rudy/Agência Senado Partidos O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, também prestou depoimento nesta semana e disse ter repassado R$ 110 milhões ao senador tucano em 2014 como forma de garantir o apoio dele no futuro. O pagamento teria sido dividido entre os partidos que apoiavam o candidato na campanha eleitoral. Joesley Batista entregou aos investigadores uma planilha com uma relação das doações e também notas fiscais e recibos para comprovar os pagamentos. Ele detalhou como foram feitos os repasses, que no total somaram R$ 110 milhões: R$ 64,6 milhões para o PSDB R$ 20 milhões para o PTB R$ 15 milhões para o Solidariedade R$ 10,3 milhões a diversos candidatos e partidos. Joesley Batista disse que os valores pagos a PTB, Solidariedade e candidatos diversos eram para comprar o apoio político à campanha presidencial de Aécio Neves. O empresário contou ainda que mesmo após o acerto dos R$ 110 milhões foi procurado novamente por Aécio, que pediu mais R$ 18 milhões – a eleição já tinha acabado. Segundo Joesley Batista, Aécio precisava do dinheiro para cobrir dívidas de campanha. Para mascarar a transação, eles discutiram, de acordo com o empresário, a compra de um prédio em Belo Horizonte. Sobre o depoimento de Joesley Batista, Aécio Neves diz que o empresário tenta confundir a Justiça e a opinião pública para evitar que o Supremo Tribunal Federal analise a rescisão do acordo de delação do empresário; que os R$ 110 milhões citados pelo empresário são doações oficiais registradas na Justiça Eleitoral feitas ao PSDB e outros 12 partidos. Aécio diz ainda que a compra de um prédio é uma afirmação falsa de Joesley Batista, que, segundo afirmou, será facilmente demonstrada na Justiça. A defesa do atual presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, disse que cabe a Aécio Neves, presidente da legenda em 2014, esclarecer os repasses ao partido citados por Joesley Batista e que cabe à Justiça julgar os fatos. Em nota, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, afirmou que as doações recebidas da JBS foram indicadas por Aécio Neves e declaradas à Justiça Eleitoral. O Solidariedade diz que não recebeu recurso ilegal e não declarado.
    Passageiro morre e outros três ficam feridos após carro cair em ribanceira em Juruaia, MG

    Passageiro morre e outros três ficam feridos após carro cair em ribanceira em Juruaia, MG


    Segundo polícia, motorista, que fugiu do local após acidente, perdeu controle Acidentes deixam dois mortos durante a madrugada deste sábado no Sul de Minas Uma mulher morreu e outras três pessoas ficaram feridas depois de um acidente na madrugada...


    Segundo polícia, motorista, que fugiu do local após acidente, perdeu controle Acidentes deixam dois mortos durante a madrugada deste sábado no Sul de Minas Uma mulher morreu e outras três pessoas ficaram feridas depois de um acidente na madrugada deste sábado (21) em Juruaia (MG). Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o motorista de um carro com cinco ocupantes, que trafegava na AMG-1530, perdeu o controle do veículo em uma curva e caiu em uma ribanceira de cerca de 20 metros. Ainda conforme a polícia, após o acidente, o motorista fugiu do local. As vítimas foram encontradas caídas próximo ao veículo e depois encaminhadas para o Hospital Monsenhor Genesio, em Juruaia. Durante o acidente, elas foram arremessadas para fora do carro. Segundo o hospital, elas não correm risco de morte. O corpo da pessoa que morreu foi encaminhado para o IML de Guaxupé. Até a publicação desta reportagem, a identidade dela ainda não havia sido divulgada. Acidente aconteceu próximo à entrada de Juruaia durante a madrugada Corpo de Bombeiros Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Família de francês que desapareceu na Serra da Mantiqueira há 4 dias acredita que ele ainda esteja vivo

    Família de francês que desapareceu na Serra da Mantiqueira há 4 dias acredita que ele ainda esteja vivo


    Homem de 53 anos, que mora em Itajubá (MG) desapareceu na divisa entre MG e SP praticando trekking. Família de francês que desapareceu na Serra da Mantiqueira acredita que ele está vivo A família do francês Eric Welterlin, de 53 anos, que está...


    Homem de 53 anos, que mora em Itajubá (MG) desapareceu na divisa entre MG e SP praticando trekking. Família de francês que desapareceu na Serra da Mantiqueira acredita que ele está vivo A família do francês Eric Welterlin, de 53 anos, que está desaparecido há quatro dias no Pico dos Marins, em Piquete (SP), acredita que ele ainda está vivo. "Ele tem preparo físico, me explicaram que existem fontes, que existe água, que choveu de segunda para terça, ele tem toda uma coordenação de segurança. Tenho fé que o meu marido vai ser encontrado, ele tem resistência para aguentar e vai acabar com um final feliz", disse a esposa do Eric, Claúdia Rocha Welterlin. O francês mora há três anos em Itajubá (MG) e já disputou várias competições de trekking, que é uma corrida de montanha. Na última segunda-feira (16), ele saiu para fazer uma trilha no Pico dos Marins e como ele não retornou, as buscas começaram no dia seguinte. O carro dele foi encontrado no estacionamento ao lado das trilhas, sem sinais de arrombamento. O percurso começou entre os municípios de Marmelópolis (MG) e Piquete (SP). Segundo os guias, a trilha é de difícil acesso e só deve ser feita por quem conhece o caminho. A informação é de que ele não conhecia muito o trajeto. Moradores ainda disseram que havia muita neblina no dia em que ele desapareceu. As trilhas ficam na altitude da Serra da Mantiqueira. Segundo familiares, francês que está desaparecido é esportista experiente Reprodução EPTV / Edson de Oliveira "O risco de você pegar uma trilha errada, de fazer um caminho contrário é muito fácil", disse o guia Juliano Lourenço. Durante esta sexta-feira, a movimentação no local foi grande. Cerca de 100 pessoas, entre policiais militares, bombeiros de Minas Gerais e São Paulo, além de voluntários, participaram das buscas. Uma base foi montada na base do pico para centralizar as operações. "Vieram algumas pistas do solado do solado do calçado que ele estava usando, mas estas pistas não seguiam muito adiante até por causa de chuva, por questão de tempo", disse o tenente coronel do Corpo de Bombeiros, Alexandre Humia Casarin. Familiares de francês desaparecido acreditam que ele esteja vivo Reprodução EPTV / Edson de Oliveira Roupas do francês foram levadas para os cães farejadores. Até um heliponto foi improvisado para a descida das aeronaves. Participaram da ação o Arcanjo, do Corpo de Bombeiros de Minas e o helicóptero Águia, da PM paulista. A informação é que o francês não tinha equipamentos necessários e nem comida para passar tanto tempo sozinho na mata. A esperança é que a experiência ajude Eric neste momento. "Como ele é um esportista de bastante experiência, o pessoal acredita que ele tenha essa concepção de procurar abrigo", completou o tenente coronal dos bombeiros. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Doce: dê um basta no grande vilão das dietas

    Doce: dê um basta no grande vilão das dietas


    Oi meus amores!    Hoje é sexta-feira, véspera de feriado, e resolvi falar sobre um tema polêmico e que faz com que muitas dietas terminem antes mesmo de começarem. Vamos falar sobre o doce, aquela tentação que dá “água na boca” e ao...


    Oi meus amores!    Hoje é sexta-feira, véspera de feriado, e resolvi falar sobre um tema polêmico e que faz com que muitas dietas terminem antes mesmo de começarem. Vamos falar sobre o doce, aquela tentação que dá “água na boca” e ao mesmo tempo já sobe os ponteiros da balança só de pensar.      Conversei com a nutricionista e mestre em Ciências da Saúde, Kamilla Tavares de Sousa, para saber mais sobre o assunto. Segundo ela, é importante analisar se existe compulsão por traz da vontade de comer doce. “Se houver histórico de compulsão o ideal é que não se tenha o doce de fácil acesso. Evitar ter estoque de chocolate, balas e guloseimas em casa, no trabalho ou qualquer outro lugar”, disse.   Kamilla afirmou que quando bate aquela vontade de comer doce o ideal é tentar tirar o foco do “vilão” e procurar fazer atividades que goste. “Se mesmo mudando o foco a vontade persistir, deve-se consumir frutas mais doces como a banana e a maçã. Existem também receitinhas muito legais com frutas que ajudarão suprir essa necessidade, como o sorvete de banana e brigadeiro de abacate”, acrescentou.    A especialista garantiu que a compulsão por guloseimas pode ser proveniente de um cardápio desequilibrado e que pode indicar, até mesmo, uma carência de nutrientes no organismo. “A vontade de comer doce pode estar relacionada à deficiência de cromo, que é um mineral responsável pelo transporte de glicose do sangue para as células do organismo. O cromo pode ser encontrado na cenoura, batata, brócolis, e nas vísceras como o fígado”, disse.    Kamilla também ressaltou que o grande problema de alimentos que são cheios de açúcar é que eles oferecem calorias vazias ao corpo. “Por exemplo, o refrigerante, as balas e chicletes, nos fornecem calorias sem nos abastecer de nenhum tipo de nutriente essencial. Esses tipos de alimentos devem ser evitados já que servem apenas para aumentar o estoque de energia e essa energia em excesso irá se transformar em gordura”, afirmou.     O que fazer controlar ou evitar a vontade de comer doce?   - Reduza o consumo aos poucos. Nosso paladar está muito acostumado ao sabor doce, então retirar de uma vez irá só piorar a compulsão/abstinência.   - Trocar o açúcar pelo adoçante não é a solução, já que sabor doce permanecerá e seu paladar não irá se acostumar com o sabor menos doce. Então evite também os adoçante, principalmente os artificiais.   - Pratique atividade física, pois ela faz com que o corpo libere hormônios que dá a sensação de prazer assim como os doces.   - Aposte nos alimentos ricos em proteínas e fibras. Eles dão saciedade por mais tempo e com isso há uma redução da necessidade de doce (liberação rápida de açúcar no sangue).   - Controle a ansiedade e o estresse, já que esses sentimentos nos levam a maior vontade de comer doces e os doces por sua vez podem levar ao aumento desses sentimentos, gerando então um ciclo vicioso.   - E se tudo deu errado e não conseguiu controlar, prefira consumir os doces logo após as refeições. A fibra e a proteína presente nas refeições contribuem para que o açúcar não seja absorvido tão rapidamente, além de que por estar saciado, não precisará consumir grandes quantidades de doces/açúcares. 
    Justiça prorroga para junho prazo para que MPF e Samarco firmem acordo de reparação de danos após desastre

    Justiça prorroga para junho prazo para que MPF e Samarco firmem acordo de reparação de danos após desastre


    O prazo para fechamento do acordo vencia nesta sexta-feira; o rompimento de barragem em Mariana matou 19 pessoas em novembro de 2015. Justiça prorroga prazo para MPF e Samarco fecharem acordo sobre reparação de danos A Justiça Federal em Minas...


    O prazo para fechamento do acordo vencia nesta sexta-feira; o rompimento de barragem em Mariana matou 19 pessoas em novembro de 2015. Justiça prorroga prazo para MPF e Samarco fecharem acordo sobre reparação de danos A Justiça Federal em Minas Gerais prorrogou para 25 de junho de 2018 o prazo para que o Ministério Público Federal (MPF) e a mineradora Samarco, além de suas controladoras Vale e BHP Billiton, firmem acordo sobre um plano que define ações de reparação após o desastre de Mariana. Esta é a quarta vez que a entrega é adiada. O prazo vencia nesta sexta-feira (20) e, caso não fosse prorrogado ou nem entregue, a ação do MPF no valor de R$ 155 bilhões, que havia sido suspensa em julho de 2017 pela Justiça Federal, voltaria a tramitar normalmente. Este acordo também baseia uma outra ação, esta movida pela União, estados e órgãos ambientais, para a criação de um fundo de R$ 20 bilhões para recuperar o Rio Doce em 15 anos. Este último processo está suspenso deste janeiro de 2017. A parte do acordo que cuida dos danos socioambientais foi homologada em março do ano passado. O pedido de prorrogação foi feito pelas mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton e aceito pelo juiz federal Márcio de Paula Franco Júnior. Na decisão, o magistrado disse entender a complexidade das ações, mas declarou que, desde o primeiro adiamento, não viu significativo avanço nas negociações e chamou de "visivelmente inapropriado" o ritmo das tratativas do acordo. A Vale e a BHP Billiton informaram que divulgaram o comunidado da prorrogação ao mercado. Já a Samarco disse que, junto à Vale e à BHP, reitera "o compromisso com as comunidades e locais impactados pelo rompimento da barragem de Fundão" e apoia "o trabalho conduzido pela Fundação Renova". Na decisão, o Ministério Público Federal (MPF) declarou que concorda com o aumento do prazo para que o acordo seja firmado, mas disse também que o adiamento não pode ser muito prolongado porque a demora na ação geraria "desnecessário desgaste a todos". Recomendações pelos direitos dos atingidos Apesar de ter concordado com a prorrogação, no dia 5 de abril, o Ministério Público Federal, junto com outros órgãos estaduais, expediu recomendações às mineradoras para que os direitos dos atingidos pela lama fosse atendidos. "Recomendação, como o nome mesmo já diz, é uma orientação para que se pautem pelas condutas que nós estamos apontando. E, caso não haja esse redirecionamento, nós teremos que adotar as medidas judiciais cabíveis. (...) O que se espera é que haja uma profunda sensibilidade das empresas mantenedoras da Fundação Renova, de tal modo que nós não precisemos ajuizar novas ações e que, portanto, as imagens dessas empresas não fique ainda mais desgastadas", disse o procurador do MPF, José Adércio Leite Sampaio. A Fundação Renova, criada pelas mineradoras para cuidar das reparações após o rompimento da barragem, tinha 20 dias para se manifestar contados a partir de 4 de abril, data em que a recomendação foi enviada. No dia 5, a fundação declarou que a recomendação aborda questões que já vem sendo tratadas e estão passando por evoluções. "Os reflexos desses avanços nos programas são resultado de uma construção coletiva contínua. A Fundação Renova prestará todas as informações sobre o avanço dos programas, seguindo sua política de transparência e seriedade no trato com todos os envolvidos", disse. A Renova informou ainda que mobiliza diariamente equipes de campo para buscar as soluções para todos os atingidos. Desastre de Mariana Considerado o maior desastre ambiental do país, o rompimento da barragem de Fundão – pertencente à mineradora Samarco – ocorreu em 5 de novembro de 2015, causando 19 mortes. Após o rompimento da barragem de Fundão, o rejeito de minério ainda encobre áreas devastadas. Milhões de metros cúbicos da lama seguem espalhados, deixando marcas no meio ambiente. O distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, foi devastrado e um novo Bento será construído. A lama atingiu o Rio Doce e chegou ao mar, pelo litoral do Espírito Santo. Bento Rodrigues Alexandre Nascimento/G1

    Joesley diz à PF que pagou 'mensalinho' de R$ 50 mil para Aécio entre 2015 e 2017; senador diz que isso 'jamais' aconteceu 


    Depoimento foi prestado pelo empresário nesta quinta-feira (19) em Brasília. Defesa de Aécio disse que senador 'jamais' pediu dinheiro a Joesley e que o empresário age de 'má-fé'.   Serraglio diz que sofreu pressão de Aécio e Renan quando era...

    Depoimento foi prestado pelo empresário nesta quinta-feira (19) em Brasília. Defesa de Aécio disse que senador 'jamais' pediu dinheiro a Joesley e que o empresário age de 'má-fé'.   Serraglio diz que sofreu pressão de Aécio e Renan quando era ministro Em depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (19), em Brasília, o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, disse que pagou um "mensalinho" de R$ 50 mil a Aécio Neves (PSDB-MG) entre julho de 2015 e junho de 2017, atendendo a um pedido do senador. Em nota, a defesa do senador disse que Aécio jamais pediu dinheiro para Joesley. De acordo com a nota, Joesley age de "má-fé" e com "desespero" diante do risco de ter o acordo de delação premiada anulado (veja a íntegra da nota da defesa no final desta reportagem). Nesta semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu tornar Aécio réu em um processo que investiga o senador por corrupção passiva e obstrução de Justiça. A denúncia que originou o processo tem como base as delações premiadas de executivos da J&F, entre eles, Joesley Batista. Segundo Joesley Batista, os pagamentos mensais deveriam ser feitos à Rádio Arco-Íris Ltda., de Minas Gerais, da família do senador, que emitiria notas fiscais. No depoimento à Polícia Federal, o empresário relatou que Aécio classificou o pagamento de "muito importante”. O empresário disse ainda que o dinheiro era para custear despesas do senador. Ainda segundo o relato de Joesley Batista às autoridades, mesmo durante o período em que ocorreram os repasses, Aécio entrou em contato para cobrar. O empresário disse que o senador o procurou pedindo para que não deixasse de pagar o ano de 2016. Joesley disse que, apesar de ter feito os pagamentos, não sabe se algum serviço foi de fato prestado pela rádio. Segundo ele, o objetivo era repassar R$ 50 mil mensais a Aécio Neves para manter o bom relacionamento com o senador - que tinha sido candidato à presidência em 2014 e poderia chegar com força política na eleição deste ano, com possibilidade de ocupar o cargo. O superintendente geral da rádio Arco Íris, Geraldo Limírio, manifestou "surpresa" com as declarações de Joesley Batista, que, segundo afirmou, "tenta dar caráter político a uma relação estritamente comercial, comprovadamente correta, legal e legítima na prestação de serviços publicitários pela emissora a empresas do grupo J&F". "Toda a relação comercial com o grupo J&F está documentada por trocas de e-mails com tratativas comerciais mantidas com áreas de marketing de empresas, como: Vigor , Itambé e Seara, negociações nos preços de tabela, comprovantes de veiculação de comerciais e notas fiscais, que se encontram no arquivo do departamento comercial da emissora. Toda essa documentação está à disposição das autoridades", afirmou Limírio. O suposto pagamento de "mensalinho" foi divulgado nesta sexta-feira (21) pelo jornal "Folha de S.Paulo". Segundo o jornal, a informação consta em um anexo complementar da delação premiada que Joesley Batista entregou para a Procuradoria-Geral da República (PGR) em agosto de 2017. A TV Globo também teve acesso ao anexo. Partidos No mesmo depoimento, Joesley Batista relatou pagamentos que teriam sido feitos a pedido do senador para três partidos durante a campanha eleitoral de 2014. Segundo ele, esses pagamentos totalizaram R$ 110 milhões, dos quais R$ 64,3 milhoes para o PSDB; R$ 20 milhões para o PTB; e R$ 15 milhões para o Solidariedade, além de outros R$ 10,3 milhões a diversos candidatos e partidos. Segundo o empresário, os valores pagos a PTB, Solidariedade e “candidatos diversos” tinham como objetivo específico “a compra do apoio político à campanha presidencial de Aécio Neves”. Em nota, o advogado Alberto Toron, que defende o senador, afirmou que os recursos doados às campanhas do PSDB em 2014 somaram R$ 60 milhões e estão registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), abertos à consulta pública. "Doações feitas a outros partidos não podem ser consideradas de responsabilidade do PSDB tampouco de seu então presidente. O senador, em toda sua vida pública, jamais atendeu a qualquer interesse do sr. Joesley ou de seu grupo e, portanto, não teria razões para fazê-lo no futuro", afirmou Toron. O PTB informou que todas as declarações recebidas da JBS foram dentro da lei e declaradas à Justiça Eleitoral. A TV Globo procurou o partido Solidariedade, mas não obteve resposta. Nota da defesa de Aécio Leia abaixo a íntegra de nota da defesa do senador Aécio Neves: A Defesa do senador Aécio Neves considera que se trata de mais uma demonstração da má-fé e do desespero do delator Joesley Batista na tentativa de manutenção do seu extraordinário acordo de delação, atualmente sob risco de ser anulado. O senador jamais fez qualquer pedido nesse sentido ao delator, da mesma forma que, em toda a sua vida pública não consta nenhum ato em favor do grupo empresarial. O sr. Joesley Batista se utiliza de uma relação comercial lícita mantida entre empresas de seu grupo e um veículo de forte inserção no mercado mineiro para forjar mais uma falsa acusação. Ao dar início à negociação de acordo de delação, delatores se comprometem a suspender qualquer prática irregular. Prova de que o contrato com a emissora foi uma relação comercial legal e desprovida de qualquer conotação pessoal é que o contrato foi mantido normalmente, até a data do seu encerramento. A afirmação do delator de que não sabia se os serviços teriam sido prestados, demonstra o alcance da sua má-fé, já que bastaria uma consulta ao setor de comunicação das suas empresas para constatar que os serviços foram correta e efetivamente prestados. A falta de credibilidade e as sucessivas mentiras e omissões praticadas pelo delator levaram a PGR a pedir a rescisão dos benefícios de sua delação e contribuem para desqualificar mais uma mentira desse cidadão, réu confesso de mais de duas centenas de crimes e pelos quais o Brasil espera que ele venha a responder. Alberto Zacharias Toron Advogado
    Lavrador morre ao ser arremessado de carro em acidente em Bandeira do Sul, MG

    Lavrador morre ao ser arremessado de carro em acidente em Bandeira do Sul, MG


    A vítima perdeu o controle, bateu em um barranco e capotou o veículo. O corpo atingiu outro carro antes de cair na pista. Lavrador morre ao ser arremessado de carro em acidente em Bandeira do Sul (MG) Um lavrador de 36 anos morreu ao ser...


    A vítima perdeu o controle, bateu em um barranco e capotou o veículo. O corpo atingiu outro carro antes de cair na pista. Lavrador morre ao ser arremessado de carro em acidente em Bandeira do Sul (MG) Um lavrador de 36 anos morreu ao ser arremessado do carro que dirigia, em um acidente na noite desta quinta-feira (19), na BR-267, em Bandeira do Sul (MG). A vítima perdeu o controle do carro, que saiu da pista e bateu em um barranco. Com o impacto, o corpo do lavrador foi arremessado para fora e bateu em um outro veículo antes de cair na rodovia. O motorista do carro onde o corpo bateu contou à Polícia Rodoviária que percebeu quando a vítima perdeu o controle do veículo. De acordo com a polícia, o lavrador foi identificado como Inácio Roberto de Oliveira. Ele morreu no local do acidente e não tinha carteira de habilitação. A perícia da Polícia Civil compareceu ao trecho e interditou a pista durante o trabalho do perito. O corpo de Inácio foi removido pela funerária de Poços de Caldas (MG). Vítima foi arremessada para fora do carro em acidente em Bandeira do Sul (MG) Polícia Rodoviária Federal Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Ônibus do transporte público é incendiado em Uberlândia 

    Ônibus do transporte público é incendiado em Uberlândia 


    Ação ocorreu sexta-feira (20). Ninguém ficou ferido.  Ônibus foi tomado pelas chamas Corpo de Bombeiros/Divulgação Dois criminosos ainda não identificados atearam fogo em um ônibus do transporte público urbano nesta sexta-feira (20) no...


    Ação ocorreu sexta-feira (20). Ninguém ficou ferido.  Ônibus foi tomado pelas chamas Corpo de Bombeiros/Divulgação Dois criminosos ainda não identificados atearam fogo em um ônibus do transporte público urbano nesta sexta-feira (20) no Bairro Tubalina, em Uberlândia. A ocorrência aconteceu na Avenida Sílvio Rugani. De acordo com as primeiras informações do Corpo de Bombeiros, os autores estavam armados e obrigaram cerca de dez passageiros, além do motorista, a sair do veículo. Em seguida,a dupla colocou fogo no ônibus. Ninguém ficou ferido na ação. Ainda segundo os Bombeiros, os militares controlaram as chamas e a perícia da Polícia Civil foi acionada no local para realizar os primeiros trabalhos de investigação. A Polícia Militar (PM) informou que até o momento nenhum dos suspeitos foi preso e os rastreamentos seguem na tentativa de identificá-los. Ônibus ficou totalmente destruído Pedro Torres/G1 Indignação Em nota, as empresas de transporte urbano de Uberlândia e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro (Sindett) disseram que estão empenhados no bom funcionamento do transporte coletivo em Uberlândia e reforçam o trabalho em conjunto para melhor atender os clientes do sistema. O Sindett manifestou indignação e repúdio ao lamentável incidente ocorrido com o dos ônibus do sistema. Para o Sindicato, eventos assim causam não só sérios prejuízos financeiros às empresas, mas principalmente aos clientes do transporte de passageiros. A empresa Sorriso de Minas, responsável pelo veículo, providenciou imediatamente a substituição do veículo para atender aos usuários do serviço. As empresas ainda reforçam a confiança nas autoridades para a elucidação do crime.
    Prazo para que MPF e Samarco firmem acordo para reparar danos do desastre de Mariana termina nesta sexta

    Prazo para que MPF e Samarco firmem acordo para reparar danos do desastre de Mariana termina nesta sexta


    Distritos foram destruídos, o Rio Doce foi contaminado e 19 pessoas morreram por causa da tragédia ocorrida em 2015. Ainda sem acordo, ação que cobra R$ 150 bi por danos causados em Mariana pode ser reaberta Dois anos e cinco meses se passaram do...


    Distritos foram destruídos, o Rio Doce foi contaminado e 19 pessoas morreram por causa da tragédia ocorrida em 2015. Ainda sem acordo, ação que cobra R$ 150 bi por danos causados em Mariana pode ser reaberta Dois anos e cinco meses se passaram do desastre ambiental que matou 19 pessoas em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, e ainda não há um diagnóstico dos danos socioeconômicos causados pelo “mar de lama” da mineradora Samarco. O prazo para que a empresa, a Vale, a BHP Billiton e o Ministério Público Federal (MPF) entreguem na 12ª Vara Federal do estado um plano que defina ações de reparação termina às 19h desta sexta-feira (20). Caso o acordo não seja homologado, a ação do MPF no valor de R$ 155 bilhões, que havia sido suspensa em julho de 2017 pela Justiça Federal, volta a tramitar normalmente. Um carro é visto sobre os destroços de uma casa em meio a lama após o rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco no Distrito de Bento Rodrigues Christophe Simon/AFP Além dela, a ação movida pela União, por estados e órgãos ambientais, que determinava a criação de um fundo no valor de R$ 20 bilhões por parte das mineradoras para recuperar a Bacia do Rio Doce em 15 anos, e que foi interrompida em janeiro do ano passado, também pode ser reativada. A princípio, o prazo para apresentação do acordo final era 30 de junho de 2017. Depois ele foi prorrogado para outubro, depois para novembro e finalmente para esta sexta-feira (20). Parte do acordo, que cuida dos danos socioambientais, foi homologada em março do ano passado. Procurados pelo G1, a BHP Billiton, a Vale, a Samarco e o MPF preferiram não comentar o fim do prazo. Distrito de Bento Rodrigues ficou devastado pelo 'mar de lama' da Samarco Flávia Mantovani/G1 Desastre de Mariana Considerado o maior desastre ambiental do país, o rompimento da barragem de Fundão – pertencente à mineradora Samarco, cujas donas são a Vale e a BHP Billiton – ocorreu em 5 de novembro de 2015, causando 19 mortes. Após o rompimento da barragem de Fundão, o rejeito de minério ainda encobre áreas devastadas. Milhões de metros cúbicos da lama seguem espalhados, deixando marcas no meio ambiente. A janela de uma casa de Bento Rodrigues, no interior de Minas Gerais, é vista após o rompimento de barragens de rejeitos da mineradora Samarco, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP, na quinta-feira (5) Ricardo Moraes/Reuters Bombeiro resgata um cachorro que estava preso na lama em Paracatu de Baixo, no interior de Minas Gerais. Douglas Magno/AFP Destroços de construções são vistos em meio a lama após o rompimento de uma barragem de rejeitos da Samarco. Felipe Dana/AP
    Polícia apreende 18 mil comprimidos de ecstasy, avaliados em R$ 1 milhão, na Fernão Dias

    Polícia apreende 18 mil comprimidos de ecstasy, avaliados em R$ 1 milhão, na Fernão Dias


    Material foi apreendido durante fiscalização na tarde desta quinta-feira (19) em São Gonçalo do Sapucaí. Polícia apreende 18 mil comprimidos de ecstasy, avaliados em R$ 1 milhão, na Fernão Dias Dezoito mil comprimidos de ecstasy foram...


    Material foi apreendido durante fiscalização na tarde desta quinta-feira (19) em São Gonçalo do Sapucaí. Polícia apreende 18 mil comprimidos de ecstasy, avaliados em R$ 1 milhão, na Fernão Dias Dezoito mil comprimidos de ecstasy foram apreendidos na tarde desta quinta-feira (19) na Rodovia Fernão Dias, próximo a São Gonçalo do Sapucaí (MG). A droga está avaliada em R$ 1 milhão. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, essa seria a maior apreensão de ecstasy já registrada pelo órgão em Minas Gerais. Ainda conforme a PRF, o material foi encontrado escondido dentro de um carro com placas de Campinas (MG) que havia sido parado em uma fiscalização. Ainda conforme a polícia, os comprimidos estavam escondidos em um painel com compartimento oculto. O motorista de 29 anos disse que pegou o carro com um desconhecido em Guarujá (SP) e que receberia R$ 2 mil para entregar o veículo no Centro de Belo Horizonte (MG) para outro desconhecido. O carro foi apreendido e o motorista foi preso em flagrante. Ele a droga foram levados para a delegacia de Pouso Alegre. Polícia apreende R$ 1 milhão em comprimidos de ecstasy na Fernão Dias Polícia Rodoviária Federal Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

    Após prisão de policial que matou ex-esposa e sequestrou filha, avó da menina diz: 'Só quero ela em meus braços'


    Pai da criança estava foragido e foi preso em Belo Horizonte tentando fazer documentos falsos. Crime ocorreu no dia 14 de abril. PM prende em BH soldado suspeito de matar ex-mulher e sequestrar a filha em Santos Dumont A avó da menina de quatro anos,...

    Pai da criança estava foragido e foi preso em Belo Horizonte tentando fazer documentos falsos. Crime ocorreu no dia 14 de abril. PM prende em BH soldado suspeito de matar ex-mulher e sequestrar a filha em Santos Dumont A avó da menina de quatro anos, sequestrada pelo pai após ele ter matado a mãe dela em Santos Dumont, foi para Belo Horizonte (BH) buscar a criança. A refém estava na capital no nomento que o policial foi preso em um shopping nesta quinta-feira (19). Gilberto Ferreira Novaes, de 35 anos, é suspeito de matar a ex-companheira e estava foragido. “Quase não acreditei quando recebi a ligação informando que tinham encontrado minha neta e que estava tudo bem com ela. É muita emoção. Não tem como explicar. Agora só quero ela em meus braços”, declarou ao G1 Elaine da Silva Parenti, avó da menina. A idosa também comentou com a reportagem que só vai se sentir completamente aliviada quando chegar em BH e conseguir segurá-la nos braços. Elaine Parente seguiu para a capital junto com a irmã em uma viatura policial. Elas serão levadas para a sede da Polícia Militar (PM), onde está a menina, em seguida voltarão para Santos Dumont. Prisão Policiais à paisana prenderam o soldado perto de um shopping popular no Centro de Belo Horizonte. Segundo as primeiras informações, ele estava com a filha no momento, quando tentava fazer documentos falsos. A criança passa bem e já está com uma equipe de psicólogos da PM. Ao G1, a polícia disse que os dois estavam hospedados em um motel na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Uma coletiva foi convocada para dar mais informações do caso. O soldado estava afastado das atividades no 29º Batalhão em Poços de Caldas por problemas psicológicos. De acordo com o comandante da 63ª Companhia da PM, ele responderá tanto internamente na corporação, quanto na justiça criminal. O crime Sthefania Parente de Ferreira Novaes, de 29 anos, foi morta no último sábado (14) em Santos Dumont, quando estava em casa com a filha aguardando a chegada de uma pizza. Na ocasião, ela foi surpreendida pelo ex-marido, que aproveitou o momento em que abriu a casa para receber o entregador. Ele atirou contra a vítima e depois seguida fugiu com a filha. Desde então, o policial era procurado em todo o estado suspeito de homicídio e sequestro e uma força-tarefa foi montada pelas polícias Civil e Militar de Barbacena. Feminicídio Sthefania tinha uma medida protetiva contra o soldado e registrou quatro boletins de ocorrência entre novembro de 2017 e abril de 2018 relatando ameaças, agressões e perturbação. De acordo com familiares, desde janeiro o casal estava em processo de separação. "Ele era muito ciumento, muito nervoso, até com carro, achava que a rua era dele. Ela tentou ser feliz com ele. Ele falou que não iria aceitar a separação", contou Elaine da Silva Parenti, mãe de Stefhania. No dia 14 de abril, o atual namorado da vítima relatou que eles esperavam a chegada de um lanche e que foram surpreendidos pelo soldado armado. "Eu tentei tirar a menina dele. Comecei a gritar, vi que ele estava com a arma na mão. Ele, muito apressado, entrou no carro e eu fiquei apavorada querendo abrir a porta para tirar a menina. E ele só gritou assim 'vai morrer também'", contou a tia de Sthefania, Deise Lúcia Ferreira. Depois do crime, o policial fugiu com a filha em um carro emprestado.
    Outono exige mais cuidados com a pele e foco em hidratação

    Outono exige mais cuidados com a pele e foco em hidratação


      Estamos no Outono e a estação, que tem clima mais seco, pede por cuidados especiais quando o assunto é manter a pele saudável.    Para falar sobre o assunto conversei com a dermatologista Thaís de Paula Amorim Mesquita. Segundo ela, a baixa...


      Estamos no Outono e a estação, que tem clima mais seco, pede por cuidados especiais quando o assunto é manter a pele saudável.    Para falar sobre o assunto conversei com a dermatologista Thaís de Paula Amorim Mesquita. Segundo ela, a baixa umidade do ar e as temperaturas mais frias deixam a pele ressecada.    Para manter a pele saudável neste período, a especialista aconselha ingerir pelo menos dois litros de água por dia, usar um umidificador de ar (se o tempo estiver seco) e evitar banhos quentes e demorados. “Também é importante não usar buchas, pois removem a camada de proteção da pele e não tomar banho com sabonetes antissépticos”, disse.      Thaís Mesquita garantiu que o segredo para passar bem pelo Outono é se hidratar. “Se você ainda não usa hidratantes, é bom criar o hábito. O melhor horário para usá-lo é logo após o banho. Seque delicadamente a pele e aplique o hidratante com a pele ainda úmida, pois aumenta a absorção do produto. Pele seca pode ser causa de prurido corporal e lesões de eczema”, afirmou.   Para escolher um bom hidratante facial, a dermatologista deu algumas dicas. “Alguns hidratantes são acrescidos de antioxidantes como a vitamina C, que previne o envelhecimento precoce ou o ácido hialurônico que tem alto poder de hidratação. Até as peles oleosas precisam estar hidratadas com produtos específicos que não gerem acne. Existem opções que ajudam a controlar a oleosidade e têm substâncias clareadoras e anti-inflamatórias”, ressaltou.   Além da hidratação, Thaís Mesquita acrescentou ser importante não abandonar o filtro solar. “A radiação solar está presente o ano todo, mesmo com as temperaturas mais amenas”, disse.    O outono e inverno, de acordo com a especialista,  são épocas ideais para fazer procedimentos como peelings e lasers. “A temperatura mais baixa reduz o edema pós laser, e o paciente se expõe menos ao sol, reduzindo o risco de escurecimento da pele”, concluiu.  
    Pessoa com deficiência poderá usar FGTS para aquisição de próteses e órteses

    Pessoa com deficiência poderá usar FGTS para aquisição de próteses e órteses


    No ultimo dia 16, o presidente da república Michel Temer assinou um decreto autorizando os trabalhadores com deficiência comprarem órteses e próteses, usando o FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.   É obrigatória a apresentação...


    No ultimo dia 16, o presidente da república Michel Temer assinou um decreto autorizando os trabalhadores com deficiência comprarem órteses e próteses, usando o FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.   É obrigatória a apresentação de um laudo médico atestando a condição de PCD (Pessoa Com Deficiência), com identificação da patologia consignada no CID – Código Internacional de Doenças. Descrevendo a espécie e o grau ou o nível da deficiência, com expressa menção correspondente à classificação de referência utilizada pela OMS –  Organização Mundial da Saúde e, prescrição médica que indique a necessidade de prótese ou órtese para a promoção da acessibilidade e da inclusão social do trabalhador com deficiência.   Essa comprovação devidamente documentada em conformidade com as normas dos Conselhos Federal e Regional de Medicina deve ser emitida por um médico devidamente identificado por seu registro profissional.   Para a movimentação da conta vinculada do FGTS, o Decreto deixa bem claro que é considerado trabalhador com deficiência aquele que tem impedimento de longo prazo de natureza física ou sensorial que, em interação com uma ou mais barreiras, possa obstruir a participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Esse impedimento de longo prazo, precisa produzir efeitos pelo prazo mínimo de dois anos.   Lembrando que para a aquisição de órtese ou prótese, mediante prescrição médica, o uso do FGTS para a compra desses “produtos” deverá respeitar o valor limite movimentado por operação no intervalo mínimo de dois anos entre movimentações realizadas em decorrência da aquisição.   Este decreto entrou em vigor no ultimo dia 17 data de sua publicação no DOU – Diário Oficial da União.
    Dnit inicia obras de recuperação em ponte que caiu na BR-265, em Nazareno, MG

    Dnit inicia obras de recuperação em ponte que caiu na BR-265, em Nazareno, MG


    Rodovia, que é a principal ligação do Sul de minas com o Campo das Vertentes, está interditada desde o dia 11 de março. Dnit inicia obras de recuperação em ponte que caiu na BR-265, em Nazareno (MG) O Departamento Nacional de Infraestrutura de...


    Rodovia, que é a principal ligação do Sul de minas com o Campo das Vertentes, está interditada desde o dia 11 de março. Dnit inicia obras de recuperação em ponte que caiu na BR-265, em Nazareno (MG) O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) iniciou as obras para recuperar o trecho onde uma ponte caiu na BR-265, em Nazareno (MG). A rodovia, que é a principal ligação do Sul de minas com o Campo das Vertentes, está interditada desde o dia 11 de março. A alternativa para os motoristas tem sido um desvio de quase 15 km onde só são permitidos veículos com até 10 toneladas. Mesmo assim carretas e caminhões insistem em passar pelo local criando longos congestionamentos na zona rural. Além disso, alegando danos nas propriedades, moradores passaram a cobrar pelo acesso. Chuva derrubou ponte e deixou trânsito interditado na BR-265, em Nazareno Reprodução / Redes Sociais Para os usuários dos ônibus intermunicipais, a alternativa é descer de um lado e cruzar uma pinguela e um pasto para seguir viagem. Para oferecer mais segurança a quem tem que passar pelo trecho, funcionários contratados pelo Dnit construíram degraus no acesso à pinguela que tem sido usada também pelos moradores. Estruturas novas já foram instaladas no local e outras peças devem chegar ao longo desde semana. Segundo os funcionários da obra, em até 30 dias, o trânsito deve voltar ao normal. E no lugar da ponte, será construída uma galeria. Depois de pronta, a galeria será soterrada e o asfalto refeito. A obra está orçada em R$ 3,8 milhões. Motoristas usam desvio da BR-265 em Nazareno (MG) Reprodução/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Anderson Adauto, ex-prefeito de Uberaba e ex-ministro dos Transportes, é condenado por crime de responsabilidade

    Anderson Adauto, ex-prefeito de Uberaba e ex-ministro dos Transportes, é condenado por crime de responsabilidade


    Decisão é da 6ª Câmara Criminal do TJMG; MP denunciou o político e outras três pessoas por desvio de recursos da Prefeitura em proveito de uma empresa entre 2008 e 2009. Anderson disse que vai entrar com recurso. Anderson Adauto foi prefeito de...


    Decisão é da 6ª Câmara Criminal do TJMG; MP denunciou o político e outras três pessoas por desvio de recursos da Prefeitura em proveito de uma empresa entre 2008 e 2009. Anderson disse que vai entrar com recurso. Anderson Adauto foi prefeito de Uberaba Ascom /PRB Minas Gerais O ex-prefeito de Uberaba e ex-ministro de Transportes, Anderson Adauto, foi condenado pela 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) à pena de quatro anos de reclusão, em regime aberto, por crime de responsabilidade. Por telefone, Anderson disse ao G1 que vai recorrer. A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, através do promotor José Carlos Fernandes. Segundo as apurações do MPMG, Anderson desviou mais de R$ 1,1 milhão no período de 20 de agosto de 2008 a 30 de setembro de 2009, enquanto prefeito de Uberaba, em proveito da empresa AMS Construções e Incorporações Ltda. Além de Adauto, o então procurador geral do Município no mandato de Anderson, Valdir Dias; e José Luiz Guimarães do Amaral e Eliana do Amaral Marcondes de Souza (já falecida), ambos representantes da empresa, receberam a mesma condenação, já que o MPMG apurou que eles tiveram participação no desvio de recursos. O G1 não conseguiu contato para falar com o ex-procurador geral Valdir Dias. A reportagem tentou contato com a AMS na cidade pelos telefones encontrados na internet, mas nenhum coincidiu como sendo o da empresa. A denúncia foi oferecida pelo MP no dia 14 de janeiro de 2013. Em 2015, os réus foram absolvidos em primeira instância uma vez que o juiz da comarca de Uberaba julgou improcedente a pretensão punitiva por não existir provas suficientes para a condenação. A Promotoria de Justiça recorreu da decisão e apresentou recurso junto ao TJ, que foi deferido por desembargadores. Contratação da empresa Em 2006, a AMS Construções e Incorporações Ltda. foi a vencedora da licitação para a construção do Centro Municipal de Educação Avançada (Cemea) Boa Vista. O serviço – assinado em um contrato entre a Prefeitura e a empresa – foi orçado no valor de quase R$ 3,4 milhões. Conforme o acordo, as obras seriam feitas em nove meses, começando a partir de 23 de outubro do mesmo ano. Contudo, em novembro de 2006, a Secretaria Municipal de Infraestrutura suspendeu e paralisou a execução das obras e serviços mencionados no contrato. No dia 12 de março de 2007, a secretaria autorizou a retomada da execução das obras e serviços. Entretanto, segundo o MPMG, esta paralisação e a retomada da obra seriam utilizadas como o propósito à prática de desvio de recursos públicos pelo então prefeito de Uberaba, Anderson Adauto, com a participação dolosa de Valdir Dias e das duas pessoas representantes da empresa AMS. Ainda segundo o MP, foi apurado que os desvios de receitas públicas foram feitos por meio de pagamentos de inexistentes lucros cessantes à AMS Construções e Incorporações Ltda. e também por meio da recomposição do equilíbrio econômico financeiro contratual em índices muito acima do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Na denúncia, o Ministério Público alegou que os dois representantes da construtora, "mesmo cientes que os valores consignados no segundo aditivo ao contrato administrativo não representavam o que era legalmente devido à empresa AMS, o assinaram, permitindo a recepção indevida do valor de R$ 462.274,37, a título de pagamento de verbas indenizatórias inexistentes (lucros cessantes), bem como do valor de R$ 656.415,78 a título de reequilíbrio contratual acima dos percentuais corretos". Posicionamento do ex-prefeito Por telefone, Anderson alegou ao G1 que a demora de uma obra, previsa para apenas dez meses, gerou aumento de custo. "Para uma obra de mais de 5 mil² o contrato foi para que ela fosse concluída em dez meses. Mas a obra demorou três anos e meio para ser acabada. É claro que uma obra ser feita em dez meses é uma coisa; ser feita em três anos é meio tem um aumento de custo. Então é isto que estou tentando mostrar, que é um aumento de custo natural em um processo de construção", disse Anderson Adauto. "Construção é isto. A licitação previa que a obra fosse feita em dez meses e demorou três anos e meio para ser concluída. Então tem os custos de reajuste, mobilização, desmobilização, enfim. Enfrentamos tudo isso", alegou Anderson. "Tem os embargos infringentes ainda que eu vou interpor na semana que vem. E espero, nesses embargos, conseguir mudar a sentença. Vamos entrar com recurso", disse o ex-prefeito.
    Bebê é encontrado em lata de lixo na Regional Leste em Juiz de Fora

    Bebê é encontrado em lata de lixo na Regional Leste em Juiz de Fora


    Segundo a PM, recém-nascido foi encontrado vivo por funcionários no banheiro da unidade de saúde. Bebê foi encontrado vivo dentro de lixeira na Regional Leste em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração Um bebê foi encontrado dentro de uma lata...


    Segundo a PM, recém-nascido foi encontrado vivo por funcionários no banheiro da unidade de saúde. Bebê foi encontrado vivo dentro de lixeira na Regional Leste em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração Um bebê foi encontrado dentro de uma lata de lixo na noite desta quarta-feira (18) na Regional Leste, em Juiz de Fora. De acordo com a Polícia Militar (PM), o menino foi localizado por funcionários da unidade de saúde no banheiro do local, no Bairro Costa Carvalho. O caso foi registrado como exposição ou abandono de recém-nascido. A Secretaria de Saúde informou que profissionais da Regional Leste prestaram o atendimento devido a mãe e filho. Ambos estavam bem e foram transferidos para o Hospital João Penido. O G1 entrou em contato com assessoria de comunicação da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), responsável pelo hospital, que informou que não divulga estado de saúde os paceintes. Segundo a ocorrência, a jovem de 21 anos foi levada pelo irmão para a Regional Leste porque reclamou que sentia fortes dores abdominais. Ao ser chamada para ser atendida, ela disse que precisava ir ao banheiro e, quando retornou, contou que estava com um sangramento forte. A médica que a atendeu disse aos policiais que, durante o exame, constatou que a jovem apresentava dilatação uterina semelhante a uma grávida de nove meses. Ainda no atendimento, a médica foi informada de que a enfermeira encontrou uma criança na lixeira do banheiro. A jovem confessou que entrou em trabalho de parto quando foi ao banheiro. Por achar que a criança estava sem vida, ela disse que entrou em desespero e a colocou na lixeira. Bebê é encontrado em lata de lixo na Regional Leste em Juiz de Fora Conforme informações apuradas pelo Integração Notícia, os familiares da jovem não sabiam da gravidez. Ela está desempregada e já tem um filho. A mãe recebeu voz de prisão em flagrante e, junto com a criança, foi encaminhada para o Hospital João Penido. A perícia não esteve na unidade porque o banheiro onde a jovem deu à luz foi limpo pela equipe da Regional Leste, mas o caso será encaminhado para apuração na Polícia Civil. Bebê foi encontrado vivo dentro de lixeira na Regional Leste em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração Bebê foi encontrado vivo dentro de lixeira na Regional Leste em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração Bebê foi encontrado vivo dentro de lixeira na Regional Leste em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração
    Novas imagens mostram movimentação de bando que explodiu caixas eletrônicos em Passos, MG

    Novas imagens mostram movimentação de bando que explodiu caixas eletrônicos em Passos, MG


    Por conta dos ataques, o prédio com cerca de 100 salas comerciais onde funcionava o Banco do Brasil foi interditado pelo Corpo de Bombeiros. Novas imagens mostram movimentação de bando que explodiu caixas eletrônicos em Passos Novas imagens...


    Por conta dos ataques, o prédio com cerca de 100 salas comerciais onde funcionava o Banco do Brasil foi interditado pelo Corpo de Bombeiros. Novas imagens mostram movimentação de bando que explodiu caixas eletrônicos em Passos Novas imagens mostram a movimentação dos assaltantes que explodiram caixas eletrônicos em duas agências bancárias em Passos (MG) na semana passada. Por conta dos ataques, o prédio com cerca de 100 salas comerciais onde funcionava o Banco do Brasil foi interditado pelo Corpo de Bombeiros. As imagens mostram que a porta do cofre do banco ficou destruída por conta da explosão. Dentro dele, estavam alguns pacotes de dinheiro que não foram levados pelos criminosos. No vídeo de uma câmera de segurança, dá para ver quando um dos carros estaciona na rua. Um dos assaltantes tenta entrar, mas depois corre em direção a outro carro que está atrás. Outros quatro assaltantes aparecem e entram nos veículos. Uma outra caminhonete também aparece para dar cobertura. Logo em seguida, eles fogem. Seis pessoas suspeitas de participarem dos ataques foram presas no fim de semana na região de Campinas. Segundo a Polícia Civil, a quadrilha já era investigada desde janeiro. Imagens mostram sacos com dinheiro deixados para trás em assalto em Passos Reprodução EPTV Câmera de segurança mostra o que seria assaltante com explosivo durante ataque em Passos Reprodução EPTV O ataque Os bancos ficaram destruídos após os ataques, que começaram por volta de 1h30 e duraram até as 3h do dia 11 de abril. Pelo menos 15 homens teriam participado da ação. Tudo aconteceu bem perto de uma companhia da Polícia Militar e da delegacia regional da Polícia Civil, que ficam a um quarteirão dos bancos. Imagens de uma câmera de segurança mostraram dois policiais militares se aproximando das agências. Logo depois, houve troca de tiros e um dos assaltantes chegou a ser atingido. Balas de grosso calibre atingiram ainda outros dois bancos da avenida e até um apartamento que fica no 5º andar de um prédio. Lâmpadas de postes e transformadores também foram destruídos. Pelo menos 46 imóveis ficaram sem energia elétrica. Os criminosos conseguiram fugir em dois carros e na saída ainda queimaram dois ônibus em duas entradas da cidade para bloquear a passagem dos policiais. Criminosos explodiram duas agências bancárias nesta quarta-feira (11) em Passos (MG) Helder Almeida Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Vem aí o 5° Mutirão de Castração Solidária; saiba como ajudar

    Vem aí o 5° Mutirão de Castração Solidária; saiba como ajudar


    O Instituto SOSPet Uberlândia realizará no próximo domingo (22),  a 5ª Edição do Mutirão de Castração Solidária. O objetivo é ofertar gratuitamente o procedimento para animais de rua ou de famílias de baixa renda. A estimativa é que...


    O Instituto SOSPet Uberlândia realizará no próximo domingo (22),  a 5ª Edição do Mutirão de Castração Solidária. O objetivo é ofertar gratuitamente o procedimento para animais de rua ou de famílias de baixa renda. A estimativa é que sejam castrados, nesse evento, 50 animais, entre cães e gatos.    Essa é uma ação muito importante, já que segundo estimativas, Uberlândia possui cerca de 30 mil cães e gatos em situação de abandono. Esses animais não recebem os devidos cuidados e ficam sujeitos a todo risco de doenças, acidentes e maus-tratos.   O Instituto SOS Pet quer promover o mutirão todos os meses para cães e gatos que estejam vivendo na rua ou que pertencem a famílias carentes. A 1ª edição do evento aconteceu em 10 de dezembro de 2017, desde então já foram atendidos 185 animais.    Para que esse projeto continue, o grupo precisa muita da sua ajuda. Quem puder contribuir enviar um e-mail para: [email protected] ou  mensagem via WatsApp para 34 9 8804-2159 (Lyara)    Contamos com você!  
    Teste rápido de leishmaniose aplicado na Ufla pode agilizar diagnósticos da doença

    Teste rápido de leishmaniose aplicado na Ufla pode agilizar diagnósticos da doença


    Trabalho entre universidades e prefeitura de Lavras (MG) pesquisa o novo teste que pode reduzir para poucas horas o tempo de diagnóstico da doença. Teste rápido desenvolvido na Ufla facilita diagnóstico da leishmaniose Um teste rápido em fase de...


    Trabalho entre universidades e prefeitura de Lavras (MG) pesquisa o novo teste que pode reduzir para poucas horas o tempo de diagnóstico da doença. Teste rápido desenvolvido na Ufla facilita diagnóstico da leishmaniose Um teste rápido em fase de pesquisas em parceira com a Universidade Federal de Lavras (Ufla) promete reduzir o tempo de diagnóstico da leishmaniose. Atualmente, os testes só dão o resultado em 10 dias. Com o novo teste, a previsão é que o resultado saia em 4 horas. A pesquisa é um trabalho conjunto entre a Ufla, a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e a prefeitura de Lavras. Com isso, a intenção é agilizar o tratamento da doença. O teste é simples e usa uma placa de laboratório, um antígeno e um diluente. “A partir desse material, a gente coloca na placa o soro do paciente, em diferentes diluições. E a gente vai incubar isso por aproximadamente quatro horas. Após esse período, se no fundo dessa placa se formar um botão, significa que o paciente é negativo. Se o material ficar turvo, esse paciente é positivo”, explica Joziana Barçante, a coordenadora de projetos da Ufla. Teste simpels pode facilitar diagnóstico de leishmaniose em Lavras (MG) Reprodução/EPTV Para quem está com os sintomas da doenças, o avanço é significativo. “A principal causa de letalidade da leishmaniose é o retardo no diagnóstico. Quanto mais precoce for feito, mais rápido o médico pode iniciar o tratamento desse paciente, reduzindo os sintomas e a morbidade desse paciente”. A previsão é que o teste siga os dois anos de testes para comprovar a eficácia na detecção da doença. “Vamos avaliar em Lavras, que é cidade de baixa endemicidade pra leishmaniose visceral, Montes Claros e Passos que são áreas de alta endemicidade”. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil está entre os cinco países que mais têm casos da doença. Na América Latina, 90% dos casos estão no país. A leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha e o cachorro é um dos hospedeiros do protozoário. A doença é uma preocupação em Lavras por conta do número de casos da leishmaniose visceral em 2018 – foram seis casos e uma morte. “Em 2017, nós identificamos o primeiro caso da doença no Sul de Minas em uma criança. O quadro evoluiu bem, mas desde então foram mais cinco casos. O nosso objetivo é reduzir a letalidade. Em Minas Gerais, são altíssimas as taxas de letalidade da leishmaniose visceral e a gente tenta, da melhor forma possível, diminuir esse número e minorar o impacto da doença”, explica Richardson Carvalho, chefe da vigilância epidemiológica de Lavras. Outra novidade é um aplicativo para uso dos agentes de saúde. Também desenvolvida na parceria das universidades, ele serve para consulta da doença, como um guia de bolso. Também é possível calcular o nível de gravidade dos pacientes. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
    Motorista se arrisca em travessia de linha férrea em Juiz de Fora; veja vídeo

    Motorista se arrisca em travessia de linha férrea em Juiz de Fora; veja vídeo


    Flagrante foi feito pelo sistema de monitoramento da MRS Logística no último domingo (15). Flagrante mostra motorista se arriscando na frente de trem em Juiz de Fora Reprodução/MRS Logística Um flagrante feito no último domingo (15) mostra o...


    Flagrante foi feito pelo sistema de monitoramento da MRS Logística no último domingo (15). Flagrante mostra motorista se arriscando na frente de trem em Juiz de Fora Reprodução/MRS Logística Um flagrante feito no último domingo (15) mostra o momento em que um motorista se arrisca para atavessar a linha férrea em Juiz de Fora. A gravação foi feita pelo sistema de monitoramento da MRS Logística, concessionária responsável pela ferrovia, na passagem em nível na Rua Benjamin Constant, no Centro da cidade. No vídeo, é possível ver que a travessia já estava abaixada quando o motorista avança com o carro. O condutor não foi identificado. Vídeo mostra motorista se arriscando em travessia em linha férrea em Juiz de Fora A concessionária destacou que, em Juiz de Fora, além da cancela e da buzina do trem, que é usada como alerta pelo maquinista, o trecho sinal sonoro, luminoso, placas de sinalização e direcionador de fluxo. A empresa ressaltou que o objetivo da divulgação de vídeos é promover uma reflexão sobre o comportamento seguro no trânsito e, principalmente, nas proximidades da ferrovia. Outras imagens e mensagens de segurança estão presentes na página do Projeto Linha da Vida e no site da MRS Logística. Acidentes em 2018 Segundo a assessoria da MRS, de janeiro de 2018 até o dia 16 de abril, a empresa registrou três atropelamentos em Juiz de Fora. A cidade é a mais crítica em toda a malha sob administração da empresa. Ao todo, foram 15 ocorrências em 2017 e 11 em 2016. De acordo com o balanço divulgado pela empresa, foram registradas 34 ocorrências, entre atropelamentos e colisões no ano passado na Zona da Mata e Campo das Vertentes. Em 2016, foram 25 acidentes. O relatório completo com todas as 105 cidades que têm cobertura da MRS pode ser consultado no site da empresa.
    Carreta que pegou fogo na MG-353 é retirada, mas trecho continua interditado em Coronel Pacheco

    Carreta que pegou fogo na MG-353 é retirada, mas trecho continua interditado em Coronel Pacheco


    Liberação da rodovia depende de vistoria do DEER. Acidente ocorreu na segunda (16); motorista morreu. Carreta que pegou fogo na MG-353 foi retirada nesta terça-feira do trecho em Coronel Pacheco Robson Panzera/G1 A liberação do trecho da MG-353...


    Liberação da rodovia depende de vistoria do DEER. Acidente ocorreu na segunda (16); motorista morreu. Carreta que pegou fogo na MG-353 foi retirada nesta terça-feira do trecho em Coronel Pacheco Robson Panzera/G1 A liberação do trecho da MG-353 em Coronel Pacheco depende de uma vistoria de um profissional do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG). De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMR), o engenheiro já está no local checando as condições de segurança da via para que o tráfego seja restabelecido. A rodovia está interditada nos dois sentidos desde a tarde de segunda-feira (16) quando uma carreta carregada com combustíveis tombou e pegou fogo. O motorista de 29 anos morreu carbonizado. A empresa JLE Transportes, responsável pela carga, informou que está tomando todas as providências necessárias. As causas do acidente ainda serão apuradas. O desvio é feito pela BR-040. Quem sai de Juiz de Fora e tem como destino Ubá deve entrar na ALMG-3085, na altura do Bairro Barreira do Triunfo, na cidade de origem. A estrada termina em um trevo entre Coronel Pacheco e Rio Pomba, já na MG-353. Quem pretende fazer o caminho contrário, em caso de viagem para Juiz de Fora ou Rio de Janeiro, deve ingressar pela ALMG-3085 após passar por Rio Pomba e percorrer a estrada toda. Ao chegar em Juiz de Fora, deve procurar a saída para BR-040, que liga a capital fluminense e Belo Horizonte. Carreta pegou fogo na MG-353, entre Coronel Pacheco e Rio Pomba Reprodução/TV Integração A carreta seguia de Betim para Ubá quando houve o acidente. De acordo com a empresa JLE Transportes, a carga era formada por 15 mil litros de gasolina e 5 mil litros de óleo diesel. Todo o conteúdo do tanque queimou. A empresa acionou os responsáveis pelo seguro e pela limpeza do material e fez o acompanhamento e apoio à família do motorista. A equipe do Corpo de Bombeiros trabalhou por aproximadamente 1h para combater o fogo e utilizou cerca de 12 mil litros de água para resfriar o tanque, abaixar a pressão interna, evitar explosões e debelar o incêndio. O corpo do motorista, que era morador de Ubá, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) em Juiz de Fora. A perícia da Polícia Civil também esteve no local. Motorista morreu carbonizado. Causas do acidente na MG-353 em Coronel Pacheco são apuradas. Marcus Pena/G1 Carreta foi retirada nesta terça A carreta foi retirada na tarde desta terça-feira (17). Funcionários de uma empresa terceirizada usaram um equipamento especial para fazer a sucção e limpeza do tanque, porque a água usada pelo Corpo de Bombeiros para apagar as chamas se misturou à carga do veículo. Mesmo sem a carreta no local, o trecho permanece interditado por causa da presença de óleo na pista. Além disso, a empresa responsável pela carreta terá que reparar o asfalto danificado pelo incêndio. De acordo com a PMR, o trabalho de limpeza continua nesta quarta-feira (18), quando também está prevista a vistoria de técnicos do DEER-MG. O analista do Núcleo de Emergência Ambiental (NEA) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Newton de Oliveira, explicou o trabalho de vistoria no trecho. "A Polícia de Meio Ambiente nos acompanhou, fizemos uma verificação conjunta e a área, inclusive o córrego que fica nas proximidades, não foi comprometida", afirmou. MG-353 segue interditada nos dois sentidos após carreta pegar fogo em Coronel Pacheco
    Investigação de atentado sofrido pelo atual prefeito de Campo Florido resulta em operação

    Investigação de atentado sofrido pelo atual prefeito de Campo Florido resulta em operação


    Renato Soares de Freitas, o Renatinho, foi baleado em junho do ano passado, às vésperas de eleição suplementar. Mandados de prisão temporária foram cumpridos pela Polícia Civil nesta quarta-feira (18). Investigação de atentado sofrido pelo...


    Renato Soares de Freitas, o Renatinho, foi baleado em junho do ano passado, às vésperas de eleição suplementar. Mandados de prisão temporária foram cumpridos pela Polícia Civil nesta quarta-feira (18). Investigação de atentado sofrido pelo atual prefeito de Campo Florido resulta em operação A Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou a Operação "Vontade Popular" na manhã desta quarta-feira (18) em Campo Florido para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão. A ação é resultado de uma investigação sobre o atentado sofrido pelo atual prefeito da cidade, Renato Soares de Freitas (PSD), conhecido como Renatinho, em junho do ano passado, às vésperas da eleição suplementar. Suspeitos de envolvimento no crime foram presos. De acordo com as informações do delegado do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Belo Horizonte, Rogério de Melo Franco, cerca de 40 policiais e três delegados participaram da operação nesta manhã. Com autorização da Justiça, foram cumpridos mandados de prisão temporária, com duração de 30 dias, contra os suspeitos Ronaldo Castro Bernardes, que já foi prefeito da cidade; Otaliba Neto, ex-vice-prefeito e irmão da vereadora Vanessa Zago, conhecida como Vanessa do Talibinha, que foi candidata à prefeita na eleição suplementar; e Mikel Diego, marido da vereadora. Os três foram levados à delegacia da cidade e depois encaminhados para a Delegacia de Plantão da Polícia Civil em Uberaba. Por telefone, o advogado de defesa deles, Geovane Soares, disse que os três estão tranquilos e que não tiveram envolvimento no crime. O advogado também ressaltou que os três estão dispostos a colaborar com as investigações, mas que estão assustados pela forma de abordagem da polícia. Geovane disse que vai entrar com as medidas judiciais cabíveis para que os clientes sejam soltos. Para a produção do MGTV, também nesta manhã, a vereadora Vanessa Zago disse por telefone que não vai se pronunciar no momento. Após tomar conhecimento do inquérito, ela deverá emitir um posicionamento. O militar reformado, Amarildo Antônio Zacarias, também foi preso nesta quarta-feira. Ele será encaminhado a um batalhão da Polícia Militar (PM) de Uberaba. De acordo com a Polícia Civil, as investigações apontam que ele teria intermediado a contratação do homem que fez os disparos contra o então candidato a prefeito Renatinho. "O militar ainda forneceu quatro chips para celular ao homem", revelou o delegado. Nesta manhã, o advogado do militar, Amilton de Melo Montes, disse que ainda não vai se manifestar porque não teve acesso aos autos. A Polícia Civil informou também que um homem apontado como o responsável pelos disparos contra Renatinho havia sido preso na última semana em Indianópolis, no Triângulo Mineiro. O G1 ainda não conseguiu contato com a defesa dele e, por isso, o nome não consta na matéria. A prisão e os depoimentos desse homem resultaram na operação desta quarta-feira. Segundo o delegado Rogério de Melo, apurações da polícia constataram que o homem receberia cerca de R$ 150 mil dos mandantes do crime se tivesse tido êxito na prática do crime. "Foi entregue R$ 50 mil a ele, pois ele não teve êxito no desfecho. Ele recebeu a incumbência de descarregar a arma no candidato, mas efetuou quatro tiros. Ele disse que não atirou mais porque ficou com pena do então candidato, que é cadeirante". Uma arma também foi apreendida em Indianópolis. Um exame de balística já está sendo feito na capital mineira. "O homem confirma que foi a arma utilizada no crime. A arma foi reconhecida pela vítima e testemunhas da tentativa de homicídio", explicou Rogério de Melo. Um outro suspeito de ajudar o atirador na fuga foi preso em Uberlândia. O nome dele não informado até a publicação desta reportagem. Um outro envolvido está foragido. Quatro suspeitos de envolvimento no crime foram presos em Campo Florido durante a operação da Polícia Civil Eduardo Marins/G1 Motivo do crime Segundo o delegado do DHPP, Rogério de Melo, as investigações apontam que a motivação do crime foi política. "Perceberam que o Renatinho estaria na frente ou de que ele teria tido uma participação, via advogados, quando da impugnação da candidatura do ex-prefeito Ronaldo Bernardes. É isso que consta nos autos. Quero ressaltar que as investigações prosseguem", declarou Rogério de Melo. O delegado ressaltou que a equipe do DHPP da capital mineira entrou na investigação, que já tinha sido iniciada pela Polícia Civil local, a partir de uma ação dos próprios suspeitos. "A ironia do caso é de que essas mesmas pessoas que foram presas hoje foram as que procuraram o comando da Polícia Civil para que o DHPP assumisse", contou Rogério de Melo, que completou: "eleição se ganha é com voto e não com bala". Rogério de Melo declarou, também, que foi um "crime hediondo, bárbaro, que atenta contra o Estado Democrático de Direito". Armas foram apreendidas nas residências de três dos quatro suspeitos presos em Campo Florido nesta quarta-feira. Em nota enviada pela assessoria, o prefeito de Campo Florido, Renato Soares de Freitas, fez questão de parabenizar e reconhecer o trabalho da Polícia Civil de Minas Gerais. Veja abaixo a íntegra da nota. Renato Soares de Freitas, conhecido como Renatinho, foi baleado em junho do ano passado Reprodução/ TV Integração O atentado Renatinho foi baleado no dia 30 de junho do ano passado, às vésperas da eleição suplementar. O então candidato a prefeito estava na Rua dos Inconfidentes, no Bairro Junqueira, quando um homem se aproximou, efetuou os disparos e fugiu. A vítima, que é cadeirante, foi socorrida e encaminhada para um posto de saúde da cidade. Posteriormente, ele foi transferido para um hospital particular em Uberaba. A Polícia Militar (PM) informou na época que o candidato apresentava duas perfurações no ombro, uma no tórax e outra no pescoço. Duas cápsulas de munição calibre 380 e um projétil deflagrado do mesmo calibre foram encontrados no local. Eleito Ainda internado, Renatinho foi eleito prefeito de Campo Florido. Ele teve 2.671 votos, ou 56,39% dos válidos. A eleição fora do prazo ocorreu porque o candidato a prefeito mais votado em 2016, Ronaldo Castro Bernardes, teve o registro indeferido pelo TSE por ter tido contas públicas rejeitadas. Renatinho teve alta no dia 5 de julho e concedeu entrevista ao G1 na oportunidade. "Foi uma vitória árdua. Acho que que tive uma segunda chance de vida", desabafou. Nota do prefeito Renatinho "O prefeito de Campo Florido Renato Soares de Freitas afirmou, através de nota, que em primeiro lugar é preciso parabenizar, e reconhecer o excelente trabalho da Polícia Civil de Minas Gerais, em especial, através da divisão de homicídios de Belo Horizonte, com a equipe chefiada pela delega Alice Batello, que conseguiu chegar aos supostos responsáveis por esse crime. Segundo o prefeito, foram meses angustiantes, e de muita preocupação, afinal, temeroso por um novo atentado contra a sua vida, Renato, desde o episódio da tentativa de homicídio, ocorrida em 30 de junho de 2017, tem vivido sobre forte esquema de segurança, o que causava também preocupação de familiares, e da própria população de Campo Florido. Com a prisão preventiva dos suspeitos, e também do autor dos disparos, na análise do prefeito Renatinho, não só ele, mas a população e Campo Florido pode dormir mais tranquila, afinal, a sensação de segurança e tranquilidade pode agora voltar a reinar na cidade, já que, após o atentado, sempre existiu temor por uma nova tentativa de assassinato. Com relação aos suspeitos, o prefeito de Campo Florido vai aguardar toda a apuração final do caso, e conclusão do inquérito para depois se pronunciar, porém, o prefeito acredita que agora a cidade pode viver em paz novamente, e que episódios como esse não podem mais se repetir, afinal, a política deve servir para beneficiar os cidadãos, e não para produzir casos de extrema violência como esse. Por última o prefeito Renato afirma que continua seu trabalho normalmente em prol de Campo Florido, e agora, ainda com mais vontade e energia, afinal, tem respeito pelo mandato popular que lhe foi concedido em 02 de julho de 2017, e aproveita para agradecer a população de Campo Florido, que tanto lhe apoiou, e sempre acreditou na sua idoneidade".

    Corpo de suspeito de matar ex-companheira a facadas em Cláudio é encontrado


    Crime aconteceu na noite desta segunda-feira (16). Segundo a PM, corpo de homem foi localizado próximo a Itaguara, na Região Metropolitana de BH. O corpo do homem de 55 anos, suspeito de matar a ex-companheira na noite desta segunda-feira (16) em...

    Crime aconteceu na noite desta segunda-feira (16). Segundo a PM, corpo de homem foi localizado próximo a Itaguara, na Região Metropolitana de BH. O corpo do homem de 55 anos, suspeito de matar a ex-companheira na noite desta segunda-feira (16) em Cláudio, foi encontrado pela polícia no início da tarde terça-feira (17). Segundo a Polícia Militar (PM), a principal suspeita é que ele tenha cometido suicídio. A PM informou que o corpo foi encontrado no km 565 da BR-381, nas imediações de um posto de combustíveis próximo a Itaguara, pendurado por uma corda e já sem vida. A perícia técnica de Betim era aguardada no local até esta publicação. O homem era procurado desde a noite desta segunda-feira pelo assassinato da ex-companheira. A mulher, de 31 anos, foi encontrada caída e ferida por golpes de faca no Bairro Santa Luzia, em Cláudio, e chegou a ser encaminhada à Santa Casa do município, mas não resistiu aos ferimentos. Ainda segundo a PM, o casal havia terminado recentemente um relacionamento de oito anos. Com o término, o ex-companheiro teria intensificado as ameaças e agressões contra a mulher. Conforme a polícia, o suspeito tinha várias passagens por ameaça de morte e agressões contra a vítima, chegando, inclusive, a passar três dias no presídio da cidade de Oliveira.
    Aécio Neves vira réu no Supremo por corrupção e obstrução de Justiça

    Aécio Neves vira réu no Supremo por corrupção e obstrução de Justiça


    Ministros da Primeira Turma acolheram denúncia da Procuradoria Geral da República contra senador tucano – por 5 a 0 em relação à acusação de corrupção passiva e por 4 a 1 à de obstrução de Justiça. Por 5 a 0, Supremo aceita denúncia...


    Ministros da Primeira Turma acolheram denúncia da Procuradoria Geral da República contra senador tucano – por 5 a 0 em relação à acusação de corrupção passiva e por 4 a 1 à de obstrução de Justiça. Por 5 a 0, Supremo aceita denúncia contra Aécio e senador se torna réu A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (17) receber a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por suposta prática de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Com isso, o senador será transformado em réu pela primeira vez. Por unanimidade, os cinco ministros da turma (Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber e Alexandre de Moraes) admitiram a abertura de processo por corrupção e, por 4 votos a 1, por obstrução de Justiça – neste caso, o único voto contrário foi o de Alexandre de Moraes. Com a aceitação da denúncia, Aécio passa a responder ao processo penal na condição de réu e poderá contestar a acusação com novas provas. Só ao final da ação poderá ser considerado culpado ou inocente, em julgamento a ser realizado pela mesma turma do Supremo. Terminado o julgamento, o senador afirmou que provará a 'absoluta legalidade e correção' de seus atos. Junto com o parlamentar, foram denunciados pela PGR e também responderão como réus a irmã dele, Andréa Neves da Cunha, o primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (MDB-MG), todos por corrupção. Aécio foi acusado em junho do ano passado, em denúncia da Procuradoria Geral da República, de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores políticos; e também de tentar atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato. Uma conversa entre os dois foi gravada pelo empresário. Andréa Neves teria pedido o dinheiro a Joesley e os outros dois acusados teriam recebido e guardado quatro parcelas de R$ 500 mil em espécie. O julgamento começou no início da tarde com as manifestações da acusação e da defesa do parlamentar. O advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, contestou as acusações de corrupção e obstrução de Justiça. O subprocurador da República Carlos Alberto Coelho, responsável pela acusação, disse haver “farto material probatório” para incriminar o senador (leia mais abaixo). Após as manifestações da procuradoria e dos advogados, os ministros rejeitaram, por unanimidade, um pedido da defesa para ter acesso a provas que integram outras investigações, relacionadas a Marcello Miller. Depois, negaram o fatiamento do caso para enviar à primeira instância as acusações contra Andréa, Frederico e Mendherson, por não terem foro privilegiado. Dos cinco ministros da Primeira Turma, quatro entenderam que as condutas estavam imbricadas, de modo que não seria conveniente separar os processos. O único a votar pelo desmembramento foi o relator, Marco Aurélio Mello. Os ministros também rejeitaram de modo unânime uma contestação à validade das provas usadas na investigação. A defesa sustentou que foram baseadas na delação da J&F, alvo de questionamento pela suposta orientação do ex-procurador Marcello Miller aos executivos da empresa, quando ainda integrava a PGR. Os ministros negaram o pedido, considerando que a validade do acordo e a manutenção ou não das provas será analisada em momento posterior, em ação própria. Julgamento de denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal José Cruz / Agência Brasil Votos dos ministros Marco Aurélio aceita a denúncia e diz que há sinais de prática criminosa Relator do inquérito no STF e responsável por supervisionar as investigações, Marco Aurélio Mello disse em seu voto que as suspeitas de corrupção e obstrução serão analisados com mais profundidade durante o processo, no qual a defesa poderá contestar novamente as acusações com mais provas. O ministro considerou que não configuram obstrução de Justiça a atuação de Aécio Neves na discussão de projetos de lei – para aprovar novas formas de abuso de autoridade e perdoar prática de caixa 2. “A articulação política é inerente ao presidencialismo de coalisão, e não pode ser criminalizada, sob pena de ofensa a imunidade material dos parlamentares, nesse ponto, mostra-se insuficiente o que veiculado na peça acusatória”, disse o ministro. Em outra parte do voto, porém, Marco Aurélio viu tentativa de embaraço às investigações na pressão exercida sobre membros do governo e Polícia Federal para escolher delegados para conduzir os inquéritos da Operação Lava Jato. “Ocorre que há transcrições de conversas telefônicas ligações realizadas pelo senador das quais se extrai que estaria tentando influenciar na escolha de delegados da Polícia Federal em inquéritos alusivos a Operação Lava Jato [...] Surgem sinais de pratica criminosa”, disse. Barroso acompanha relator e diz que indícios de corrupção são sólidos Segundo a votar, Luís Roberto Barroso considerou que os indícios de corrupção são mais sólidos que os de obstrução, mas viu indícios para receber a denúncia pelos dois crimes. "Acompanho o ministro relator e penso que claramente houve a utilização do cargo de senador para a pratica de crime”, disse o ministro. No voto, ele também disse que recomendaria a suspensão do mandato – disse que desistiu por causa da decisão do plenário do STF no ano passado que condicionou tal medida a aprovação do Senado. “Como não há fato novo, em respeito a separação de poderes, não estou encaminhando nesse sentido”, disse Barroso. Rosa Weber vota pela denúncia, forma maioria e Aécio se torna réu A ministra Rosa Weber também votou pela abertura da ação penal, considerando que são suficientes, nessa fase, somente indícios da prática de crimes. “Especificamente quanto à obstrução de Justiça, pela vertente da tentativa da escolha de delegados de Polícia Federal para conduzir os inquéritos da Operação Lava Jato”, disse. Segundo a ministra, tal atuação não seria uma atividade legislativa. Fux aceita a denúncia dizendo que, ‘em dúvida, a favor da sociedade’ Luiz Fux disse ao votar que, na fase de recebimento da denúncia, eventuais dúvidas não devem favorecer o investigado, mas a sociedade, na busca pela elucidação dos fatos. Ela afirmou que a denúncia da PGR apresenta maior verossimilhança que as versões apresentadas pela defesa. “É caso típico de recebimento de denúncia, em cujo processo a parte poderá demonstrar à sociedade a verossimilhança de que se tratava de um empréstimo, porque não sabia o que estava levando para o imputado, e que também não tinha ciência, consciência do fato, por isso agiu sem qualquer dolo”, afirmou. Alexandre rejeita obstrução de justiça e aceita denúncia por corrupção Último a votar, Alexandre de Moraes entendeu que não havia indícios de obstrução por considerar a acusação da PGR “genérica”. Ele entendeu que a denúncia não apontou exatamente qual organização criminosa Aécio estaria tentando proteger e que as falas do senador, embora “absurdas”, poderiam significar apenas “cogitações”. “Por mais absurdas que tenham sido as gravações – e foram absurdas as falas –, ficaram no mundo das intenções, da cogitação, seja na parte congressual seja na parte de intervenções na nomeação de delegados. Todas ficaram na intenção”, disse. Acusação Subprocurador-geral diz que provas contra o tucano são robustas Representando a Procuradoria Geral da República (PGR), responsável pela acusação, o subprocurador da República Carlos Alberto Coelho disse haver “farto material probatório” no caso e que por isso, a defesa se concentrou, segundo ele, em apontar nulidades jurídicas na investigação. Coelho lembrou, contudo, que a investigação conta com gravações da Polícia Federal do primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, recebendo dinheiro do diretor da JBS Ricardo Saud, entre março e abril do ano passado, a mando de Joesley Batista, conforme combinado previamente com o senador. Em relação à acusação de corrupção, o subprocurador disse que Joesley aceitou dar R$ 2 milhões a Aécio em razão de seu cargo. “Não há dúvidas de que o empresário apenas aceitou pagar R$ 2 milhões a Aécio Neves porque esse ocupava o cargo de senador da República. Os autos deixam claro que não fez o pagamento por prodigalidade, altruísmo ou solidariedade. Sabia que Aécio estava pronto para prestar contrapartidas”, disse Coelho. O subprocurador também contestou a tese da defesa de que Joesley teria sido induzido pela PGR a forjar um crime do senador, a partir da orientação do ex-procurador Marcello Miller. “Não houve em sua execução [gravação da conversa] qualquer participação do MP ou da PF. Foi realizada inteiramente pelo colaborador por iniciativa sua e posteriormente entregue à PGR”. Defesa de Aécio 'Joesley é quem sugere que se faça o pagamento em dinheiro', diz defesa Pela defesa de Aécio, o advogado Alberto Zacharias Toron começou contestando a acusação de obstrução de Justiça, sob o argumento de que o crime envolve impedir investigação sobre organização criminosa. “Não se trata de acusação de organização criminosa e não há notícia relativamente à prática de estar inserido em organização criminosa”, disse o advogado. Toron ainda contestou a acusação de que Aécio teria tentado obstruir a Justiça na discussão de projeto de lei contra o abuso de autoridade. Disse que, na tramitação do texto, o senador propôs eliminar o chamado “crime de hermenêutica”, pelo qual um juiz poderia ser punido por decisão posteriormente derrubada por instância superior. “Ele teve condutas claras no sentido do pleito da Ajufe [associação dos juízes federais]. Como se dizer que essa conduta significou embaraço? Ainda que assim não fosse, isso se insere na atividade parlamentar dele”, afirmou o advogado. Toron também buscou explicar acusação de que Aécio tentou escolher delegados para conduzir investigações da Operação Lava Jato. Disse que numa ligação com o então diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello, ele apenas demonstrou insatisfação com o andamento de inquérito. “Manifesta contrariedade com delegados e não passou disso”. Em relação à acusação de corrupção, disse que o crime deve estar atrelado a um “ato de ofício”. Segundo o advogado, a denúncia fez “cortina de fumaça” ao não demonstrar uma contrapartida concreta de Aécio em favor de Joesley. “É ele [Joesley] que sugere pagamento em dinheiro. É ele Joesley que fala na questão da Vale”, disse o advogado. Toron reafirmou que o pedido de dinheiro a Joesley partiu de Andréa Neves, irmã de Aécio, para pagar advogados – a intenção inicial era vender um apartamento da mãe do senador ao empresário. Defesa de Andréa Neves Defensor de Andréa Neves, o advogado Marcelo Leonardo contestou a validade de interceptações no celular dela, pelo qual pediu dinheiro a Joesley e marcou encontro do empresário com Aécio. Disse que não havia autorização para o grampo. Marcelo Leonardo também atacou a validade da delação da J&F pela suposta participação do então procurador Marcelo Miller nas negociações pelo lado dos executivos, citando documentos da própria PGR que levaram à rescisão do acordo de colaboração. “A prova daí resultante é ilícita pela participação indevida de um membro do Ministério Público que atuava dos dois lados [...] Está evidente que desde o início houve o direcionamento para que houvesse a entrega do senador Aécio”, disse o advogado. Ele também reafirmou a versão de que Andréa procurou Joesley para vender um apartamento da mãe. “Quando se pega a conversa de Aécio com Joesley ambos fazem referência ao apartamento. Fica evidenciado que a conversa foi exclusivamente à venda do apartamento e não há nenhuma gravação de que Andréa tivesse feito pedido de R$ 2 milhões”. Defesa do primo de Aécio Em nome de Frederico Medeiros, primo de Aécio, Ricardo Silveira de Mello disse que a participação dele se limitou à busca do dinheiro, sem conhecimento de que seria propina. “Em momento algum há referência a participação de Frederico na solicitação daquela vantagem”, disse. Acrescentou que Aécio disse a Frederico que se tratava de um empréstimo. O advogado também citou declaração de Aécio isentando o primo de responsabilidade no episódio. “O simples fato de receber o numerário por si só não constitui ilícito penal”, disse. Defesa de Mendherson Souza Lima Representando o ex-assessor parlamentar Mendherson Souza Lima, que guardou o dinheiro destinado a Aécio, Antonio Velloso Neto defendeu o fatiamento da denúncia e envio da parte relativa ao cliente para a primeira instância, pelo fato de não ter foro privilegiado. Em relação à acusação de corrupção, o advogado disse que ele não participou do pedido de propina. “Nada foi imputado que pudesse trazê-lo a essa relação [...] Onde o dolo, onde sua participação? MP não descreve a participação [na solicitação de vantagem indevida]”, disse.

    Inscrições abertas para processos seletivos em diversas áreas da Prefeitura de Patos de Minas


    São oportunidades para saúde, educação, de combate às epidemias, entre outros. Salários variam de R$ 1.014 a R$ 11.784,96. A Prefeitura de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, está com as inscrições abertas para processos seletivos de...

    São oportunidades para saúde, educação, de combate às epidemias, entre outros. Salários variam de R$ 1.014 a R$ 11.784,96. A Prefeitura de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, está com as inscrições abertas para processos seletivos de contratação em diversas áreas, como saúde, educação, de combate às epidemias e outras. Os salários variam de R$ 1.014 a R$ 11.784,96 e as inscrições seguem até 30 de abril. De acordo com os editais, publicados pela prefeitura na última sexta-feira (13), as vagas são para Programas Específicos (PSF, PACS e Combate à Dengue), que contêm oportunidades para auxiliar de serviços geral e motorista que tenha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria “D”, e também profissionais para os Programas de Saúde da Família como médico, enfermeiro, cirurgião dentista, fisioterapeuta, auxiliar de enfermagem e atendente de consultório odontológico. Para contratação e cadastro de reserva serão abertas 22 vagas para Agente Comunitário de Saúde (ACS). Já os candidatos a Agente de Combate às Endemias (ACE) serão classificados em cadastro de reserva, o que possibilita a contratação apenas em caso de surgimento de vagas. A novidade para este ano é que as inscrições podem ser feitas online. O candidato que não tiver acesso à internet pode realizar o preenchimento online da inscrição na Secretaria Municipal de Saúde, na Rua Alzino Martelo, nº 710, Bairro Nova Floresta. O horário de atendimento é das 12h às 17h, de segunda a sexta-feira.
    Ordens para ataques a caixas eletrônicos no Norte de Minas eram dadas de dentro de presídio, diz Polícia Civil

    Ordens para ataques a caixas eletrônicos no Norte de Minas eram dadas de dentro de presídio, diz Polícia Civil


    Líder do grupo cumpre pena desde 2016 por homicídio e roubo; 20 pessoas foram presas na Operação Blindado realizada nesta terça-feira (17). Ao todo, 20 pessoas foram presas em Montes Claros e Janaúba Valdivan Veloso/G1 O líder da organização...


    Líder do grupo cumpre pena desde 2016 por homicídio e roubo; 20 pessoas foram presas na Operação Blindado realizada nesta terça-feira (17). Ao todo, 20 pessoas foram presas em Montes Claros e Janaúba Valdivan Veloso/G1 O líder da organização criminosa desarticulada na Operação Blindado de combate a explosão de caixas no Norte de Minas, comandava as ações de dentro do Presídio Regional de Montes Claros. De acordo com a delegada Thalita Caldeira, ele utilizava um telefone celular para dar instruções aos outros integrantes da quadrilha. Vinte pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (17) e cinco estão foragidas. "O chefe da quadrilha detém as técnicas que são necessárias para a prática destes ilícitos. Ele repassava o conhecimento de forma fragmentada para alguns integrantes do grupo”, explicou a delegada. A ação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Polícia Civil e Polícia Militar. As prisões foram em Montes Claros e Janaúba; 11 investigados já estavam detidos por tráfico de drogas, homicídio, furto e roubo. Em Montes Claros foram apreendidos drogas , computasdores e celulares durante a operação Valdivan Veloso/G1 Durante a ação, foram cumpridos 42 mandados de busca e apreensão nas casas utilizadas por pessoas envolvidas com a quadrilha, na Penitenciária de Francisco Sá e no Presídio Regional de Montes Claros. Foram apreendidos quatro aparelhos celulares, drogas e computadores. O grupo foi identificado a partir das explosões de caixas eletrônicos no aeroporto de Montes Claros, em julho de 2015. "A partir daí, passamos a dar atenção especial aos outros eventos de explosões a caixas eletrônicos no Norte de Minas. Percebemos que os crimes tinham características comuns. Os autores residiam em Montes Claros e Janaúba", diz a delegada. Segundo as investigações, a quadrilha também praticava roubos na zona rural e furtava veículos; os carros roubados e o dinheiro eram revertidos em drogas e armas. De acordo com a polícia, os criminosos estão envolvidos na morte de uma comerciante durante um roubo em Montes Claros em março deste ano. Maria Geni Gonzaga, de 62 anos, era mãe de um agente penitenciário. A partir das investigações iniciadas em 2016, o MP chegou até outra quadrilha desarticulada na Operação 'Conta Encerrada', realizada em 2017. Na época, quatro pessoas foram presas. "Inclusive, um dos autores presos naquela operação também é alvo desta investigação, que é muito maior. A partir de agora o Gaeco, PM e PC, irão desdobrar as atenções a cada uma das explosões. Os envolvidos também serão denunciados em cada uma destas explosões em que for constatada a autoria e a materialidade devida", informou o promotor Daniel Piovanelli. De acordo com ele, os líderes das quadrilhas são pessoas diferentes, mas se comunicavam e trocavam informações sobre as ações. Estatísticas Segundo informações da Polícia Militar, em 2016 foram registrados 31 ataques a caixas eletrônicos no Norte de Minas. Em 2017, foram 17 e neste ano a polícia registrou quatro crimes. O último caso foi em Fruta de Leite no mês de março e os bandidos levaram R$ 170 mil da agência. A polícia não informou quantos crimes foram cometidos pela quadrilha desarticulada nesta terça-feira.
    Corpo da ex-prefeita de Três Pontas Adriene Andrade é sepultado em Boa Esperança, MG

    Corpo da ex-prefeita de Três Pontas Adriene Andrade é sepultado em Boa Esperança, MG


    Ex-prefeita e conselheira do TCE lutava há oito anos contra um câncer de mama. Ex-prefeita de Três Pontas, Adriene Andrade, é velada em Boa Esperança (MG) O corpo da ex-prefeita de Três Pontas (MG), Adriene Andrade, que morreu aos 53 anos, foi...


    Ex-prefeita e conselheira do TCE lutava há oito anos contra um câncer de mama. Ex-prefeita de Três Pontas, Adriene Andrade, é velada em Boa Esperança (MG) O corpo da ex-prefeita de Três Pontas (MG), Adriene Andrade, que morreu aos 53 anos, foi enterrado no início da tarde desta terça-feira (17) no Cemitério Municipal de Boa Esperança (MG). A ex-prefeita, que era conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, morreu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ela lutava há oito anos contra um câncer de mama. Há oito anos, Adriene lutava contra um câncer de mama. Ela conseguiu impedir o avanço da doença, mas há cerca de dois anos o tumor voltou. Ela estava internada no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, há oito dias. O corpo foi velado na noite de segunda-feira em Três Pontas e chegou por volta de 10h30 desta quarta-feira em Boa Esperança. O caixão foi levado para dentro do clube dorense pelo marido dela, o ex-senador Clésio Andrade, pelo filho mais velho da conselheira e por alguns familiares. Logo que o cortejo chegou, foi realizada uma cerimônia religiosa de despedida. Conselheira Adriene Andrade, do TCE-MG, morre em São Paulo Karina Camargos Coutinho/TCE-MG Alguns políticos acompanharam a celebração, como os deputados federais Odair Cunha (PT) e o cantor e também deputado Sérgio Reis. O governador Fernando Pimentel (PT) esteve presente na cerimônica por cerca de 20 minutos. Pimentel destacou a presença forte de Adriene na política e dentro do TCE. Por conta da morte de Adriene Andrade, as prefeituras de Três Pontas e de Boa Esperança decretaram luto oficial de três dias. A Assembleia Legislativa de Minas Gerais lamentou a morte dizendo que a conselheira do TCE marcou a história da política mineira ao conquistar cargos nunca antes ocupado por mulheres. Primeira mulher eleita prefeita em Três Pontas Adriene Andrade foi voluntária e participou da direção da Apae. Em 2001, ela deixou a entidade para se candidatar à prefeitura. Ela foi a primeira mulher a se eleger prefeita na cidade. Adriene também foi eleita presidente da Associação Miniera dos Municípios. Em 2006, ela foi nomeada pelo então governador Aécio Neves a primeira mulher conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Na época, o marido dela, Clésio Andrade, era vice-governador. Em 2011 e 2012, ela fez parte da diretoria do Tribunal de Contas do Estado, assumindo inclusive a presidência do tribunal. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

    Programa Transforma é ampliado e está com inscrições abertas para crianças, adolescentes e jovens de Uberlândia


    O Programa Transforma, um programa social que promove o desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens de Uberlândia por meio da educação, da inovação, da cultura e do esporte, acaba de passar por uma nova ampliação. Agora, além da unidade...

    O Programa Transforma, um programa social que promove o desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens de Uberlândia por meio da educação, da inovação, da cultura e do esporte, acaba de passar por uma nova ampliação. Agora, além da unidade própria do programa no clube Cesag, na região leste da cidade, e da unidade instalada na sede do Instituto de Formação Vamos Crescer, na região oeste, mais 150 estudantes serão atendidos na OSC Estação Vida, e terão acesso às suas atividades.   Com essa ampliação, o programa criado há 11 anos, apoiado e mantido pelo Instituto Algar - responsável por iniciativas sociais nas comunidades em que a empresa atua - passa a beneficiar quase 1.500 estudantes ao ano. A parceria entre o Instituto Algar e a Estação Vida foi realizada no início do mês.   Serão oferecidas oficinas de artes cênicas e esportivas (futebol, vôlei, basquete, judô, xadrez e handebol). Além disso, o instituto realizou a doação de 12 computadores completos para a instituição, possibilitando a revitalização do espaço e a reinauguração do laboratório de informática e tecnologia.   Embora na Estação Vida o número de vagas comporte somente os atendidos na OSC, na unidade do Cesag há vagas para as oficinas de violino e futebol de campo. Já no Instituto de Formação Vamos Crescer, estão abertas matrículas para as oficinas de artes cênicas. Os interessados podem se inscrever nas unidades, presencialmente, até o dia 30 de abril.     Participe do blog enviando sugestões, críticas e elogios também para: [email protected]  

    Bebê de 8 meses morre ao cair de caminhão em movimento em Espírito Santo do Dourado


    Mãe e filho caíram da cabine quando mulher tentava fechar a porta que se abriu durante carona. Um bebê de oito meses morreu depois de cair da cabine de um caminhão em movimento na zona rural de Espírito Santo do Dourado (MG), no final da tarde...

    Mãe e filho caíram da cabine quando mulher tentava fechar a porta que se abriu durante carona. Um bebê de oito meses morreu depois de cair da cabine de um caminhão em movimento na zona rural de Espírito Santo do Dourado (MG), no final da tarde desta segunda-feira (16). De acordo com a Polícia Militar, mãe e filho caíram do veículo quando a mulher tentava fechar a porta, que se abriu durante o percurso. Ainda segundo a polícia, o caminhoneiro, de 45 anos, contou que deu carona para um casal e a mulher se sentou com a criança no colo, do lado da porta direita. Foi quando os dois caíram. O bebê teve a cabeça esmagada e perdeu massa encefálica. O corpo dele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Pouso Alegre (MG). A mãe da criança sofreu escoriações nas pernas e foi levada ao posto de saúde de Espírito Santo do Dourado. A perícia da Polícia Civil comprovou que a mulher não usava cinto de segurança no momento do acidente e que a criança foi transportada fora das normas. Foi feito o auto de infração de trânsito e o caminhão foi liberado. Veja mais notícias da região em G1 Sul de Minas
    Polícia monta força-tarefa para procurar soldado que matou ex e sequestrou filha em Santos Dumont

    Polícia monta força-tarefa para procurar soldado que matou ex e sequestrou filha em Santos Dumont


    Alerta foi emitido para todo o estado de MG; Polícias Militar e Civil trabalham em conjunto. O policial militar Gilberto Ferreira Novaes é procurado por matar a ex-mulher em MG Reprodução/Facebook As polícias Militar e Civil de Barbacena montaram...


    Alerta foi emitido para todo o estado de MG; Polícias Militar e Civil trabalham em conjunto. O policial militar Gilberto Ferreira Novaes é procurado por matar a ex-mulher em MG Reprodução/Facebook As polícias Militar e Civil de Barbacena montaram uma força-tarefa para localizar e prender o soldado da PM Gilberto Ferreira Novaes, de 35 anos. Ele é procurado por matar a tiros a ex-mulher, Sthefania Parente de Ferreira Novaes, de 29 anos, e sequestrar a filha do casal, de quatro, no último sábado (14), em Santos Dumont, na Zona da Mata. De acordo com informações da assessoria de imprensa da 13ª Região de Polícia Militar (RPM), as buscas continuam e um alerta foi emitido para todo o estado. A PM reforçou que, quem tiver alguma informação sobre o paradeiro do soldado e da criança, entre em contato pelo telefone 190 ou pelo Disque-Denúncia Unificado,a través do número 181. Ele fugiu em um Fiat Palio Flex cinza, ano 2007, placas GWK-1390. O G1 entrou em contato com a Polícia Civil solicitando informações sobre o caso, que é investigado como feminicídio, e aguarda retorno. O crime ocorreu no Bairro Córrego do Ouro em Santos Dumont. A jovem tinha medida protetiva contra o ex e registrou quatro boletins de ocorrência entre novembro de 2017 e abril de 2018 relatando ameaças, agressões e perturbação. "Só quero minha neta, mais nada", diz mãe de jovem morta pelo ex-companheiro Invasão, morte e sequestro De acordo com a ocorrência divulgada pela PM, o namorado da vítima relatou que eles aguardavam a chegada de um lanche e que, ao abrir o portão para o entregador, foi surpreendido pelo soldado armado. Ele subiu as escadas de acesso a casa e fez os disparos contra a Sthefania. Ela foi atingida por três tiros e morreu na hora. Após o crime, o homem fugiu em um carro emprestado levando a menina de quatro anos. "Eu tentei tirar a menina dele. Eu comecei a gritar, vi que ele estava com a arma na mão. Ele, muito apressado, entrou no carro e eu fiquei apavorada querendo abrir a porta para tirar a menina. E ele só gritou assim 'vai morrer também'", contou a tia de Sthefania, Deise Lúcia Ferreira. De acordo com familiares, desde janeiro o casal estava em processo de separação. "Ele era muito ciumento, muito nervoso, até com carro, achava que a rua era dele. Ela tentou ser feliz com ele. Ele falou que não iria aceitar a separação", contou Elaine da Silva Parenti, mãe de Stefhania. A avó da criança sequestrada reforçou o apelo. 'Pelo amor de Deus, para ela poder voltar para casa. a gente só quer a minha neta, mais nada", disse. O comandante da 63ª Companhia da PM, major Nélio Bertolino Condé destacou que as buscas estão em andamento desde o momento que os crimes foram registrados. As apurações apontam que ele planejou toda a ação. O comandante lembrou que o Córrego do Ouro é um bairro afastado da área central, que dá acesso a várias vias rurais que ligam a outros municípios, inclusive fora da região. "A conduta dele de sacar o dinheiro, não usar o próprio veículo, usar um carro que não era dele, porque tanto a vítima poderiam reconhecê-lo, demonstram que ele planejou esta ação com detalhes", analisou o major Condé. De acordo com a ocorrência, o soldado estava afastado das atividades no 29º Batalhão em Poços de Caldas por problemas psicológicos. Ele responderá pelos crimes, tanto internamente quanto na justiça criminal, de acordo com o comandante da 63ª Companhia da PM.
    Operação do MP potiguar prende integrantes de milícia no RN, RJ e MG

    Operação do MP potiguar prende integrantes de milícia no RN, RJ e MG


    Mandados de prisão foram cumpridos nesta terça (17). Grupo é suspeito de dezenas de assassinatos na Grande Natal. Operação foi realizada com apoio de policiais civis e da Força Nacional MP/Divulgação Uma ação conjunta do Ministério Público...


    Mandados de prisão foram cumpridos nesta terça (17). Grupo é suspeito de dezenas de assassinatos na Grande Natal. Operação foi realizada com apoio de policiais civis e da Força Nacional MP/Divulgação Uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte, da Força Nacional e da Polícia Civil potiguar cumpriu oito mandados de prisão na manhã desta terça-feira (17) em Ceará-Mirim, na Grande Natal, e ainda nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os alvos são suspeitos de integrarem uma milícia que, segundo as investigações, é responsável por dezenas de assassinatos na Grande Natal. As prisões são temporárias por 30 dias e podem ser prorrogadas. A ação é fruto de um trabalho investigativo do MP do RN e da Força Nacional, que foi iniciado depois da morte do sargento da PM Jackson Sidney Botelho, em 20 de fevereiro do ano passado, em Ceará-Mirim. Em dois dias, pelo menos 12 pessoas foram assassinadas em Ceará-Mirim, cidade da Grande Natal Mirella Lopes/Inter TV Cabugi De acordo com o Ministério Público, após a morte do sargento, “o que se viu foi um verdadeiro e trágico banho de sangue, resultando nas mortes brutais de pelo menos 12 pessoas em pouco mais de 48 horas, fato que ganhou grande repercussão regional, estadual e até em âmbito nacional”. O trabalho em conjunto deflagrado nesta terça-feira teve o apoio da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), da Polícia Civil. Dos mandados expedidos, seis foram cumpridos em Ceará-Mirim. As outras duas prisões aconteceram no Rio e em Minas. As prisões temporárias foram pedidas por serem imprescindíveis às investigações e para evitar que o grupo ameace testemunhas. Os oito homens ficarão presos em unidades do sistema prisional potiguar. Chefe preso Em uma ação conjunta do MPRN e da Força Nacional, realizada em 3 de fevereiro passado, prendeu o policial militar Erinaldo Ferreira de Oliveira. Mais conhecido como Naldão', ele é apontado como chefe da milícia, que teria atuação em Ceará-Mirim. Segundo as investigações, Naldão assumiu o comando após a morte do sargento da PM Jackson Botelho. Na denúncia que resultou na prisão de Naldão, o MP detalha o relatório das investigações e aponta que, dentre os mais de 100 inquéritos policiais instaurados com o objetivo de apurar os crimes em Ceará-Mirim, 74 possuem a mesma dinâmica criminosa: os executores utilizam motos ou carros, balaclavas e roupas escuras, efetuam disparos em quantidade excessiva e em especial na região cervical da vítima, ameaçam as testemunhas presentes e fogem sem deixar qualquer vestígio. Ainda segundo as investigações, as informações obtidas pelo MPRN reforçam que a organização criminosa atua na prestação de serviços de segurança privada e ainda na “eliminação” de pessoas ditas ou por eles consideradas como “bandidos”, promovendo aparente sensação de paz social, “regada pelo assassinato brutal de vários homens e mulheres”. Além das evidências e informações obtidas junto às testemunhas sobre a atuação do grupo, a denúncia também engloba inquérito policial para apurar as circunstâncias do assassinato de Aluísio Ferreira da Costa Neto e a tentativa de homicídio contra Wgleiby Barbosa de Góis, fatos ocorridos no dia 3 de agosto de 2017. Aluísio Ferreira era um conhecido integrante do grupo criminoso, sendo um dos supostos autores da chacina ocorrida na cidade após a morte do sargento Jackson Botelho. A motivação do crime teria sido queima de arquivo. Além de Erinaldo, outros cinco homens foram denunciados pelo MPRN por envolvimento com a morte de Aluísio Ferreira. Naldão foi denunciado pelos crimes de homicídio qualificado mediante promessa de recompensa ou por motivo torpe, com pena 12 a 30 anos de reclusão, podendo ser aumentada em um terço por ter sido praticada por milícia privada; e de comércio ilegal de arma de fogo, com plena de reclusão de 4 a 8 anos e multa.
    MG-353 segue interditada nos dois sentidos após carreta pegar fogo em Coronel Pacheco

    MG-353 segue interditada nos dois sentidos após carreta pegar fogo em Coronel Pacheco


    Motorista morreu carbonizado nesta segunda (16). Causas do acidente ainda são desconhecidas. Trânsito permanece interditado na MG-353 Coronel Pacheco após carreta tombar e pegar fogo nesta segunda (16) Augusto Medeiros/G1 A MG-353 ainda não tem...


    Motorista morreu carbonizado nesta segunda (16). Causas do acidente ainda são desconhecidas. Trânsito permanece interditado na MG-353 Coronel Pacheco após carreta tombar e pegar fogo nesta segunda (16) Augusto Medeiros/G1 A MG-353 ainda não tem previsão de liberação depois que uma carreta com placas de Ubá pegou fogo na tarde desta segunda-feira (16), em Coronel Pacheco, e interditou a via nos dois sentidos. O motorista do veículo, de 29 anos, morreu carbonizado no acidente, que ocorreu no Km 69, perto do posto da Polícia Militar Rodoviária (PMR). A empresa JLE Transportes informou que está tomando todas as providências necessárias ao caso. De acordo com a PMR, as causas do acidente ainda são desconhecidas. O desvio é feito pela BR-040. Quem sai de Juiz de Fora e tem como destino Ubá deve entrar na ALMG-3085, na altura do Bairro Barreira do Triunfo, na cidade de origem. A estrada termina em um trevo entre Coronel Pacheco e Rio Pomba, já na MG-353. Quem pretende fazer o caminho contrário, em caso de viagem para Juiz de Fora ou Rio de Janeiro, deve ingressar pela ALMG-3085 após passar por Rio Pomba e percorrer a estrada toda. Ao chegar em Juiz de Fora, deve procurar a saída para BR-040, que liga a capital fluminense e Belo Horizonte. Carreta pegou fogo na MG-353, entre Coronel Pacheco e Rio Pomba Reprodução/TV Integração Os policiais rodoviários informaram na manhã desta terça-feira (17) que órgãos ambientais foram acionados para saber se houve impacto ambiental. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) informou que um técnico do Núcleo de Emergência Ambiental (NEA) está a caminho do local do acidente. Ele vai "orientar a empresa transportadora, bem como a empresa especializada nesse tipo de acidente, para que as medidas de remediação dos possíveis danos ambientais causados sejam tomadas da melhor forma possível", conforme nota. Além disso, o técnico também vai verificar a regularidade da empresa transportadora e acompanhar as medidas tomadas pela mesma com relação ao acidente. De acordo com a empresa JLE Transportes, a carga era formada por 15 mil litros de gasolina e 5 mil de óleo diesel. Todo o conteúdo do tanque queimou. A empresa já acionou as firmas responsáveis pelo seguro e pela limpeza, além de realizar o acompanhamento e apoio à família do motorista. A expectativa é de retirar a carreta e liberar o trânsito ainda nesta terça-feira (17). Trecho da MG-353 entre Coronel Pacheco e Rio Pomba Reprodução/TV Integração A equipe dos bombeiros trabalhou por aproximadamente 1h para combater o fogo e utilizaram cerca de 12 mil litros de água para resfriar o tanque, abaixar a pressão interna, evitar explosões e debelar o incêndio. O corpo do motorista, que era morador de Ubá, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) em Juiz de Fora. A perícia da Polícia Civil também esteve no local. Carreta pega fogo e interdita a MG-353 entre Coronel Pacheco e Juiz de Fora
    Vinte pessoas são presas em operação de combate a explosão de caixas no Norte de Minas

    Vinte pessoas são presas em operação de combate a explosão de caixas no Norte de Minas


    Cinco pessoas estão foragidas; operação Blindado cumpre também 42 mandados de busca e apreensão em Montes Claros, Francisco Sá, Bocaiuva e Janaúba. Operação Blindado é realizada em Montes Claros, Francisco Sá, Bocaiuva e Janaúba Ana...


    Cinco pessoas estão foragidas; operação Blindado cumpre também 42 mandados de busca e apreensão em Montes Claros, Francisco Sá, Bocaiuva e Janaúba. Operação Blindado é realizada em Montes Claros, Francisco Sá, Bocaiuva e Janaúba Ana Cláudia Mendes/Inter TV Vinte pessoas foram presas e 42 mandados de busca e apreensão foram cumpridos na operação Blindado de combate a explosão de caixas eletrônicos e roubos no Norte de Minas, na manhã desta terça-feira (17). A ação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Polícias Civil e Militar. Cinco pessoas estão foragidas. Os mandados foram cumpridos em Montes Claros, Francisco Sá, Bocaiuva e Janaúba. Segundo o Gaeco, as investigações começaram em 2016 e foram encontrados indícios e provas de “delitos de organização criminosa, posse e porte de armas de fogo de uso permitido e restrito, roubos, explosões de caixas eletrônicos e latrocínio”. Ainda de acordo com o Gaeco, foi constatado que os investigados utilizavam veículos blindados, o que deu origem ao nome da operação. A ação conta com 87 policiais militares, 26 viaturas, um helicóptero e cães da Polícia Militar de Montes Claros, além de 59 policiais civis, 18 viaturas e um helicóptero da Polícia Civil.