G1 > Roraima

    Ação apreende 57 menores em baile funk clandestino regado a drogas e álcool em Boa Vista

    Ação apreende 57 menores em baile funk clandestino regado a drogas e álcool em Boa Vista


    Festa ocorria em uma chácara no bairro Senador Hélio Campos. Suspeita é que evento seja usado por facções para aliciar menores para a criminalidade. Responsável pelo baile funk clandestino foi autuado pelo Juizado da Infância e Juventude Felipe...


    Festa ocorria em uma chácara no bairro Senador Hélio Campos. Suspeita é que evento seja usado por facções para aliciar menores para a criminalidade. Responsável pelo baile funk clandestino foi autuado pelo Juizado da Infância e Juventude Felipe Medeiros/Rede Amazônica Roraima Um baile funk clandestino foi fechado e 57 adolescentes foram apreendidos durante uma fiscalização da Vara da Infância e Juventude na madrugada deste sábado (19). A festa, regada à bebidas alcoólicas e drogas, ocorria em uma chácara no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste de Boa Vista. O organizador do baile, um jovem de 19 anos, foi autuado por promover festa sem alvará e vai responder administrativamente na Vara da Infância e Juventude. No último domingo (13), 42 adolescentes foram detidos em uma festa semelhante. Os adolescentes detidos foram levados para a sede do Juizado da Infância e Juventude. Foram necessários um micro-ônibus e uma van para transportá-los. A festa foi organizada e divulgada pelas redes sociais. A suspeita é que o evento era financiado por facções criminosas que aliciam menores para a criminalidade. O flagrante ocorreu por volta de 1h. No local, os agentes encontraram dezenas de garrafas de bebidas alcoólicas, porções de drogas e até uma balança de precisão. Bebidas apreendidas no bali funk clandestino em Boa Vista Felipe Medeiros/Rede Amazônica Roraima "O aliciador usa esse tipo de evento, denominada 'social', como uma ferramenta para recrutar esses adolescentes. É um evento regado a muitas bebidas, muitas drogas", explicou Feliciano Luz, conselheiro tutelar que participou da ação. De acordo com Lorrane Costa, chefe da Divisão de Proteção da Vara da Infância e Juventude, os adolescentes só seriam liberados após o comparecimento dos pais. "Cada pai que é responsável por um filho desse vai responder a um processo de infração às normas administrativas, cuja a multa é de três a 20 salários mínimos. Caso o pai não apareça, ele continua respondendo a processo, que nosso sistema faz a busca [pelo nome]. Então, ele vai responder de qualquer forma, só que o processo vai seguir um novo rito por ele não estar aqui e não buscar o filho. Isso agrava a situação do pai" Uma garota de 15 anos, detida na festa, disse que foi à festa somente para dançar. Ela afirmou ter visto adolescentes usando drogas e fazendo sexo explícito. "Quando cheguei, o cheiro de droga era forte. Da entrada dava para sentir. Tinha também muita bebida. Tem uns meninos que ficam mantendo relação sexual dentro da piscina", disse ela. A ação teve o apoio do Conselho Tutelar, Polícia Militar e agentes da Força Nacional. Festa clandestina foi organizada pelas redes sociais; adolescentes foram levados para a Vara da Infância e Juventude Felipe Medeiros/Rede Amazônica Roraima Porção de droga e balança apreendida na chácara onde ocorria o baile funk clandestino, em Boa Vista Felipe Medeiros/Rede Amazônica Roraima
    Agentes da Força Nacional são presos por participação na morte de mecânico em Boa Vista

    Agentes da Força Nacional são presos por participação na morte de mecânico em Boa Vista


    Quatro agentes foram presos por determinação da Justiça. Na versão dos policiais, Marcelo Menezes, 29, e comparsa tentaram assaltá-los e atiraram primeiro; vídeo de câmera de segurança mostra que mecânico estava só quando policiais passaram...


    Quatro agentes foram presos por determinação da Justiça. Na versão dos policiais, Marcelo Menezes, 29, e comparsa tentaram assaltá-los e atiraram primeiro; vídeo de câmera de segurança mostra que mecânico estava só quando policiais passaram atirando. Vídeo mostra ação de agentes da FN que terminou com mecânico morto Quatro agentes da Força Nacional foram presos nessa sexta-feira (18) por suspeitos de participarem da morte do mecânico Marcelo Menezes da Silva, de 29 anos, informou a Polícia Civil. O nome deles não foi divulgado. O caso ocorreu na manhã do dia 23 de dezembro de 2018, no bairro Tancredo Neves, zona Oeste de Boa Vista, quando o mecânico seguia na rua Leôncio Barbosa e foi perseguido e baleado pelos policiais que estavam fora de serviço. Os agentes foram presos por ordem judicial após pedido da Delegacia Geral de Homicídios (DGH). Inicialmente, os quatro agentes ficarão presos por um mês. Ele foram levados para o Comando de Policiamento da Capital (CPC), uma unidade da Polícia Militar. "Ao longo das investigações, a DGH representou pela prisão dos agentes, que foi deferida pela Justiça para assegurar o interesse das investigações. A prisão temporária pode ser prorrogada por mais 30 dias ou convertida em prisão preventiva", informou a Civil em nota. O mecânico foi morto a tiros durante uma ação de agentes da FN que estavam fora de serviço. A DGH apura se houve excesso. A arma usada pelos policiais e uma espingarda que estava com o mecânico foram apreendidas e encaminhadas à perícia. Mecânico Marcelo Menezes da Silva, de 29 anos, morreu baleado por agentes da Força Nacional Arquivo pessoal À Polícia Civil os agentes alegaram, à época, que o mecânico e um comparsa estavam de moto tentaram assaltá-los e atiraram. Os policiais então teriam reagido e baleado o mecânico, enquanto o outro suspeito fugiu na moto. Imagens de câmeras de segurança da rua onde mecânico foi baleado, no entanto, contradizem a versão. O vídeo mostra Marcelo Menezes sozinho em uma moto quando é baleado pelos policiais que passam de carro atirando. Ele carregava uma espingarda que quebrou na queda. Inicialmente o caso foi registrado na Central de Flagrantes, na sede do 5º Distrito Policial e posteriormente passou a ser investigado pela DGH. O processo corre em segredo de Justiça. O G1 entrou em contato com a assessoria do Ministério da Justiça, responsável pela Força Nacional, e aguarda retorno. A mãe do mecânico, Marilene Menezes, contesta a versão dos policiais e diz que eles cometeram um engano ao abordá-lo. "Ele não era ladrão, não era assaltante. Era mecânico e bastante conhecido na cidade. Acredito que suspeitaram do meu filho, o perseguiram e mataram. Depois resolveram dar um depoimento mentiroso, falso". Segundo ela, o filho usava a espingarda que carregava no dia em que foi morto quando saia para caçar e pescar, mas que nunca havia sido preso, não tinha envolvimento com assaltos e nem ligação com facções criminosas. Em vídeo, mecânico aparece sendo perseguido e baleado por agentes da Força Nacional Reprodução
    VÍDEOS: JRR 2 de sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 2 de sexta-feira, 18 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª...


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição.
    Família tenta encontrar professor que saiu de casa de carro e não retornou, em Boa Vista

    Família tenta encontrar professor que saiu de casa de carro e não retornou, em Boa Vista


    Gilson Ramalho Rangel sumiu nessa segunda (14), após sair de casa por volta das 21h. NIPD investiga o caso. Gilson Ramalho Rangel atua como coordenador pedagógico na Escola Coema Souto Maior Arquivo pessoal/Ianne Ramalho Familiares do professor...


    Gilson Ramalho Rangel sumiu nessa segunda (14), após sair de casa por volta das 21h. NIPD investiga o caso. Gilson Ramalho Rangel atua como coordenador pedagógico na Escola Coema Souto Maior Arquivo pessoal/Ianne Ramalho Familiares do professor Gilson Ramalho Rangel, de 52 anos, pedem ajuda para encontrá-lo. O docente está desaparecido há quatro dias, após ele deixar a casa onde mora, na zona Oeste de Boa Vista, no próprio carro. De acordo com filha do professor, Ianne Ramalho, de 20 anos, na última segunda-feira (14), ela o pai estavam sozinhos em casa, pois a mãe e a irmã tinham viajado, quando ele informou que iria sair por volta das 21h, mas não disse para onde iria. "Ele nunca saiu assim por muito tempo e então eu comecei a achar estranho umas 11h30. Mandei mensagem para minha irmã informando que ele estava demorando e também mandei para ele, mas ela só foi recebida às 2h da madrugada [mas não obtive resposta]", disse. Rangel é professor de história da rede estadual de ensino e atualmente atuava como coordenador em uma escola na zona Oeste da cidade. No dia seguinte, a filha disse que ligou para amigos e familiares na tentativa de encontrar o pai. Ela também procurou por ele no no Hospital Geral de Roraima, Instituto Médico Legal, porém sem êxito. Em seguida foi até a delegacia e registrou um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento. Ianne contou ainda que há dois meses o pai apresentou alguns desmaios. Um deles em uma via pública, na avenida Ataíde Teive, e outro na própria residência. Na época ele chegou a fazer alguns exames, mas a família não soube informar o diagnóstico. O caso é investigado pelo Núcleo de Investigação de Pessoas Desaparecidas (NIPD) da Polícia Civil. A Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, também auxiliam na investigação. Caso alguma pessoa tenha informações que ajudem a encontrar Gilson Rangel, basta entrar em contato pelo telefone 181.

    Companhia Energética de Roraima demite cerca de 130 funcionários: 'injustiça', diz Sindicato


    Cerr informou que demissões ocorreram após decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região. Cerr inicia processo de demissão de trabalhadores em Roraima Cerca de 130 funcionários da Companhia Energética de Roraima (CERR) foram demitidos,...

    Cerr informou que demissões ocorreram após decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região. Cerr inicia processo de demissão de trabalhadores em Roraima Cerca de 130 funcionários da Companhia Energética de Roraima (CERR) foram demitidos, informou nesta sexta-feira (18) o Sindicato dos Urbanitários de Roraima (STIU-RR), que representa os servidores. A demissão em massa foi classificada pelo STIU-RR como uma "injustiça", tendo em vista que, segundo ele, foram retirados do quadro de funcionários pessoas que estavam na empresa há mais de duas décadas. “É uma decisão unilateral, o sindicato não foi convocado e os trabalhadores e trabalhadoras com mais de 30 anos de empresa estão sendo demitidos de forma injusta e indigna”, afirmou em entrevista à Rede Amazônica, Ricardo Benedetti, representante do STIU-RR. Em nota, a Cerr informou que os prestadores de serviços desligados pela empresa possuíam contratação considerada irregular pela Justiça do Trabalho. "Na decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, todas as contratações sem concurso público na Administração Indireta após a promulgação da Constituição de 1988 são nulas", pontuou a Companhia. Na decisão, conforme a Cerr, consta ainda que os trabalhadores têm direito apenas ao recebimento do saldo de salário e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, valores que estão regularmente depositados. Além disso, a Cerr disse o ajuste no quadro de pessoal também ocorreu em virtude da situação de calamidade financeira que o estado enfrenta.
    Polícia Civil de Roraima cancela contrato milionário e devolve 44 carros alugados

    Polícia Civil de Roraima cancela contrato milionário e devolve 44 carros alugados


    Rescisão de contrato de R$ 2,7 milhões por ano à empresa visa a contenção de gastos. Delegado geral disse que frota será reorganizada para que a população seja atendida sem prejuízos Polícia Civil/Divulgação Polícia Civil informou nesta...


    Rescisão de contrato de R$ 2,7 milhões por ano à empresa visa a contenção de gastos. Delegado geral disse que frota será reorganizada para que a população seja atendida sem prejuízos Polícia Civil/Divulgação Polícia Civil informou nesta sexta-feira (18) que devolveu 44 viaturas alugadas e rescindiu o contrato com a empresa responsável pelos veículos. A medida visa a contenção de gastos diante da calamidade financeira enfrentada por Roraima. O contrato, assinado em 2018, previa o repasse de R$ 2,7 milhões por ano à empresa contratada. A rescisão foi integral. Segundo o delegado Geral, Herbert de Amorim Cardoso, com a devolução dos veículos alugados, a administração vai reorganizar a frota para que o impacto no atendimento a população seja o menor possível. “A reorganização da frota permitirá que o eventual prejuízo à população seja absorvido pelos demais veículos que permanecerão. A empresa foi notificada no dia 11 de janeiro, mas até o momento não providenciou a retirada dos veículos do pátio da Polícia Civil”, explicou Cardoso. Além da redução das despesas, o delegado geral destacou que a empresa estava descumprindo as cláusulas contratuais na prestação do serviço. A apuração dessas inconsistências será realizada por meio de processo administrativo. Como a empresa não atendeu à notificação para a retirada imediata dos veículos, Polícia Civil disse que reiterou o pedido e, caso não ocorra a retirada até a próxima segunda (21), outras medidas administrativas serão adotadas pela instituição. “Os veículos já foram recolhidos e encontram-se a disposição da empresa no pátio da Polícia Civil”, afirmou o delegado. Diante da crise econômica, o governador Antonio Denarium (PSL) decretou calamidade financeira no estado. A medida foi assinada quando ele ainda era interventor federal. Dívidas do estado, atrasos salariais, risco de colapso de serviços essenciais como Saúde, Educação e Segurança e os impactos da migração venezuelana foram alguns dos motivos citados no decreto de calamidade publicado no Diário Oficial.
    VÍDEOS: JRR 1 de sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 1 de sexta-feira, 18 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª...


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição.
    Inscrições para cursos de licenciatura a distância da UFRR se enceram nesta sexta (18)

    Inscrições para cursos de licenciatura a distância da UFRR se enceram nesta sexta (18)


    São ofertadas 660 vagas distribuídas nos cursos de Geografia, Informática e Matemática. Inscrições podem ser feitas até 23h59. Provas estão previstas para ocorrer no dia 3 de fevereiro Victor Mattioni/Arquivo pessoal Terminam nesta sexta-feira...


    São ofertadas 660 vagas distribuídas nos cursos de Geografia, Informática e Matemática. Inscrições podem ser feitas até 23h59. Provas estão previstas para ocorrer no dia 3 de fevereiro Victor Mattioni/Arquivo pessoal Terminam nesta sexta-feira (18) as inscrições para processo seletivo aos interessados em concorrer a uma das vagas ofertadas pelos cursos de licenciatura em geografia, informática e matemática da Universidade Federal de Roraima (UFRR), na modalidade à distância. CONFIRA O EDITAL As inscrições podem ser feitas pela internet no site da UFRR até as 23h59. A taxa de inscrição é de R$ 60. Ao todo são disponibilizadas 660 vagas e além de Boa Vista as oportunidades são para outros onze municípios do estado. O processo seletivo será realizado por meio da aplicação de uma prova objetiva, prevista para ocorrer no dia 3 de fevereiro, das 9h às 12, no polo escolhido pelo candidato. O caderno de prova será composto por 30 questões, divididas entre as disciplinas de conhecimentos gerais, língua portuguesa e matemática. O resultado final será divulgado no dia 11 do mesmo mês e as aulas iniciam no dia 1º de março. O certame é resultado do trabalho conjunto entre Núcleo de Educação à Distância da UFRR, Universidade Aberta do Brasil (UAB) e Universidade Virtual de Roraima (UNIVIRR). Distribuição de vagas por município
    Quatro suspeitos de tráfico de drogas são detidos em boca de fumo, em Boa Vista

    Quatro suspeitos de tráfico de drogas são detidos em boca de fumo, em Boa Vista


    Suspeitos têm entre 15 e 20 anos. Caso ocorreu nesta sexta (18), no Jardim Primavera. Materiais apreendidos foram levados para a delegacia Divulgação/PM Um jovem de 20 anos e três adolescentes, sendo um 17 e outro dois de 15, suspeitos de tráfico...


    Suspeitos têm entre 15 e 20 anos. Caso ocorreu nesta sexta (18), no Jardim Primavera. Materiais apreendidos foram levados para a delegacia Divulgação/PM Um jovem de 20 anos e três adolescentes, sendo um 17 e outro dois de 15, suspeitos de tráfico de drogas, foram detidos na manhã desta sexta-feira (18) no bairro Jardim Primavera, zona Oeste de Boa Vista. No local funcionava uma boca de fumo, segundo a Polícia Militar. Com eles foram aprendidos entorpecentes, balança de precisão e outros materiais. Segundo a PM, eles foram detidos durante ação de rotina dos agentes que faziam o policiamento pelo bairro, quando os suspeitos de 20 e 17 anos foram vistos em uma motocicleta em atitude suspeita, e logo depois entraram em uma residência. Na ocasião, um deles jogou um invólucro e correu para dentro da casa. Ao abordar os rapazes, os outros dois adolescentes, que também estavam na boca de fumo, tentaram fugir pulando muro, mas foram contidos pelos PMs. Com os suspeitos foram achadas drogas aparentando ser maconha e crack. No imóvel também foram encontrados outras entorpecentes que estavam escondidas debaixo do guarda-roupas. Após a apreensão dos suspeitos, eles foram levados à Delegacia de Defesa da Infância e Juventude (DDIJ) para a realização dos procedimentos cabíveis. A PM disse ainda que todos envolvidos já têm passagem polícia por tráfico de drogas.
    Esposa ameaça marido com faca ao encontrar mensagens de amante em celular RR

    Esposa ameaça marido com faca ao encontrar mensagens de amante em celular RR


    Pedreiro disse à polícia que não mantém relacionamento extraconjugal e que esposa não tinha motivos para ameaçá-lo de morte. Esposo relatou a ameaça de morte no 5º Distrito Policial Rede Amazônica Roraima/ Reprodução Um pedreiro de 33 anos...


    Pedreiro disse à polícia que não mantém relacionamento extraconjugal e que esposa não tinha motivos para ameaçá-lo de morte. Esposo relatou a ameaça de morte no 5º Distrito Policial Rede Amazônica Roraima/ Reprodução Um pedreiro de 33 anos procurou a Polícia Civil na noite dessa quinta-feira (18) para denunciar a própria esposa, de 31, por tê-lo ameaçado de morte dentro da casa onde moram, no bairro São Bento, zona Oeste de Boa Vista. Conforme disse aos policiais, a mulher se enfureceu ao acessar o celular da vítima e encontrar supostas mensagens de uma amante, momento em que colocou uma faca em seu pescoço dizendo que iria matá-lo. Ele negou qualquer envolvimento com outra mulher. De acordo com o esposo, a mulher, que é dona de casa, ficou com raiva e ciúmes ao olhar supostas mensagens no celular. Em seguida, ela teria jogado o aparelho contra a parede, que ficou destruído. O pedreiro afirmou à polícia que não mantém relacionamento extraconjugal e que a esposa não tinha motivos para ameaçá-lo com uma faca no pescoço. O marido registrou o caso no 5º Distrito Policial onde foi imputado como ameaça. Apesar da ameaça, o casal não se separou após a confusão.
    Mulher morre após acidente de moto e filha acusa hospital de negligência médica, em Boa Vista:

    Mulher morre após acidente de moto e filha acusa hospital de negligência médica, em Boa Vista: "É um matadouro", diz


    Motorista que atropelou comerciante e fugiu estaria sob efeito de álcool, afirmam testemunhas. Comerciante estava consciente quando chegou ao hospital Arquivo pessoal A comerciante Másia Maria de Lima, de 55 anos, morreu nesta quinta (17) após uma...


    Motorista que atropelou comerciante e fugiu estaria sob efeito de álcool, afirmam testemunhas. Comerciante estava consciente quando chegou ao hospital Arquivo pessoal A comerciante Másia Maria de Lima, de 55 anos, morreu nesta quinta (17) após uma picape bater na motocicleta que ela conduzia na avenida S-24 no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste de Boa Vista. O motorista fugiu do local. A filha da vítima, de 29 anos, afirma que a mãe morreu por negligência médica no Hospital Geral de Roraima (HGR). O condutor do veículo teria avançado a preferencial e bateu na moto conduzida por Máisa. Segundo a filha, enquanto era socorrida e levada ao Pronto Socorro do HGR, a comerciante estava consciente. “A todo momento ela ficou acordada até chegar à unidade hospitalar. O Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] foi quem a levou [Pronto Socorro]. Dentro do hospital que fizeram isso com ela [negligência]. O estado tem culpa [na morte]”, afirma a jovem. Para ela, não houve atendimento adequado para a mãe, que teve múltiplas fraturas no corpo. “Se sabiam que não tinham material cirúrgico, por que eles [médicos] não procuraram a família para informar, ou levá-la para amputar a perna dela? Minha mãe morreu por negligência médica. Aquilo não é um hospital. É um matadouro”, declara, citando que há pouco tempo havia perdido o pai. “Agora foi minha mãe”, chora. Procurada, a Secretaria de Saúde de Roraima informou que lamenta o ocorrido e se solidariza à família. Justificou também que a direção do HGR e a Sesau não interferem na relação médico-paciente, e toda denúncia em relação a atendimento deve ser documentada na Ouvidoria do SUS para apuração, só então uma investigação é iniciada. (Confira a nota na íntegra abaixo) A mãe, de acordo com a filha, estava indo visitá-la quando foi atingida pelo veículo. "Moro no Nova Cidade [zona Oeste da cidade]. Ela ia me ver. Lamentável o que aconteceu com ela", diz. O motorista que atropelou a comerciante estaria bêbado, segundo relataram testemunhas. Ele abandonou a picape, que teve o parachoque dianteiro arrancado com o acidente. O suspeito ainda não foi localizado. Nota Secretaria Estadual de Saúde A Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) lamenta o ocorrido e se solidariza com a perda da família, no entanto, ressalta que nem a direção do HGR (Hospital Geral de Roraima), nem a própria Secretaria, interferem na relação médico-paciente. Portanto, qualquer cidadão que se sentir prejudicado em seu atendimento deve formalizar uma denúncia, neste caso, na Ouvidoria do SUS, para que haja a devida apuração. Ao receber a reclamação, a Sesau realiza uma investigação minuciosa do fato e se for comprovada qualquer negligência, os envolvidos são devidamente punidos. Informa ainda que, quando a denúncia é formalizada, o caso é avaliado pela Comissão de Ética da unidade e encaminhado ao Conselho Regional de Medicina, instituição com propriedade para apurar se houve ou não inconformidade na conduta médica, garantindo a ampla defesa dos investigados. A Ouvidoria do SUS pode ser acionada por telefone (95-2121-0590 ou 136/nacional), por e-mail (ouvidoriasus.rr@gmail.com) e ainda pessoalmente ou por carta endereçada à rua Madri, 180, Aeroporto, Boa Vista-RR, CEP 69.310.043. O órgão é responsável por apurar as demandas e dar um retorno à população, processo que é monitorado pelo Ministério da Saúde. Esclarece por fim que está atuando para reverter a crise de abastecimento das Unidades de Saúde que a atual gestão encontrou. O estoque de medicamentos e materiais médico-hospitalares está sendo regularizado paulatinamente, com licitações em andamento e recebimento de itens já licitados e adquiridos pela Secretaria.
    Ministros visitam abrigos e posto de triagem para imigrantes em Pacaraima, Norte de RR

    Ministros visitam abrigos e posto de triagem para imigrantes em Pacaraima, Norte de RR


    Cinco ministros vieram para Roraima conhecer as ações desenvolvidas pela Operação Acolhida no suporte a imigrantes venezuelanos. Ministros e governador Antonio Denarium durante visita a posto de triagem em Boa Vista Jackson Félix/G1 RR A visita...


    Cinco ministros vieram para Roraima conhecer as ações desenvolvidas pela Operação Acolhida no suporte a imigrantes venezuelanos. Ministros e governador Antonio Denarium durante visita a posto de triagem em Boa Vista Jackson Félix/G1 RR A visita interministerial chegou por volta das 9h desta sexta-feira (18) a Pacaraima, cidade ao Norte de Roraima. No estado, os ministros pretendem conhecer as ações desenvolvidas pela Operação Acolhida, do Exército. No dia anterior, eles estiveram em Boa Vista, onde visitaram abrigos e se reuniram com o governador Antonio Denarium (PSL). Durante duas horas, os ministros Fernando Azevedo (Defesa), Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) e Osmar Terra (Cidadania) estiveram em Pacaraima, onde visitaram o posto de triagem, na fronteira com a Venezuela, e abrigos para imigrantes. No posto, os refugiados recebem documentação, atendimento médico básico e são orientados a serem vacinados contra doenças como o sarampo. Com a documentação em mãos e a saúde em dia, os imigrantes recebem autorização para entrarem no Brasil. Nós temos informações de que o sistema de saúde na Venezuela entrou em colapso, Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde Henrique Mandeta antecipou que um reforço vacinal deve ser realizado em Roraima, mas não disse quando terá início. Para o ministro, a preocupação na fronteira é com o surto de doenças registradas no país vizinho. "Não sabemos quais doenças infecciosas estão vindo, mas nós temos informações de que estão vindo muitos casos de difteria. A difteria é uma doença com uma letalidade muito grande, que nós não temos no Brasil, e nós estamos aumentando o bloqueio já aqui, fazendo cidade por cidade, e alertando os pais, alertando as pessoas para que coloquem suas carteiras de vacinação em dia", concluiu o ministro da Saúde. Fernando Azevedo, ministro da Defesa, voltou a afirmar que o apoio aos imigrantes venezuelanos em Roraima continuam até março de 2020, mas os recursos destinados a Operação Acolhida ainda não foram definidos. "As planilhas estão sendo feitas. Tem um grupo de trabalho interministerial coordenado pela Casa Civil, que já foi feito a primeira vez, vamos ver o prazo do recurso é um ano, termina 31 de de março. Então nós precisamos fazer isso aí e isso vai ser bem rápido", diz Azevedo. Após dois dias em Roraima, a primeira visita interministerial do governo de Jair Bolsonaro deixou o estado por volta de 11h em um voo de Pacaraima com destino a Brasília. Ministros em Roraima A comitiva chegou na quinta (17) a Boa Vista, onde conheceu as estruturas da Operação Acolhida e se reuniu com o governador do estado, Antonio Denarium (PSL), no Palácio Senador Hélio Campos. Ministros e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), durante coletiva nesta quinta (17) Jackson Félix/G1 RR Durante coletiva, Fernando Azevedo disse que a Operação Acolhida, que cuida dos postos de atendimento e dos 13 abrigos para refugiados venezuelanos em Roraima, será mantida até março de 2020. Apesar de afirmar a permanência da ação, os recursos necessários ainda não foram definidos. “Nós temos o recurso do início que termina no dia 31 de março. O prosseguimento está sendo feito. O comitê em Brasília coordenado pela Casa Civil vai verificar a disponibilidade [financeira]", justificou Azevedo. Enquanto ocorria a visita, cerca de 100 manifestantes protestavam contra o atraso no pagamento do estado a empresas terceirizadas, além de defenderem o direito dos trabalhadores, povos indígenas e a terceirização. A crise financeira e na segurança pública em Roraima motivou uma intervenção federal, no final do governo de Michel Temer. Venezuelanos em Roraima Desde 2015, Roraima recebe um crescente número de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira do estado, em Pacaraima. Eles fogem da fome, do desemprego e da falta de serviços de saúde no país governado por Nicolás Maduro. O fluxo diário de entrada de venezuelanos está na cidade de fronteira é de 500 a 600 pessoas, conforme a Operação Acolhida. Segundo os números compilados até 3 de dezembro de 2018, 199.365 venezuelanos entraram pela fronteira de Pacaraima, sendo que 100.928 deixaram o Brasil. Outros 98.437 não registraram saída do país. Entre os 66.024 que deixaram o País por via terrestre, 64% cruzaram de volta a fronteira de Pacaraima com a cidade venezuelana de Santa Elena de Uiarén, 18% saíram por Foz do Iguaçu, 5% por Guajará-Mirim e 5% por Uruguaiana. Outras fronteiras representam somadas 8%. Os aeroportos internacionais registraram a saída de 32.413 venezuelanos, sendo 58% pelo aeroporto de Guarulhos, 14% via Manaus, 12% pelo aeroporto de Brasília e 12% pelo Galeão. Dos que ficam no País, apenas 10% (entre 15 e 20 por dia, em média) são considerados desassistidos, ou seja, precisam de ajuda do governo com oferta de abrigo e interiorização. Entre 2015 e novembro de 2018, 96.094 venezuelanos procuraram a PF para solicitar regularização migratória. Desses, 62.128 pediram refúgio e 24.966, residência. Atualmente, a Acolhida administra 13 abrigos e há cerca de 6,6 mil venezuelanos imigrantes abrigados no estado. Os locais são geridos em parceria com a ONU e ONGs. Initial plugin text
    Casal é preso por suspeita de tráfico de drogas em praça pública na zona Oeste de Boa Vista

    Casal é preso por suspeita de tráfico de drogas em praça pública na zona Oeste de Boa Vista


    Policiais do Giro apreenderam maconha e pasta base de cocaína com a dupla. Drogas e dinheiro estavam com namorado Divulgação/Giro Um casal foi preso na noite dessa quinta-feira (17) no bairro Asa Branca, na zona Oeste de Boa Vista, por suspeita de...


    Policiais do Giro apreenderam maconha e pasta base de cocaína com a dupla. Drogas e dinheiro estavam com namorado Divulgação/Giro Um casal foi preso na noite dessa quinta-feira (17) no bairro Asa Branca, na zona Oeste de Boa Vista, por suspeita de tráfico de drogas. Com o jovem, os policiais encontraram papelotes de pasta base de cocaína e dinheiro. A namorada dele portava um dichavador (triturador) e uma porção de maconha. Os policiais do Grupamento Independente de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro) faziam ronda na região quando perceberam a dupla em atitude suspeita, estacionada ao lado de uma praça. Outros casos de venda e consumo de entorpecentes já foram registrados no local, segundo a Polícia Militar. Ao abordarem os dois, foi feita uma revista, e com o rapaz foram recolhidos R$ 230 em notas trocadas, caracterizando o tráfico, de acordo com a polícia. No bolso dele haviam duas trouxinhas de pasta base de cocaína, além de joias como aneis e um cordão. Com a jovem foi encontrada uma porção de entorpecente. “Eles estavam traficando mesmo”, afirmou um policial. Os dois foram levados à Central de Flagrantes, no 5º Distrito Policial, onde foram autuados em flagrantes, e conduzidos para audiência de custódia.
    Ação de acolhida a venezuelanos em RR será mantida por mais 12 meses, diz ministro da Defesa

    Ação de acolhida a venezuelanos em RR será mantida por mais 12 meses, diz ministro da Defesa


    General Fernando Azevedo e Silva, no entanto, afirma que estudo ainda levanta quanto de recurso será destinado à ação. Comitiva de ministros visita Roraima nesta quinta (17) e sexta (18). Ministros e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL)...


    General Fernando Azevedo e Silva, no entanto, afirma que estudo ainda levanta quanto de recurso será destinado à ação. Comitiva de ministros visita Roraima nesta quinta (17) e sexta (18). Ministros e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL) concderam coleteiva de impresa ao final da visita aos abrigos Jackson Félix/G1 RR O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, disse nesta quinta-feira (17) em Boa Vista que a operação Acolhida, que cuida de postos de atendimento e de 13 abrigos para refugiados venezuelanos em Roraima, será mantida até março de 2020. Segundo ele, no entanto, o recurso que será destinado à ação ainda está sendo levantado. A operação Acolhida foi criada pelo ex-presidente Temer em fevereiro de 2018 frente à crescente migração venezuelana para o estado. O recurso inicial foi de R$ 190 milhões que custeia a ação até 31 de março deste ano. “A operação vai ser mantida por mais 12 meses. Nós temos o recurso do início que termina no dia 31 de março. O prosseguimento está sendo feito. O comitê em Brasília coordenado pela Casa Civil vai verificar a disponibilidade [financeira]", disse o general. Ministros e governador Denarium visitam posto de triagem de venezuelanos em Boa Vista Jackson Félix/G1 RR O anúncio foi feito em coletiva de imprensa no Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo do estado. Estavam presentes o governador do estado Antonio Denarium (PSL), além dos ministros Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), Osmar Terra (Cidadania), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde). O general também descartou a possibilidade de fechamento da fronteira ou imposição de medidas restritivas à entrada de venezuelanos. O governo do estado é a favor da exigência de antecedentes criminais para ingresso de imigrantes no estado. "Não seria humanitário [fechar a fronteira] e a população venezuelana não merece isso", declarou o ministro, reiterando que o governo brasileiro não reconhece a legitimidade do novo mandato de Nicolás Maduro. “A gente não tem certeza da situação da Venezuela, mas fechamento da fronteira agora é impossível. Não vamos virar as costas para eles". Segundo o governador Denarium, "dependendo da quantidade de imigrantes podem ser feitos novos abrigos ou haver a redução deles". “A fronteira permanecerá aberta e nós continuaremos atendendo os venezuelanos. [...] Assim que resolver o fluxo de entrada os abrigos será reduzidos e consequentemente fechados". Visita de ministros A comitiva de ministros chegou a Boa Vista por volta das 11h. Depois, visitou estruturas da operação Acolhida e seguiu para reunião no Palácio Senador Hélio Campos. Manifestantes fizeram protesto em frente ao Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo do estado, em Boa Vista Valéria Oliveira/G1 RR Do lado de fora do palácio, cerca de 100 manifestantes protestavam desde às 17h. O ato, segundo os sindicatos que o organizaram, foi em defesa dos direitos dos trabalhadores e povos indígenas e contra a terceirização. Parte dos manifestantes cobrava também que o governo pague as firmas terceirizadas que estão há meses sem receber. No final do ano passado, o estado sofreu intervenção federal frente à crise financeira - com atraso de salários, fornecedores e terceirizadas - e paralisação de policiais. Venezuelanos em Roraima Desde 2015, Roraima recebe um grande e crescente número de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira do estado. Eles fogem da fome, do desemprego e da falta de serviços de saúde no país governado por Nicolás Maduro. Em Pacaraima, o fluxo diário de entrada de venezuelanos está entre 500 a 600 pessoas, conforme número divulgado no início deste mês pela Acolhida. Entre 2015 e novembro de 2018, 96.094 venezuelanos procuraram a PF para solicitar regularização migratória. Desses, 62.128 pediram refúgio e 24.966, residência. Segundo os números compilados até 3 de dezembro de 2018, 199.365 venezuelanos entraram pela fronteira de Pacaraima, sendo que 100.928 deixaram o Brasil. Outros 98.437 não registraram saída do país. Entre os 66.024 que deixaram o País por via terrestre, 64% cruzaram de volta a fronteira de Pacaraima com a cidade venezuelana de Santa Elena de Uiarén, 18% saíram por Foz do Iguaçu, 5% por Guajará-Mirim e 5% por Uruguaiana. Outras fronteiras representam somadas 8%. Os aeroportos internacionais registraram a saída de 32.413 venezuelanos, sendo 58% pelo aeroporto de Guarulhos, 14% via Manaus, 12% pelo aeroporto de Brasília e 12% pelo Galeão. Dos que ficam no País, apenas 10% (entre 15 e 20 por dia, em média) são considerados desassistidos, ou seja, precisam de ajuda do governo com oferta de abrigo e interiorização. Atualmente, a Acolhida cuida de 13 abrigos e há cerca de 6,6 mil venezuelanos imigrantes abrigados no estado. Os locais são geridos em parceria com a ONU e ONGs. Initial plugin text
    VÍDEOS: JRR 2 de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 2 de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª...


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição.
    Imigrantes venezuelanos são levados de RR para BA, RN, RO e PB em novo processo de interiorização

    Imigrantes venezuelanos são levados de RR para BA, RN, RO e PB em novo processo de interiorização


    Ao todo, 90 venezuelanos foram interiorizados nesta quinta-feira (17). Imigrantes embarcaram no Aeroporto Internacional de Boa Vista Rede Amazônica Roraima Nesta quinta-feira (17), mais 90 imigrantes venezuelanos participaram voluntariamente do...


    Ao todo, 90 venezuelanos foram interiorizados nesta quinta-feira (17). Imigrantes embarcaram no Aeroporto Internacional de Boa Vista Rede Amazônica Roraima Nesta quinta-feira (17), mais 90 imigrantes venezuelanos participaram voluntariamente do processo de interiorização do Governo Federal em Roraima. Eles seguiram em dois voos da Força Aérea Brasileira (FAB) com destino a Rondônia, Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte. Os aviões da FAB deixaram o Aeroporto Internacional de Boa Vista por volta das 8h. Na quarta (16), outros 51 estrangeiros já haviam sido interiorizados. Na ocasião, todos foram para Porto Velho. Nos voos desta quinta, parte dos venezuelanos seguiram novamente para Porto Velho, além dos municípios de Conde, na Paraíba, que recebeu sete pessoas, Caicó, no Rio Grande do Norte, outras sete, e Lauro de Freitas, na Bahia, que acolheu 28 estrangeiros. Na capital de Rondônia foram recebidos 48 imigrantes. Com estes, sobe para 4.343 o número de venezuelanos que participaram do processo de interiorização desde abril de 2018. O programa, desenvolvido pela Operação Acolhida, do Exército Brasileiro, encaminha imigrantes em busca de novas oportunidades de trabalho para outros estados do Brasil. Todos os imigrantes que participam do programa são voluntários e estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica, são dependentes de ajuda do governo e vivem em um dos abrigos de Roraima, afirma a Casa Civil. Eles têm ainda documentação como CPF e carteira de trabalho, são vacinados e fazem exames médicos, garante a entidade. Initial plugin text
    Militar é baleado dentro da Base Aérea de Boa Vista

    Militar é baleado dentro da Base Aérea de Boa Vista


    Segundo familiar, soldado foi baleado sem querer por colega de trabalho. FAB informou que abriu processo administrativo foi instaurado para apurar as circunstâncias do fato. Soldado Solimar Medeiros, de 21 anos, levou tiro no abdômen Arquivo...


    Segundo familiar, soldado foi baleado sem querer por colega de trabalho. FAB informou que abriu processo administrativo foi instaurado para apurar as circunstâncias do fato. Soldado Solimar Medeiros, de 21 anos, levou tiro no abdômen Arquivo pessoal O soldado Solimar Medeiros, de 21 anos, foi baleado no abdômen enquanto trabalhava dentro da Base Aérea de Boa Vista, a Ala 7, na manhã desta quinta-feira (17). Em nota, a Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou que o militar faz parte do efetivo da Ala 7 e que "um processo administrativo foi aberto para apurar as circunstâncias do fato". (Veja nota na íntegra abaixo) Um familiar do soldado afirmou que ele teria sido baleado acidentalmente por um colega durante uma brincadeira por volta das 12h. O tiro atingiu seu fígado e o militar foi levado ao Pronto Socorro Francisco Elesbão. Até as 16h ele ainda estava na UTI da unidade. "O que sabemos é que um amigo atirou sem querer. A bala perfurou o fígado, mas ele está bem", afirmou a familiar que pediu anonimato. Nota da FAB A Força Aérea Brasileira (FAB) confirma que o militar faz parte do efetivo da Ala 7, em Boa Vista (RR). O militar recebe cuidados médicos no Hospital Geral de Roraima. Um processo administrativo foi aberto para apurar as circunstâncias do fato. O Comando da Aeronáutica está prestando todo apoio ao militar e a sua família.
    Mais Médicos: profissionais do DF contam como é trabalho em aldeia indígena em Roraima

    Mais Médicos: profissionais do DF contam como é trabalho em aldeia indígena em Roraima


    Recém-formados, eles são primeiros brasileiros a trabalhar na comunidade Yanomami/Ye’Kuana. 'A realidade é completamente diferente de tudo que já conhecemos'. Médica recém-formada no DF trabalha pelo programa Mais Médicos em uma aldeia...


    Recém-formados, eles são primeiros brasileiros a trabalhar na comunidade Yanomami/Ye’Kuana. 'A realidade é completamente diferente de tudo que já conhecemos'. Médica recém-formada no DF trabalha pelo programa Mais Médicos em uma aldeia indígena Yanomami Arquivo pessoal Médicos recém-formados no Distrito Federal são os primeiros brasileiros a atender uma comunidade indígena a mais de 2 mil quilômetros de Brasília. Eles se inscreveram no Mais Médicos e optaram por trabalhar no Distrito Sanitário Especial Indigena (DSEI) Yanomami/Ye’Kuana, em Roraima. Quatro deles estudaram na Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), ligada à Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Ananda Conde, de 31 anos, foi a primeira a desembarcar nas terras Yanomami. “A realidade do distrito indígena é completamente diferente de tudo que já conhecemos no DF. Precisamos ter manejo com a cultura e com as doenças que mais os afligem essa região." Ananda vai atuar em uma região próxima ao Pico da Neblina, o lugar mais alto do Brasil. Segundo ela, não foi fácil chegar ao local de trabalho. Aldeia Yanomami/Ye’Kuana, em Roraima Arquivo pessoal "Usamos um avião pequeno, que pousa numa pequena pista construída pelo exército", explicou. A segunda opção, diz a médica, seria pegar um barco em São Gabriel da Cachoeira (AM), na região do alto Rio Negro e ir até a BR 307. Na estrada, em um trecho sem asfalto, percorrer mais 85 km e, depois, outros 235 quilômetros de barco. Vencida a distância, Ananda agora passa 15 dias nas aldeias e 15 dias na cidade. A equipe dela é formada por técnicos de enfermagem e um enfermeiro. Sarampo, desnutrição e tuberculose Em 40 dias, Ananda já fez mais de 250 atendimentos. De consultas de urgência às visitas domiciliares, o trabalho envolveu partos, picada de cobra, feridas abertas e fraturas ósseas. Mas o que chamou a atenção, diz ela, foi o grande número de indígenas com sarampo, desnutrição infantil grave e tuberculose. Também há casos de malária, alcoolismo, pneumonia e oncocercose, também conhecida como “cegueira dos rios”. A médica afirma que, mesmo com as dificuldades, está motivada pelo desafio. Durante o curso, a atenção básica de saúde foi parte importante do currículo. “Na minha turma também, fomos motivados um pelo outro a enfrentar o desafio.” Outros profissionais Médico do Distrito Federal com crianças de aldeia Yanomami, em Roraima Arquivo pessoal Bruno Bessa, de 30 anos, é outro médico recém-formado que saiu de Brasília para atender as comunidades indígenas da região norte do País. Ele chegou no dia 9 de janeiro em Boa Vista, Roraima. “Decidi vir porque a saúde indígena, infelizmente, está bem defasada, recebe pouca assistência e poucos médicos. Os recursos também são mínimos para uma população bastante carente." Bruno ainda não começou o trabalho nas aldeias porque vai passar, antes, por uma capacitação. Ele conta que o grupo é o primeiro de brasileiros que atuam como médicos de família e comunidade em uma população Yanomami. "Antes dos cubanos não havia assistência médica desse tipo, só através de campanhas, quando tinha um epidemia de tuberculose por exemplo”, afirma. "Quero conhecer essa realidade de perto e tentar fazer alguma diferença pra esses povos.” Ana Verônica de Sá Resende, de 27 anos, também está em Roraima. Ela chegou no dia 10 de janeiro e conta que no último ano da graduação decidiu que iria participar do Mais Médicos e se inscrever para trabalhar com comunidades indígenas. Yuri Zago Santana, que chegou no dia 11 de janeiro, disse que pretendia iniciar uma residência esse ano, mas mudou de ideia pouco antes da formatura. "Eu estava fazendo um juramento na conclusão do curso de medicina e o Brasil perdendo oito mil médicos. Eu tive uma formação humanista, então, acabei me inscrevendo para atuar na comunidade Yanomami, que perdeu essa assistência.” Para ele, a cultura indígena é bastante diferente do que conheceu ao longo da vida. “Aqui, temos barreiras linguísticas, porque poucos deles falam em língua portuguesa e essa é uma das maiores reservas indígenas do mundo. Minha expectativa é aplicar o que eu aprendi na faculdade, que é levar assistência básica de saúde, prevenir doenças e diagnosticá-las no início”. Médica formada no DF leva "kit parto" para atendimento em aldeia Yanomami, em Roraima Arquivo pessoal Além dos quatro médicos, outros dois, formados em Universidades do Distrito Federal irão trabalhar no Distrito Sanitário Especial Indigena Yanomami/Ye’Kuana, em Roraima. Veja mais notícias sobre a região no G1 DF. Initial plugin text
    VÍDEOS: JRR 1 de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 1 de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª...


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição.
    Jovem é flagrado em RR com quase uma tonelada de alho contrabandeado da Guiana em picape

    Jovem é flagrado em RR com quase uma tonelada de alho contrabandeado da Guiana em picape


    Ainda segundo os policiais, a picape estava com restrição de roubo e furto e tinha o chassi adulterado. Alho estava sendo levado dentro de picape Divulgação/Polícia Militar Um jovem de 27 anos foi preso nesta quinta-feira (17) por transportar...


    Ainda segundo os policiais, a picape estava com restrição de roubo e furto e tinha o chassi adulterado. Alho estava sendo levado dentro de picape Divulgação/Polícia Militar Um jovem de 27 anos foi preso nesta quinta-feira (17) por transportar quase uma tonelada de alho contrabandeado da Guiana. O suspeito foi interceptado no bairro São Vicente, zona Oeste de Boa Vista, quando carregava o produto em uma picape. O carro conduzido pelo envolvido estava irregular. Segundo policiais militares da Força Tática, foi feito uma denúncia anônima acerca do veículo, que trazia o alho do município de Bonfim, Norte de Roraima, fronteira com o país vizinho. Os policiais saíram em busca do carro, que foi localizado em seguida. Conforme os policiais, o veículo foi parado. Dentro estavam 870 quilos de alho da Guiana. Ainda segundo os policiais, a picape estava com restrição de roubo e furto e tinha o chassi adulterado. O motorista foi levado à Polícia Federal onde poderá ser autuado em flagrante.
    Comitiva de ministros visita RR para acompanhar situação de refugiados venezuelanos

    Comitiva de ministros visita RR para acompanhar situação de refugiados venezuelanos


    Grupo de cinco ministros visita e estruturas montadas para receber venezuelanos na capital e na fronteira e se reune com o governador. Ministros deixam a base aérea de Boa Vista para agenda na capital e interior Divulgação/Secom Uma comitiva com...


    Grupo de cinco ministros visita e estruturas montadas para receber venezuelanos na capital e na fronteira e se reune com o governador. Ministros deixam a base aérea de Boa Vista para agenda na capital e interior Divulgação/Secom Uma comitiva com cinco ministros chegou nesta quinta-feira (17) a Boa Vista (RR) para avaliar a situação dos refugiados venezuelanos que vivem no estado. Na agenda, está prevista uma reunião com o governador Antonio Denarium (PSL), além de visita às estruturas de acolhimento aos venezuelanos em Boa Vista e Pacaraima, na fronteira. Os ministros Fernando Azevedo (Defesa), Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), Osmar Terra (Cidadania) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) desembarcaram por volta das 11h (horário local) na Base Aérea. Na capital, eles encontram o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde). A ministra Damares Alves (Mulher e Direitos Humanos) estaria no grupo, mas cancelou a viagem. Segundo a assessoria, ela não viajou por cumprimento de agendas em Brasília. Ministros e governador Denarium visitam posto de triagem de venezuelanos em Boa Vista Jackson Félix/G1 RR No início da tarde, a comitiva foi ao Posto de Triagem instalado próximo à Rodoviária Internacional, bairro 13 de setembro, zona Sul da cidade. O governador acompanhou os ministros. Em seguida, o grupo seguiu para a Rodoviária Internacional de Boa Vista onde outra estrutura foi instalada para receber os venezuelanos recém-chegados. Eles ainda devem visitar os abrigos Rondon 2 e 3, dois dos 13 destinados aos refugiados. No fim do dia, os ministros, representantes dos Poderes Legislativo, Judiciário, prefeitos, e outras autoridades se reúnem com o governador no Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo, para discutir sobre a migração. Na reunião eles devem tratar ainda sobre a construção do Linhão de Tucuruí, que pode por fim na dependendência de Roraima da energia venezuelana, e a crise na segurança do estado – os presídios estão sob intervenção federal e a Força Nacional atua nas ruas. Na sexta (18), a comitiva segue viagem para Pacaraima, a 215 KM de Boa Vista na fronteira com a Venezuela. A chegada ao município está prevista para às 9h e o retorno à capital às 12h. Desde 2015, Roraima recebe um grande e crescente número de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira do estado. Eles fogem da fome, do desemprego e da falta de serviços de saúde no país governado por Nicolás Maduro. Em Pacaraima, o fluxo diário de entrada de venezuelanos está entre 500 a 600 pessoas, conforme número divulgado no início deste mês pela Acolhida. Entre 2015 e novembro de 2018, 96.094 venezuelanos procuraram a PF para solicitar regularização migratória. Desses, 62.128 pediram refúgio e 24.966, residência. Segundo os números compilados até 3 de dezembro de 2018, 199.365 venezuelanos entraram pela fronteira de Pacaraima, sendo que 100.928 deixaram o Brasil. Outros 98.437 não registraram saída do país. Entre os 66.024 que deixaram o País por via terrestre, 64% cruzaram de volta a fronteira de Pacaraima com a cidade venezuelana de Santa Elena de Uiarén, 18% saíram por Foz do Iguaçu, 5% por Guajará-Mirim e 5% por Uruguaiana. Outras fronteiras representam somadas 8%. Os aeroportos internacionais registraram a saída de 32.413 venezuelanos, sendo 58% pelo aeroporto de Guarulhos, 14% via Manaus, 12% pelo aeroporto de Brasília e 12% pelo Galeão. Dos que ficam no País, apenas 10% (entre 15 e 20 por dia, em média) são considerados desassistidos, ou seja, precisam de ajuda do governo com oferta de abrigo e interiorização. Atualmente, a Acolhida cuida de 13 abrigos e há cerca de 6,6 mil venezuelanos imigrantes abrigados no estado. Os locais são geridos em parceria com a ONU e ONGs.

    Ladrões invadem casa em Boa Vista para furtar TV, roupas e perfumes


    Bandidos arrombaram porta e invadiram residência no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste da cidade. Uma casa no bairro Senador Hélio Campos, na zona Oeste de Boa Vista, foi arrombada e teve objetos furtados, denunciou o proprietário do imóvel à...

    Bandidos arrombaram porta e invadiram residência no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste da cidade. Uma casa no bairro Senador Hélio Campos, na zona Oeste de Boa Vista, foi arrombada e teve objetos furtados, denunciou o proprietário do imóvel à Polícia Civil nessa quarta-feira (16). Ninguém foi preso. De acordo com a vítima, que não estava em casa quando três suspeitos invadiram a residência, os ladrões quebraram a fechadura da porta de trás e entraram na casa. Do local, segundo o proprietário, foram furtados uma televisão, diversos perfumes importados, roupas e outros produtos. Ainda conforme a vítima, uma vizinha viu quando três suspeitos pularam o muro da casa com a televisão embrulhada em um lençol. O dono do imóvel revelou à polícia saber quem são os três ladrões que invadiram a residência e morariam no bairro onde ocorreu crime. A vítima soube do furto pelas filhas que ligaram para ele. O furto foi registrado no 5º Distrito Policial e deverá ser investigado pelo 3º DP, delegacia responsável pela região.
    UERR abre seletivo para professor horista

    UERR abre seletivo para professor horista


    Inscrições são online e começam na sexta-feira (18); veja edital. Universidade Estadual de Roraima Jackson Félix/G1 RR A Universidade Estadual de Roraima (UERR) abriu seletivo para contratação de professor horista. O edital foi publicado no...


    Inscrições são online e começam na sexta-feira (18); veja edital. Universidade Estadual de Roraima Jackson Félix/G1 RR A Universidade Estadual de Roraima (UERR) abriu seletivo para contratação de professor horista. O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado de quarta (16) (clique aqui para acessar). As inscrições são no site da UERR, começam na sexta (18) e vão até o dia 25. A taxa é de R$ 100. A seleção inclui prova didática e de títulos. Os valores da hora aula são: professor especialista (R$ 37,70), mestre (R$ 46,40) e doutor (R$ 60,32). As vagas são para Caracaraí, Boa Vista e Rorainópolis. O resultado final sai em 19 de fevereiro.
    VÍDEOS: BDA de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: BDA de quinta-feira, 17 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima. Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia -...


    Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima. Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima.
    VÍDEOS: JRR 2 de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 2 de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª...


    Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição. Assista aos vídeos exibidos no Jornal de Roraima - 2ª Edição.

    Mais 51 venezuelanos são levados de Roraima para Rondônia


    Processo de interiorização desta quarta-feira (16) foi o terceiro realizado em 2019. Mais de 50 venezuelanos são interiorizados nesta quarta (16) em Roraima Mais 51 imigrantes venezuelanos foram levados de Roraima para Rondônia nesta quarta-feira...

    Processo de interiorização desta quarta-feira (16) foi o terceiro realizado em 2019. Mais de 50 venezuelanos são interiorizados nesta quarta (16) em Roraima Mais 51 imigrantes venezuelanos foram levados de Roraima para Rondônia nesta quarta-feira (16). Esta foi a 24ª etapa do processo de interiorização do governo federal, iniciada em abril de 2018, e o terceiro voo realizado em 2019. O grupo de imigrantes deixou Boa Vista com destino a Porto Velho pela manhã. Eles foram em um voo da Força Aérea Brasileira. Com a interiorização desta quarta, chega a 4.253 o número de venezuelanos levados de Roraima a outros estados do país. De acordo com a Casa Civil, todos os imigrantes que participam da interiorização são aqueles em situação de vulnerabilidade socioeconômica, dependentes de ajuda do governo e vivem em um dos abrigos de Roraima. O Governo Federal afirma ainda que todos os interiorizados têm documentação como CPF e carteira de trabalho, são vacinados, fazem exames médicos e aceitam participar voluntariamente da viagem. Initial plugin text
    VÍDEOS: JRR 1 de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: JRR 1 de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª...


    Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição. Assista aos vídeos do Jornal de Roraima - 1ª Edição.
    UERR divulga gabarito oficial do concurso da PM de Roraima

    UERR divulga gabarito oficial do concurso da PM de Roraima


    Resultado final deve ser divulgado no dia 20 de março. Cinco questões foram anuladas. Gabarito oficial foi divulgado nesta quarta-feira (16) Divulgação/UERR A Universidade Estadual de Roraima (UERR) divulgou na tarde desta quarta-feira (16) o...


    Resultado final deve ser divulgado no dia 20 de março. Cinco questões foram anuladas. Gabarito oficial foi divulgado nesta quarta-feira (16) Divulgação/UERR A Universidade Estadual de Roraima (UERR) divulgou na tarde desta quarta-feira (16) o gabarito oficial do concurso da Polícia Militar de Roraima. Das 80 questões do cardeno de provas, cinco foram anuladas. CONFIRA O GABARITO DEFINITIVO Conforme o certame, são ofertadas 400 vagas para soldados PM de 2ª classe. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 20 de março. Ao todo, 20.808 candidatos se inscreveram para as provas que foram aplicadas em Boa Vista no dia 9 de dezembro de 2018. Destes, mais de 15 mil concorrem para capital. De acordo com o edital, as datas das demais etapas do concursos como exames médicos, odontológicos, toxicológicos, devem ser divulgadas conforme certame específico para cada uma delas. Do total de vagas, 281 são para Boa Vista. As demais estão distribuídas entre outras seis regiões do estado que abrangem os municípios do interior. Os aprovados receberão uma bolsa de estudos no valor de R$ 2.243,64 para o custeio de fardamentos, equipamentos, acessórios e material didático, exigidos para o Curso de Formação. Ao término do curso, eles serão promovidos à graduação de Soldado PM 1ª Classe, e receberão R$ 3.732,96.
    Novas imagens mostram joias de luxo apreendidas na casa do presidente da Assembleia Legislativa de RR

    Novas imagens mostram joias de luxo apreendidas na casa do presidente da Assembleia Legislativa de RR


    Material foi recolhido na operação Royal Flush que cumpriu mandados de busca e apreensão e sequestro de bens na casa de Jalser Renier (SD). Joias foram apreendidas dentro da casa do deputado de Roraima, Jalser Renier Imagens inéditas obtidas...


    Material foi recolhido na operação Royal Flush que cumpriu mandados de busca e apreensão e sequestro de bens na casa de Jalser Renier (SD). Joias foram apreendidas dentro da casa do deputado de Roraima, Jalser Renier Imagens inéditas obtidas nesta quarta-feira (16) pelo G1 mostram joias de luxo apreendidas na casa do presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR), Jalser Renier (SD), durante a operação Royal Flush. As fotos e vídeos foram feitos pelo Ministério Público de Roraima (MPRR) durante o cumprimento de mandados na casa do parlamentar, em Boa Vista, no último dia 2. No mesmo dia foram apreendidos dois cheques, um no valor de R$ 1 milhão e outro de R$ 70 mil, que sumiram durante a operação. As imagens mostram uma coleção de anéis e brincos cravejados de pedras - um deles ainda com etiqueta - pulseiras e cordões. Em nota, a assessoria Jurídica do deputado Jalser Renier disse que "considera lamentável a atitude do Gaeco de, 15 dias depois da referida operação, vazar imagens de material apreendido na casa do parlamentar, expondo algumas joias e uma quantidade substanciosa de bijuterias, tentando manipular a opinião pública com a falsa afirmação de que se tratariam apenas de joias". Para Jalser, "tal atitude só demonstra o quão foi precipitada e infundada a referida operação, tentando com isso afastar a constatação da arbitrariedade praticada". A operação Royal Flush investiga crimes de fraudes em licitação e contratos, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de Justiça. Ação foi feita pelo MPRR em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional. De acordo com o MPRR, os bens foram enviados à perícia que deve fazer uma análise detalhada das peças, avaliando os materiais e custos de cada item. Coleção de anéis, brinos e pulseiras recolhidas na casa de Jalser Renier e da mulher Cinthya Gadelha MPRR A pedido do G1 joalheiros avaliaram as imagens. Segundo eles, apesar de não ser possível comprovar a autencidade das peças sem uma análise física, a maioria delas aparenta ser de brilhante. Se forem desse material, elas podem custar até R$ 30 mil cada. Além do parlamentar foram alvos da Royal Flush a mulher dele, a empresária Cinthya Gadelha, que também reside na casa, e outras cinco pessoas ligadas ao casal. A operação apreendeu também outros bens de luxo, incluindo carros, documentos, celulares e computadores. Entre os itens recolhidos há ainda dois cheques que sumiram logo após serem encontrados. Na ocasião, o MP afirmou haver "obstrução da Justiça". Ainda segundo o MP, também foram alvos da operação Cristiano Pontes Thomé, Vanira Wanderley Gadelha, Carlos Olímpio Melo da Silva, Elísia Martins e Anacleto Martins, além das empresas C.V. Derivados de Petróleo - Auto Posto Princesa Isabel e Martins e Padilha Serviços Ltda. Peças foram recolhidas para perícia MPRR Concomitante à investigação, o MP também apura suposta prática de crime de obstrução da Justiça por parte de alguns dos envolvidos na operação. Foram nove mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens. A operação Royal Flush está relacionada a outra operação já feita no Legislativo, a Cartas Marcadas, que levou à condenação de 10 pessoas, incluindo ex-servidores da Ale-RR por desvios em licitações.
    Espaço cultural 'Tapiri das Artes' abre 15 vagas para curso de teatro em Boa Vista

    Espaço cultural 'Tapiri das Artes' abre 15 vagas para curso de teatro em Boa Vista


    Inscrições seguem até o dia 10 de fevereiro. Curso terá duração de cinco meses e mensalidade custa R$ 70. Aulas serão ministradas pelo ator Hander Frank Hander Frank/arquivo pessoal Estão abertas as inscrições para o curso de teatro do...


    Inscrições seguem até o dia 10 de fevereiro. Curso terá duração de cinco meses e mensalidade custa R$ 70. Aulas serão ministradas pelo ator Hander Frank Hander Frank/arquivo pessoal Estão abertas as inscrições para o curso de teatro do espaço cultural Tapiri das Artes, localizado na rua Maria Evangelista da Silva, nº681, bairro Caçari, zona Leste de Boa Vista. Ao todo, são ofertadas 15 vagas. Podem se inscrever pessoas a partir de 16 anos. Os interessados podem fazer a matrícula até o dia 10 fevereiro de forma presencial ou pelos telefones (95) 981198176 e (95) 988032624. A taxa de inscrição custa R$ 10. O curso terá duração de cinco meses e será realizado às terças e quintas-feiras, das 19h30 às 21h. As aulas serão ministradas pelo ator e publicitário Hander Frank. A mensalidade será R$ 70. Segundo Frank, durante a formação são desenvolvidas diversas atividades, desde o teatro básico até a montagem de um espetáculo. Ao fim do curso os participantes devem encenar uma peça. O ator disse ainda que as aulas de teatro visam fomentar a arte cênica na capital. "Cada aluno vai aprender sobre consciência corporal, improvisação e sobre os tipos teatro", explicou. Tapiri das Artes está localizado na rua Maria Evangelista da Silva, nº681, bairro Caçari Divulgação/Tapiri das Artes
    Justiça suspende concurso para cargo de procurador da Assembleia Legislativa de Roraima

    Justiça suspende concurso para cargo de procurador da Assembleia Legislativa de Roraima


    ALE-RR informou que vai decisão judicial e que as nomeações para o cargo estão suspensas. Decisão torna sem efeito a homologação do certame Jackson Félix/G1 RR/Arquivo A Justiça suspendeu o concurso público da Assembleia Legislativa do...


    ALE-RR informou que vai decisão judicial e que as nomeações para o cargo estão suspensas. Decisão torna sem efeito a homologação do certame Jackson Félix/G1 RR/Arquivo A Justiça suspendeu o concurso público da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (ALE) para o cargo de procurador. A decisão ocorreu após o Ministério Público Estadual apontar irregularidades na condução do certame realizado pela banca organizadora. A liminar foi proferida no dia 8 de janeiro pelo juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública de Boa Vista e torna sem efeito homologação do certame. A ação foi protocolada em dezembro de 2018 pela Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor e da Cidadania. Em nota, a Assembleia Legislativa informou que cumprirá a decisão judicial e que as nomeações para o cargo estão suspensas até novo posicionamento do judiciário. De acordo com o MP, a banca de professores contratada para elaborar, corrigir questões e responder a recursos referentes à prova de procurador não participou da correção das avaliações discursivas, da análise de recursos, nem da consolidação final das notas. O promotor de Justiça Adriano Ávila, disse ainda que a ausência dos padrões mínimos de transparência pela Funrio demonstrou a necessidade de suspender a prova para o cargo. Considerando o caráter eliminatório e classificatório da prova, qualquer ocorrência que fragilize a confiabilidade não pode ser menosprezada, uma vez que as irregularidades verificadas geram sérios prejuízos aos candidatos, disse. O concurso para procurador ofertou duas vagas. O salário para o cargo era de 7.903,10.
    Presos de Roraima terão DNA cadastrado em banco nacional para ajudar em solução de crimes

    Presos de Roraima terão DNA cadastrado em banco nacional para ajudar em solução de crimes


    Peritos coletaram nesta quarta-feira (16) material genético de 97 presos da Penitenciária Agrícola que são condenados por crimes hediondos. Presos têm material genético coletado para serem inseridos em banco nacional de...


    Peritos coletaram nesta quarta-feira (16) material genético de 97 presos da Penitenciária Agrícola que são condenados por crimes hediondos. Presos têm material genético coletado para serem inseridos em banco nacional de informações Secom/Divulgação Presos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo que respondem a crimes hediondos tiveram material genético coletado nesta quarta-feira (16) e serão inseridos em um banco nacional de perfis genéticos. Foram coletados o DNA de 97 presos. O trabalho foi feito por peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil. Depois de inserido no banco de dados, o material colhido servirá para casos que necessitarem de identificação criminal. “Inicialmente são 97 apenados que foram submetidos à coleta do perfil genético em consonância ao que determina a Lei Nº 12.654. Todos os reeducandos que se enquadram nessa Lei foram separados, identificados e têm o seu material biológico coletado por meio da suabe (material absorvente preso a uma haste) que é passado na boca para extração da saliva”, explicou o chefe do Instituto de Criminalística, Esttefani Ribeiro. Para ele, o perfil genético é mais uma ferramenta na investigação policial no sentido de determinar com precisão a autoria de um crime. “Algum reeducando que saia do sistema prisional e cometa um novo crime e deixe vestígios biológicos compatíveis com o banco de dados vai ser identificado”, enfatizou. As amostras coletadas na Penitenciária serão enviadas ao laboratório da Polícia Federal em Brasília para serem processadas e inseridas no banco de dados nacional. Duas peritas de Roraima vão acompanhar o material coletado até a capital Federal. Desde 2012, uma lei federal permite que os peritos coletem material genético nos locais de crime e dos presos condenados pela Justiça. Esse material compõe um banco nacional de dados de DNA, com informações que podem servir para elucidar crimes investigados. Laboratório de DNA em Roraima O Laboratório de Genética Forense, do governo do estado, deve começar a realizar exames genéticos em materiais biológicos para identificação humana e a elucidação de crimes sob investigação a partir de março 2019. Os equipamentos e materiais do laboratório, segundo o governo, já estão chegando ao estado. De acordo com a perita criminal Rosangela Ponchet, a instalação do laboratório em Roraima representa agilidade no processo de identificação e uma economia aos cofres do governo. “A partir do momento que o nosso laboratório começar a funcionar nós vamos coletar, processar e inserir os dados aqui. Com isso a gente não precisará mais se descolar para Brasília e ganha em agilidade e economia”, pontou.
    Sine oferta 15 vagas de emprego para esta quarta-feira (16) em Roraima

    Sine oferta 15 vagas de emprego para esta quarta-feira (16) em Roraima


    Interessados devem comparecer ao Sine das 7h30 às 13h30. Trabalhadores interessados devem manter o cadastro atualizado no Sine Aline Rickly / G1 O Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Roraima oferta 15 vagas de trabalho em diferentes áreas de...


    Interessados devem comparecer ao Sine das 7h30 às 13h30. Trabalhadores interessados devem manter o cadastro atualizado no Sine Aline Rickly / G1 O Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Roraima oferta 15 vagas de trabalho em diferentes áreas de atuação nesta quarta-feira (16). As oportunidades são para ambos os sexos e para pessoas com deficiência (PCD). Para concorrer a uma vaga o candidato deve fazer o cadastro no sistema de emprego no Departamento de Emprego, Trabalho e Renda da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), localizado na avenida Mário Homem de Melo, bairro Mecejana, zona Oeste de Boa Vista. É necessário apresentar a carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência atualizado. Aqueles que têm cursos na área que deseja concorrer podem levar os certificados para compor o cadastro. O atendimento ocorre das 7h30 às 13h30. Veja a lista de vagas Repositor (exclusiva para PCD): ensino médio, experiência na carteira e disponibilidade de horário - 7 vagas Assistente de recursos humanos: experiência comprovada na área de departamento pessoal, recursos humanos - 1 vaga Fotógrafo: experiência em carteira - 1 vaga Garçom: experiência em carteira, ter prática para servir bebidas e comidas, além de anotar pedidos - 3 vagas Jornalista: experiência em carteira - 1 vaga Técnico de informática: ensino médio completo, experiência em carteira, transporte e habilitação na categoria AB e conhecimento em rede - 1 vaga Analista de marketing: entender de marketing digital, planejamento, elaboração de projetos e campanha publicitária, texto e redação publicitária - 1 vaga
    Trio é preso suspeito de levar motos roubadas em Boa Vista para a Guiana

    Trio é preso suspeito de levar motos roubadas em Boa Vista para a Guiana


    Brasileiros e guianense teriam envolvimento em esquema para levar veículos roubados ao país vizinho. Moto roubada foi apreendida com suspeitos presos nesta terça (15) Arquivo pessoal Policiais militares da Força Tática e do Choque prenderam...


    Brasileiros e guianense teriam envolvimento em esquema para levar veículos roubados ao país vizinho. Moto roubada foi apreendida com suspeitos presos nesta terça (15) Arquivo pessoal Policiais militares da Força Tática e do Choque prenderam nessa terça-feira (15) três pessoas que iriam levar motocicletas roubadas de Boa Vista para a Guiana. Entre os envolvidos estão uma mulher, de 38 anos, o sobrinho dela, de 26, e um guianense, de 24. A polícia chegou ao trio por meio de denúncia anônima, que relatava a contratação de guianenses para conduzir motos irregulares para o país vizinho. O esquema era articulado pela mulher. Nas buscas, os policiais foram à casa dela, mas não a encontraram. No local, foi preso um estrangeiro da Guiana, que confessou que ia atravessar veículos para o outro país a pedido dela. Conforme os policiais, a envolvida fazia a intermediação da venda dos veículos procedentes de crime para uma quadrilha que age na Guiana. Ela foi abordada na rodovia de acesso à Ponte dos Macuxi, na zona Oeste Sul da cidade, verificando se havia barreira policial no local. De acordo com a polícia, no momento da revista, ela recebeu a ligação do sobrinho. A guarnição acompanhou toda a conversa e o suspeito revelou à tia, sem saber que era interceptado, ter duas motos para levar para o país vizinho. Os policiais foram à casa do dele, no município do Cantá, onde o abordaram. O suspeito confessou às equipes que os veículos estavam em um esconderijo, entretanto no local, havia apenas um, que foi furtado nessa terça, de acordo com a polícia. O trio foi levado para a central de Flagrantes, no 5º Distrito Policial, onde prestou esclarecimentos.

    Governo de Roraima extingue duas secretarias extraordinárias


    Secretarias de Gabinete Institucional e de Política Internacional foram extintas. As secretarias de Gabinete Institucional (Segabi) e de Política Internacional (Seepi) foram extintas pelo governador Antonio Denarium (PSL). Os decretos que puseram fim...

    Secretarias de Gabinete Institucional e de Política Internacional foram extintas. As secretarias de Gabinete Institucional (Segabi) e de Política Internacional (Seepi) foram extintas pelo governador Antonio Denarium (PSL). Os decretos que puseram fim às duas pastas foram publicados no Diário Oficial do Estado de 11 de janeiro, disponibilizado nesta terça-feira (15) com efeito retroativo ao dia 1º. As duas pastas foram criadas pela ex-governadora Suely Campos (PP) por meio de decreto. A manutenção delas foi considerada ilegal pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) que, em junho de 2017, considerou que elas precisavam ser aprovadas pela Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR). A Segabi foi criada em janeiro de 2017 no lugar da Secretaria Extraordinária de Promoção de Investimentos (Sepin). O ex-adjunto da pasta, Shiská Pereira, foi preso em dezembro suspeito de envolvimento em esquemas de desvio no transporte e na merenda escolar. Já a Seepi foi criada em abril de 2018 no lugar da Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Internacional (Seegi).
    VÍDEOS: BDA de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

    VÍDEOS: BDA de quarta-feira, 16 de janeiro de 2019


    Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima. Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia -...


    Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima. Assista aos vídeos do Bom Dia Amazônia - Roraima.
    Empresário preso em SP por desvio no transporte escolar é transferido para RR

    Empresário preso em SP por desvio no transporte escolar é transferido para RR


    José Wallace Barbosa foi levado para a Cadeia Pública de Boa Vista. Na segunda, a mulher dele, Ione Pedrosa (SD), tomou posse na Assembleia Legislativa após ser solta: 'sou inocente'. José Wallace chegou em Boa Vista na madrugada desta...


    José Wallace Barbosa foi levado para a Cadeia Pública de Boa Vista. Na segunda, a mulher dele, Ione Pedrosa (SD), tomou posse na Assembleia Legislativa após ser solta: 'sou inocente'. José Wallace chegou em Boa Vista na madrugada desta quarta-feira (16) Rede Amazônica Roraima/ Reprodução O empresário José Wallace Barbosa da Silva, marido da deputada Ione Pedrosa (SD), chegou a Boa Vista na madrugada desta quarta-feira (16). Ele foi preso há seis dias em São Paulo após ficar quase um mês foragido na operação Zaragata da Polícia Federal contra desvio no transporte escolar. Wallace viajou sob custódia da PF em voo comercial. O avião pousou no Aeroporto Internacional de Boa Vista por volta de 0h. Ele fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e depois foi levado à Cadeia Pública de Boa Vista, zona Sul da capital, onde fica preso preventivamente. Na segunda (14), a deputada Ione Pedrosa tomou posse na Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR). Ela cumpria prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica quando o juiz Hélder Girão Barreto, da 1ª Vara da Justiça Federal de Roraima, concedeu uma decisão que a permitiu tomar posse. O casal é sócio na empresa Diamond, alvo da operação da PF. Empresário chega à Cadeia Pública em viatura da Polícia Federal Laudinei Sampaio/Rede Amazônica Roraima O juiz considerou que o direito de Ione assumir o cargo de deputada não estava relacionado à ação da PF, pois o caso investigado não era sobre crime eleitoral. Com a decisão, ela deixou a prisão domiciliar, mas cumpre medidas cautelares como se recolher em casa à noite e nos dias de folga. Ao ler o juramento de posse, Ione chorou. No encerramento da cerimônia, depois de assinar o termo, ela afirmou ser uma pessoa idônea e disse que vai provar sua inocência. Tudo na vida passa. Estou hoje, graças a Deus, livre. Tudo vai ser esclarecido. Sou uma pessoa idônea e, se Deus quiser, vou cumprir os quatro anos de mandato, afirmou. Empresário José Wallace Barbosa da Silva passou por exame no IML em Boa Vista Laudinei Sampaio/Rede Amazônica Roraima Esquema de desvio De acordo com a Polícia Federal, os envolvidos no esquema de desvio falsificavam documentos de prestação de serviços e licitações. Em só um dos contratos investigados, orçado em R$ 78 milhões, os pagamentos irregulares a Diamond, empresa de Ione e Wallace, chegavam a R$ 50 milhões. A PF descobriu ainda que 72% das rotas que a firma deveria fazer já eram cobertas por outras empresas contratadas pelo estado e, mesmo assim, ela era priorizada pelo governo na hora de receber os pagamentos. Além do casal, mais oito pessoas foram presas na ação da polícia, que também cumpriu 12 mandados de busca e apreensão. Entre os presos estão ainda os dois ex-secretários da Fazenda, Aline Karla de Oliveira, Shiská Pereira - já libertado por decisão judicial - e o servidor público Thiago Lima. Segundo as investigações, empresas responsáveis pelo transporte também eram obrigadas a repassar até 15% do valor das faturas em propina para conseguirem ser pagas pelo governo. A ação para interceptar os envolvidos no esquema se iniciou em agosto com o propósito de apurar contratações emergenciais do governo por meio de dispensa de licitação com recursos do Fundeb. *Com informações da Rede Amazônica Roraima.
    Sindicato move mais de 100 processos contra governo e a Cerr por atrasos nos salários de servidores

    Sindicato move mais de 100 processos contra governo e a Cerr por atrasos nos salários de servidores


    Ações com pedidos de indenizações por dano moral tramitam na na 1ª Vara da Justiça do Trabalho, em Boa Vista. Ações foram ingressadas pelo Sindicato dos Urbanitários de Roraima (STIU-RR) em nome dos servidore da Cerr prejudicados pelos...


    Ações com pedidos de indenizações por dano moral tramitam na na 1ª Vara da Justiça do Trabalho, em Boa Vista. Ações foram ingressadas pelo Sindicato dos Urbanitários de Roraima (STIU-RR) em nome dos servidore da Cerr prejudicados pelos atrasos salariais STIU-RR/Divulgação O Sindicato dos Urbanitários de Roraima (STIU-RR) informou nesta terça-feira (15) que entrou com mais de 100 ações nas na Justiça contra a Companhia Energética de Roraima (Cerr) e o governo do estado por atrasos nos salários de cerca de 500 servidores. Os processos, que pedem indenização por danos morais aos funcionários, foram motivados pelos danos causados aos trabalhadores como multas, juros, suspensão de serviços entre outros prejuízos morais e financeiros causados pelos atrasos salariais. Todas as ações tramitam na 1ª Vara da Justiça do Trabalho. De acordo com o STIU, em 2018 o governo e a Cerr atrasaram todos os salários dos últimos seis meses de 2018. O de julho, conforme o sindicato, foi pago com mais de 110 dias depois do prazo. Diante da situação, o Sindicato move, desde novembro do ano passado, ações com pedidos de indenizações. Em dezembro de 2018 já ocorreram dezenas de audiências e a Cerr já foi condenada a pagar R$ 1,5 mil em reparos aos funcionários. “Os trabalhadores da Cerr tiveram muitos prejuízos com a falta de salário. E tudo que aconteceu devido não foi culpa do servidor público, mas sim do governo que não soube administrar as contas públicas. No fim das contas, ainda será esse trabalhador que será penalizado. Cabe a Justiça agora avaliar e ressarcir por danos morais esses trabalhadores”, destacou Gisselio Cunha Costa, presidente do STIU-RR. Em nota, a Companhia Energética informou que vai recorrer da decisão, tendo em vista que o estado passa por dificuldades financeiras. Os salários que estavam em atraso foram normalizados durante a Intervenção Federal, inclusive a segunda parcela do 13° salário. Já o salário referente ao mês de dezembro foi efetuado no dia 11 de janeiro, informou a nota.
    Agricultor é preso suspeito de causar a morte da esposa grávida após série de agressões no interior de Roraima

    Agricultor é preso suspeito de causar a morte da esposa grávida após série de agressões no interior de Roraima


    Sebastião Xavier de Souza, de 41 anos, foi detido nesta terça (15), na vicinal Três Lagos, em Bonfim. Sebastião Xavier de Souza, negou ter agredido a mulher Divulgação/Polícia Civil O agricultor Sebastião Xavier de Souza, de 41 anos, foi...


    Sebastião Xavier de Souza, de 41 anos, foi detido nesta terça (15), na vicinal Três Lagos, em Bonfim. Sebastião Xavier de Souza, negou ter agredido a mulher Divulgação/Polícia Civil O agricultor Sebastião Xavier de Souza, de 41 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (15), na vicinal Três Lagos, zona rural de Bonfim, ao Norte de Roraima, suspeito de causar a morte da própria mulher que estava grávida, após uma série de agressões, informou a Polícia Civil. A prisão foi feita por agentes da Polícia Interestadual (Polinter), com o apoio da Delegacia Geral, mediante o cumprimento de mandado de prisão expedido pela 2ª Vara Criminal do Tribunal do Júri da Comarca de Boa Vista. A ação foi coordenada pelo delegado Juraci Rocha. “Basto”, como também é chamado, era investigado desde setembro de 2018. Foi instaurado um inquérito contra ele na delegacia do Cantá, ao Norte do estado. No dia 20 daquele mesmo mês, a mulher dele, Eliana Bezerra da Silva, de 43 anos, morreu depois de 15 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva Hospital Geral de Roraima, em decorrência das agressões, informou a Civil. Segundo o delegado Juraci Rocha, na época do ocorrido, antes de ter sido internada, a vítima havia sido agredida pelo próprio esposo com fortes chutes, tapas e fios. Além dela, alguns dos filhos do casal também foram agredidos. Pouco depois das agressões ela chegou a se queixar para os familiares de fortes dores de cabeça, crise de desmaio e passou a expelir uma secreção esbranquiçada pela boca, caracterizando um quadro que levou ela a sofrer um acidente vascular cerebral que se tornou irreversível. Conforme a certidão de óbito, a mulher teve lesão de traumatismo craniano e a gestação foi seguida de aborto. Na época nem a vítima, nem os familiares, sabiam que ela estava grávida. À polícia ele negou ter qualquer responsabilidade quanto à morte da esposa. Após ser detido, ele foi levado ao Instituto Médico Legal e depois conduzido à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, onde ficará à disposição da Justiça. O acusado e a vítima tinham uma convivência de cerca de 20 anos e sete filhos. Após o ocorrido ele abandonou os filhos, que seguem sob os cuidados de familiares de Eliana.
    Ministros de Bolsonaro devem visitar Roraima para verificar situação de venezuelanos

    Ministros de Bolsonaro devem visitar Roraima para verificar situação de venezuelanos


    Visita será nesta quinta (17) e sexta-feira (18). Comitiva será composta por ministros da Defesa, Educação, Cidadania, Saúde, Controladoria Geral da União e da Mulher, Família e Direitos Humanos. Fila de imigrantes venezuelanos em Pacaraima, na...


    Visita será nesta quinta (17) e sexta-feira (18). Comitiva será composta por ministros da Defesa, Educação, Cidadania, Saúde, Controladoria Geral da União e da Mulher, Família e Direitos Humanos. Fila de imigrantes venezuelanos em Pacaraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela, em fevereiro de 2018 Alan Chaves/G1 RR/Arquivo Cinco ministros - Defesa, Educação, Cidadania, Saúde, Controladoria Geral da União e da Mulher, Família e Direitos Humanos - do presidente Jair Bolsonaro (PSL) visitarão Roraima nesta quinta (17) e sexta-feira (18) para acompanhar a situação de venezuelanos que vivem no estado. A vista da comitiva ao estado foi divulgada nesta terça-feira (15) pela assessoria da Operação Acolhida, ação criada ano passado pelo então presidente Michel Temer (MDB) para lidar com o crescente fluxo de imigrantes venezuelanos cruzando a fronteira do Brasil por Roraima. Devem vir a Roraima os ministros Fernando Azevedo (Defesa), Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), Osmar Terra (Cidadania), Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Wagner de Campos Rosário (Controladoria Geral da União) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos). Será a primeira visita oficial interministerial do ano na gestão de Bolsonaro, informou o governo de Roraima. A comitiva deve chegar ao estado às 11h na Base Aérea de Boa Vista. O grupo vai visitar e acompanhar as ações que a Acolhida desenvolve com os refugiados venezuelanos. Desde o final de 2015, Roraima recebe um grande e crescente número de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira do estado. Eles fogem da fome, do desemprego e da falta de serviços de saúde no país governado por Nicolás Maduro. Em Pacaraima, cidade na fronteira, o fluxo diário de entrada de venezuelanos está entre 500 a 600 pessoas, conforme número divulgado no início deste mês pela Acolhida. Ano passado, a Casa Civil da presidência informou que mais da metade dos quase 128 mil venezuelanos que entraram no Brasil nos últimos 18 meses pela fronteira de Pacaraima deixaram o país. Uma parte deles, 31,5 mil, voltou para a Venezuela pelo mesmo caminho, e os outros 37,4 mil saíram do país de avião ou por outras fronteiras terrestres. Atualmente, a Acolhida cuida de 13 abrigos e há cerca de 6,6 mil venezuelanos imigrantes abrigados no estado. Agenda Dia 17 No dia 17, às 13h, os ministros conhecerão as instalações da Operação Acolhida, em Boa Vista. Eles devem visitar o Posto de Triagem, na Rodoviária, e o abrigo Rondon 3. Às 17h, os ministros, representantes dos poderes legislativo, judiciário, prefeitos, além de autoridades convidadas, participam de uma reunião com o governador Antonio Denarium (PSL), no salão nobre do palácio Senador Hélio Campos, onde serão apresentados dados sobre a atual situação do estado. A reunião será restrita aos técnicos dos governos municipais, estadual e federal. Logo após, governador e ministros concedem entrevista coletiva à imprensa. Dia 18 No dia 18, os ministros vão a Pacaraima, cidade na fronteira e porta de entrada para venezuelanos no país, conhecer as atividades desenvolvidas pela Força-Tarefa Logística Humanitária. A chegada ao município está prevista para às 9 horas. O retorno para Boa Vista será ao meio-dia. Paralelo a essa programação, representantes e técnicos dos ministérios se reunirão em Boa Vista, com secretários do governo estadual, para tratar de temas de interesse social e econômico de Roraima. Initial plugin text