G1 > Rio Grande do Sul

    Acidente deixa dois mortos e um ferido na BR-386, em Marques de Souza

    Acidente deixa dois mortos e um ferido na BR-386, em Marques de Souza


    Caminhão e Fiorino com placas de Caibi (SC) e Porto Alegre, respectivamente, colidiram frontalmente. Motorista e passageiro da Fiorino morreram no local. Colisão entre caminhão e automóvel deixa dois mortos na BR-386, em Marques de...


    Caminhão e Fiorino com placas de Caibi (SC) e Porto Alegre, respectivamente, colidiram frontalmente. Motorista e passageiro da Fiorino morreram no local. Colisão entre caminhão e automóvel deixa dois mortos na BR-386, em Marques de Souza Divulgação / PRF Um acidente resultou em duas mortes na tarde deste sábado (17), no km 314 da BR-386, em Marques de Souza, no Vale do Taquari. As vítimas ainda não foram identificadas. Segundo levantamentos feitos pela Polícia Rodoviária Federal no local, a colisão frontal envolveu um caminhão com placas de Caibi (SC) e uma Fiorino de Porto Alegre. A polícia informou que o motorista do caminhão sofreu ferimentos leves. O motorista e o passageiro do outro veículo morreram no local. As autoridades ainda verificam a causa do acidente. O trânsito ficou em meia pista, mas, devido ao baixo fluxo, o local já está liberado.
    Homem é flagrado tentando furtar cavalo em frente ao hospital de Canela

    Homem é flagrado tentando furtar cavalo em frente ao hospital de Canela


    Caso ocorreu por volta das 20h30 de sexta-feira (16). Agentes que estavam no hospital acompanhado adolescente apreendido em outro caso foram alertados por populares e fizeram o flagrante. Cavalo estava em frente ao hospital de Canela Brigada...


    Caso ocorreu por volta das 20h30 de sexta-feira (16). Agentes que estavam no hospital acompanhado adolescente apreendido em outro caso foram alertados por populares e fizeram o flagrante. Cavalo estava em frente ao hospital de Canela Brigada Militar/Divulgação Um homem de 23 anos foi preso em flagrante por volta das 20h30 de sexta-feira (16) tentanto furtar um cavalo em frente ao hospital de Canela, na Serra do Rio Grande do Sul. Segundo a Brigada Militar (BM), agentes que estavam no hospital acompanhando um adolescente que havia sido apreendido mais cedo por estar pilotando uma motocicleta adulterada foram avisados sobre a ação por populares. Ao se deslocarem para a parte externa do prédio, os policiais flagraram o homem puxando o cavalo por uma corda. Em revista, os policiais encontraram uma faca na cintura do homem, que disse usá-la para sua segurança. A BM não tem informações sobre o dono do cavalo e o que o animal fazia em frente ao hospital.
    Idosa morre após incêndio atingir residência em Pelotas

    Idosa morre após incêndio atingir residência em Pelotas


    A vítima foi identificada como Eva Quinzen Rosa. Ela foi levada para ao pronto socorro da cidade, mas acabou não resistindo. Idosa morre em incêndio no bairro Fragata, em Pelotas. RBS TV / Reprodução Uma idosa de 74 anos morreu após a casa onde...


    A vítima foi identificada como Eva Quinzen Rosa. Ela foi levada para ao pronto socorro da cidade, mas acabou não resistindo. Idosa morre em incêndio no bairro Fragata, em Pelotas. RBS TV / Reprodução Uma idosa de 74 anos morreu após a casa onde morava pegar fogo, na noite desta sexta-feira (16), no bairro Fragata, em Pelotas, na região Sul do estado. A vítima foi identificada como Eva Quinzen Rosa. De acordo com informações da Polícia Civil, os bombeiros foram acionados por volta das 22h30, enquanto os moradores do bairro tentavam controlar o fogo. Parte da casa foi tomada pelas chamas, queimando alguns móveis e janelas. A vítima foi resgatada ainda com vida e levada para o pronto socorro da cidade, mas acabou não resistindo. A polícia segue investigando o que provocou o incêndio na residência.

    Apenado do semiaberto é morto enquanto cumpria serviço comunitário em Santa Rosa


    O crime ocorreu no Parque Municipal de Exposições. A polícia segue em busca dos suspeitos que atiraram contra a vítima. Um apenado do regime semiaberto do Presídio de Santa Rosa, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, foi assassinado neste...

    O crime ocorreu no Parque Municipal de Exposições. A polícia segue em busca dos suspeitos que atiraram contra a vítima. Um apenado do regime semiaberto do Presídio de Santa Rosa, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, foi assassinado neste sábado (17), por volta das 9h30 da manhã. André Luis dos Santos, de 37 anos, estava cumprindo serviço comunitário, no Parque Municipal de Exposições Alfredo Leandro Carlson, quando foi abordado por dois homens, que atiraram contra ele. Atingido por vários disparos, a vítima morreu no local. Segundo a delegada Josiane Froehlich, os suspeitos de terem cometido o homicídio foram vistos por pessoas que transitavam no parque. A dupla teria entrado no local vestida de preto, com uma moto e usando capacete. Eles efetuaram os disparos e fugiram em seguida. A Polícia Civil e a Brigada Militar foram chamadas pela segurança do parque, que interditou o espaço e realizou a perícia no local. O corpo de Santos foi encaminhado à necropsia. As investigações seguem em busca dos suspeitos do crime.
    Mostra de carros antigos ocorre até domingo em Porto Alegre

    Mostra de carros antigos ocorre até domingo em Porto Alegre


    O 27º Encontro Sul Brasileiro de Carros Antigos é gratuito e conta com mais de 400 automóveis inscritos. Porto Alegre recebe o 27º Encontro Sul Brasileiro de Veículos Antigos Os aficionados por automobilismo podem aproveitar o final de semana...


    O 27º Encontro Sul Brasileiro de Carros Antigos é gratuito e conta com mais de 400 automóveis inscritos. Porto Alegre recebe o 27º Encontro Sul Brasileiro de Veículos Antigos Os aficionados por automobilismo podem aproveitar o final de semana para conferir o 27º Encontro Sul Brasileiro de Carros Antigos, sediado pela primeira vez em Porto Alegre. Com mais de 400 veículos inscritos, a mostra fica aberta para visitação até este domingo (18), no estacionamento do Shopping Bourbon Wallig, na Zona Norte da capital. Além das relíquias, a programação conta com uma feira de peças e atrações temáticas pensadas para colecionadores e curiosos pela fabricação e origem dos automóveis. “Eu sou apaixonado por motor, carros e motocicletas. É muito bom ver a história assim, diante dos nossos olhos”, comenta o empresário Humberto Langue. Na área dedicada aos veículos oficiais, os visitantes têm a possibilidade de conhecer um caminhão do Corpo de Bombeiros, com roda de madeira, produzido em 1927. Além dessa raridade, o público pode interagir com motos e bicicletas. Mais de 400 veículos integram a exposição. RBS TV / Reprodução Para Rodrigo Ruiz, colecionador e organizador do evento, o que movimenta o lugar é a paixão pelos antigos. Esse sentimento foi o que mobilizou um grupo do Paraná a vir até Porto Alegre conhecer a exposição. “Em cada lugar que a gente para é um flash. É só alegria. Então, eu estou curtindo muito”, relata, empolgado, o comerciante Sebastian Arantes. A entrada no 27º Encontro Sul Brasileiro de Carros Antigos é gratuita. Neste sábado (17), os visitantes podem conferir a exposição até às 22h. Já no domingo (18), a atração funciona das 10h às 20h.
    Festival Brasileiro das Aves Migratórias acontece até domingo em Mostardas

    Festival Brasileiro das Aves Migratórias acontece até domingo em Mostardas


    Evento é gratuito e oferece atividades ecológicas, palestras, apresentações artísticas e oficinas com biólogos até este domingo (18). Conheça o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, santuário de aves migratórias no RS Preservação e...


    Evento é gratuito e oferece atividades ecológicas, palestras, apresentações artísticas e oficinas com biólogos até este domingo (18). Conheça o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, santuário de aves migratórias no RS Preservação e conscientização ambiental marcam a 14º edição do Festival Brasileiro das Aves Migratórias, que ocorre até este domingo (18), no na Praça Luiz Chaves Martins, localizada no centro de Mostardas, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. O evento gratuito oferece atividades ecológicas, palestras, apresentações artísticas e oficinas com biólogos. Atraindo os olhares de quem aprecia a natureza, o destaque do festival é o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, na península da Lagoa dos Patos, entre os municípios de Tavares e Mostardas. Polo da tradicional observação das aves, a unidade de conservação foi criada há 32 anos, a fim de proteger tanto o ecossistema litorâneo quanto os pássaros que migram até o local. Com aproximadamente 37 mil hectares, a geografia e a mistura da água doce com a salgada criam o ambiente ideal para receber mais de 270 espécies. De acordo com Fernando dos Santos Weber, chefe do Parque, é fundamental que se preserve essa região. Pensando nisso, foram propostas diversas palestras e oficinas lúdicas para crianças. “O nosso maior desafio é fazer com que a população entenda a importância do Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Então, a gente está batendo bastante em cima da Educação Ambiental”. Geografia e mistura da água doce com a salgada criam o ambiente ideal para receber mais de 270 espécies. Reprodução/RBS TV Conforme Danielle Paludo, analista ambiental do ICMBio, toda essa mobilização e estímulo à conscientização ecológica é essencial para que as aves que migram até o local consigam se reproduzir e se adaptar. “É fascinante. Uma peça chave no trabalho de conservação”, comenta Danielle. Para o estudante Mateus Silva de Oliveira, de 8 anos, a atração foi um momento de alteridade e muito aprendizado. “Eu fui um gavião. Aí, eu aprendi o que os maçaricos passam nessa viagem para a reprodução deles. Como eles se alimentam e tudo mais. Isso é muito bom, porque incentiva as outras pessoas e crianças a virem aqui e ver isso e aprenderem mais sobre as aves”, explica Mateus. Entre as aves que passam pelo Parque Nacional da Lagoa do Peixe, é possível observar Cabeça-seca, Capororoca, Garças e Colhereiros. As atrações ocorrem das 8h às 20h, no domingo (18).
    Morre Ivo Facca, um dos pioneiros da televisão no Rio Grande do Sul

    Morre Ivo Facca, um dos pioneiros da televisão no Rio Grande do Sul


    Ele sofria de mal de parkinson e morreu com 82 anos. Ivo foi o responsável pela instalação das emissoras do Grupo RBS no interior do estado e da televisão a cabo entre 1975 e 1990 Morre Ivo Facca, um dos pioneiros da televisão no Rio Grande do...


    Ele sofria de mal de parkinson e morreu com 82 anos. Ivo foi o responsável pela instalação das emissoras do Grupo RBS no interior do estado e da televisão a cabo entre 1975 e 1990 Morre Ivo Facca, um dos pioneiros da televisão no Rio Grande do Sul Morreu na sexta-feira (16), Ivo Facca, um dos pioneiros da televisão no Rio Grande do Sul. Ivo foi diretor de tecnologia da RBS TV por mais de duas décadas. Ele foi o responsável pela instalação das emissoras do Grupo RBS no interior do estado e da televisão a cabo entre 1975 e 1990. Reconhecido pela capacidade de formação de profissionais, também participou do projeto de expansão empresarial para Santa Catarina. Facca nasceu na Itália. Nos últimos anos tinha residência no Brasil e em Punta del Este, no Uruguai. Ivo Facca sofria de mal de parkinson e morreu com 82 anos. Ainda não há informações sobre quando acontecerá o enterro. Ivo Facca foi diretor de tecnologia da RBS TV por mais de duas décadas Arquivo Pessoal
    Homens são presos por roubo de fios na BR-448 em Canoas

    Homens são presos por roubo de fios na BR-448 em Canoas


    De acordo com a PRF, um deles já foi preso quatro vezes pelo mesmo delito na BR-290 e BR-448 e o outro está em prisão domiciliar. Homens presos estavam com cerca de 70 metros de fios roubados da rodovia. Polícia Rodoviária Federal/Divulgação A...


    De acordo com a PRF, um deles já foi preso quatro vezes pelo mesmo delito na BR-290 e BR-448 e o outro está em prisão domiciliar. Homens presos estavam com cerca de 70 metros de fios roubados da rodovia. Polícia Rodoviária Federal/Divulgação A Polícia Rodoviária Federal prendeu três homens por furto de fios no BR-448, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, na manhã deste sábado (17). As prisões foram realizadas no quilômetro 17 da rodovia. De acordo com a PRF, um deles já foi preso quatro vezes pelo mesmo delito na BR-290 e BR-448 e o outro está em prisão domiciliar. Outro preso pela polícia possui antecedentes criminais. A polícia abordou um veículo que trafegava pela rodovia e nele encontrou aproximadamente 70 metros de cabos de rede elétrica, ferramentas e vários telefones celulares. O furto de fio na rodovia tem prejudicado os motoristas que passam pela BR-448. Parte da estrada está às escuras. De acordo com a PRF, um deles já foi preso quatro vezes pelo mesmo delito na BR-290 e BR-448. Polícia Rodoviária Federal/Divulgação
    Acidente entre micro-ônibus e táxi deixa um morto e feridos em Venâncio Aires

    Acidente entre micro-ônibus e táxi deixa um morto e feridos em Venâncio Aires


    Veículos tem placas do município. Motorista do táxi morreu no local. De acordo com a Brigada Militar, o condutor do micro-ônibus e 14 passageiros ficaram feridos e foram encaminhados para atendimento médico. Acidente entre micro-ônibus e táxi...


    Veículos tem placas do município. Motorista do táxi morreu no local. De acordo com a Brigada Militar, o condutor do micro-ônibus e 14 passageiros ficaram feridos e foram encaminhados para atendimento médico. Acidente entre micro-ônibus e táxi deixa um morto e feridos em Venâncio Aires Um acidente entre um micro-ônibus e um táxi deixou uma pessoa morta e 15 feridos na manhã deste sábado (17), na ERS-453, em Venâncio Aires, no Vale do Rio Pardo, no Rio Grande do Sul. De acordo com o Comando Rodoviário da Brigada Militar, a colisão frontal aconteceu por volta das 6h30, no quilômetro oito da rodovia, numa curva de pista simples. Os veículos têm placas de Venâncio Aires. O motorista do táxi, de 34 anos, morador do município, morreu no local. A Brigada Militar não confirmou a identidade dele. Os passageiros e o condutor do micro-ônibus ficaram feridos levados a Unidade de Pronto Atendimento e Hospital de Venâncio. Não há informações de feridos com gravidade. Acidente aconteceu no quilômetro oito da rodovia, por volta da 6h30. Brigada Militar/Divulgação Motorista do táxi morreu no local. Brigada Militar/Divulgação
    Corpo de Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção, é sepultado em Capão do Leão

    Corpo de Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção, é sepultado em Capão do Leão


    Professor, escritor, desenhista e jornalista gaúcho morreu na noite de quinta-feira (15), em Pelotas. À tarde, durante o amistoso entre Brasil e Uruguai, em Londres, foi feito um minuto de silêncio em homenagem a ele. Aldyr Schlee, criador da...


    Professor, escritor, desenhista e jornalista gaúcho morreu na noite de quinta-feira (15), em Pelotas. À tarde, durante o amistoso entre Brasil e Uruguai, em Londres, foi feito um minuto de silêncio em homenagem a ele. Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho, é velado em Pelotas Amigos e familiares se despediram na tarde desta sexta-feira (16) de Aldyr Garcia Schlee, criador de uma das mais famosas camisetas da história do futebol. O professor, escritor, desenhista e jornalista gaúcho foi sepultado em Capão do Leão, na Região Sul do Rio Grande do Sul, após ser velado ao longo do dia em Pelotas. Aldyr Schlee morreu na noite de quinta-feira (15), no Hospital Beneficência Portuguesa, aos 83 anos. Ele lutava contra um câncer de pele desde 2012. Além de escrever diversas obras, Aldyr foi o criador da camisa canarinho, que virou uniforme da Seleção Brasileira e um ícone mundial. À tarde, durante o amistoso entre Brasil e Uruguai, em Londres, foi feito um minuto de silêncio em homenagem ao escritor. Nascido em Jaguarão, Aldyr chegou a receber o prêmio Açorianos de Literatura, em 2011, na categoria narrativa longa com o romance "Don Frutos". Neste ano, ele foi homenageado, junto com Lya Luft, pelo conjunto da obra. Seleção Brasileira Esboço original da camisa canarinho feito por Aldyr Schlee Vinícius Guerreiro/GE A camisa canarinho foi escolhida por meio de um concurso, vencido por Schlee, e apresentada pela primeira vez em 1954. A ideia era substituir a camisa branca do trágico "Maracanazo", quando a Seleção foi derrotada em pleno Maracanã pelo Uruguai, por 2 a 1, no quadrangular final da Copa de 1950. Ironicamente, ele se declarava torcedor do Uruguai. Sua ideia, na época inovadora e hoje usual aos olhos de quem vê a Seleção Brasileira, foi de colocar as cores da bandeira nacional no fardamento: camisa amarela com detalhes em verde, calção azul e meias brancas. O primeiro exemplar foi mostrado em 1954. Carreira Aldyr Garcia Schlee completaria 84 anos no próximo dia 22. Além de escritor, era jornalista, tradutor, Doutor em Ciências Humanas e professor universitário de Direito Internacional, por mais de 30 anos, na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Também fundou a Faculdade de Jornalismo na Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Em 1963, ganhou o prêmio Esso de jornalismo por reportagem sobre o xisto betuminoso no Rio Grande do Sul. Recebeu duas vezes o prêmio da Bienal de Literatura e outros seis do Açorianos (1997, 1998, 2001, 2010, 2011 e 2013).
    Prefeito de Chapada convida médico cubano para ser secretário de Saúde

    Prefeito de Chapada convida médico cubano para ser secretário de Saúde


    Objetivo é que ele siga atuando na cidade depois da saída de Cuba do programa Mais Médicos, até que tenha o diploma revalidado. Médico Richel Collazo disse que não concederia entrevista, e afirmou que ainda não está definido se aceitará ou...


    Objetivo é que ele siga atuando na cidade depois da saída de Cuba do programa Mais Médicos, até que tenha o diploma revalidado. Médico Richel Collazo disse que não concederia entrevista, e afirmou que ainda não está definido se aceitará ou não o convite. Com saída de cubanos do Mais Médicos, Chapada terá apenas dois médicos, diz o prefeito Carlos Catto Divulgação/Prefeitura de Chapada O prefeito de Chapada, Carlos Alzenir Catto (PDT), convidou o médico cubano Richel Collazo, que atua pelo programa Mais Médicos na cidade do Norte do Rio Grande do Sul, para ser o secretário municipal de Saúde. O objetivo é que ele siga na cidade, até que tenha o diploma revalidado, condição para que possa atuar no país sem ter relação com a iniciativa federal. Na última quarta (14), o Ministério da Saúde Pública de Cuba anunciou a decisão de deixar o programa Mais Médicos, criado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, justificando que houve "declarações ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito, Jair Bolsonaro. No Rio Grande do Sul, a decisão deve afetar cerca de 1,8 milhão de pacientes. Procurado pelo G1, Richel disse que não concederia entrevista, e afirmou que ainda não está definido se aceitará ou não o convite. "Tomamos a decisão logo depois da notícia da saída dos médicos cubanos aqui do Brasil. O doutor Richel veio em 2014 e está muito bem inserido na comunidade. O pessoal tem gostado do atendimento dele. Para valorizá-lo, decidimos convidar ainda na quarta-feira [14] para assumir a Secretaria da Saúde", disse o prefeito ao G1. Com cerca de 10 mil habitantes, Chapada tem apenas três médicos. Quando Richel deixar de atuar devido à decisão do governo cubano, serão apenas dois. Catto conta que a prefeitura tenta contratar mais três profissionais, chegando a oferecer um salário de R$ 11 mil, mas esbarra na falta de interesse dos brasileiros em exercer a medicina na cidade. "Não veio se inscrever ninguém. Abri um edital oferecendo R$ 11 mil, e não veio ninguém trabalhar em Chapada. E olha que é uma cidade bonita, não tem barro quando chove, as ruas são asfaltadas... Imagina no interior do Brasil, no Nordeste, ou mesmo aqui no interior do Rio Grande do Sul", conta. A situação já levou o político a ir até Brasília para pedir o envio de mais médicos à cidade. Por isso, o prefeito lamenta a ruptura da parceria entre os dois países. "É uma perda muito grande a saída dos médicos [cubanos] do Programa Mais Médicos." Catto conta que Richel se adaptou à cidade, onde conheceu a atual esposa, e que os moradores têm aprovado o atendimento dele – inclusive familiares do próprio prefeito, que receberam cuidados do cubano. Caso o convite seja aceito, o caribenho vai substituir a vereadora Loiva Mirna Gauer, atual titular da pasta, que deve retornar à Câmara Municipal antes do final do ano. "O perderemos como médico. Teremos um médico a menos atendendo a população. No momento em que ele tiver o diploma revalidado pelo Ministério da Saúde, ele pode trabalhar em Chapada, ou em qualquer lugar", declarou o prefeito. Convite a venezuelanos Em setembro, crianças de Chapada receberam os imigrantes venezuelanos na cidade Fábio Lehmen/RBS TV A Prefeitura de Chapada já havia demonstrado simpatia à presença de estrangeiros em setembro, quando foi a primeira cidade gaúcha a pedir para receber imigrantes venezuelanos. Ele diz que quase todos os estrangeiros que chegaram à cidade estão empregados, e as crianças frequentam creches e escolas da cidade. "Claro que ainda [estão] em fase de adaptação, mas as crianças estão todas em creche e escola em tempo integral, e entre os adultos, só não está trabalhado uma senhora amamentando, e mais um ou dois", afirma.
    VÍDEOS: RBS Notícias desta sexta-feira, 16 de novembro

    VÍDEOS: RBS Notícias desta sexta-feira, 16 de novembro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul.
    Homem é preso suspeito de aliciar e manter relações com menores em Santa Maria

    Homem é preso suspeito de aliciar e manter relações com menores em Santa Maria


    Segundo delegado, ele se apresentava a meninos que tinham o sonho de ser jogadores profissionais como empresário de futebol, e os seduzia. Alvo de ação da Polícia Civil pode receber pena de quatro a 10 anos por favorecimento à prostituição e...


    Segundo delegado, ele se apresentava a meninos que tinham o sonho de ser jogadores profissionais como empresário de futebol, e os seduzia. Alvo de ação da Polícia Civil pode receber pena de quatro a 10 anos por favorecimento à prostituição e facilitação de adolescente em cena pornográfica. Homem é preso por seduzir e abusar de menores em Santa Maria. Divulgação / Polícia Civil Uma operação realizada pela Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (15), um suspeito de envolvimento em crimes de favorecimento à prostituição e facilitação de adolescente em cena pornográfica. O homem tinha mandado de prisão preventiva, e foi localizado na própria residência, em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, e encaminhado ao Presídio de Cruz Alta, no Noroeste gaúcho. Segundo o delegado Josuel Muniz, a polícia trabalha com a hipótese de que o homem também aliciava menores em outros estados. "Tudo indica que ele integra uma rede que comete esses tipos de crimes, popularmente chamados de pedofilia. Essa rede de contato repassa imagens de menores por todo o Brasil. A investigação está só começando", pontua Muniz. A abordagem com as vítimas mantinha um padrão. O homem se apresentava aos meninos, que tinham o sonho de ser jogadores profissionais, como empresário de futebol, e os seduzia com promessas de agenciá-los em clubes, oferecia quantias em dinheiro e presentes. Em contrapartida, os jovens deveriam enviar fotos e manter relações sexuais com ele. Um dos crimes de exploração sexual de menor foi denunciado pela mãe de uma vítima, que descobriu no celular do filho, de 14 anos, mensagens trocadas com o aliciador. Na conversa, o homem solicitava ao menino que o enviasse fotos íntimas, além de sugerir um encontro em hotel da cidade, em troca de chuteiras novas. Interrogado pela polícia, o preso admitiu iniciar amizades com adolescentes integrantes de escolas de futebol e, ainda, chegou a mencionar o nome de 26 menores com os quais mantinha relações sexuais e dos quais recebia imagens de corpo nu. Foram encontradas mais de 2 mil fotos de outros adolescentes em cenas pornográficas no telefone do preso. Se condenado pela Justiça, o homem pode receber pena de quatro a 10 anos de prisão pelos crimes cometidos.
    Mostra gratuita reúne mais de 200 fotografias no Viaduto Otávio Rocha, em Porto Alegre

    Mostra gratuita reúne mais de 200 fotografias no Viaduto Otávio Rocha, em Porto Alegre


    Com trabalhos de fotógrafos amadores e profissionais, exposição ficará aberta, diariamente, até 10 de dezembro. Escadaria do Viaduto Otávio Rocha, em Porto Alegre, recebe exposição fotográfica Nas paredes do prédio Verão, ao lado da...


    Com trabalhos de fotógrafos amadores e profissionais, exposição ficará aberta, diariamente, até 10 de dezembro. Escadaria do Viaduto Otávio Rocha, em Porto Alegre, recebe exposição fotográfica Nas paredes do prédio Verão, ao lado da escadaria do Viaduto Otávio Rocha, no Centro de Porto Alegre, os tons cinza do muro de pedra deram lugar à arte. As imagens que compõem um recorte sobre o cotidiano da capital integram a mostra Street Expo Photo, que reúne 208 imagens assinadas por mais de 90 fotógrafos brasileiros e estrangeiros. Para o curador da mostra, Marcos Monteiro, além de proporcionar um novo olhar sobre a cidade, a exposição tem um potencial transformador. “Ela pode mudar a vida de uma pessoa. A arte tem o poder do encantamento. Tem o poder de, em uma fração de segundo, aliviar o coração, fazendo com que alguém sinta admiração e alegria, e esqueça os seus problemas diários”, diz Monteiro. A intervenção artística é ainda uma forma de valorizar o viaduto, um dos cartões postais de Porto Alegre, inaugurado em 1932 e que, ao poucos, vem ressurgindo e ganhando visibilidade a partir de iniciativas culturais. Mostra fotográfica reúne trabalhos na escadaria do Viaduto Otávio Rocha. Reprodução / RBS TV Sobre os impactos da atração no comércio em torno do viaduto, Adelino Bilhalva comenta que houve mudança positiva na frequência do público no bar que administra no local. “Deu uma mudada no movimento, em outros horários, quando rolou a exposição. Eu acho que é o ponto turístico mais legal da cidade. Se a prefeitura se engajasse mais aqui, esse seria um lugar para a galera ‘gringa’ vir direto”, acredita Bilhalva. Para preservar a arquitetura local, os painéis foram instalados de forma a não danificar a estrutura da parede lateral do prédio Verão, próximo à escadaria, que é considerado um dos pontos mais altos do município. A estrutura fotográfica também passou por cuidados especais para não serem danificados ao ficar expostos ao ar livre. Cada painel tem uma película, que protege da água da chuva, do sol e até do toque das mãos. De acordo com o fotógrafo e arquiteto Alexandre Eckert, uma das intenções dessa exposição está justamente em tirar a arte dos museus e levá-las às ruas, em um espaço público e gratuito, recuperando a essência da foto revelada em papel. Três imagens de Alexandre, registradas com o celular, saíram de uma plataforma digital e foram direto para o muro. “A gente percebe com o celular que a impressão das fotos diminui muito, né? E, o fato de elas estarem impressas, volta exatamente naquele processo antigo da fotografia”, comenta Eckert, entusiasmado. A Street Expo Photo pode ser visitada em qualquer horário do dia. Os painéis com as fotos vão ficar expostos até o dia 10 de dezembro deste ano.
    VÍDEOS: Jornal do Almoço de sexta-feira, 16 de novembro

    VÍDEOS: Jornal do Almoço de sexta-feira, 16 de novembro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul.
    Presos três suspeitos de participar da morte de jovem por engano em hospital no RS

    Presos três suspeitos de participar da morte de jovem por engano em hospital no RS


    Conforme delegado responsável pelo caso, um suspeito ainda é procurado. Crime ocorreu na madrugada do dia 9 de novembro, em São Leopoldo. Verdadeiro alvo dos atiradores está foragido. Três suspeitos são presos pela morte de jovem por engano em...


    Conforme delegado responsável pelo caso, um suspeito ainda é procurado. Crime ocorreu na madrugada do dia 9 de novembro, em São Leopoldo. Verdadeiro alvo dos atiradores está foragido. Três suspeitos são presos pela morte de jovem por engano em hospital de São Leopoldo Polícia Civil/Divulgação Três suspeitos de participar da morte do jovem Gabriel Minossi, 19 anos, atingido por disparos por engano em um hospital de São Leopoldo no dia 9 de novembro, foram presos na manhã desta sexta-feira (16). O delegado responsável pelo caso, Alexandre Quintão, diz que um homem ainda é procurado. Presos três suspeitos de ter matado um jovem por engano Os presos foram localizados na Vila Brás, em São Leopoldo. Eles têm 22, 21 e 18 anos. "Os três admitiram participação no crime, mas não quiseram declarar nada formalmente", diz o delegado. Gabriel Minossi estava em um quarto do hospital, onde se recuperava de um acidente de trânsito, quando foi morto a tiros. Além da vítima, outras duas pessoas ficaram feridas pelos disparos. Durante a madrugada, quatro homens teriam chegado ao hospital atrás de um outro paciente, de 28 anos, que tinha sido baleado no dia 7 na Vila Brás, na mesma cidade. Câmeras de segurança registraram a ação. Jovem é morto por engano dentro de hospital em São Leopoldo, diz polícia Segundo o hospital, o alvo dos criminosos teve alta no dia 9, às 16h30, por vontade própria. Ele cumpre pena por homicídio, havia progredido do regime fechado para o semiaberto e deveria ter se apresentado para colocar tornozeleira eletrônica. Alex Tubiana é considerado foragido. Alvo dos disparos Conforme o delegado, como não havia vagas no regime semiaberto, Alex foi solto no dia 17 de outubro, mas teria que se apresentar para iniciar o monitoramento eletrônico. Enquanto isso, deveria ser apresentar junto à Susepe, o que chegou a fazer nos dias 24 de outubro e 1º de novembro. "Ele tem dois homicídios e uma acusação de tráfico de drogas. Em princípio estamos descartando briga envolvendo facções. Ele tem bastante inimigos na rua e no sistema prisional." O advogado de Alex, Luis Paulo da Costa Lima Junior, disse que ele está bastante debilitado e faz atendimento particular. "A sua ausência foi justificada na Susepe. O Alex está se recuperando da tentativa de homícidio. Ele apenas saiu do Hospital Centenário para resguardar a sua integridade física". Luis Paulo informou ainda que não há previsão para ele se apresentar à Susepe. A pena dele por homicídio qualificado começou em 25 de fevereiro de 2010, e vai até 29 de janeiro de 2034. O pai do jovem morto, Marcelo Minossi, contou que o alvo dos atiradores chegou a ficar na mesma ala que Gabriel, mas na tarde de quinta-feira (8) foi transferido para outro setor porque já havia boatos de que poderia ocorrer alguma confusão. O hospital confirmou a transferência por precaução. "Foi uma tragédia anunciada. Já tinha gente rondando o hospital e não tinha nenhum policial. Estava todo mundo comentando. Meu filho ia sair ontem, mas por causa da pressão alta seguraram ele mais um dia. Guri bom, não tinha vício, todo mundo amava ele", lamenta. Pedido de escolta Na quinta-feira (8), o Hospital Centenário encaminhou um pedido de escolta para a Brigada Militar informando que o alvo dos bandidos estava sofrendo ameaças. O homem havia dado entrada no hospital no fim da tarde de quarta (7). O comandante do 25° Batalhão da Polícia Militar em São Leopoldo, tenente-coronel Carlos Daniel Coelho, afirmou ao G1 que a BM recebeu o pedido do hospital na tarde de quinta e adotou as medidas pertinentes dentro das informações que receberam e das condições que tinham. "Entramos em contato com o supostamente ameaçado ontem [quinta-feira] e ele nos disse que não estava sendo ameaçado. A Brigada não satisfeita, estabeleceu rondas periódicas, as rondas aconteceram durante toda a noite. Inclusive, os bandidos entraram no hospital 10 minutos após a saída da ronda", explica o comandante. O comandante ainda ressaltou que o hospital também adotou medidas de proteção, levando o paciente para um local isolado. "A segurança do hospital estava em alerta, hospital tem guarda armada, e também tem atribuição de guarnecer pacientes e seus funcionários", afirma. O tenente-coronel relatou também que deixar dois a três policiais em custódia prejudica o patrulhamento e segurança das ruas da cidade. Dessa forma, se faz uma avaliação de cada pedido que chega à unidade. Nota do Hospital Centenário Em relação ao fato ocorrido na madrugada desta sexta-feira, dia 9 de novembro, quando quatro homens fortemente armados renderam os seguranças, entraram no Hospital, executando um paciente e ferindo outras duas pessoas. A direção do Hospital esclarece: 1 – Na quinta-feira, 8 de novembro, ao tomar conhecimento do ingresso de paciente vítima de arma de fogo, com informações de ameaças à sua integridade física, a Procuradoria Jurídica do Hospital emitiu ofício (n° 216/208) ao 25º Batalhão da Brigada Militar, solicitando escolta a esse paciente, o que não foi atendido. 2 – Por medida de segurança interna, o paciente foi transferido de leito para um quarto de isolamento. Pelo mesmo motivo, o leito ocupado por este paciente foi bloqueado, não sendo ocupado por nenhum outro paciente. 3 – Dado à gravidade do ocorrido, no início da manhã foi emitido um novo ofício (nº218/2018), ao 25° Batalhão, solicitando reforço na escolta. A Direção do Hospital Centenário lamenta profundamente o desfecho deste episódio, que vitimou um paciente internado na instituição, e feriu outras duas pessoas. Da mesma forma, reitera as medidas de segurança, e, tão logo seja possível, serão restabelecidos os fluxos de visitas e de acompanhantes.

    Cidades do RS que fazem fronteira com Uruguai e Argentina recebem reforço na segurança para o verão


    São 42 policiais da Força Nacional que atuam a partir desta sexta-feira (16) em Uruguaiana e Santana do Livramento. Eles se juntam a agentes da Polícia Federal até março de 2019. Cidades de Fronteira recebem reforço policial durante o verão Duas...

    São 42 policiais da Força Nacional que atuam a partir desta sexta-feira (16) em Uruguaiana e Santana do Livramento. Eles se juntam a agentes da Polícia Federal até março de 2019. Cidades de Fronteira recebem reforço policial durante o verão Duas cidades gaúchas que fazem fronteira com Uruguai e Argentina recebem reforço policial a partir desta sexta-feira (16) para ajudar na segurança aos moradores e turistas que passam pela região durante o verão. Serão 42 agentes da Força Nacional, sendo 26 para Uruguaiana e 16 para Santana do Livramento. Eles se juntam a policiais federais até março. Todos os anos, a Polícia Federal solicita o apoio da Força Nacional, mas somente agora o pedido foi atendido. Além do trabalho na Aduana brasileira, auxiliando na segurança e fiscalizando a entrada de turistas, os agentes também atuarão em operações para coibir crimes de fronteira. De dezembro de 2017 a março de 2018, quase 1 milhão de argentinos cruzaram a fronteira entre Passo de los Libres e Uruguaiana para passar as férias nas praias gaúchas e catarinenses. Este ano, a projeção é de queda de 30% na movimentação de estrangeiros, por conta da crise financeira na Argentina e também pela desvalorização do Peso em relação ao Real.
    Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção Brasileira, é velado em Pelotas

    Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção Brasileira, é velado em Pelotas


    Aldyr lutava contra um câncer de pele desde 2012. Ele era escritor, jornalista, desenhista e professor. Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção Brasileira, é velado em Pelotas O velório do professor Aldyr Garcia Schlee, autor de mais...


    Aldyr lutava contra um câncer de pele desde 2012. Ele era escritor, jornalista, desenhista e professor. Aldyr Schlee, criador da camisa canarinho da Seleção Brasileira, é velado em Pelotas O velório do professor Aldyr Garcia Schlee, autor de mais de dez livros e conhecido por ter criado a camisa canarinho, da Seleção Brasileira, começou às 7h desta sexta-feira (16) no Memorial Pelotas Cemitério Parque, no Sul do Rio Grande do Sul. O enterro está previsto para as 17h. Aldyr Schlee morreu na noite de quinta-feira (15), no Hospital Beneficência Portuguesa, em Pelotas, aos 83 anos. Ele lutava contra um câncer de pele desde 2012. Nascido em Jaguarão, era escritor, jornalista, desenhista e professor. Como escritor, chegou a receber o prêmio Açorianos de Literatura, em 2011, na categoria narrativa longa com o romance 'Don Frutos'. Neste ano, ele foi homenageado, junto com Lya Luft, pelo conjunto da obra. Aldyr lutava contra um câncer de pele desde 2012. Ele era escritor, jornalista, desenhista e professor. Gilberto Perin/Divulgação Há dois anos, ele foi escolhido orador da 44ª Feira do Livro de Pelotas. Na edição daquele ano, a feira marcou um século da morte do escritor pelotense João Simões Lopes Neto. Pela primeira vez o patrono foi um personagem, o vaqueano Blau Nunes, narrador da segunda obra de Simões. “É algo que eu não poderia abrir mão. Tenho uma ligação e um contato muito grande com a obra de Simões e quero falar muito de Blau Nunes: esse é a tradição viva do gaúcho e por isso é eterno”, disse Schlee sobre sua indicação. A prefeita da cidade, Paula Mascarenhas, decretou luto de três dias pelo falecimento do escritor. O Brasil de Pelotas, clube para o qual Schlee torcia, publicou uma nota para lamentar a perda. Initial plugin text Seleção Brasileira Esboço original da camisa canarinho feito por Aldyr Schlee Vinícius Guerreiro/GE Aldyr também foi o criador do uniforme da Seleção Brasileira, que virou um ícone mundial: a camisa canarinho, escolhida por meio de um concruso e apresentada pela primeira vez em 1954. A ideia era substituir a camisa branca do trágico "Maracanazo", quando a Seleção foi derrotada em pleno Maracanã pelo Uruguai, por 2 a 1, no quadrangular final da Copa de 1950. Ironicamente, ele se declarava torcedor do Uruguai. Sua ideia, na época inovadora e hoje usual aos olhos de quem vê a Seleção Brasileira, foi de colocar as cores da bandeira nacional no fardamento: camisa amarela com detalhes em verde, calção azul e meias brancas. O primeiro exemplar foi mostrado em 1954. Carreira Aldyr Garcia Schlee completaria 84 anos no próximo dia 22. Além de escritor, era jornalista, tradutor, Doutor em Ciências Humanas e professor universitário de Direito Internacional, por mais de 30 anos, na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Também fundou a Faculdade de Jornalismo na Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Em 1963, ganhou o prêmio Esso de jornalismo por reportagem sobre o xisto betuminoso no Rio Grande do Sul. Recebeu duas vezes o prêmio da Bienal de Literatura e outros seis do Açorianos (1997, 1998, 2001, 2010, 2011 e 2013).
    VÍDEOS: Bom Dia Rio Grande de sexta-feira, 16 de novembro

    VÍDEOS: Bom Dia Rio Grande de sexta-feira, 16 de novembro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul.
    Agência bancária é atacada em Cerro Branco

    Agência bancária é atacada em Cerro Branco


    De acordo com a Brigada Militar, os bandidos usaram explosivos para arrombar o banco. Ataque à agência do Banrisul aconteceu por volta das 3h. Brigada Militar/Divulgação Uma agência do Banrisul foi atacada na madrugada desta sexta-feira (16), em...


    De acordo com a Brigada Militar, os bandidos usaram explosivos para arrombar o banco. Ataque à agência do Banrisul aconteceu por volta das 3h. Brigada Militar/Divulgação Uma agência do Banrisul foi atacada na madrugada desta sexta-feira (16), em Cerro Branco, na Região Central do Rio Grande do Sul. De acordo com a Brigada Militar, os bandidos usaram explosivos para arrombar o banco, por volta das 3h. Foram encontradas diversas munições, possilvemente de espingarda e fuzil, segundo a BM. Câmeras de segurança estão sendo analisadas. Numa delas, a brigada identificou um dos bandidos espalhando miguelitos na estrada. Equipes da perícia e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) fazem uma análise do local para identificar se restaram explosivos. Policiais de Cachoeira do Sul, Candelária e de outros municípios próximos foram chamados para auxiliar no cerco policial. Segundo informações da BM, os bandidos teriam fugido numa camionete e em outro veículo menor. Não há informação sobre o número de criminosos que teriam atacado a agência, nem se eles conseguiram levar o dinheiro. Ninguém foi preso ainda. Munição encontrada pela Brigada Militar. Brigada Militar/Divulgação Polícias de Candelária, Cachoeira do Sul e de outros municípios próximos fazem buscas na região. Brigada Militar/Divulgação Criminosos espalharam miguelitos pela estrada. Brigada Militar/Divulgação
    Unipampa oferece 400 vagas em cursos de especialização gratuitos

    Unipampa oferece 400 vagas em cursos de especialização gratuitos


    Ao todo, são 12 cursos disponíveis para ingresso em 2019. As inscrições vão dos dias 23 a 30 de novembro deste ano. Universidade Federal do Pampa (Unipampa) abre 400 vagas para curso de pós-graduação. Reprodução/RBS TV A Universidade Federal...


    Ao todo, são 12 cursos disponíveis para ingresso em 2019. As inscrições vão dos dias 23 a 30 de novembro deste ano. Universidade Federal do Pampa (Unipampa) abre 400 vagas para curso de pós-graduação. Reprodução/RBS TV A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) disponibilizará 400 vagas em cursos gratuitos de pós-graduação, na modalidade stricto senso, contemplando 12 especializações. Ministradas em oito campi da instituição – Dom Pedrito, Caçapava do Sul, Bagé, Jaguarão, Itaqui, Uruguaiana, São Borja e São Gabriel –, as aulas têm previsão para iniciar ainda no primeiro semestre de 2019. Os interessados devem realizar a inscrição entre os dias 23 e 30 de novembro deste ano, pelo site do processo seletivo. As oportunidades são para diversas áreas do conhecimento. Confira abaixo as especializações disponíveis: Computacional em Ensino; Experimentação e Simulação; Educação Científica e Tecnológica; Gestão e Educação Ambiental; Agronegócio; Ensino de Ciências da Natureza: práticas e processos formativos; Ciências Exatas e Tecnologia; Produção Vegetal; Gestão da Educação Básica: articulação entre o político e o pedagógico; Políticas de Atenção à Criança e Adolescente em Situação de Violência; Políticas e Intervenção em Violência Intra-familiar; Educação: práticas de ensino interdisciplinares.

    Mulher é morta a facadas pelo namorado na frente da filha em Pelotas, diz polícia


    Caso aconteceu no bairro Guabiroba, por volta das 23h. Homem foi preso em seguida, com a arma do crime. Initial plugin text Uma mulher de 48 anos foi morta a facadas pelo namorado na frente da filha, em Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, na noite...

    Caso aconteceu no bairro Guabiroba, por volta das 23h. Homem foi preso em seguida, com a arma do crime. Initial plugin text Uma mulher de 48 anos foi morta a facadas pelo namorado na frente da filha, em Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, na noite desta quinta-feira (15). O caso aconteceu no bairro Guabiroba, por volta das 23h. O homem fugiu do local, mas foi preso em seguida. A Delegacia da Mulher investiga o caso, que trata como feminicídio. A vítima foi identificada como Jussara Guiote Cames, de 48 anos. A mãe dela havia morrido um dia antes, por problema de saúde. De acordo com a delegada responsável, Maria Angélica Silva, o homem foi até a casa da namorada, e os dois começaram a discutir. A filha de Jussara, de 17 anos, decidiu ir para o quarto. Como a briga se intensificou, ela decidiu ir até a cozinha. Foi quando presenciou o crime. "Ele já fazia ameaças com relação a término de relacionamento", diz a delegada. "No que se colheu de depoimentos, foi mais um caso de violência contra a mulher, de ciúmes", completa. A vítima foi atingida com mais de um golpe de faca. Uma necropsia será realizada. Após cometer o crime, o homem fugiu da casa, levando a faca. A Brigada Militar foi acionada e passou a fazer diligências. Ele foi encontrado, e a faca foi apreendida. No corpo dele também havia um ferimento. A prisão foi em flagrante, mas a delegada já pediu a conversão para preventiva e aguarda a reposta da Justiça. O homem está no Presídio Regional de Pelotas. João Pedro Gouveia da Silveira tem 52 anos e não quis prestar depoimento. Usou o direito de ficar em silêncio e se manifestar apenas em juízo. "Me pareceu bastante frio", observou a delegada. Conforme Maria Angélica, a filha da vítima está com familiares. "A gente tem a rede de proteção. Encaminhei ela para buscar ajuda no centro de referência com a outra irmã também, que não estava na casa. As duas estão se apoiando", acrescenta. Não havia registro na polícia da mulher contra o homem. Uma das filhas de Jussara comunicou em seu perfil no Facebook que o sepultamento ocorrerá no interior da cidade de Canguçu, às 9h de sábado (17).
    Disputa por terra: asilo de Porto Alegre e família quilombola protagonizam impasse

    Disputa por terra: asilo de Porto Alegre e família quilombola protagonizam impasse


    Tentativa de reintegração de posse trouxe problema à tona. Área é reivindicada por um dos asilos mais conhecidos da capital e por família de ex-funcionários que vivem ali desde a década de 60. Família mostra árvore genealógica do Quilombo...


    Tentativa de reintegração de posse trouxe problema à tona. Área é reivindicada por um dos asilos mais conhecidos da capital e por família de ex-funcionários que vivem ali desde a década de 60. Família mostra árvore genealógica do Quilombo Lemos, em Porto Alegre Otávio Daros/G1 O Asilo Padre Cacique e o Quilombo Gonçalves de Lemos protagonizam um impasse que já dura 10 anos envolvendo a disputa por um terreno em Porto Alegre. Na última semana, a primeira tentativa de reintegração de posse, com o objetivo de retirar as mais de 30 pessoas que vivem no local atualmente, trouxe o caso à tona. O pedido de desocupação do pedaço de terra, localizado nos fundos do número 1.250 da Avenida Padre Cacique, local próximo ao prédio onde funciona o asilo, foi levado à Justiça em 2009 por parte da Sociedade Humanitária Padre Cacique, alegando ser dona da propriedade. Constam como réus no processo Délzia Gonçalves de Lemos, já falecida, e outros oito familiares dela. Desde a década de 1960 até sua morte, Délzia viveu em uma casa construída no terreno em questão ao lado do marido Jorge Alberto Rocha Lemos, que também já morreu. Durante o mesmo período, o casal trabalhou na instituição, que hoje atende mais de 100 idosos, fazendo serviços gerais. Com o passar dos anos, a família foi aumentando. Atualmente, a segunda, a terceira e a quarta geração da Gonçalves de Lemos vivem no espaço, onde foram erguidas quatro moradias. Uma das quatro casas do Quilombo Lemos, em Porto Alegre Otávio Daros/G1 O advogado que representa o asilo, Artur Garrastazu, alega que, quando Jorge começou a trabalhar na instituição, a casa foi oferecida ao funcionário para que a ocupasse enquanto durasse o vínculo empregatício. Segundo o advogado, a residência já estava construída desde que a Sociedade Humanitária Padre Cacique adquiriu o terreno “há muitos anos”. Já o advogado Onir Araújo, que representa a família, defende que não havia nada no terreno na época em que Jorge começou a trabalhar no asilo. “Esse terreno nunca foi do asilo, era ‘terra de ninguém’, e quem deu alguma função social a esse terreno foi o casal Jorge e Délzia”, argumenta Onir. O advogado conta que Délzia era neta de escravos e, antes de se mudar para a capital, vivia em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo. Segundo ele, Délzia e o marido, que também era de fora de Porto Alegre, fixaram moradia, inicialmente, no bairro Lomba do Pinheiro. Foi então que os dois começaram a trabalhar no asilo e, para chegar ao local, passavam por um matagal que ficava nos fundos na instituição. De acordo com a defesa, o próprio Jorge foi quem comprou os materiais de construção à época e construiu a casa para morar com a esposa no terreno que era inutilizado. Crianças e adolescentes brincam no Quilombo Lemos, em Porto Alegre Otávio Daros/G1 Após a morte de Jorge, em 2008, a instituição pediu para a família deixar o terreno. Conforme o advogado do asilo, Délzia, viúva na época, negou-se a sair. Foi então que a Sociedade Humanitária Padre Cacique entrou com uma ação de usucapião e conseguiu comprovar a posse da propriedade. Depois, ajuizou uma ação pedindo a reintegração de posse. A causa foi ganha pelo asilo na Justiça, os recursos dos réus não foram aceitos. A certidão de trânsito em julgado, quando não há mais recursos possíveis, foi emitida no dia 9 de agosto de 2018 pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Após anos de tramitação, o juiz determinou, por fim, a desocupação do local. De acordo com o presidente do asilo, Edson Brozoza, já há um projeto para a construção de um centro de convivência no espaço, que seria uma creche para idosos carentes com estimativa de atender mais 150 pessoas. A tentativa de reintegração de posse Batalhão de Choque da Brigada Militar acompanhou a tentativa de reintegração de posse no dia 7 de novembro Reprodução/RBS TV Um tumulto ocorreu na manhã da última quarta-feira (7) no terreno da Avenida Padre Cacique. A Brigada Militar foi cumprir o mandado judicial de reintegração de posse, mas as famílias que estavam no local se negaram a ir embora e contaram com o apoio de movimentos sociais. Os moradores reclamaram que apenas a Brigada Militar participou, sem que o Ministério Público Federal ou o Conselho Tutelar fossem acionados, já que há crianças vivendo ali. Sandro Gonçalves de Lemos, líder do Quilombo Lemos, disse que foi pego de surpresa. Ele conta que já havia até caminhão de mudança e um trator no local. "Eu pedi meia hora, disse: 'eu tenho pessoas dormindo, tenho mulheres dormindo, tem casas que estão fechadas porque as pessoas estão trabalhando e eu tenho que chamar as pessoas para virem pegar seus pertences'", lembra. De acordo com a defensora pública do estado Isabel Wexel, que foi chamada ao local pelos moradores, o oficial de Justiça não cumpriu o protocolo determinado para reintegrações e, por isso, ela pediu o cancelamento da desocupação do local. A advogada explica que, em julho de 2017, o Ministério Público e a Defensoria Pública montaram um requerimento que deve ser cumprido nas reintegrações. Movimentos sociais se juntaram às famílias que moram no local em apoio no dia da tentativa de desocupação Reprodução/RBS TV O documento recomenda a realização de uma reunião preparatória para a remoção, com a participação dos moradores, do juiz que determinou a reintegração de posse da área, do oficial de Justiça responsável pelo cumprimento da ordem, do Ministério Público, da Defensoria Pública e do Conselho Tutelar. O encontro deveria tratar do destino das famílias a serem removidas. Também pede que as pessoas que precisarão deixar o local sejam comunicadas previamente sobre o dia e a hora em que a ordem será cumprida, evitando que seja feito à noite. Por isso, por volta do meio-dia, a reintegração foi suspensa, com a promessa de que o imóvel seria desocupado pacificamente no prazo máximo de três dias. Uma reunião foi realizada no dia seguinte, quinta-feira (8), envolvendo as partes. Ficou combinado que a reintegração não seria realizada até o fim daquela semana. Por ora, o processo de reintegração está suspenso, mas as famílias têm medo de que possa voltar a ser cumprido a qualquer momento. "O risco é 24h por dia de acontecer tudo de novo", diz Sandro, que relata que a comunidade não tem para onde ir. A família Gonçalves de Lemos Sandro mostra fotografia e atestado de óbito de sua avó, filha de escravos Otávio Daros/G1 Sandro, filho de Délzia e de Jorge, acompanhou todo o crescimento da família Gonçalves de Lemos. "Nasci aqui no quilombo", conta ele, que possui quatro irmãos. O terreno que hoje abriga 33 pessoas, filhos, netos e bisnetos do casal, já chegou a receber mais de 60 sucessores. Só que o espaço ficou pequeno para a comunidade, que não parava de crescer. Alguns acabaram deixando o local ao longo dos anos. A comunidade é remanescente do Quilombo de Maçambique, que fica no 3º distrito de Canguçu, no limite com Encruzilha do Sul. "Minha bisavó é de lá, minha avó, eu tenho primos lá", relata Sandro. Aos 43 anos, ele lembra bem das histórias contadas pela mãe. "A minha mãe relatava também que onde ela nasceu ainda tinha alguma resistência racial, a segregação estava bem forte ainda", lembra. Sandro mostra fotografia de sua avó, filha de escravos Otávio Daros/G1 Em 1951, Délzia veio para a capital acompanhada da mãe. Quatro anos depois, casou-se com Jorge. Segundo Sandro, os três foram os primeiros moradores do terreno na Zona Sul de Porto Alegre, em 1964. Naquele tempo, a cidade ainda não contava com o aterro definitivo da Orla do Guaíba, não existia a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase), nem o Estádio Beira-Rio. Ele diz que o pai trabalhou 44 anos no Asilo Padre Cacique, e mãe, 35. A consciência sobre suas origens sempre foi uma preocupação da família. "Minha vó, minha mãe, meus tios sempre passaram isso, que a gente era remanescente de quilombo, mesmo se perdendo o contato, porque minha mãe veio para cá e, naquele tempo, a comunicação era difícil", conta. A avó de Sandro, Anna Júlia Ribeiro Gonçalves, viveu de 1900 até 1984. Embora tenha nascido após a abolição da escravatura no Brasil, o neto relata que ela passou por situações de opressão, ainda que esses episódios já não fossem mais considerados trabalho escravo. Moradores do Quilombo Lemos, em Porto Alegre Otávio Daros/G1 "Não tem nada diferente, eu acho que, hoje, nós negros, falando especificamente dos negros, a gente é um pouco mais unido, tem mais esclarecimento. Minha mãe nasceu e trabalhou sempre na casa dos brancos e sempre foi oprimida, sempre vendo os brancos sentados à mesa e ela não. E hoje ainda está latente, é por isso que no quilombo a gente trabalha com essa ideia de que todos somos iguais", defende Sandro. Durante o dia, Sandro costuma estar em casa. À noite, trabalha em um bar fazendo "de tudo um pouco". Ele frisa que o espaço é cultural e aberto a todos e que conta com atividades como capoeira, maracatú, além de evento voltados a mulheres e crianças. "O quilombo não é um espaço só de negros. Quem conhece a história, infelizmente poucas pessoas conhecem a história, acha que o quilombo é um amontoado de negros. O Quilombo dos Palmares abrigou também brancos pobres que não tinham para onde ir", conclui, referindo-se a um dos quilombos mais importantes da história, do período colonial brasileiro. O que é e como registrar um território quilombola O Quilombo Lemos aguarda a demarcação da área, após abrir um processo de regularização fundiária no último dia 8 de novembro, um dia após a tentativa de reintegração, ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Segundo informações repassadas pelo instituto, o pedido está no trâmite das etapas necessárias para a concretização da demarcação (confira abaixo). O quilombo já tem um documento importante para ganhar o título da terra: a Certidão de Autodefinição emitida pela Fundação Cultural Palmares, necessária para o trâmite no Incra. De acordo com a fundação, a comunidade é remanescente dos quilombos. Para que a certidão seja emitida, uma série de aspectos são analisados pela fundação, levando em conta as exigências do art. 2º do decreto 4.887, que define: "Consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos, para os fins deste Decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto-atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida". Conforme a fundação, o grupo atende os critérios previstos em lei. Quilombo Lemos possui certidão de autodeclaração da Fundação Palmares, um dos passos para conseguir a demarcação da terra Reprodução Etapas para a demarcação de terra quilombola pelo Incra Abertura do processo na autarquia Elaboração de série de estudos e levantamentos (laudo sócio-histórico-antropológico, cadastro de famílias, levantamentos fundiários, cartográficos, entre outros), que resultam no Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) do território em questão. Este RTID é publicado no Diário Oficial, e abre-se um prazo a interessados de contestação ao relatório Publicação de uma Portaria de Reconhecimento, formalizando a identificação final do território, após análise das contestações do RTID Publicação de decreto pela presidência da República, autorizando a desapropriação da terra Ajuizamento de ações necessárias, pelo Incra. Com as áreas em seu nome, o Instituto transfere a titularidade para a comunidade. O título da área é emitido em nome da associação comunitária, é um título coletivo, pró-indiviso, imprescritível – não pode ser vendido ou penhorado. O Título de Domínio garante a posse definitiva da área Ainda de acordo com o Incra, 105 processos estão abertos para regularização de territórios no Rio Grande do Sul. Destes, 23 já tiveram o RTID publicado, 13 já tiveram a portaria de reconhecimento publicadas, e quatro comunidades estão tituladas, em fase final do processo. São elas: Chácara das Rosas, em Canoas, Família Silva, em Porto Alegre, Casca, em Mostardas e Rincão dos Marimianos (Restinga Seca).
    Anaadi recebe Grammy Latino 2018 pelo álbum 'Noturno' em premiação em Las Vegas

    Anaadi recebe Grammy Latino 2018 pelo álbum 'Noturno' em premiação em Las Vegas


    Cantora porto-alegrense foi a grande vencedora na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa. Cerimônia foi realizada nesta quinta-feira (15). Anaadi recebe prêmio do Grammy Latino 2018, em Las Vegas Reprodução/Facebook A...


    Cantora porto-alegrense foi a grande vencedora na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa. Cerimônia foi realizada nesta quinta-feira (15). Anaadi recebe prêmio do Grammy Latino 2018, em Las Vegas Reprodução/Facebook A cantora gaúcha Ana Lonardi, conhecida artisticamente como Anaadi, foi a grande vencedora do Grammy Latino 2018 na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa com o álbum "Noturno". O prêmio de música mais importante da América Latina foi entregue nesta quinta-feira (15), em cerimônia realizada em Las Vegas, nos Estados Unidos. Além da categoria premiada, em que concorreu com nomes como Erasmo Carlos e Iza, Anaadi também foi indicada para Gravação do Ano, Artista Revelação e Melhor Álbum de Engenharia de Gravação. Em seu perfil nas redes sociais, a cantora comemorou o reconhecimento. "Muchas Gracias a la Academia de Gravación Latin Grammys! Viva a Música Independente! Gratidão ao meu produtor musical, Leo Bracht, que concebeu e fez cada pedacinho desse disco comigo e que acreditou que a gente poderia estar aqui hoje! Esse prêmio é nosso! A todos os amigos que acreditaram nesse projeto e colocaram um pedacinho de si, muito lindo poder contar com vocês! Mãe, pai, a gente conseguiu!!!" Ana Lonardi ficou conhecida nacionalmente após sua participação no reality show musical The Voice Brasil, em 2013. "Noturno", o álbum premiado, é seu primeiro disco e foi lançado de forma independente. Anaadi foi indicada a quatro categorias do Grammy Latino 2018 Rodrigo Varela/Getty Images
    Vendas na Feira do Livro de Porto Alegre crescem 9% nos primeiros 10 dias de evento

    Vendas na Feira do Livro de Porto Alegre crescem 9% nos primeiros 10 dias de evento


    Segundo a organização, já foram vendidos cerca de 11 mil exemplares a mais do que no ano passado. Área Infantil registra o maior crescimento, com 44% a mais que em 2017. Feira do Livro recebe grande público no feriado As vendas da Feira do Livro...


    Segundo a organização, já foram vendidos cerca de 11 mil exemplares a mais do que no ano passado. Área Infantil registra o maior crescimento, com 44% a mais que em 2017. Feira do Livro recebe grande público no feriado As vendas da Feira do Livro de Porto Alegre tiveram crescimento de 9% nos 10 primeiros dias em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo balanço divulgado pela Câmara Rio-Grandense do Livro, organizadora do evento que está em sua 64ª edição, nesta quinta-feira (15). De 1º a 11 de novembro, foram vendidos 137.802 exemplares, contra 126.491 exemplares em 2017. A área Infantil foi a que teve maior aumento, um total de 44% na comparação com o ano passado. Neste ano, já foram vendidos 25.505 exemplares de literatura infantil. Em 2017, a parcial era de 17.703 obras. A área Geral vendeu 2% a mais (105.710 exemplares em 2017 e 108.129 em 2018), enquanto a área Internacional teve aumento de 35% (3.078 exemplares em 2017 e 4.169 em 2018). Área Infantil apresentou aumento de 44% nas vendas nos primeiros 10 dias em comparação com 2017 Bere Fischer/Divulgação Os números acompanham a expectativa criada pelo primeiro balanço de vendas, que registrou os primeiros quatro dias de evento. De 1º a 4 de novembro, as vendas aumentaram 15% na média entre as áreas Geral, Infantil e Internacional, em relação ao mesmo período do ano passado, passando de 47.786 exemplares em 2017 para 55.003 em 2018. Em 2017, a programação fechou com queda de 14% no total da vendas, frente ao declínio de 19% registrado no ano anterior. A média de público neste ano tem sido de 70 mil pessoas por dia, também de acordo com o balanço. A expectativa é fechar a programação com mais de 1 milhão de pessoas. A feira começou na última quinta (1°) e segue até o dia 18 de novembro. Mais de 100 bancas participam da feira (85 na Geral, 13 na Infantil e sete na Internacional - em frente ao Margs). A patrona deste ano é a escritora Maria Carpi, terceira mulher consecutiva a ocupar o posto da Feira do Livro de Porto Alegre. Média diária de público está sendo de 70 mil pessoas, segundo a organização Bere Fischer/Divulgação Horário de funcionamento Área Infantil e Juvenil Bancas: 9h30 às 20h30 Programação: 9h às 20h30 Área Geral e Internacional Dias úteis, domingos e feriados: 12h30 às 20h30 Sábados: 10h às 20h30
    VÍDEOS: RBS Notícias desta quinta-feira, 15 de novembro

    VÍDEOS: RBS Notícias desta quinta-feira, 15 de novembro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul.

    Saída de Cuba do Mais Médicos deve afetar quase 1,8 milhão de pacientes no RS


    Seiscentos médicos cubanos trabalham em 361 municípios gaúchos. Governo cubano atribuiu decisão de deixar o programa a 'declarações ameaçadoras e depreciativas' do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Secretaria Estadual da Saúde afirma que...

    Seiscentos médicos cubanos trabalham em 361 municípios gaúchos. Governo cubano atribuiu decisão de deixar o programa a 'declarações ameaçadoras e depreciativas' do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Secretaria Estadual da Saúde afirma que médicos cubanos ainda continuam trabalhando Quase 1,8 milhões de pacientes que vivem no Rio Grande do Sul deverão ser afetados pela saída de cubanos do programa Mais Médicos. O estado conta com 600 profissionais caribenhos atuando em 361 municípios, incluindo Porto Alegre. Autoridades de saúde do estado dizem ter sido surpreendidas com a decisão do governo cubano, e querem evitar a saída dos médicos antes da chegada de novos profissionais. "Solicitamos que o governo federal brasileiro e o governo cubano cheguem a um acordo para que tenhamos prazo adequado para fazer essa substituição", disse o diretor geral da Secretaria de Saúde, Elson Farias. Segundo ele, os cubanos seguem trabalhando no estado, e os atendimentos serão mantidos. "Não recebemos nenhuma notificação. Os médicos continuam nas unidades amanhã [sexta]. Falamos com alguns hoje e nada foram comunicados oficialmente, então amanhã as agendas que estão com os médicos continuam, as atividades todas previstas não houve nenhuma alteração no trabalho das equipes", afirma. Nesta quarta (14), o presidente eleito Jair Bolsonaro informou que o governo cubano decidiu deixar o programa por não concordar com testes de capacidade. O Ministério de Saúde Pública de Cuba, contudo, disse ter tomado a decisão em razão de "declarações ameaçadoras e depreciativas" de Bolsonaro. O salário dos cubanos é de R$ 11 mil, pago pelo governo federal. No entanto, 70% do valor fica com o governo de Cuba, e o médico recebe menos de R$ 4 mil. As prefeituras entram com auxílio-moradia e alimentação. Em São Vicente do Sul, na Região Central do estado, duas das três médicas que trabalham nos postos de saúde são cubanas, e estão contratadas até 2020. No entanto, com a decisão do governo de Cuba de encerrar a parceria com o Brasil no programa Mais Médicos, terão de deixar o país. "Eu consegui ajudar mais da metade, mas ainda falta muito para ajudar mais adiante, o resto da população", disse a médica Yarislay Pena Torres, uma das cubanas que atuam na cidade. "Mas temos que voltar", lamenta. Segundo a secretária da Saúde de São Vicente do Sul, Karine Braibante Flores, dos 8 mil habitantes, 6 mil serão prejudicados. "Nossa preocupação é essa, que não vamos conseguir suprir e fazer toda estratégia de saúde de família como preconiza o Ministério da Saúde", diz Karine. Moradores têm o mesmo receio. "Se perdermos elas, aqui vai ser bem complicado, porque vai aumentar a demanda no Posto Central e aí vai complicar bem mais", prevê a dona de casa Márcia Rumpel Lutz. Em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, o aposentado Renê Barbosa da Silva segue à risca tratamentos para diabetes há quase 20 anos. Nos dois últimos, vem sendo acompanhado por um médico cubano. "Sempre foi um bom médico", conta o aposentado. "Sempre conversando, rindo, me dando os remédios certos", diz. Em Porto Alegre, 13 médicos cubanos trabalham em postos de saúde. Há cinco anos, a família da estudante Inaê Mônaco recebe atendimento. Ela conta que a presença dos caribenhos foi determinante para a cura do problema de pele da filha. "Eles foram muito atenciosos com esse caso dela, porque já tínhamos passado por outros médicos, tínhamos tentado fazer outros tipos de tratamento para curar essas feridas que ela tem na pele. E eles deram atenção muito especial", conta. O Ministério da Saúde anunciou que vai lançar nos próximos dias um edital para convocar médicos que queiram ocupar ocupar as vagas dos cubanos. São mais de 8 mil em todo o país. Na próxima semana, prefeitos gaúchos participam de reuniões em Brasília para discutir o impacto da saída de Cuba do programa. Initial plugin text
    Operação da Polícia Civil e PM recupera 104 bovinos furtados na Fronteira Oeste do RS

    Operação da Polícia Civil e PM recupera 104 bovinos furtados na Fronteira Oeste do RS


    Operação da Polícia Civil e da Brigada Militar, em Santana do Livramento e Quaraí, identificou três suspeitos de envolvimento no crime. Dois deles foram presos. Polícia Civil e BM recuperam 104 cabeças de gado no oeste do Estado. Divulgação /...


    Operação da Polícia Civil e da Brigada Militar, em Santana do Livramento e Quaraí, identificou três suspeitos de envolvimento no crime. Dois deles foram presos. Polícia Civil e BM recuperam 104 cabeças de gado no oeste do Estado. Divulgação / Polícia Civil Uma operação realizada pela Brigada Militar e pela Polícia Civil recuperou nesta semana 104 bovinos que haviam sido furtados de propriedades na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Três suspeitos foram identificados, e dois deles foram encaminhados ao Presídio de Santana do Livramento. Nesta quarta-feira (14), uma ação conduzida pela Polícia Civil recuperou 56 animais que haviam sido furtados de uma propriedade em Santana do Livramento. As investigações foram motivadas pela busca anterior, realizada pela Brigada Militar de Quaraí, que na última terça-feira (13), resgatou as outras 48 cabeças de gado. Três suspeitos foram presos em flagrante, e um deles foi liberado. Segundo a delegada Giovana Muller, responsável pelo caso, o grupo foi interrogado, e com eles a polícia encontrou ainda uma arma de uso restrito. "Conseguimos descobrir a ligação do trio com os dois furtos a partir da operação iniciada pela Brigada Militar, que foi continuada pela Polícia Civil. O trio costumava furtar na localidade e vender os bovinos ali mesmo, com registro e documentação. Parte do rebanho estava desaparecida desde julho desse ano", explica Muller. De acordo com as investigações, os animais foram reconhecidos pelo proprietário das duas propriedades que foram alvo dos criminosos. A ação contou com o apoio de agentes da Inspetoria Veterinária.
    Desaparecimento de gerente bancário mobiliza população de Anta Gorda, interior do RS

    Desaparecimento de gerente bancário mobiliza população de Anta Gorda, interior do RS


    Gerente do Sicredi Jacir Potrich está sumido desde a noite da última terça-feira (13). Buscas tiveram início na última quarta, quando foi registrado o sumiço, depois de uma pescaria; açude foi esvaziado. Local onde a polícia realiza as buscas...


    Gerente do Sicredi Jacir Potrich está sumido desde a noite da última terça-feira (13). Buscas tiveram início na última quarta, quando foi registrado o sumiço, depois de uma pescaria; açude foi esvaziado. Local onde a polícia realiza as buscas e fica próximo à residência do desaparecido Divulgação/Polícia Civil O desaparecimento de Jacir Potrich, de 55 anos, mobiliza policiais, bombeiros e moradores do pequeno município de Anta Gorda, no Vale do Taquari, interior do Rio Grande do Sul. As buscas tiveram início na última quarta-feira (14), quando foi registrado o sumiço, depois de uma pescaria em um açude. Há 25 anos, Potrich é gerente bancário na unidade do Sicredi que fica na cidade situada a 184 km de Porto Alegre. A procura por pistas reúne relatos de familiares, da comunidade e imagens de câmeras de segurança do condomínio onde Potrich mora com a esposa. Nesta quinta (15), bombeiros esvaziaram um açude, localizado a cerca de 30 metros do residencial, na tentativa de achar alguma informação sobre o paradeiro do gerente, mas nada foi encontrado. O filho Vinicius fez um pedido de ajuda no Facebook, que até o final da tarde desta quinta teve 5 mil compartilhamentos. Informações sobre o caso devem ser repassadas à Polícia Civil ou à Brigada Militar. Initial plugin text O caso é conduzido pelo delegado Guilherme Pacífico, que não descarta nenhuma possibilidade. Segundo ele, Potrich foi visto pela última vez por volta das 19h de terça. Naquele dia, o bancário teve uma rotina normal, trabalhou até as 15h, foi para casa e, mais tarde, saiu para pescar no açude. De acordo com a polícia, a esposa de Potrich estava em um curso, em Passo Fundo, no norte do estado, e o marido estava sozinho em casa. "Possuímos câmeras na casa e também nas casas ao redor, mas o local onde ele sumiu é um ponto cego. Não tem rastros, pistas e ninguém na cidade e nem na região ouviu nada. Ele estava super bem, não tomava remédios controlados e fazia exames periodicamente. Hoje recomeçaram as buscas com mais força", conta Vinícius Potrich, filho do gerente. Açude onde Potrich foi pescar, antes de ser esvaziado pelos bombeiros Rádio Cultura/divulgação A pescaria era um costume que Potrich praticava com frequência, segundo o delegado. No fim da tarde, ele limpou e guardou os peixes. Depois disso, o gerente de banco não foi mais visto. Até agora, o único sinal de que algo aconteceu está na pia do quiosque do condomínio. Conforme a investigação, o lugar estava sujo por causa do pescado – o que não é comum, de acordo com familiares. De acordo com a investigação, a casa estava trancada e nada foi levado. Apesar disso, o filho relata que o celular do pai sumiu e está desligado.
    Mulher morre em acidente entre carro e ônibus na BR-293 em Pinheiro Machado

    Mulher morre em acidente entre carro e ônibus na BR-293 em Pinheiro Machado


    Acidente aconteceu na manhã desta quinta-feira (15). Segundo a PRF, motorista do carro ficou gravemente ferido. No ônibus, ninguém se machucou. Carro e ônibus se envolveram em acidente na BR-293 Gilmone Aires Bicca/Blog PinheirOnline Uma mulher de...


    Acidente aconteceu na manhã desta quinta-feira (15). Segundo a PRF, motorista do carro ficou gravemente ferido. No ônibus, ninguém se machucou. Carro e ônibus se envolveram em acidente na BR-293 Gilmone Aires Bicca/Blog PinheirOnline Uma mulher de 26 anos morreu em acidente entre carro e ônibus na manhã desta quinta-feira (15) na BR-293, no trevo de acesso a Pinheiro Machado. Ela era passageira do veículo de passeio. O motorista, de 38 anos, ficou gravemente ferido, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). No coletivo, ninguém se machucou. A colisão foi transversal. O ônibus tinha placas de Bagé, e o carro, de Rio Grande. A pista já está liberada no local do acidente, que ocorreu no km 105,8. Segundo a PRF, passageira morreu e motorista ficou gravemente ferido Gilmone Aires Bicca/Blog PinheirOnline
    Ação ecológica arrecada mais de 100 mil garrafas pet para decorações de Natal em Passo Fundo

    Ação ecológica arrecada mais de 100 mil garrafas pet para decorações de Natal em Passo Fundo


    11ª edição do projeto conta com ajuda de empresários e voluntários para confeccionar enfeites natalinos e decorar praças da cidade. Natal Ecológico do Boqueirão Legal embeleza Passo Fundo As cores natalinas têm atraído os olhares de quem...


    11ª edição do projeto conta com ajuda de empresários e voluntários para confeccionar enfeites natalinos e decorar praças da cidade. Natal Ecológico do Boqueirão Legal embeleza Passo Fundo As cores natalinas têm atraído os olhares de quem passa pela Praça Antônio Moretti, no bairro Boqueirão, em Passo Fundo, na Região Norte do Rio Grande do Sul. O colorido é parte da ação “Natal Ecológico Boqueirão Legal”, realizada há 11 anos no município, com a finalidade de reaproveitar materiais recicláveis para confeccionar enfeites de Natal. Com a ajuda de voluntários e de um grupo de empresários locais, a iniciativa arrecadou mais de 100 mil garrafas pet para o projeto de decoração das praças, parques e ruas do município, produzindo Papai Noel, renas e bengalinhas de plásticos. Decoração ecológica na praça de Passo Fundo. Reprodução / RBS TV De acordo com o coordenador do Natal Ecológico, Carlos Damiani, o projeto surgiu para que as pessoas pudessem vivenciar o espírito natalino com amigos e familiares fora de casa, em um espaço de convivência coletivo e público. “Tornou-se um evento para toda a cidade de Passo Fundo. Muita gente de fora vem aqui. É uma proposta diferente. As pessoas vêm realmente para conviver, tomar um chimarrão e participar”, conta Damiani. As atividades do Natal no Boqueirão se iniciam na próxima semana, no domingo (25), e seguem até 28 de dezembro, mas quem mora ou passeia pela região já pode sentir os impactos da mobilização social. “O lugar fica mais bonito e mais alegre com a decoração. Ecologia também, pois não vai para o lixo”, comenta o aposentado Eduardo Carneiro, ao destacar o valor sustentável da ação. Para Mauro Moreira, presidente da associação de moradores do bairro, a iniciativa contribui com a manutenção da Praça Antônio Moretti. “Aqui nós temos empresas que cuidam do local, que preservam essa praça. Com certeza as pessoas que veem um lugar cuidado, que não está abandonado, elas cuidam também”, pontua Moreira.
    Com ajuda de 'vaquinha' e de apoiadores, Parada Livre de Porto Alegre acontece neste domingo

    Com ajuda de 'vaquinha' e de apoiadores, Parada Livre de Porto Alegre acontece neste domingo


    Evento será na Redenção, a partir das 14h. Às 17h30, está programada uma caminhada com cinco trios elétricos ao redor do parque. Serão mais de 40 apresentações artísticas e musicais. Milhares de pessoas acompanharam a Parada Livre de Porto...


    Evento será na Redenção, a partir das 14h. Às 17h30, está programada uma caminhada com cinco trios elétricos ao redor do parque. Serão mais de 40 apresentações artísticas e musicais. Milhares de pessoas acompanharam a Parada Livre de Porto Alegre, em 2017. Carol Anchieta/RBS TV Depois de receber contribuições espontâneas de uma "vaquinha" online e a ajuda de apoiadores, a Parada Livre de Porto Alegre será realizado neste domingo (18), no Parque Farroupilha, Redenção. O palco do evento, que correu o risco de não acontecer por falta de dinheiro, estará montado próximo ao Espelho D'Água, na Rua Setembrina, das 14h às 21h. Serão cinco trios elétricos e mais de 40 atrações artísticas, entre elas shows musicais e apresentações de drag queens. Às 17h30, está programada uma caminhada ao redor do parque. Os trios saem da Rua Setembrina, passam pela Avenida Osvaldo Aranha, depois seguem pela Rua José Bonifácio e Avenida João Pessoa e retornam para a rua Setembrina. Realizado por 20 coletivos LGBT+, a edição deste ano conseguiu arrecadar quase R$ 20 mil pela internet, e conta ainda com o apoio sindicatos e instituições que viabilizaram a estrutura de palco, os trios elétricos, banheiros químicos, camarins e a segurança da parada. O ato que celebra a diversidade e pede um basta para a violência contra a população LGBT+ tem como tema "Resistir para não morrer". Segundo um dos organizadores, Gabriel Galli, coordenador geral da ONG Somos, o evento deve chamar a atenção para as agressões contra os homossexuais. "Que a parada seja um marco das pessoas que estão sendo oprimidas na cidade. Estamos num momento muito delicado da política brasileira. Estão nos usando como bode expiatório. Na verdade, tudo isso é uma cortina de fumaça para que eles [novo governo] passem coisas que realmente impactam, como a Reforma da Previdência. Temos muitos relatos de agressões por apoiadores ao candidato que ganhou". Todos os anos, milhares de pessoas colorem as ruas da capital gaúcha com as cores do arco-íris para pedir respeito. Em 2017, cerca de 80 mil pessoas celebraram a luta contra o preconceito. Neste ano, os organizadores esperam repetir esse número. Além do tom de protesto contra a intolerância, a Parada é uma oportunidade de mostrar que lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis existem e não estão sozinhos. "A primeira vez que eu fui, eu devia ter uns 16, 17 anos, e eu estava sofrendo várias discriminações na escola. Foi a primeira vez que eu me senti num lugar, na rua, vendo 30 mil pessoas iguais a mim ao meu redor", recorda Galli. Parada Livre de Porto Alegre reuniu centenas de pessoas no Parque Farroupilha Carol Anchieta/RBS TV
    Porto de Rio Grande comemora 103 anos com aumento na movimentação

    Porto de Rio Grande comemora 103 anos com aumento na movimentação


    Único terminal marítimo do Rio Grande do Sul, porto funciona há mais tempo, mas data do aniversário foi escolhida quando as obras dos molhes da Barra e dos armazéns do cais ficaram prontas, em 1915. Porto de Rio Grande comemora 103 anos, veja a...


    Único terminal marítimo do Rio Grande do Sul, porto funciona há mais tempo, mas data do aniversário foi escolhida quando as obras dos molhes da Barra e dos armazéns do cais ficaram prontas, em 1915. Porto de Rio Grande comemora 103 anos, veja a programação Único terminal marítimo do Rio Grande do Sul, o Porto de Rio Grande comemora 103 anos nesta quinta-feira (15) com aumento nas movimentações. De janeiro a outubro, foram movimentadas quase R$ 35,9 milhões de toneladas. O crescimento é de quase 4% na comparação com o desempenho nos 10 primeiros meses do ano passado. A data de aniversário foi escolhida quando as obras dos molhes da Barra e dos armazéns do cais ficaram prontas, em 1915. O porto, na verdade, funciona há bem mais tempo. O início das operações datam de mais de 250 anos. Para comemorar, a Rua Riachuelo, na beira da Lagos dos Patos, é palco de ações de saúde, aula de ginástica, passeio ciclístico, atrações para crianças, food trucks e música durante todo o dia. Às 19h, a banda Chimarruts se apresenta de graça. Porto de Rio Grande comemora 103 anos Divulgação/SUPRG Movimentações De acordo com dados da Superintendência do Porto de Rio Grande, entre os segmentos operacionais, a carga geral está com 11,1% de aumento quando comparado ao mesmo período do ano anterior. São mais de 10 milhões de toneladas, sendo que um dos principais produtos é a celulose. Sozinho, o produto já movimentou mais de 1,3 milhões em 2018, um aumento de 26,9% quando comparado ao ano anterior. No complexo soja (óleo, farelo e grão), o crescimento é de 2,6% no período analisado: já foram mais de 14,1 milhões de toneladas. Somente o grão de soja movimentou 11,8 milhões de toneladas, aumento de 6,7% ante 2017. "Estamos em um momento ímpar e obtendo em 2018 os melhores índices em 103 anos de história. Isso não fica somente resumido a números, falamos em requisição de trabalhadores portuários, geração de receitas, empregos nos terminais privados. Toda uma cadeia de desenvolvimento é gerada a partir do Porto", avalia o diretor superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco. Quanto à movimentação portuária, a navegação interior teve crescimento de 17% no número de viagens de embarcações. Movimentando com mais de 90 países do mundo, o Porto do Rio Grande tem como principais destinos a China, Coreia do Sul, Marrocos, Espanha e Estados Unidos. Como principais origens das importações estão Arábia Saudita, Canadá, Rússia, Marrocos e Israel. Obra de dragagem A capacidade do terminal será ampliada de 12 para 14 metros no ano que vem. As obras de dragagem começaram no dia 29 de outubro, com previsão de conclusão para 10 meses. Irão trabalhar na obra 30 pessoas, 24 horas por dia. Serão retirados 16 milhões de metros cúbicos de sedimentos do canal, o equivalente a 6,4 mil piscinas olímpicas cheias. Os 24 mil metros cúbicos de lama que serão sugados ficarão armazenados para, depois, serem descartados a 20 milhas náuticas (aproximadamente 37 km) da costa. A partir de dezembro, outra embarcação vai auxiliar na obra do porto. A última dragagem do canal foi realizada em 2013. Desde então, a nova limpeza esbarrava na burocracia e na falta de licença ambiental. Na semana passada, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil assinou esteve em Rio Grande para assinar o documento de início das obras. O investimento é de R$ 300 milhões. A dragagem contará com monitoramento da qualidade da água, monitoramento da dragagem a partir dos sensores da draga que discriminam os locais dragados, programa de monitoramento da área de descarte e utilização de traçadores. A obra está integrada ao sistema SimCosta da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), que monitora a costa brasileira.
    Veículo de luxo com R$ 30 mil em dívidas de IPVA é apreendido em Porto Alegre

    Veículo de luxo com R$ 30 mil em dívidas de IPVA é apreendido em Porto Alegre


    De acordo com a EPTC, Ferrari, que custa cerca de R$ 905 mil, também tem aproximadamente R$ 4,6 mil em multas por infrações. Veículo foi abordado quando o motorista trafegava pela rua Avenida Wenceslau Escobar, no bairro...


    De acordo com a EPTC, Ferrari, que custa cerca de R$ 905 mil, também tem aproximadamente R$ 4,6 mil em multas por infrações. Veículo foi abordado quando o motorista trafegava pela rua Avenida Wenceslau Escobar, no bairro Cristal. EPTC/Divulgação Uma blitz de Balada Segura apreendeu uma Ferrari, na madrugada desta quinta-feira (15), no bairro Cristal, Zona Sul de Porto Alegre. O veículo, com placas da capital, era dirigido por um homem que transportava uma passageira. Ele foi abordado quando trafegava pela Rua Avenida Wenceslau Escobar, por volta de 1h da madrugada. De acordo com a EPTC, o veículo tem cerca de R$ 4,6 mil em multas vencidas por infrações. Já a dívida de IPVA pode chegar a R$ 30 mil. O veículo foi transferido recentemente para o Rio Grande do Sul. O G1 localizou o proprietário, que disse que fez o teste do bafômetro na blitz e nada constou. De acordo com ele, foi solicitado para a Secretaria da Fazenda a isenção de impostos do carro, mas ainda não há uma resposta sobre o pedido. Ele não quis informar o motivo dessa solicitação. O motorista vai pagar o valor devido para retirar o carro do depósito. A Ferrari, modelo 2012, tem valor médio, pela tabela Fipe, de R$ R$ 905.819,00, e está à venda na internet por R$ 949 mil, numa revenda de Canoas. O veículo está à venda na internet por R$ 949 mil, numa revenda de Canoas. EPTC/Divulgação
    'Deixou um vazio', diz amigo do skatista Allysson Pastrana durante sepultamento no RS

    'Deixou um vazio', diz amigo do skatista Allysson Pastrana durante sepultamento no RS


    Familiares e amigos se despediram do jovem de 18 anos em Novo Hamburgo, na quarta-feira (14). Ele é catarinense, mas morava na cidade gaúcha. Com homenagem de familiares e amigos, skatista Allysson Pastrana é sepultado no RS O skatista Allyson...


    Familiares e amigos se despediram do jovem de 18 anos em Novo Hamburgo, na quarta-feira (14). Ele é catarinense, mas morava na cidade gaúcha. Com homenagem de familiares e amigos, skatista Allysson Pastrana é sepultado no RS O skatista Allyson Pastrana, de 18 anos, foi sepultado em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, com presença de familiares e amigos. Ele morreu após grave acidente durante o Mundial de Skate Downhill, que acontecia na Estrada da Vista Chinesa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, no último domingo (11). A despedida ocorreu no fim da tarde de quarta-feira (14). Natural de Balneário Camboriú, Santa Catarina, o atleta residia no munícipio gaúcho e era o atual campeão brasileiro amador de Dowhill Speed. Amigos levaram skates para prestar homemagem. Competidor de Osório, Luciano Farias Mendes se emocionou na despedida. Ele também estava no Rio de Janeiro. "Estava acostumado a encontrar o Pastrana na ladeitra. Eu estava no campeonato. Estávamos todos tjuntos. Pelo andamento, chegaríamos juntos na final. Ele era um exemplo para quem estava chegando no esporte. A organização internacional de Downhill tirou um pedaço do nosso esporte e deixou um vazio", lamentou. Allysson Pastrana recebeu homenagens de amigos e familiares durante sepultamento, após acidente no Rio Reprodução/RBS TV Allysson disputava a segunda bateria das quartas de final do Mundial de Downhill, na Vista Chinesa, Zona Sul do Rio. Já no fim do trajeto, na última curva, uma moto da organização, pilotada por Felipe Zacaro, subiu a lomba, no sentindo contrário da pista e se chocou com o atleta. De acordo com relatos, o skatista estava na liderança, a quase 90 km/h na descida, enquanto a moto tinha velocidade próxima a 60 km/h. Além do jovem, outros três atletas se acidentaram: o americano Daniel Engel e os brasileiros João Pedro Laporte e Yan Bertinati. Todos foram levados para o hospital Miguel Couto, o mais próximo da região, sem riscos. O brasileiro Silon Garcia, que estava na moto, conseguiu saltar do veículo antes do choque. Allysson Pastrana era catarinense e morava em Novo Hamburgo, no RS Reprodução/Redes sociais Motociclista diz ter sido autorizado O motociclista Felipe Zacaro recebeu uma ordem da organização do Mundial de Downhill para subir na direção contrária dos atletas durante a prova. Essa é a versão do motociclista, após depoimento sobre a morte de Allysson Prastana. A declaração ocorreu na última terça-feira (13), para a 19ª Delegacia de Polícia, na Tijuca, no Rio de Janeiro. Presidente da federação é proibido de deixar o país Por sua vez, o presidente da Federação Internacional de Downhill, Federico Barboni Barbezio, está proibido de deixar o Brasil. A Polícia Civil do Rio de Janeiro quer o esclarecimento das circunstâncias da morte do skatista. A medida cautelar, para impedir que o italiano deixe o país, foi solicitada pelo Ministério Público e decidida pela juíza de plantão da Comarca da capital do Rio de Janeiro, também na última terça. Uma das principais peças da investigação é descobrir quem autorizou a subida da moto, que transportava um dos competidores na garupa. Curva onde aconteceu o acidente no Mundial de Downhill na Vista Chinesa Ben-Hur Correia/Globoesporte.com
    VÍDEOS: Bom Dia Rio Grande de quinta-feira, 15 de novembro

    VÍDEOS: Bom Dia Rio Grande de quinta-feira, 15 de novembro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Rio Grande do Sul.
    Vencedora do Jabuti de melhor romance, Carol Bensimon fala sobre 'O Clube dos Jardineiros da Fumaça'

    Vencedora do Jabuti de melhor romance, Carol Bensimon fala sobre 'O Clube dos Jardineiros da Fumaça'


    Escritora porto-alegrense se mudou para cidade onde se passa o romance, premiado na semana passada por uma das maiores distinções literárias do país. 'Escrevi o livro para então me mudar para dentro dele'. A escritora Carol Bensimon, ganhadora...


    Escritora porto-alegrense se mudou para cidade onde se passa o romance, premiado na semana passada por uma das maiores distinções literárias do país. 'Escrevi o livro para então me mudar para dentro dele'. A escritora Carol Bensimon, ganhadora da categoria Romance no Prêmio Jabuti 2018 com o livro 'O clube dos jardineiros de fumaça' (Companhia das Letras) Divulgação/Site da Autora O livro vencedor do Jabuti de melhor romance em 2018 mostra como é a vida em Mendocino, uma pequena cidade na costa californiana, cuja principal atividade econômica gira em torno do cultivo da maconha. No estado em que o consumo recreativo da planta é legalizado desde o início do ano, o livro acompanha a história de Arthur, um professor que vai parar lá após complicações legais no Brasil devido a uma plantação de maconha por motivos de saúde, e acaba se envolvendo com a cultura local de uso e cultivo de maconha. Autora do livro, a porto-alegrense Carol Bensimon construiu a história na própria cidade de Mendocino, onde viveu durante oito meses para escrever o livro, observando cada detalhe das paisagens, seus moradores e seus hábitos. "Gosto de uma literatura que é atenta aos detalhes, que nos mostra coisas pelas quais talvez passássemos batido na vida real", explica ela, em entrevista ao G1. No caso de "O Clube dos Jardineiros de Fumaça", Carol considera que as ambientações e descrições são ainda mais importantes, uma vez que a área retratada é desconhecida da maioria dos brasileiros. "Não há uma informação prévia como há quando você menciona São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Nova York", comenta. O período passado em Mendocino acabou influenciando a escritora a fixar endereço lá em setembro deste ano. "Acabei me apaixonando pelo lugar. Algumas pessoas tiram seus livros do passado, mas parece que fiz o contrário: escrevi o livro para então me mudar para dentro dele", conta. Melhor romance pelo prêmio Jabuti conta história de brasileiro que vai morar na costa californiana e se envolve com a cultura da maconha Reprodução/Companhia das Letras Literatura e guerra às drogas A ideia de "O Clube dos Jardineiros de Fumaça" nasceu "vaga e bem ambiciosa", nas palavras da escritora. Seu objetivo era falar sobre pessoas que vivem nesse lugar em que a indústria da maconha é a principal atividade econômica. Além disso, também pretendia colocar as histórias individuais dentro de um grande panorama, o da história da guerra às drogas e da proibição da maconha. "Era um trabalho imenso e eu não sabia se ia dar conta". A vivência no local foi necessária para a escritora conseguir, por exemplo, criar personagens americanos, com suas características, histórias de vida e cultura. Ao escolher a maconha para seu livro, Carol acredita que está fazendo um "trabalho de formiguinha", o de mostrar como outra parte do mundo lida com a questão, além de trazer informações sobre a cultura e os usos medicinais, por exemplo. "Mas é um romance, não um manifesto, e, como tal, tenta tratar do assunto com a complexidade que ele merece, sem moralismos, sem exageros, com ponderação", diz. O protagonista representa, para a escritora, os efeitos das restrições da proibição de ter uma planta de maconha na própria casa. "Temos uma lei muito cruel no Brasil em relação à maconha, que desconhece suas aplicações médicas e que encarcera consumidores pobres e pequenos traficantes, os quais saem da prisão totalmente cooptados pelo crime organizado. O Brasil não deveria se focar em questões morais subjetivas, mas em dados. Provou-se que a maconha é eficaz no combate dos parefeitos da quimioterapia, em casos de epilepsia, glaucoma, esclerose múltipla, espasmos musculares, distúrbios alimentares e outros", completa. Novo livro em Porto Alegre Para o próximo livro, Carol trabalhará com outro cenário, bem diferente do interior californiano: a Porto Alegre do fim dos anos 80 e início dos 90, onde se passará o novo romance, em que ela já está trabalhando, mas ainda não na fase da escrita. "Não posso dar mais detalhes por enquanto". Será o quarto romance da escritora de 36 anos, que também é autora de "Sinuca Embaixo D'Água", "Todos Nós Adorávamos Caubóis", além de "O Clube dos Jardineiros da Fumaça". Ela também assinou um volume de contos, "Pó de Parede", e um de textos de não-ficção, "Uma estranha na cidade". O reconhecimento pelo Jabuti contentou Carol, em meio a um cenário difícil para o mercado de livros e para a leitura no Brasil, como ela reconhece. "Nunca foi fácil escrever romances no Brasil, com seus problemas gravíssimos de educação, de acesso a livros e, para completar, uma elite que nunca deu muito valor para a leitura. Mas agora está um pouco pior. Não é uma boa época para a razão, a empatia e a troca de ideias", aponta.
    Porto Alegre tem 25ª Corrida pela Vida; saiba como se inscrever

    Porto Alegre tem 25ª Corrida pela Vida; saiba como se inscrever


    Evento beneficente recebe inscrições até o dia 16. Recursos arrecadados serão destinados à assistência dos pacientes do Instituto do Câncer Infantil. Participantes da 23ª Corrida pela Vida exibem medalhas após a maratona Reprodução/RBS...


    Evento beneficente recebe inscrições até o dia 16. Recursos arrecadados serão destinados à assistência dos pacientes do Instituto do Câncer Infantil. Participantes da 23ª Corrida pela Vida exibem medalhas após a maratona Reprodução/RBS TV As inscrições para participar da 25ª Corrida pela Vida, organizada pelo Instituto do Câncer Infantil, terminam nesta sexta-feira (16). O evento beneficente será realizado no dia 25 de novembro, em Porto Alegre. A competição conta com duas modalidades, ambas com saída do BarraShoppingSul, na Zona Sul da capital. A primeira modalidade (com percursos de 3, 5 e 10km) é dedicada a corredores. A largada será a partir das 8h30. Já a segunda modalidade (3km) é para quem vai caminhar. A largada será às 10h. Os participantes da caminhada devem adquirir a camiseta da corrida, na sede do instituto. A camiseta custa R$ 25,00 e está disponível nas cores rosa, azul, verde e roxo, em diversos tamanhos. Já para os corredores, as inscrições podem ser realizadas pelo site do evento ou diretamente na sede do instituto (rua São Manoel, 850, bairro Rio Branco, Porto Alegre). O competidor adquire um kit com uma camiseta em poliamida alusiva à prova, um saco mochila, um boné e uma braçadeira. A numeração, que deve ser afixada no peito do atleta, será entregue junto com o kit, no dia 24 de novembro. No dia do evento, também haverá uma arena no local, onde patrocinadores e parceiros trarão diversas atrações e atividades para o público participante. Os recursos arrecadados serão destinados à assistência dos pacientes e à manutenção do Centro Integrado de Apoio, sede do instituto.