G1 > Paraná

    MP-PR pede bloqueio de bens de presidente da Câmara de Matinhos por falta de controle nos gastos com diárias

    MP-PR pede bloqueio de bens de presidente da Câmara de Matinhos por falta de controle nos gastos com diárias


    Segundo Ministério Público, vereadores e servidores receberam cerca de R$ 435 mil em diárias. Segundo o MP, vereadores não faziam prestação de contas dos gastos relativos a viagens. Reprodução/RPC O Ministério Público do Paraná (MP-PR)...


    Segundo Ministério Público, vereadores e servidores receberam cerca de R$ 435 mil em diárias. Segundo o MP, vereadores não faziam prestação de contas dos gastos relativos a viagens. Reprodução/RPC O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou uma ação de improbidade administrativa e pediu o bloqueio dos bens do presidente da Câmara Municipal de Matinhos, Gerson da Silva Júnior, por falta de controle no pagamento de diárias a vereadores e servidores da casa nos anos de 2017 e 2018. O MP pede que sejam bloqueados R$ 400 mil do presidente da Câmara. Segundo a 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Matinhos, houve um pagamento excessivo de diárias que, apenas no ano de 2018, foram de cerca de R$ 435 mil. De acordo com a promotora que assina o pedido, Carolina Dias Aidar de Oliveira, os vereadores de Matinhos "ignoram" uma norma da casa para que sejam feitas as prestações de contas das viagens, "embolsando integralmente o montante das diárias". Segundo a promotora, este é "um dos motivos que explica os gastos exorbitantes do Poder Legislativo com diárias". O pedido afirma que Gerson da Silva Júnior era responsável por autorizar as viagens, liberar as diárias e controlar as prestações de contas. A ação também pede a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, ressarcimento dos danos ao erário e pagamento de multa e de danos morais coletivos. O G1 entrou em contato com o presidente da Câmara Gerson da Silva Júnior, mas não obteve retorno. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Unicamp divulga 3ª chamada de aprovados no vestibular 2019 e para vagas via Enem; veja nomes

    Unicamp divulga 3ª chamada de aprovados no vestibular 2019 e para vagas via Enem; veja nomes


    Matrículas presenciais devem ser realizadas na sexta-feira (22); confira detalhes. Estudantes durante a 2ª fase da Unicamp, em Campinas Antoninho Perri / Unicamp A Unicamp divulgou na tarde desta quarta-feira (20) a terceira chamada de candidatos...


    Matrículas presenciais devem ser realizadas na sexta-feira (22); confira detalhes. Estudantes durante a 2ª fase da Unicamp, em Campinas Antoninho Perri / Unicamp A Unicamp divulgou na tarde desta quarta-feira (20) a terceira chamada de candidatos aprovados no vestibular 2019 ou no processo que oferece oportunidades por meio da nota obtida pelo participante no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) - edição do ano passado ou 2017. Ao todo são 596 estudantes na lista da primeira modalidade e 263 na segunda. Veja abaixo os nomes: Convocados no vestibular tradicional Chamados por desempenho via Enem O calendário é o mesmo para os dois formatos. Segundo a comissão organizadora (Comvest), os aprovados devem fazer matrícula presencial nos respectivos campi nesta sexta-feira, das 9h às 12h. De acordo com a universidade estadual, o candidato convocado nas duas listas (em primeira ou segunda opção) pode optar por uma das modalidades no momento da inscrição, mas isso significa automaticamente a exclusão na outra. A medida está prevista no edital do processo seletivo. Novos formatos elevam nº de pretos e pardos aprovados; índice da rede diminui Matrícula de calouros tem recepção de coletivos LGBT, feminista e carro de corrida Confirmação de matrícula Todos os candidatos matriculados nas três primeiras chamadas, incluindo quem espera por remanejamento, devem fazer a confirmação da matrícula na segunda-feira (25). Os horários estão disponíveis no manual do ingresso, informou a assessoria da comissão organizadora. A quarta chamada está prevista para 27 de fevereiro, segundo a Unicamp. Vestibular 2019 A 2ª fase do vestibular 2019 foi realizada em janeiro e terminou com índice de abstenção de 14,3%, o maior em três anos. Ao todo, 2,7 mil dos 18,9 mil classificados deixaram de fazer as avaliações. O foco nos direitos humanos e os diálogos entre conteúdos do ensino médio e temas em destaque na sociedade brasileira estão entre os pontos valorizados nas provas por cursinhos preparatórios. A redação teve como temas a "doutrinação ideológica na sala de aula" e a relação entre Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e o comportamento do Produto Interno Bruto (PIB). Ao todo, estão previstas até dez chamadas. Veja aqui calendário completo. Vagas via Enem Em relação ao processo seletivo via nota no Enem, a universidade recebeu 17,9 mil inscrições. Neste caso, as cadeiras reservadas pela Unicamp serão distribuídas da seguinte forma: 50% de cada curso ao segmento EP (escola pública); 25% de cada curso ao segmento PP (autodeclarados pretos e pardos); 25% de cada curso ao segmento EP+PPI (escola pública + autodeclarados pretos e pardos) A Unicamp Fundada em 1966, a universidade estadual conta com 34 mil alunos matriculados em cursos de graduação e programas de pós-graduação, segundo o site oficial. Os três campi, localizados nas cidades de Campinas, Limeira e Piracicaba, compreendem 24 unidades de ensino e pesquisa. Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
    Assembleia Legislativa vai fazer audiência pública para discutir fim da aposentadoria de ex-governadores

    Assembleia Legislativa vai fazer audiência pública para discutir fim da aposentadoria de ex-governadores


    Atualmente, a pensão especial, recebida por oito ex-governadores e duas ex-primeiras-damas, é de R$ 30.471,11. Audiência pública ficou marcada para o dia 27 de fevereiro Divulgação/Alep A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) realizará uma...


    Atualmente, a pensão especial, recebida por oito ex-governadores e duas ex-primeiras-damas, é de R$ 30.471,11. Audiência pública ficou marcada para o dia 27 de fevereiro Divulgação/Alep A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) realizará uma audiência pública para discutir a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para acabar com a aposentadoria especial paga a ex-governadores do estado. A audiência pública vai acontecer no dia 27 de fevereiro, às 10h, no auditório da Alep. De acordo com a constituição estadual, os ex-governadores têm direito a uma pensão no mesmo valor do salário de um desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná, que hoje é de R$ 30.471,11. Até governadores que ficaram no cargo por alguns meses têm direito ao benefício vitalício. A medida propõe que o benefício deixe de ser pago aos próximos governadores. Os deputados podem estender o corte aos que já recebem. Atualmente, oito ex-governadores e duas ex-primeiras-damas recebem a aposentadoria. Por ano, as pensões especiais a ex-governadores custam R$ 3,6 milhões aos cofres públicos. Trâmite A proposta de realizar uma audiência pública é da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia. Após a audiência, a comissão se pronunciar sobre sua admissibilidade. Depois, é formada uma Comissão Especial que emite um parecer sobre a proposta e faz eventuais emendas. Apenas após este trâmite que a PEC é encaminhada para votação em plenário. Como é uma medida que pretende alterar a constituição, ela precisa ser aprovada em dois turnos por 3/5 dos deputados. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de quarta-feira, 20 de fevereiro

    VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de quarta-feira, 20 de fevereiro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.
    Ventos que passaram de 65 km por hora derrubaram árvores e postes em Foz do Iguaçu

    Ventos que passaram de 65 km por hora derrubaram árvores e postes em Foz do Iguaçu


    Durante o temporal, na tarde de terça-feira (19) mais de 20 mil imóveis ficaram sem energia elétrica; nesta quarta-feira (20), cerca de 1,5 mil continuavam sem luz. Postes e árvores foram derrubados durante os cerca de meia hora de vendaval que...


    Durante o temporal, na tarde de terça-feira (19) mais de 20 mil imóveis ficaram sem energia elétrica; nesta quarta-feira (20), cerca de 1,5 mil continuavam sem luz. Postes e árvores foram derrubados durante os cerca de meia hora de vendaval que atingiu Foz do Iguaçu na tarde de terça-feira (19) Guaraci de Andrade/Arquivo Pessoal Os ventos no segundo dia de temporal em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, chegaram a 66 km/h, segundo o Simepar. Durante a chuva forte, que atingiu principalmente a região central da cidade na tarde de terça-feira (19), foram registradas mais de 50 quedas de árvores. Não há informações sobre feridos. Houve registros de alagamentos, destelhamentos e fiações rompidas ainda nos bairros Portes, Portal, Itaipu C e Yolanda, cujo posto de saúde permanecia sem luz até o fim da manhã desta quarta-feira (20). Na segunda-feira (18), a região mais atingida foi a do Porto Meira. Temporal com ventos fortes e granizo atinge Foz do Iguaçu Energia elétrica O vendaval também derrubou postes, o que deixou sem energia elétrica mais de 22,5 mil imóveis. De acordo com a Copel, equipes de Cascavel, Toledo e Medianeira reforçam os trabalhos com o auxílio da prefeitura, do Instituto de Trânsito (Foztrans) da Defesa Civil e dos Bombeiros. Até o fim da manhã, cerca de 1,5 mil casas e estabelecimentos comerciais continuavam sem luz. A previsão é que a energia seja totalmente restabelecida ao longo da tarde, quando ruas interditadas também devem ser limpas e liberadas. Os moradores de regiões atingidas e que precisam de auxílio devem entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone 199 e com o Corpo de Bombeiros, pelo 193. Meteorologista explica o que causou o temporal em Foz Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
    Ponta Grossa tem corrida de rua e caminhada neste domingo (24); Confira calendário de provas

    Ponta Grossa tem corrida de rua e caminhada neste domingo (24); Confira calendário de provas


    Ao longo do ano, estão programadas 33 provas na cidade. Inscrições podem ser feitas até quinta-feira (21). Divulgação/Sesc-PR Acontece neste domingo (24), o Circuito Sesc de Corrida de Rua e Caminhada de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do...


    Ao longo do ano, estão programadas 33 provas na cidade. Inscrições podem ser feitas até quinta-feira (21). Divulgação/Sesc-PR Acontece neste domingo (24), o Circuito Sesc de Corrida de Rua e Caminhada de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Os interessados podem se inscrever até quinta-feira (21). As inscrições custam entre R$ 20 e R$ 60 e podem ser feitas no site do evento. É preciso enviar um atestado médico atualizado para a organização. Calendário de provas Outras 32 corridas de ruas estão agendadas para Ponta Grossa ao longo do ano (confira o calendário aqui). Confira as informações das provas com inscrições abertas: Corrida dos Heróis dos Campos Gerais Data: 10 de março Provas: Corrida de 5 km e 10 km Local: Sede do Pelotão de Polícia Montada Inscrições: de R$ 50 a R$ 75, no site do evento. Corrida e Caminhada São Camilo Data: 24 de março Provas: Corridas de 3 km, 5 km e 10 km, caminha de 3 km, cadeirantes 5 km e corrida kids. Local: Centro de Saúde São Camilo Inscrições: de R$ 29,90 a R$ 109,90, no site do evento. Corrida em prol da Associação de Proteção ao Autista (Aproaut) Data: 31 de março Provas: Corridas de 3 km, 5 km e 10 km, caminha de 3 km e corrida kids. Local: Campus UEPG Inscrições: de R$ 30 a R$ 70, no site do evento. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
    Ministério Público denuncia dono de clínica psiquiátrica que mantinha 24 armas em escritório

    Ministério Público denuncia dono de clínica psiquiátrica que mantinha 24 armas em escritório


    Promotoria denunciou diretor por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido e por posse irregular de arma de uso proibido ou restrito. Há uma semana, Gaeco encontrou 24 armas e 1.900 cápsulas de munição em um escritório anexo à uma das...


    Promotoria denunciou diretor por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido e por posse irregular de arma de uso proibido ou restrito. Há uma semana, Gaeco encontrou 24 armas e 1.900 cápsulas de munição em um escritório anexo à uma das clínicas investigadas. Armas e munição foram apreendidas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) em operação em Londrina Josué Azevedo/RPC O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou o diretor de uma clínica psiquiátrica de Londrina, no norte do Paraná, por posse ilegal de arma de fogo, acessório e munição de uso permitido e por posse irregular de arma, acessório e munição de uso proibido ou restrito. A promotoria quer que o responsável pela clínica, Paulo Fernando de Morais Nicolau, seja responsabilizado pelas armas encontradas no local durante uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O inquérito deste caso foi concluído e o MP-PR quer que o investigado se torne réu em uma ação criminal. Nicolau não foi preso no dia da operação. O GAeco fez uma operação para apurar irregularidades em clínicas psiquiátricas. Durante as buscas apreendeu 24 armas e 1.900 cápsulas de munição no escritório anexo à uma das clínicas. Segundo o MP-PR, as armas pertencem ao dono dessas clínicas, que após a operação foi afastado do cargo por 60 dias. Também foram encontradas três canetas revólveres, além de armas de uso restrito, como uma pistola nove milímetros e uma submetralhadora. Conforme a denúncia, todas as armas encontradas estavam municiadas Ao mesmo tempo, a promotoria também está investigando possíveis irregularidades nos serviços prestados por essas unidades. Segundo as investigações da Promotoria de Saúde Pública, há indícios de irregularidades em prontuários médicos para receber mais dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS). Umas das suspeitas é de que os diretores adiavam períodos de internações e tratamentos para conseguir mais repasses. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    Boletim confirma primeiro caso de dengue contraída na região de Curitiba

    Boletim confirma primeiro caso de dengue contraída na região de Curitiba


    Doença foi contraída por uma mulher, de 24 anos, em São José dos Pinhais. Boletim da Secretaria da Saúde mostra que, em todo o Paraná, já são 346 casos autóctones de dengue. SES alerta para o aumento do número de doenças causadas pelo aedes...


    Doença foi contraída por uma mulher, de 24 anos, em São José dos Pinhais. Boletim da Secretaria da Saúde mostra que, em todo o Paraná, já são 346 casos autóctones de dengue. SES alerta para o aumento do número de doenças causadas pelo aedes aegypt Paulo Whitaker/Reuters A Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) confirmou o primeiro caso autóctone de dengue da Região Metropolitana de Curitiba. Boletim divulgado na terça-feira (19) apontou um caso de dengue contraída na cidade de São José dos Pinhais. De acordo com secretaria, o caso foi contraído na própria cidade por uma mulher de 24 anos. No Paraná, são 346 casos autóctones de dengue, registrados em 63 municípios. Somado aos casos importados, o Paraná registra 391 casos da doença. Entretanto, há notificações ainda em investigação em 275 dos 399 municípios paranaenses. O boletim mostra que a doença está se espalhando especialmente nas regiões de Londrina e Maringá, no norte do estado. Outros novos casos autóctones foram registrados também em Realeza, São Jorge do Oeste, Moreira Salles, Nova Cantu, Umuarama, Cianorte e Florestópolis. Os municípios que estão em situação de epidemia continuam sendo Uraí e Lupionópolis. Combate A secretaria alerta que toda a população deve colaborar para combater os criadouros, já que as larvas do mosquito podem estar em qualquer tipo de água parada, das maiores às mais insignificantes. É preciso que os quintais sejam limpos todas as semanas para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos. Dengue Divulgação/ANPr Temperaturas altas A chegada do verão, com temperaturas mais altas e o clima chuvoso, propicia o acúmulo de água e o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a zika e a chikungunya. Os ovos do mosquito podem sobreviver por mais de um ano à espera de um clima propício para se desenvolver, segundo a secretaria. Grupo de risco O grupo de risco é composto, principalmente, por idosos, gestantes, lactentes menores (29 dias a 6 meses de vida), dependentes químicos e pessoas com algum tipo de doença crônica pré-existente, como hipertensão arterial, diabetes mellitus, anemia falciforme e doença renal crônica. A Sesa alerta que a pessoa ser imune ao tipo 1, não impede que ela seja infectadas pela dengue do tipo 2. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Suspeito de matar a ex-mulher a facadas em Matelândia é preso na casa da mãe

    Suspeito de matar a ex-mulher a facadas em Matelândia é preso na casa da mãe


    Crime foi cometido na madrugada de sexta-feira (15), na Vila Esmeralda, quando Luzia Alves da Silva voltava para casa depois do trabalho; vítima deixou três filhos. O suspeito foi preso na casa da mãe, em Vera Cruz do Oeste; a Justiça havia...


    Crime foi cometido na madrugada de sexta-feira (15), na Vila Esmeralda, quando Luzia Alves da Silva voltava para casa depois do trabalho; vítima deixou três filhos. O suspeito foi preso na casa da mãe, em Vera Cruz do Oeste; a Justiça havia decretado a prisão preventiva dele no sábado (16) Polícia Civil/Divulgação Policiais prenderam no fim da manhã desta quarta-feira (20) o suspeito de ter matado a ex-mulher a facadas na madrugada de sexta-feira (15), na Vila Esmeralda, em Matelândia, no oeste do Paraná. O homem foi preso na casa da mãe, em Vera Cruz do Oeste, também no oeste. A Justiça havia decretado a prisão preventiva dele por feminicídio no sábado (16). Luzia foi morta por volta das 2h30, quando voltava para casa do trabalho, em um frigorífico na cidade. Testemunhas disseram aos policiais, que Luzia estava acompanhada de duas amigas quando logo depois de se despedir das colegas foi atacada pelo ex-marido que estava escondido em um matagal. Os dois ficaram casados por dez anos, tinha três filhos e estavam separados havia cerca de cinco meses, situação que o marido não aceitava. Familiares informaram que Luzia vinha sofrendo ameaças do ex-marido. Mas, nenhum boletim de ocorrência chegou a ser registrado. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
    Ingressos para sessão extra do espetáculo Disney On Ice em Curitiba começam a ser vendidos

    Ingressos para sessão extra do espetáculo Disney On Ice em Curitiba começam a ser vendidos


    Apresentações serão de 22 a 26 de maio, no Ginásio Tarumã; espetáculo tem coreografias de A Bela e A Fera, Cinderela, Frozen e outras cinco atrações. Cinderela no Disney On Ice Marjory Corrêa/Feld Entertainment A organização do espetáculo...


    Apresentações serão de 22 a 26 de maio, no Ginásio Tarumã; espetáculo tem coreografias de A Bela e A Fera, Cinderela, Frozen e outras cinco atrações. Cinderela no Disney On Ice Marjory Corrêa/Feld Entertainment A organização do espetáculo Disney On Ice, com apresentações marcadas para o mês de maio em Curitiba, anunciou uma sessão extra na cidade. Os ingressos, que variam de R$ 74 a R$ 250, estão à venda pelo site oficial ou no quiosque do Shopping Crystal, no Batel, em Curitiba. O horário de atendimento é de segunda a sábado, das 12h às 20h, e domingos e feriados, das 14h às 20h. Segundo a organização, já foram vendidos mais de 10 mil ingressos, e as sessões com maior valor - especial pista e vip pista - já estão esgotadas. Em algumas sessões, ainda há opção de ingresso popular. As apresentações serão de 22 a 26 de maio, com horários variados, no Ginásio Tarumã. Uma das sessões terá o recurso de audiodescrição. Veja, mais abaixo, datas, horários e valores. Neste ano, a peça leva o título “Em Busca dos Sonhos” e pretende misturar a patinação artística no gelo com a magia dos contos da Disney, transportando o público para um mundo de imaginação, em que heróis de todos os tipos procuram realizar sonhos. Serão oito coreografias: Aladdin, A Bela e A Fera, Enrolados, Moana, A Bela Adormecida, A Pequena Sereia, Cinderela e Frozen. O espetáculo volta a Curitiba após um hiato de cinco anos. A organização do espetáculo envolve cerca de 100 pessoas da equipe internacional e mais de 200 da equipe nacional. Além de cerca de 750 peças de figurinos para os personagens. Os espetáculos terão duração média de 70 minutos, com intervalo de 15 minutos. A Bela e a Fera no Disney On Ice Marjory Corrêa/Feld Entertainment Datas e horário das apresentações: 22/05, quarta-feira - 19h30 23/05, quinta-feira - 19h30 24/05, sexta-feira - 19h30 25/05, sábado - 11h (contará com o recurso de audiodescrição) e 15h 26/05, domingo - 10h e 18h 26/05, domingo - 14h (sessão extra) Moana no Disney On Ice Marjory Corrêa/Feld Entertainment Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
    Caso Daniel: delegado e investigadores prestam depoimento à Justiça no terceiro dia de audiências

    Caso Daniel: delegado e investigadores prestam depoimento à Justiça no terceiro dia de audiências


    Policiais foram arrolados como testemunhas da acusação; Edison, Allana e Cristiana Brittes e mais quatro são réus no processo. Delegado Amadeu Trevisan, da Delegacia de São José dos Pinhais, é a primeira testemunha ouvida no terceiro dia de...


    Policiais foram arrolados como testemunhas da acusação; Edison, Allana e Cristiana Brittes e mais quatro são réus no processo. Delegado Amadeu Trevisan, da Delegacia de São José dos Pinhais, é a primeira testemunha ouvida no terceiro dia de audiências Giuliano Gomes/PR Press O delegado e dois policiais civis da Delegacia de São José dos Pinhais que investigaram o caso da morte do jogador Daniel Correa Freitas prestam depoimento à Justiça nesta quarta-feira (20), no terceiro dia de audiências de instrução sobre o homicídio do atleta. Os três foram arrolados no processo como testemunhas de acusação contra os sete réus do caso. Veja, abaixo, pelo que cada um virou réu: Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo; Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor; Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor; Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; David William da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa; Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa e falso testemunho. No inquérito policial que entregou ao Ministério Público, o delegado Amadeu Trevisan, a primeira testemunha a ser ouvida nesta quarta-feira, indiciou apenas Edison Brittes Júnior, Eduardo da Silva, David William e Ygor King pelo homicídio do jogador. Cristiana Brittes, que mais tarde também foi acusada pelo MP pelo homicídio do jogador, tinha sido indiciada pela polícia apenas pelos crimes de coação de testemunha e fraude processual. Edison Brittes é acusado de homicídio triplamente qualificado Giuliano Gomes/PR Press Antes de entrar para a audiência, o delegado, no entanto, afirmou que Cristiana Brittes poderia ter evitado a morte do jogador. "Ela tinha o domínio do momento, ela poderiaa como esposa impedir que esse fato acontecesse também, e quando ela diz 'não quero que esse crime aconteça aqui', ela não está preocupada que esse fato aconteça fora. Ela não queria que acontecesse dentro da casa", afirmou Trevisan. Testemunhas de defesa Após as audiências com os policiais, a juíza Luciani Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, decide se começa a ouvir as testemunhas das defesas dos réus ou se marca novas audiências para outras datas. Ao todo, mais de 70 testemunhas foram convocadas. Ao final das audiências, a juíza decide se os réus vão para júri popular. O que dizem as defesas Nos dois primeiros dias de audiências houve conflito de declarações entre os advogados Cláudio Dalledone, que defende a família Brittes, e Nilton Ribeiro, que representa a família do jogador Daniel. Nilton afirmou que uma testemunha sigilosa disse em depoimento que ouviu Cristiana dizer à Edison "se for matar, não mate aqui", e afirmou "tenho certeza de que haverá condenação do que fizeram com o Daniel e que a família vai ficar com sentimento de justiça". Familiares e amigos de Daniel foram ouvidos no segundo dia de audiência Giuliano Gomes/PR Press Logo em seguida à declaração de Nilton, Dalledone pediu a palavra e classificou como "mentira". O advogado disse que as testemunhas "deixam claro que a Cristiana, em primeiro lugar, não era alheia a um resultado mais grave. Deixaram claro que nenhuma mulher que pudesse se meter, poderia parar". A defesa de David da Silva e Ygor King afirmou que eles confiam na Justiça e que vão continuar ajudando na elucidação dos fatos. O advogado de Eduardo da Silva, Edson Stadler, disse que o seu cliente participou "com o ânimo de provocar uma lesão corporal. O objetivo nunca foi, na versão apresentada e pelos elementos provantes, de que ele pretendia a morte da vítima. Ele queria sim, participar da castração". A defesa de Evellyn Perusso afirmou que, ao longo dos depoimento colhidos até agora, não ficou demonstrado que Evellyn cometeu os crimes, e afirmou que houve testemunhas que caíram em contradição. A defesa disse que aguarda o depoimento dos réus para que os fatos sejam confrontados. Mãe do jogador fica cara a cara com réus No primeiro dia, foram ouvidas pessoas que estavam na casa da família Brittes no dia que Daniel foi morto. No segundo dia de audiência foi a primeira vez que a mãe de Daniel, Eliane Aparecida Correa, se encontrou com os réus, entre eles, Edison Brittes, que confessou ter matado Daniel. Eliane Correa foi ouvida por cerca de 50 minutos. Emocionada, no início do depoimento, lembrou que a família Brittes ligou para ela após o crime e ofereceu ajuda, afirmando que o jogador era muito querido por eles. Eliana Correa, mãe do jogador Daniel Correia Freitas, falou por cerca de 50 minutos. Giuliano Gomes/PR Press A mãe de Daniel afirmou que o jogador era um pai carinhoso e atencioso com a filha, e lamentou a morte do filho que, segundo ela, ainda tinha muito para viver e jogar. O objetivo da Justiça ao ouvir os familiares do atleta era traçar um perfil da personalidade do jogador. Relembre o caso O jogador Daniel Correa foi morto depois de participar das comemorações pelo aniversário de 18 anos de Allana Brites. A festa começou em uma casa noturna, em Curitiba, e se estendeu à casa da família Brittes, em São José dos Pinhais. Em uma entrevista exclusiva à RPC, Edison Brittes, conhecido como Juninho Riqueza, confessou o crime. Ele também afirmou ter matado o jogador, ao prestar depoimento à Polícia Civil. A defesa de Edison afirma que Daniel tentou estuprar Cristiana, esposa de Edison, e defende que o réu matou o jogador para defender a mulher. Segundo a investigação, Daniel tirou fotos ao lado de Cristiana, no quarto do casal, antes do crime. De acordo com a Polícia Civil e o Ministério Público, não houve tentativa de estupro. O jogador foi espancado na casa da família, e levado de carro até um matagal, onde foi mutilado e morto. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Vereadores de Cascavel aprovam projeto que proíbe inauguração de obras inacabadas

    Vereadores de Cascavel aprovam projeto que proíbe inauguração de obras inacabadas


    Texto destaca que obras públicas não poderão ser entregues sem o número mínimo de profissionais, materiais e equipamentos necessários para o funcionamento. O projeto de lei 89/2017 foi aprovado por unanimidade pelos vereadores de Cascavel;...


    Texto destaca que obras públicas não poderão ser entregues sem o número mínimo de profissionais, materiais e equipamentos necessários para o funcionamento. O projeto de lei 89/2017 foi aprovado por unanimidade pelos vereadores de Cascavel; iniciativa segue para sanção do prefeito Câmara Municipal de Cascavel/Divulgação Os vereadores de Cascavel, no oeste do Paraná, aprovaram por unanimidade em segunda votação na terça-feira (19) o projeto de lei 89/2017, que proíbe a administração pública municipal de promover eventos de inauguração e entrega de obras públicas inacabadas. O projeto, de iniciativa do vereador Serginho Ribeiro (PPL), aguarda a sansão do prefeito Leonaldo Paranhos. A proposta destaca que fica proibida a inauguração solene de obras públicas inacabadas ou que, mesmo concluídas, não tenham como atender ao fim a que se destinam, seja por falta de número mínimo de profissionais, de materiais básicos e de equipamentos necessários, como unidades de saúde, creches e escolas. Vereadores de Toledo decidem não investigar prefeito sobre inauguração de obra inacabada Em Cascavel, o vereador citou os exemplos do condomínio da terceira idade e a ala de queimados no Hospital Universitário. Pelo projeto é considerada obra pública toda a construção, reforma, fabricação, recuperação ou ampliação custeada pelo poder público que serve ao uso direto ou indireto da população. Uma lei semelhante está em vigor na vizinha Toledo desde dezembro de 2017. Veja mais notícias do estado no G1 Oeste e Sudoeste.
    Quatro pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas no noroeste do Paraná

    Quatro pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas no noroeste do Paraná


    Mandados foram cumpridos na manhã desta quarta-feira (20), em Alto Paraíso. Polícia prende quatro pessoas em operação contra o tráfico de drogas em Paraíso do Norte Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil cumpriu sete mandados de prisão...


    Mandados foram cumpridos na manhã desta quarta-feira (20), em Alto Paraíso. Polícia prende quatro pessoas em operação contra o tráfico de drogas em Paraíso do Norte Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil cumpriu sete mandados de prisão durante uma operação contra o tráfico de drogas em Paraíso do Norte, na região noroeste do Paraná, nesta quarta-feira (20). Quatro pessoas foram presa nesta manhã. De acordo com a polícia, os outros três alvos da ação já estavam na cadeia. O advogado de uma oitava investigada, que também é alvo de mandado de prisão, disse que a cliente deve se apresentar ainda nesta quarta-feira. As investigações começaram há oito meses. De acordo a polícia, a quadrilha era chefiada por um preso da Penitenciária Federal de Catanduvas, no oeste do estado. Outros dois presos do estado também foram apontados como integrantes do esquema criminoso. Durante a operação, que teve o apoio das polícias de todo o noroeste, 100 gramas de cocaína e meio quilo de crack foram apreendidos. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    Justiça determina que vereador de Cascavel devolva carro por falta de pagamento

    Justiça determina que vereador de Cascavel devolva carro por falta de pagamento


    Veículo é o mesmo que, segundo uma ex-assessora do vereador Damasceno Júnior (PSDC), tinha as parcelas pagas por ela por exigência do parlamentar. O vereador Damasceno Júnior (PSDC) é investigado pela Câmara Municipal de Cascavel e pelo...


    Veículo é o mesmo que, segundo uma ex-assessora do vereador Damasceno Júnior (PSDC), tinha as parcelas pagas por ela por exigência do parlamentar. O vereador Damasceno Júnior (PSDC) é investigado pela Câmara Municipal de Cascavel e pelo MP-PR Câmara Municipal de Cascavel/Divulgação A Justiça determinou que o vereador Damasceno Júnior (PSDC), de Cascavel, no oeste do Paraná, devolva um carro por falta de pagamento. O veículo é o mesmo que, segundo uma ex-assessora do parlamentar, tinha as parcelas do financiamento pagas por ela. De acordo com Elidineia dos Santos Silva, os R$ 1.246 que usava para fazer o pagamento era parte do salário dela e condição para que permanecesse no cargo que ocupava na Câmara. No processo, consta que o vereador deixou de pagar as parcelas em agosto de 2018, mesma data que a ex-assessora diz ter parado de fazer o pagamento do veículo e que por isso teria sido exonerada. O prazo para que Damasceno Júnior regularize a situação é de 15 dias. Terminado este período sem a negociação ou o pagamento da dívida, deverá ser cumprida a ordem de reintegração do veículo. O caso vem sendo investigado por uma Comissão de Ética da Câmara de Vereadores – que deve ouvir o vereador, a ex-assessora e testemunhas na sexta-feira (22) - e pelo Ministério Público Estadual (MP-PR). Na ação ajuizada ainda em 2018, foram analisados documentos e gravações apresentados pela ex-assessora, que já foi ouvida. O vereador ainda não prestou depoimento à promotoria. Ex-assessora denunciou o vereador por supostamente exigir parte do salário dela como garantia para ela permanecer no cargo Reprodução/ RPC Cascavel Outro lado Damasceno Júnior nega as acusações e diz que a denúncia tem motivação política. Na época da denúncia, o vereador disse que a assessora pagou algumas parcelas do carro com dinheiro dele porque ele não estava na cidade e que, apesar de não ser função de assessor, pedidos de favores como estes são comuns. Os pagamentos, garantiu, eram feitos no horário do almoço. “Os recibos são de parcelas de um carro meu e são de um dinheiro que ela me deve, R$ 5 mil”, comentou na ocasião. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
    Caminhão furtado com carga de carne congelada tomba em rodovia de Arapongas

    Caminhão furtado com carga de carne congelada tomba em rodovia de Arapongas


    Veículo foi furtado na frente de um hotel de Londrina, no norte. Criminosos seguiam pela PR-444 quando ocorreu o acidente. Caminhão furtado em Londrina tombou na PR-444 Polícia Rodoviária Estadual/Divulgação Um caminhão carregado com carne...


    Veículo foi furtado na frente de um hotel de Londrina, no norte. Criminosos seguiam pela PR-444 quando ocorreu o acidente. Caminhão furtado em Londrina tombou na PR-444 Polícia Rodoviária Estadual/Divulgação Um caminhão carregado com carne congelada tombou na PR-444, em Arapongas, no norte do Paraná, nesta quarta-feira (20). De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o veículo foi furtado da frente de um hotel de Londrina, na mesma região, onde o motorista estava hospedado. Depois de furtar o caminhão, os ladrões fugiram e, logo depois de passar por Arapongas, ocorreu o acidente. Os suspeitos foram embora antes da chegada da polícia. O caminhão ainda está tombado nas margens da PR-444. O veículo será retirado do local depois da carga ser removida. Apesar do acidente, não há bloqueios na rodovia. Caminhão será retirado do local depois da transportadora remover carga de carne Polícia Rodoviária Estadual/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    Motociclista morre em acidente com caminhão em Adrianópolis, na BR-476

    Motociclista morre em acidente com caminhão em Adrianópolis, na BR-476


    Acidente ocorreu por volta das 21h de terça-feira (19) na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Motociclista morre em acidente com caminhão em Adrianópolis PRF Um motociclista de 19 anos morreu em um acidente com um caminhão por volta das 21h...


    Acidente ocorreu por volta das 21h de terça-feira (19) na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Motociclista morre em acidente com caminhão em Adrianópolis PRF Um motociclista de 19 anos morreu em um acidente com um caminhão por volta das 21h de terça-feira (19), em Adrianópolis, na BR-476, km 29, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima guiava a moto e foi atingido pelo caminhão ao entrar na pista. Na sequência, ele foi atropelado. A PRF não soube informar se a moto estava sem a luz traseira ou se o motorista do caminhão se distraiu e não viu a moto. O corpo foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. Motociclista morre em acidente com caminhão em Adrianópolis PRF Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Ladrões explodem agência bancária e danificam porta de outra em Antônio Olinto

    Ladrões explodem agência bancária e danificam porta de outra em Antônio Olinto


    Situação ocorreu na madrugada desta quarta-feira (20), no sul do estado. Ladrões explodem agência bancária em Antônio Olinto Divulgação/Portal Cultura Sul FM Ladrões explodiram uma agência bancária e danificaram outra em Antônio Olinto, na...


    Situação ocorreu na madrugada desta quarta-feira (20), no sul do estado. Ladrões explodem agência bancária em Antônio Olinto Divulgação/Portal Cultura Sul FM Ladrões explodiram uma agência bancária e danificaram outra em Antônio Olinto, na região sul do Paraná, por volta das 3h desta quarta-feira (20). Segundo a Polícia Militar (PM), a ação dos assaltantes durou em torno de cinco minutos. O banco que foi explodido ficou completamente destruído. Ainda conforme a polícia, os criminosos também tentaram arrombar e furtar outra agência bancária da cidade, mas não conseguiram. Apenas a porta de vidro dela foi danificada. O grupo fugiu de carro levando dinheiro - a quantia roubada não foi informada pela PM. Os policiais foram até o local depois de ouvir a explosão. Moradores da região também relataram ter ouvido barulho e tiros. Por conta da fumaça, porém, eles não souberam dizer quantos suspeitos participaram do crime. Até a publicação desta reportagem, ninguém tinha sido preso. Porta danificada na agência bancária que ladrões tentaram arrombar Divulgação/Portal Cultura Sul FM Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
    Quatro homens morrem em confronto com a polícia em Londrina

    Quatro homens morrem em confronto com a polícia em Londrina


    Segundo a PM, troca de tiros ocorreu após grupo criminoso roubar 77 notebooks de uma transportadora na noite de terça-feira (19). Nenhum policial ficou ferido. Quatro homens morreram em confronto com a polícia Quatro homens morreram em um...


    Segundo a PM, troca de tiros ocorreu após grupo criminoso roubar 77 notebooks de uma transportadora na noite de terça-feira (19). Nenhum policial ficou ferido. Quatro homens morreram em confronto com a polícia Quatro homens morreram em um confronto com a Polícia Militar (PM) de Londrina, no norte do Paraná, na noite de terça-feira (19). De acordo com a polícia, as trocas de tiros ocorreram depois do grupo roubar uma transportadora. Nenhum policial ficou ferido. Os suspeitos roubaram 77 notebooks após invadirem uma transportadora. Dois funcionários da empresa foram rendidos e amarrados em um espaço onde as mercadoria são depositadas. Conforme a polícia, depois do roubo, eles seguiram, em dois carros, até um barracão que fica na Vila Casoni. Nesse local, ainda conforme a polícia, os militares e os quatro homens trocaram tiros. Três homens morreram no barracão e o quarto suspeito morreu em um hospital. O Instituto Médico-Legal (IML) identificou os corpos como sendo de Diego Lopes Ferreira, de 28 anos, Victor Hugo de Oliveira, de 25, e Anderson de Melo Antônio, de 34. O corpo de um homem ainda não foi identificado. Depois da troca de tiros, a polícia encontrou dois carros que ainda estavam com os motores ligados, os computadores ainda nas caixas, lacres, um aparelho bloqueador de alarme de veículos, quatro armas de fogo e um tablete de maconha. Troca de tiros entre policiais e suspeitos de roubos ocorreu em um barracão na Avenida Jorge Casoni Victor Hugo Bittencourt/RPC Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    VÍDEOS: Bom Dia Paraná de quarta-feira, 20 de fevereiro

    VÍDEOS: Bom Dia Paraná de quarta-feira, 20 de fevereiro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Paraná.
    Metalúrgicos protestam em São José dos Pinhais contra fim da aposentadoria

    Metalúrgicos protestam em São José dos Pinhais contra fim da aposentadoria


    Ato ocorreu na manhã desta quarta-feira (20), na BR-277, na Região Metropolitana de Curitiba. Metalúrgicos protestam contra o fim da aposentadoria na BR-277 Cassiano Rolim Metalúrgicos de Curitiba protestaram contra o fim da aposentadoria na...


    Ato ocorreu na manhã desta quarta-feira (20), na BR-277, na Região Metropolitana de Curitiba. Metalúrgicos protestam contra o fim da aposentadoria na BR-277 Cassiano Rolim Metalúrgicos de Curitiba protestaram contra o fim da aposentadoria na BR-277, em São José dos Pinhais, na manhã desta quarta-feira (20). O protesto foi pacífico e durou cerca de 1h. Não havia policiamento no local. A mobilização trouxe o lema "Todos contra o fim da aposentadoria", que paralisou o país na maior greve geral da história do Brasil, em 2017. A manifestação foi porque o governo apresentará, nesta quarta-feira (20), ao Congresso Nacional a proposta de reforma da Previdência Social. A expectativa é a de que o presidente Jair Bolsonaro entregue o texto pessoalmente ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda nesta manhã. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, informou que a proposta vai prever idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres ao final de um período de transição de 12 anos. A equipe econômica também informou que buscará implementar um regime de capitalização – pelo qual cada trabalhador financia a própria aposentadoria por depósitos em uma conta individual. Os trabalhadores se concentraram na marginal da BR-277 por volta das 5h30. Eles chegaram de carros próprios e ônibus fretados. Às 6h, eles seguiram em caminhada até a entrada da fábrica da montadora Renault e bloquearam a pista em um dos sentidos da Rua Hermenegildo Soares Machado, em São José dos Pinhais. O trânsito ficou congestionado para as pessoas que utilizam o acesso que liga a BR-277 às chácaras da região. Com carros de som, os representantes da força sindical falavam com os manifestantes sobre a reforma da previdência. Depois disso, os portões das montadoras foram abertos e os metalúrgicos foram trabalhar normalmente. Além desta mobilização na porta da fábrica, um ato do sindicato e demais centrais também está marcado para ocorrer no Terminal do Guadalupe, no Centro, às 17h. Metalúrgicos protestam contra o fim da aposentadoria na BR-277 Cassiano Rolim Protesto nacional Os protestos fazem parte de uma grande mobilização nacional organizada pela força sindical e demais centrais contra a reforma. Trabalhadores das principais empresas de Curitiba e região, como Renault, Bosch, Volvo, Volkswagen, WHB, CNH, Brafer e PIC da Audi foram convidadas a participar dos atos nas portas de fábrica. A organização pretendia reunir cerca de 20 mil metalúrgicos da Curitiba. Metalúrgicos protestam contra o fim da aposentadoria na BR-277 Cassiano Rolim Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Passageiro é baleado durante assalto a ônibus de turismo na BR-476, na Lapa

    Passageiro é baleado durante assalto a ônibus de turismo na BR-476, na Lapa


    Situação ocorreu por volta das 18h40 de terça-feira (19), na Região de Curitiba. Passageiro é baleado durante assalto a ônibus de turismo na BR-476, na Lapa Divulgação/PRF Um passageiro de 21 anos levou um tiro durante um assalto a um ônibus...


    Situação ocorreu por volta das 18h40 de terça-feira (19), na Região de Curitiba. Passageiro é baleado durante assalto a ônibus de turismo na BR-476, na Lapa Divulgação/PRF Um passageiro de 21 anos levou um tiro durante um assalto a um ônibus de turismo na BR-476, na Rodovia do Xisto, na Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 18h40 de terça-feira (19). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o ônibus seguia de Chapecó, em Santa Catarina, com 28 passageiros que fariam compras em para São Paulo capital. Ainda conforme a polícia, durante o trajeto, no quilômetro 219 da rodovia, ocupantes de três carros obrigaram o motorista do ônibus a parar e entraram no veículo. Ao menos oito ladrões participaram do roubo. De acordo com o relato das vítimas, eles estavam fortemente armados com fuzis e pistolas. Conforme a polícia, durante a ação, o jovem foi baleado nas costas e levado pelo Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) ao Pronto-Socorro Municipal da Lapa. Outra passageira, de 46 anos, também precisou de atendimento médico depois de levar uma coronhada. Os suspeitos fugiram levando dinheiro, documentos, celulares e outros pertences dos passageiros. Até a publicação desta reportagem, ninguém tinha sido preso. A PRF informou ainda que o celular não funciona no trecho onde ocorreu o roubo. Por isso, os policiais só foram acionados por volta das 19h10. O caso é investigado pela Polícia Civil da Lapa. ônibus seguia de Chapecó, em Santa Catarina, com 28 passageiros que fariam compras em para São Paulo capital Divulgação/PRF Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Paraná, terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

    Paraná, terça-feira, 19 de fevereiro de 2019


    Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. No segundo dia de audiências na Justiça no processo que investiga a morte do jogador Daniel Correa, a mãe, Eliane Aparecida Correa, e outras pessoas prestaram...


    Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. No segundo dia de audiências na Justiça no processo que investiga a morte do jogador Daniel Correa, a mãe, Eliane Aparecida Correa, e outras pessoas prestaram depoimento, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Mãe do ex-jogador Daniel fica, pela primeira vez, frente a frente com a família Brittes Foi a primeira vez que Eliane se encontrou com os réus, entre eles, Edison Brittes, que confessou ter matado Daniel. Pela manhã, três testemunhas sigilosas prestaram depoimento. Durante a tarde, familiares, a ex-namorada e um amigo do jogador foram ouvidos. Ao todo, sete pessoas foram ouvidas nesta terça-feira, entre testemunhas de acusação e informantes. Veja como foi o primeiro dia de audiências na Justiça 60ª fase da Lava Jato Paulo Vieira de Souza, operador financeiro ligado ao PSDB, foi preso em São Paulo nesta terça-feira (19), na 60ª fase da Operação Lava Jato. Alvo de prisão preventiva, está preso na Superintendência da Polícia Federal de São Paulo. Agentes também cumpriram mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-senador pelo PSDB Aloysio Nunes Ferreira Filho, suspeito de receber propina da Odebrecht. Paulo Vieira de Souza foi preso na 60ª fase da Lava Jato TV Globo/Reprodução De acordo com o procurador do MPF Roberson Henrique Pozzobon, Paulo Vieira de Souza mantinha um apartamento somente para guardar o dinheiro. Segundo o procurador, o operador tinha cerca de R$ 100 milhões em espécie em dois apartamentos em São Paulo, o dobro de dinheiro achado no apartamento usado por Geddel Vieira Lima. Concurso da Prefeitura de Curitiba As inscrições para 62 vagas do concurso público da Prefeitura de Curitiba estão abertas a partir desta terça-feira (19). Os interessados devem realizar a inscrição pelo site do Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) até o dia 21 de março. Prefeitura de Curitiba abriu inscrições pra concurso público Divulgação A taxa de inscrição custa R$ 70 para nível médio, R$ 90 para nível técnico e R$ 100 para os cargos de nível superior. São quatro editais que preveem vagas para 13 cargos. Vereador suspeito de exigir parte de salários de servidores O Ministério Público Estadual (MP-PR) denunciou o vereador Adelar Neumann (DEM), de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, por crime de concussão. O vereador foi preso em flagrante no dia 4 em função de investigações envolvendo um servidor de quem é suspeito de ter exigido parte dos salários Reprodução/RPC Na denúncia, o promotor Carlos Dias Torres citou um segundo servidor comissionado da prefeitura que supostamente também foi indicado por Neumann e de quem o parlamentar exigia dinheiro para mantê-lo no cargo. O vereador foi preso em flagrante no dia 4 em função de investigações envolvendo um servidor de quem é suspeito de ter exigido parte dos salários o equivalente a pouco mais de R$ 2 mil entre agosto de 2018 e janeiro de 2019. Mulher é morta a facadas Uma mulher de 37 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro, de 41 anos, em Ouro Verde do Oeste, no oeste do Paraná. Segundo a polícia, a mulher foi morta na rua, na noite de segunda-feira (18), depois de ter ido à casa do suspeito, que fugiu logo depois do crime. Ela tinha registrado um boletim de ocorrência contra o ex-marido e aguardava a determinação de uma medida protetiva contra ele. Ainda de acordo com a polícia, a mulher morta tinha deixado a cadeia havia poucos dias. Ela é suspeita de ter ateado fogo na casa do ex-companheiro. Furto no Conselho Tutelar de Londrina Ladrões furtaram computador, materiais de escritório, botijão de gás, chaves, bolachas e pacotes de pó de café do Conselho Tutelar que fica na região central de Londrina. Esse foi o terceiro furto registrado no prédio em pouco mais de um mês. O prédio não tem alarme e não é monitorado por câmeras de segurança. A coordenadora informou que o contrato de monitoramento por alarme foi encerrado pela prefeitura em 2017 e, desde então, não há nenhum sistema de segurança no prédio. Mulher diz que não tinha tranquilidade A mulher que foi atropelada pelo ex-companheiro em Londrina, no norte do Paraná, contou, em depoimento à Polícia Civil, que desde que se separou do homem, com quem ficou junto por oito anos, não tinha tranquilidade. Mulher que foi atropelada pelo ex-companheiro em Londrina prestou depoimento à polícia no hospital Reprodução/RPC Elisângela Salomé, de 36 anos, tinha medida protetiva contra o ex. Carro invade sala em Umuarama Um carro invadiu uma sala comercial no centro de Umuarama, no noroeste do Paraná, nesta terça-feira (19). A motorista, de 75 anos, perdeu o controle da direção do veículo e invadiu a sala. Veículo invadiu sala comercial em Umuarama Dejair Tarocco/Arquivo pessoal A Polícia Militar (PM) informou que a mulher se atrapalhou com os pedais do carro que é automático e perdeu o controle da direção em um cruzamento. Depois disso, o veículo passou por cima de um canteiro e entrou na sala. Motorista atropela homem durante briga O motorista que atropelou um homem durante uma briga com a mulher, em Maringá, no norte do Paraná, pode responder por tentativa de homicídio, segundo a Polícia Civil. Câmeras de segurança registraram a confusão; assista acima. Motorista que atropelou homem pode responder por tentativa de homicídio O caso aconteceu na noite do último sábado (16). Nas imagens, é possível ver uma mulher caminhando com um bebê no colo. Ela é esposa do motorista do carro branco. O homem sobe com o carro na calçada, e os dois conversam por alguns minutos. Ele chega a bater o carro na parede para impedir a passagem dela. A mulher se afasta e atravessa a rua. O marido insiste, passa por cima do canteiro, e vai atrás dela. Nesse momento, é possível ver que algumas pessoas correm em direção ao casal. A imagem não mostra o que aconteceu. Minutos depois, o motorista volta e joga o carro em cima de duas pessoas que estavam na calçada. Uma delas é atropelada. Curtas e rápidas Prefeitura de Toledo abre inscrições para casamento coletivo Jovem de 20 anos morre após carro que dirigia capotar e pegar fogo Julgamento de acusado de matar ex-companheira afogada em Londrina é adiado Advogado e funcionário são mortos a tiros em bairro de Curitiba Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
    Motorista que atropelou homem durante briga com mulher pode responder por tentativa de homicídio; VÍDEO

    Motorista que atropelou homem durante briga com mulher pode responder por tentativa de homicídio; VÍDEO


    Caso aconteceu em Maringá, no norte do Paraná, na noite de sábado (16). De acordo com a polícia, esposa do condutor estava com criança no colo e algumas pessoas tentaram ajudá-la. Motorista que atropelou homem pode responder por tentativa de...


    Caso aconteceu em Maringá, no norte do Paraná, na noite de sábado (16). De acordo com a polícia, esposa do condutor estava com criança no colo e algumas pessoas tentaram ajudá-la. Motorista que atropelou homem pode responder por tentativa de homicídio O motorista que atropelou um homem durante uma briga com a mulher, em Maringá, no norte do Paraná, pode responder por tentativa de homicídio, segundo a Polícia Civil. Câmeras de segurança registraram a confusão; assista acima. O caso aconteceu na noite do último sábado (16). Nas imagens, é possível ver uma mulher caminhando com um bebê no colo. Ela é esposa do motorista do carro branco. O homem sobe com o carro na calçada, e os dois conversam por alguns minutos. Ele chega a bater o carro na parede para impedir a passagem dela. A mulher se afasta e atravessa a rua. O marido insiste, passa por cima do canteiro, e vai atrás dela. Nesse momento, é possível ver que algumas pessoas correm em direção ao casal. A imagem não mostra o que aconteceu. Minutos depois, o motorista volta e joga o carro em cima de duas pessoas que estavam na calçada. Uma delas é atropelada. O servente de obras Cassiano Henrique Ribas de Melo foi a vítima do atropelamento. Ele quebrou um dente e teve pequenas escoriações no rosto, na mão e nas pernas. O jovem, que disse que nasceu de novo, contou como foi a conversa com o motorista. “Ele falou para não se intrometer, mas como que a gente não vai se intrometer se a mulher estava com uma criança... aí acontece coisa pior”, afirmou. Homem foi atropelado ao intervir em briga de casal em Maringá Reprodução/RPC O outro rapaz conseguiu escapar por um fio e preferiu não ser identificado na entrevista. “No dia eu nem consegui dormir direito por causa da imagem, da cena na cabeça. Na hora da pancada parecia que tinha perdido um amigo”, disse. Depois que atropelou Cassiano, o motorista fugiu sem prestar socorro. Poucos metros depois, ele bateu o carro e fugiu a pé. O veículo foi apreendido pela polícia. O condutor, de 31 anos, foi encontrado pela polícia ainda no sábado. Ele estava com sinais de embriaguez e foi levado para a delegacia, mas pagou fiança de R$ 10 mil e foi liberado. As imagens das câmeras de segurança vão ajudar nas investigações, segundo o delegado Luiz Henrique Vicentini. “Depois de analisarmos, além dos vídeos, as outras provas que nós pretendemos colher ainda, no decorrer da investigação, ele pode chegar inclusive a responder por uma tentativa de homicídio contra aqueles dois sujeitos que estavam ali”, explicou o delegado. Sobre a mulher, a polícia informou que ainda não tem como afirmar que o marido queria atingi-la com o carro. “No vídeo há um momento que a gente consegue observar que ele chega a fechar a passagem dela pela calçada. Então isso também pode ser analisado, e provavelmente nós vamos ouvi-la novamente para dar explicações sobre esse fato”, detalhou Vicentini. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    Caso Daniel: Confira o que disseram a mãe do jogador e outras testemunhas, em 2º dia de audiências

    Caso Daniel: Confira o que disseram a mãe do jogador e outras testemunhas, em 2º dia de audiências


    Edison, Allana e Cristiana Brittes, além de outras quatro pessoas, são réus no processo; testemunhas sigilosas, amigo e familiares do jogador foram ouvidos nesta terça-feira (19). Mãe do ex-jogador Daniel fica, pela primeira vez, frente a frente...


    Edison, Allana e Cristiana Brittes, além de outras quatro pessoas, são réus no processo; testemunhas sigilosas, amigo e familiares do jogador foram ouvidos nesta terça-feira (19). Mãe do ex-jogador Daniel fica, pela primeira vez, frente a frente com a família Brittes Nesta terça-feira (19), no segundo dia de audiências na Justiça no processo que investiga a morte do jogador Daniel Correa, a mãe, Eliane Aparecida Correa, e outras pessoas prestaram depoimento, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Foi a primeira vez que Eliane se encontrou com os réus, entre eles, Edison Brittes, que confessou ter matado Daniel. Pela manhã, três testemunhas sigilosas prestaram depoimento. Durante a tarde, familiares, a ex-namorada e um amigo do jogador foram ouvidos. Ao todo, sete pessoas foram ouvidas nesta terça-feira, entre testemunhas de acusação e informantes. Veja como foi o primeiro dia de audiências na Justiça A RPC acompanhou e reuniu detalhes do que disseram Eliane, um amigo e uma tia do jogador. Confira, abaixo, como foi. O que disse a mãe do jogador Eliane Correa foi ouvida por cerca de 50 minutos. Emocionada, no início do depoimento, lembrou que a família Brittes ligou para ela após o crime e ofereceu ajuda, afirmando que o jogador era muito querido por eles. Frente a frente com a mãe de Daniel, a família Brittes observou o depoimento na mesma sala. Com exceção de Alana e Cristiana, os outros réus permaneceram algemados durante as audiências. A mãe de Daniel afirmou que o jogador era um pai carinhoso e atencioso com a filha, e lamentou a morte do filho que, segundo ela, ainda tinha muito para viver e jogar. Ela afirmou que o jogador não costumava se envolver em brigas, que recebia apenas elogios de amigos e companheiros de time. Ao ser perguntada pelo advogado de defesa da família Brittes sobre a escolaridade e o histórico de Daniel, a mãe ressaltou que o jogador fazia parte da equipe de base do Cruzeiro enquanto concluía o ensino médio. Disse que o filho nunca teve Boletins de Ocorrência em seu desfavor. Mãe e ex-namorada de Daniel compareceram à São José dos Pinhais para participar das audiências do processo sobre a morte do jogador Giuliano Gomes/PRPress Mensagens e fotos Em relação às mensagens enviadas por Daniel e ao grupo de whatsapp do qual ele fazia parte, a mãe disse que soube que, neste grupo, o jogador e os amigos falavam falavam sobre as meninas com que ficavam. Algo normal dos jovens, segundo ela. Eliane afirmou também que as fotos tiradas por Daniel ao lado de Cristiane, antes do crime, se trataram de uma brincadeira, e não de um caso de importunação. Ela disse não ter ouvido os áudios enviados pelo filho ao amigo. Morte de Daniel Ainda em depoimento, Eliane contou que soube da morte do filho e que, a princípio, pensou que havia se tratado de um roubo seguido de morte. Em entrevista após sair da sala de audiência, Eliane afirmou que foi "bombardeada pelo Cláudio, advogado dos assassinos" e disse: "ele tentou de toda forma fazer com que eu falasse alguma coisa para denegrir a imagem do meu filho, mas eu não tenho nada para falar que possa manchar a imagem dele". Ela lembrou que, ao chegar na sala, foi perguntada pela juíza se se importaria de ter a presença dos réus durante o depoimento e disse que respondeu que "era indiferente" a presença ou não deles. "Fiz questão de olhar para o rosto de cada um, para ver, o que leva uma pessoa a torturar, matar e esquartejar uma pessoa (...) Eu tenho Deus no coração e tenho certeza que Deus vai me dar paz e que meu filho está olhando por mim", disse. 'Selinho' de Cristiana Também foi ouvido pela Justiça, neste segundo dia de audiências, o amigo de Daniel Lucas Muner, que estava com o jogador e com a família Brittes no início da festa. Muner prestou depoimento usando uma camiseta com a foto de Daniel estampada. Ele disse que não ficou para a festa na casa da família Brittes, mas que perguntou à Allana, no dia seguinte, sobre o paradeiro do jogador. Segundo ele, Allana respondeu que o jogador estava bem "até ir embora" da casa da família. No depoimento, Muner afirmou que, ainda durante a primeira festa, recebeu um "selinho" de Cristiana. Lucas disse que amigos dele também afirmaram ter sido beijados por Cristiana. Ele argumentou que não contou antes, em depoimento, sobre isso porque soube depois. Tia de Daniel também foi ouvida Regina Correa, tia do jogador, prestou depoimento por cerca de 1h30. Ela foi ouvida logo em seguida da mãe, Eliane, e também falou na presença dos réus. Durante a audiência, Regina disse que, na noite anterior ao crime, Daniel ligou para a família e disse que iria para Curitiba, para a festa da amiga. Segundo ela, após a morte do jogador, os familiares ficaram preocupados por perceberem que o celular do jogador não recebia as mensagens. Sem notícias de Daniel, de acordo com a tia, ligaram para o amigo dele, Lucas, que também disse estar preocupado com o jogador. Regina chorou ao comentar como soube da morte do sobrinho e comentou que a família ficou "em choque". Segundo a tia, quando soube que Daniel foi assassinado, "sentiu" a mesma facada que ele levou. Ela comentou, na audiência, que Allana e a família Brittes se mostraram muito solícitos à família de Daniel após o crime. A tia classificou como "crueldade" o fato de que Daniel teve o órgão genital decepado. Segundo a tia, Daniel não enviou as fotos ao lado de Cristiana Brittes para o grupo de mensagens, mas para um primo, que encaminhou as fotos ao grupo depois que o jogador foi morto. Ao ser perguntada, pela defesa da família Brittes, sobre a motivação do crime, afirmou: "não consigo imaginar o que pode motivar alguém a matar alguém". 'Mesma dor' da notícia da morte Após a audiência, Regina falou em entrevista que, ao entrar na sala para o depoimento, sentiu "a mesma dor do que no momento em que ligamos no IML e tivemos a certeza de que era o Daniel que estava lá". A tia afirmou ainda que a família do jogador está "revivendo a pior situação da nossa vida". A ex-namorada e mãe da filha do jogador também prestou depoimento nesta terça-feira e disse que Daniel era um bom pai para a menina. Processo Sete pessoas são rés no processo: Edison Luiz Brittes Júnior, que confessou ter matado o jogador, Cristiana Rodrigues Brittes, esposa de Edison, Allana Emilly Brittes, filha do casal, além de Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Willian Vollero Silva e Evellyn Brisola Perusso. Dos sete réus, seis estão presos. Evellyn Perusso é a única que está em liberdade. Ao total, foram arroladas mais de 70 testemunhas. Nesta fase, são ouvidas as testemunhas de defesa, de acusação e, por último os réus. Após as audiências, a juíza Luciani Martins de Paula decide se os réus vão ou não à júri popular. Veja, abaixo, pelo que cada um virou réu: Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo; Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor; Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor; Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; David William da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa; Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa e falso testemunho. O que dizem as defesas No decorrer das audiências, houve conflito de declarações entre os advogados Cláudio Dalledone, que defende a família Brittes, e Nilton Ribeiro, que representa a família do jogador Daniel. Nilton afirmou, nesta tarde, que uma testemunha sigilosa afirmou em depoimento que ouviu Cristiana dizer à Edison "se for matar, não mate aqui", e afirmou "tenho certeza de que haverá condenação do que fizeram com o Daniel e que a família vai ficar com sentimento de justiça". Logo em seguida à declaração de Nilton, Dalledone pediu a palavra e classificou como "mentira". O advogado disse que as testemunhas "deixam claro que a Cristiana, em primeiro lugar, não era alheia a um resultado mais grave. Deixaram claro que nenhuma mulher que pudesse se meter, poderia parar". A defesa de David da Silva e Ygor King afirmou que eles confiam na Justiça e que vão continuar ajudando na elucidação dos fatos. O advogado de Eduardo da Silva, Edson Stadler, disse que o seu cliente participou "com o ânimo de provocar uma lesão corporal. O objetivo nunca foi, na versão apresentada e pelos elementos provantes, de que ele pretendia a morte da vítima. Ele queria sim, participar da castração". A defesa de Evellyn Perusso afirmou que, ao longo dos depoimento colhidos até agora, não ficou demonstrado que Evellyn cometeu os crimes, e afirmou que houve testemunhas que caíram em contradição. A defesa disse que aguarda o depoimento dos réus para que os fatos sejam confrontados. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

    Advogado e funcionário são mortos a tiros em bairro de Curitiba


    Crime foi registrado na manhã desta terça-feira (19), no bairro Pinheirinho; autor dos tiros fugiu a pé e não foi preso. Um advogado de 40 anos e um funcionário dele, de 60, foram mortos a tiros na manhã desta terça-feira (19) no bairro...

    Crime foi registrado na manhã desta terça-feira (19), no bairro Pinheirinho; autor dos tiros fugiu a pé e não foi preso. Um advogado de 40 anos e um funcionário dele, de 60, foram mortos a tiros na manhã desta terça-feira (19) no bairro Pinheirinho, em Curitiba. Segundo a Polícia Civil, as vítimas foram assassinadas em frente ao escritório onde trabalhavam. Mais de dez tiros foram disparados na direção da dupla, ainda conforme a polícia. O autor dos tiros fugiu a pé. Até a publicação da reportagem, ele não tinha sido localizado pela polícia. "Nós acreditamos que esse advogado e esse senhor foram atingidos não pelo fato da função de advogado, mas sim porque eles ajudavam um familiar deles a mexer com todas as coisas relativas a compra e venda de imóveis e de carros. Então, nós acreditamos, em um primeiro momento, que provavelmente esse homicídio foi em decorrência de desacertos envolvendo altos valores em dinheiro", disse a delegada Camila Ceconello. Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) disse que está acompanhando as investigações de perto. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
    VÍDEOS: Boa Noite Paraná de terça-feira, 19 de fevereiro

    VÍDEOS: Boa Noite Paraná de terça-feira, 19 de fevereiro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.
    Programação do carnaval em Curitiba começa no dia 1º de março

    Programação do carnaval em Curitiba começa no dia 1º de março


    Tradicional desfile das escolas de samba será no 2; festival Psycho Carnival terá quatro dias de festa. Desfile das escolas de samba será no dia 2 de março, na Rua Marechal Deodoro Cido Marques/FCC A partir do dia 1º até o dia 5 de março,...


    Tradicional desfile das escolas de samba será no 2; festival Psycho Carnival terá quatro dias de festa. Desfile das escolas de samba será no dia 2 de março, na Rua Marechal Deodoro Cido Marques/FCC A partir do dia 1º até o dia 5 de março, Curitiba será tomada pelo clima carnavalesco com uma série de eventos musicais e culturais, tanto para quem gosta da folia como para quem prefere o chamado “carnaval alternativo”. A programação começa com o festival Psycho Carnival, que completa 20 anos de carreira. Serão quatro dias de shows de bandas brasileiras e internacionais a partir do dia 1º, no palco do Jokers Pub, no Centro. No dia 2, a Rua Marechal Deodoro, no Centro, será tomada pelas escolas de samba do carnaval. Toda a programação é gratuita. O resultado das escolas vencedoras será divulgado na segunda-feira (4). No dia 3, será a vez de se divertir com a Zombie Walk. Neste ano, o evento, que já é tradição na capital, completa dez anos. Os zumbis vão se concentrar no calçadão da Rua XV de Novembro e depois sairão em desfile pela Boca Maldita e pela Praça Santos Andrade, no Centro. Entre os dias 2 e 3, milhares de pessoas também devem se reunir para acompanhar a 30ª edição do Gabaon, um dos maiores carnavais católicos do Brasil. A programação conta pregações, shows de bandas e cantores católicos, atrações para crianças, praça de alimentação e celebração de missa todos os dias. Confira mais detalhes sobre o carnaval na capital. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
    Prefeitura de Curitiba abre prazo de inscrições de concurso público para 13 cargos

    Prefeitura de Curitiba abre prazo de inscrições de concurso público para 13 cargos


    Inscrições começaram nesta terça-feira (19); taxa de inscrição varia de R$ 70 a R$ 200. As provas de conhecimento para os quatro primeiros editais estão marcadas para o dia 28 de abril Giuliano Gomes/PR Press A Prefeitura de Curitiba abriu...


    Inscrições começaram nesta terça-feira (19); taxa de inscrição varia de R$ 70 a R$ 200. As provas de conhecimento para os quatro primeiros editais estão marcadas para o dia 28 de abril Giuliano Gomes/PR Press A Prefeitura de Curitiba abriu nesta terça-feira (19) o prazo para inscrições no concurso público que prevê contratações para 13 cargos. Veja abaixo a lista. As inscrições poderão ser feitas até o dia 21 de março, às 17h, pelo site no núcleo de concursos da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O pagamento da taxa de inscrição pode ser feito até 22 de março. O valor da inscrição varia de R$ 70 a R$ 200, de acordo com o cargo. Doadores de sangue têm isenção da taxa de inscrição, conforme os editais. Confira os cargos disponíveis no concurso por edital: Fiscal, fiscal de obras e posturas, técnico agrícola (edital 1); Analista de desenvolvimento organizacional, engenheiro agrônomo, engenheiro ambiental, engenheiro de segurança do trabalho, engenheiro florestal, engenheiro químico (edital 2); Médico veterinário, nutricionista, zootecnista (edital 3); Profissional do magistério e docência II (edital 4). As provas de conhecimento para os quatro primeiros editais estão marcadas para o dia 28 de abril. Candidatos para os cargos de docência II deverão indicar, no momento da inscrição, uma das sete áreas disponíveis: língua portuguesa, matemática, história, geografia, ciências, educação física, artes visuais/educação artística. Outros editais Conforme a prefeitura, na sexta-feira (22) serão abertas as inscrições para os demais cargos que também fazem parte do concurso. No caso desses editais, as inscrições poderão ser feitas até 24 de março. Procurador (edital 5); Agente administrativo (edital 6); Arquiteto, auditor de tributos municipais, biólogo, engenheiro civil, engenheiro eletricista, engenheiro sanitarista, gestor da informação (edital 7); Professor de educação infantil (edital 8). Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

    Homem e criança morrem em acidente na BR-376, em Imbaú


    Batida foi no início da noite de segunda-feira (18); uma idosa ficou ferida, segundo a polícia. Duas pessoas morrem em acidente na BR-376 na região de Imbaú Um homem e uma criança morreram em um acidente na BR-376, em Imbaú, nos Campos Gerais do...

    Batida foi no início da noite de segunda-feira (18); uma idosa ficou ferida, segundo a polícia. Duas pessoas morrem em acidente na BR-376 na região de Imbaú Um homem e uma criança morreram em um acidente na BR-376, em Imbaú, nos Campos Gerais do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A batida foi no início da noite de segunda-feira (18). Segundo a polícia, uma caminhonete bateu na traseira de uma carreta. Com isso, o motorista da caminhonete perdeu o controle da direção, atravessou a pista e bateu de frente com um caminhão que estava no sentido contrário, informou a PRF. O veículo ficou totalmente destruído. O motorista, de 50 anos, e uma criança, de 10 anos, morreram na local. Uma passageira, de 63 anos, foi encaminhada a um hospital com ferimentos leves, conforme a polícia. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
    Oito testemunhas são ouvidas em 1ª audiência do caso de médium acusado de violação sexual

    Oito testemunhas são ouvidas em 1ª audiência do caso de médium acusado de violação sexual


    Juiz vai marcar as datas para ouvir as testemunhas de defesa. O médium Maury Cruz, que é réu, será o último a ser interrogado. A expectativa da defesa das vítimas é de que a sentença saia ainda esse ano. Médium Maury Rodrigues é réu por...


    Juiz vai marcar as datas para ouvir as testemunhas de defesa. O médium Maury Cruz, que é réu, será o último a ser interrogado. A expectativa da defesa das vítimas é de que a sentença saia ainda esse ano. Médium Maury Rodrigues é réu por violação sexual mediante fraude e estelionato Reprodução/RPC A Justiça do Paraná ouviu oito testemunhas do processo contra o médium Maury Rodrigues da Cruz, que é diretor presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE), em audiência de instrução na 13ª Vara Criminal de Curitiba. Foram ouvidas sete supostas vítimas de violação sexual, que falaram na condição de informantes porque os crimes já prescreveram, e uma suposta vítima de fraude, de estelionato praticado pelo médium. O juiz que cuida do caso agora vai marcar as datas para ouvir as testemunhas de defesa. O médium Maury, que é réu, será o último a ser interrogado. Depois da apresentação das alegações finais, o juiz vai proferir a decisão final. O caso corre em segredo de Justiça. A expectativa da defesa das vítimas é de que a sentença saia ainda esse ano. Maury Rodrigues também foi diretor do Museu Paranaense e professor universitário. A SBEE fica localizada no bairro Tingui, na capital paranaense. Na porta do fórum, amigos e parentes das vítimas fizeram um protesto silencioso na segunda-feira (18). "É a sensação de que de uma maneira ou outra, a justiça será feita. Sabemos que a justiça é de Deus, que um dia vai acontecer, mas é fundamental que se faça a justiça dos homens, através da lei", diz a mãe de uma das vítimas, Gladiomar de Castilhos. Na porta do fórum, amigos e parentes das vítimas fizeram um protesto silencioso Reprodução/RPC O advogado Fábio Bonetto confirmou para o juiz os relatos que já havia feito para o Ministério Público. Ele diz que as investidas do médium ocorreram em 2014, em uma sala da SBEE. "Ele tentou me puxar pela cintura e me beijar na boca, eu repudiei. Ele viu que eu não gostei e pediu para que eu saísse. Entretanto, a nossa fé é tão grande, estou a tanto tempo envolvido, que jamais imaginei que isso iria acontecer, e eu voltei mesmo assim", explica Bonetto. Advogado Fábio Bonetto, uma das vítimas Reprodução/RPC A suposta vítima de estelionato, Luiz Vencato, diz que desconfiava das ações do médium e que as denúncias das outras vítimas confirmaram as suspeitas. Vencato disse que mandou trocar os pneus do carro do médium, ajudou na compra de imóveis, um terreno, na reforma de um sítio e em obras da sede. "Foram R$ 1.954.000 que eu gastei com ele. Hoje eu não tenho a menor dúvida. Entreguei todos os documentos e comprovantes de depósito que fiz durante cinco anos", diz Vencato. Suposta vítima de estelionato, Luiz Vencato Reprodução/RPC A defesa do médium disse, por meio de nota, que não vai comentar nada sobre o processo pois segue em segredo de justiça, mas afirmou que confia plenamente na inocência do cliente. Relembre o caso Conforme a denúncia, aceita pela Justiça em agosto do ano passado, o réu aproveitava-se da fé espírita das vítimas que frequentavam a SBEE para tentar se aproximar e cometer a violação sexual. "Aproveitando-se da fé espírita de que a vítima é portadora e plenamente ciente de que ela o considerava um líder religioso, o denunciado logrou êxito, obtendo a supracitada vantagem patrimonial indevida", diz trecho da denúncia. A denúncia cita três vítimas do médium. Uma delas é o engenheiro eletrônico Fernando da Costa Frazão, que frequentou o local por cerca de dois anos. Ele disse que os casos aconteciam durante as sessões de ectoplasmia, que é quando os espíritos se manifestam em uma pessoa viva. Fernando diz ter sido vítima do médium Maury Rodrigues Adriana Justi/G1 Ainda de acordo com Fernando, o médium age sempre da mesma forma: simula ter "incorporado" um espírito e diz que esse espírito teve uma relação íntima passada com a pessoa que está participando da sessão espírita. "As sessões acontecem na madrugada e, algumas vezes, a gente se vê sozinho com o professor Maury. Nessas conversas, ele acaba te envolvendo, dizendo que você é especial (...), e com o passar do tempo essa intimidade começa a ser maior e ele vai querendo beijar, forçar um beijo, e isso acaba sendo um pouco estranho", contou o engenheiro. Pelo menos 20 pessoas relataram o caso Além das três pessoas citadas na denúncia, os promotores do MP-PR ouviram pelo menos 20 pessoas que também relataram o caso. Entretanto, na maioria dos casos, os crimes prescreveram. Na denúncia, estão casos que ocorreram há menos de seis meses, desde o início das investigações em fevereiro. No caso de um empresário, que preferiu não se identificar, a situação, de acordo com ele, foi um pouco mais além do que a de Fernando Frazão. Segundo o empresário, em certo momento da sessão, o médium pediu para que ele colocasse a mão na parte do "baixo ventre". "Pra mim, baixo ventre seria a parte debaixo do abdômem. Aí, eu coloquei a minha mão mais ou menos embaixo do umbigo dele, e ele pegou a minha mão e colocou um pouco mais pra baixo. Eu fiquei assustado e sem saber o que tinha acontecido. Aí tirei a mão dali meio que reagindo e ele começou a fazer um teatro de como se estivesse passando muito mal", contou. O empresário afirmou ainda que só depois que descobriu que outras pessoas também tinham sido alvo da mesma situação constrangedora, pode perceber a gravidade do caso. Médium pediu orações Em fevereiro do ano passado, logo após as primeiras denúncias, Maury Rodrigues publicou um vídeo na página da sociedade espírita. Ele chamou o vídeo de "mensagem aos espíritas" e disse: "Acredito que os irmãos me conhecem. Não preciso me defender, mas tenho que dizer aos irmãos que tomarei todas as medidas necessárias judiciais para que essas pessoas, realmente irmãos nossos, possam responder essas agressões, essas violações do direito". Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
    Caso Daniel: mãe do jogador presta depoimento à Justiça, em segundo dia de audiências

    Caso Daniel: mãe do jogador presta depoimento à Justiça, em segundo dia de audiências


    É a primeira vez que Eliane Aparecida Correa Freitas se encontra com os réus do crime após a morte do jogador. Eliana Correa, mãe do jogador Daniel Correia Freitas Giuliano Gomes/PR Press A mãe do jogador Daniel Correia Freitas, Eliana Corrêa,...


    É a primeira vez que Eliane Aparecida Correa Freitas se encontra com os réus do crime após a morte do jogador. Eliana Correa, mãe do jogador Daniel Correia Freitas Giuliano Gomes/PR Press A mãe do jogador Daniel Correia Freitas, Eliana Corrêa, presta depoimento à Justiça na tarde desta terça-feira (19), no segundo dia de audiências de instrução do processo sobre a morte do atleta. É a primeira vez que a mãe de Daniel é colocada diante dos sete réus do processo. Além dela, outras oito pessoas devem ser ouvidas pela juíza Luciani Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Quatro delas são parentes de Daniel. O objetivo de ouvir os familiares do jogador é traçar um perfil de Daniel, morto no dia 27 de outubro após a festa de aniversário de Alana Brittes. Edison Brittes Júnior, pai de Alana, é réu confesso pelo homicídio do atleta. A defesa de Brittes sustenta que ele cometeu o crime sozinho, e que Edison agrediu e matou o jogador porque Daniel tentou estuprar Cristiana Brittes, esposa dele. Pela manhã, três testemunhas sigilosas foram ouvidas pela juíza. As três estavam na casa da família no dia do crime. Uma delas afirmou em depoimento à Polícia Civil que ouviu Cristiana falar para Edison Brittes “não deixa matar ele aqui dentro de casa”. Mãe do jogador Ao chegar do interior de Minas Gerais, onde mora, para as audiências nesta segunda-feira (18), a mãe de Daniel disse que está se preparando há meses para este momento, e que chegou a fazer terapia para isso. "Eu quero olhar na cara deles, para ver quem são essas pessoas que tiveram coragem de fazer isso com o meu filho (...) eu tenho pena deles. Pena, porque, que vida eles vão ter? A sociedade toda discrimina, então, eles não tem mais vida", afirmou Eliana. Primeiro dia No primeiro dia, os réus não puderam acompanhar as audiências na mesma sala, a pedido das testemunhas. Eles ficaram em uma sala ao lado e puderam ouvir o que foi dito. Edison e Cristiana Brittes, réus, acompanharam em uma sala o primeiro dia de audiências do processo sobre a morte do jogador Daniel Giuliano Gomes/PRPress As três testemunhas foram ouvidas em uma sala com espaço para aproximadamente dez pessoas. Veja, abaixo, pelo que cada um virou réu: Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo; Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor; Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor; Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor; David William da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa; Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa e falso testemunho. Relembre o caso O jogador Daniel Correa foi morto depois de participar das comemorações pelo aniversário de 18 anos de Allana Brites. A festa começou em uma casa noturna, em Curitiba, e se estendeu à casa da família Brittes, em São José dos Pinhais. Em uma entrevista exclusiva à RPC, Edison Brittes, conhecido como Juninho Riqueza, confessou o crime. Ele também afirmou ter matado o jogador, ao prestar depoimento à Polícia Civil. A defesa de Edison afirma que Daniel tentou estuprar Cristiana, esposa de Edison, e defende que o réu matou o jogador para defender a mulher. Segundo a investigação, Daniel tirou fotos ao lado de Cristiana, no quarto do casal, antes do crime. De acordo com a Polícia Civil e o Ministério Público, não houve tentativa de estupro. O jogador foi espancado na casa da família, e levado de carro até um matagal, onde foi mutilado e morto. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
    Motorista de 75 anos fica ferida após carro invadir sala em Umuarama

    Motorista de 75 anos fica ferida após carro invadir sala em Umuarama


    Polícia Militar disse que acidente ocorreu após idosa se atrapalhar com os pedais do carro que é automático. Acidente ocorreu nesta terça-feira (19). Mulher perde controle e carro invade sala comercial em Umuarama Um carro invadiu uma sala...


    Polícia Militar disse que acidente ocorreu após idosa se atrapalhar com os pedais do carro que é automático. Acidente ocorreu nesta terça-feira (19). Mulher perde controle e carro invade sala comercial em Umuarama Um carro invadiu uma sala comercial no centro de Umuarama, no noroeste do Paraná, nesta terça-feira (19). A motorista, de 75 anos, perdeu o controle da direção do veículo e invadiu a sala. A Polícia Militar (PM) informou que a mulher se atrapalhou com os pedais do carro que é automático e perdeu o controle da direção em um cruzamento. Depois disso, o veículo passou por cima de um canteiro e entrou na sala. Não tinha ninguém na sala porque o imóvel estava para alugar. A motorista foi socorrida e levada ao hospital com ferimentos leves. Veículo invadiu sala comercial em Umuarama Dejair Tarocco/Arquivo pessoal Polícia não soube informar como o carro parou dentro da sala Dejair Tarocco/Arquivo Pessoal Motorista de 75 anos ficou ferida após acidente Dejair Tarocco/Arquivo pessoal Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de terça-feira, 19 de janeiro

    VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de terça-feira, 19 de janeiro


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.
    Prefeitura de Toledo abre inscrições para casamento coletivo

    Prefeitura de Toledo abre inscrições para casamento coletivo


    Interessados devem comparecer pessoalmente na Secretaria de Políticas para Mulheres até sexta-feira (22) com cópias e originais dos documentos pessoais. Interessados devem fazer o cadastro paa o calamento coletivo até sexta-feira (22) Geovane...


    Interessados devem comparecer pessoalmente na Secretaria de Políticas para Mulheres até sexta-feira (22) com cópias e originais dos documentos pessoais. Interessados devem fazer o cadastro paa o calamento coletivo até sexta-feira (22) Geovane Brito/G1 A Prefeitura de Toledo, no oeste do Paraná, está com inscrições abertas para um casamento coletivo. Os interessados devem comparecer pessoalmente na Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres até sexta-feira (22). A secretaria fica na Rua Mário Pudell, 140, na Vila Pioneiro. O Atendimento é feito das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h. O casamento é realizado no civil, sem custos. Os noivos devem ter renda de até três salários mínimos (R$ 2.994,00) e estar com o cadastro único (CAD) atualizado. Para o cadastro, é preciso apresentar originais e cópias do documento de identidade, da certidão de nascimento, do CPF, do comprovante de renda e de endereço e do cadastro único atualizado. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (45) 3252-5528. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

    Julgamento de acusado de matar ex-companheira afogada em Londrina é adiado


    Justiça determinou o adiamento porque defesa de Anderson Luiz Vieira não compareceu. Josiane de Souza deixou cinco filhos e tinha 35 anos quando foi morta. Justiça adia júri de acusado de feminicídio em Londrina O julgamento de Anderson Luiz Viera,...

    Justiça determinou o adiamento porque defesa de Anderson Luiz Vieira não compareceu. Josiane de Souza deixou cinco filhos e tinha 35 anos quando foi morta. Justiça adia júri de acusado de feminicídio em Londrina O julgamento de Anderson Luiz Viera, acusado de matar a ex-companheira, Josiane de Souza, após agredi-la e afogá-la em uma poça d’água, que estava previsto para ser realizado em Londrina, no norte do Paraná, foi adiado. O crime ocorreu em 30 de junho de 2017, perto do Distrito de São Luís. De acordo com denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), o crime foi cometido por motivo torpe, porque Anderson não aceitava o fim do relacionamento com Josiane e por acreditar que ela o estava traindo. A vítima tinha 35 anos e deixou cinco filhos. O MP-PR afirma ainda que o acusado mentiu para Josiane que ia leva-la até o Centro da cidade para comprar objetos, mas a levou para o local afastado onde ela foi morta – à beira de uma mata, perto de uma estrada – dificultando “qualquer chance de reação e fuga”. No julgamento, previsto para ocorrer na manhã desta terça-feira (19), a defesa do acusado não compareceu. Por isso, a juíza deu prazo de 48 horas para que um novo defensor seja constituído. Se isso não ocorrer, a Justiça vai convocar um advogado para a realização do júri. Crime por furto Anderson também responde no processo pelo crime de furto porque, de acordo com a denúncia, furtou o celular de Josiane após o crime. Ele chegou a fugir para Rondônia, mas, antes disso, vendeu o celular da vítima para uma tia dele. No aparelho, a perícia encontrou áudios e mensagens onde familiares combinavam o que iam falar na delegacia sobre a morte de Josiane e afirmavam que mentiriam em depoimentos, conforme a decisão que determinou que Anderson seja julgado pelo júri popular. O réu está preso preventivamente desde 13 de julho de 2017, quando foi encontrado em Rondônia. Em depoimento à Justiça, Anderson disse que é inocente e afirmou que ele e a ex-companheira eram ameaçados por desavenças comerciais. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    Vereador preso suspeito de exigir parte de salários de servidores é denunciado pelo MP

    Vereador preso suspeito de exigir parte de salários de servidores é denunciado pelo MP


    Na denúncia, a promotoria citou outro funcionário comissionado também supostamente indicado por Adelar Neumann e de quem exigia dinheiro. O vereador foi preso em flagrante no dia 4 em função de investigações envolvendo um servidor de quem é...


    Na denúncia, a promotoria citou outro funcionário comissionado também supostamente indicado por Adelar Neumann e de quem exigia dinheiro. O vereador foi preso em flagrante no dia 4 em função de investigações envolvendo um servidor de quem é suspeito de ter exigido parte dos salários Reprodução/RPC O Ministério Público Estadual (MP-PR) denunciou o vereador Adelar Neumann (DEM), de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, por crime de concussão. Na denúncia apresentada à Justiça na segunda-feira (18), o promotor Carlos Dias Torres citou um segundo servidor comissionado da prefeitura que supostamente também foi indicado por Neumann e de quem o parlamentar exigia dinheiro para mantê-lo no cargo. O vereador foi preso em flagrante no dia 4 em função de investigações envolvendo um servidor de quem é suspeito de ter exigido parte dos salários – o equivalente a pouco mais de R$ 2 mil – entre agosto de 2018 e janeiro de 2019. Ainda de acordo com o MP, o outro funcionário entregou parte dos salários para Neumann entre outubro de 2017 e julho de 2018. No total, os repasses, que incluíam parte do 13ª salário, somam cerca de R$ 37 mil, destacou o promotor. Neumann, que estava preso na cadeia de Marechal Cândido Rondon, foi transferido nesta terça-feira (19) para a Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC). Vereador Adelar Neumann pede licença da Câmara de Marechal Cândido Rondon Pedido de licença e investigação Na segunda, ele apresentou à Câmara um pedido de licença por 29 dias. Neste período, o vereador não recebe salários e não tem registradas as faltas nas sessões. O caso também é investigado pelo legislativo local por meio de uma Comissão de Ética que apura a suposta quebra de decoro parlamentar por parte de Neumann. Outro lado O advogado Luciano Katarinhuk, que defende o vereador Adelar Neumann, informou que ainda não foi notificado da apresentação da denúncia, mas adiantou que foi surpreendido pela inclusão do segundo servidor ao processo. Ele disse ainda que enquanto aguarda a decisão judicial sobre o pedido de revogação da prisão preventiva que apresentou na segunda-feira, vai tomar ciência da denúncia para então montar a defesa do cliente. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

    Aloysio Nunes nega envolvimento em esquema de propina: 'Nem eu nem meu advogado sabemos o que existe no inquérito'


    Casa do ex-senador do PSDB foi alvo de busca e apreensão nesta terça-feira. Ele disse que não recebeu cartão de crédito vinculado à conta de Paulo Vieira da Silva. VEJA VÍDEO: Aloysio Nunes nega envolvimento em esquema de propina O ex-senador pelo...

    Casa do ex-senador do PSDB foi alvo de busca e apreensão nesta terça-feira. Ele disse que não recebeu cartão de crédito vinculado à conta de Paulo Vieira da Silva. VEJA VÍDEO: Aloysio Nunes nega envolvimento em esquema de propina O ex-senador pelo PSDB Aloysio Nunes Ferreira Filho, negou na manhã desta terça-feira (19) qualquer envolvimento em esquema de propina da Odebrecht. Agentes da Polícia Federal cumpriram mandados de busca e apreensão em sua casa e prenderam Paulo Vieira de Souza, apontado como operador financeiro ligado do PSDB, na 60ª fase da Operação Lava Jato. "Estamos em busca do que existe nesse inquérito", disse Aloysio ao ser questionado pela TV Globo. Perguntado se teria recebido um cartão de crédito quando estava na Espanha, Aloysio negou: "Não recebi". A investigação da Lava Jato aponta uma transação de 2007, quando a Odebrecht transferiu € 275.776,04 para a conta de Paulo Vieira de Souza. A transferência foi feita por intermédio da offshore Klienfeld Services Ltd. A apuração identificou que, no mês seguinte à transferência, foi emitido um cartão de crédito em nome de Aloysio Nunes Ferreira, vinculado à conta de Paulo Vieira de Souza. O banco foi orientado a entregar o cartão de crédito no Hotel Majestic Barcelona, na Espanha, onde o Nunes estava hospedado. "Fui acordado às 6h", disse Aloysio. "Não tive acesso aos autos do inquérito. Nem eu nem meu advogado sabemos o que existe no inquérito. Mas a imprensa sabe. Esse é o Brasil que estamos vivendo." Aloysio Nunes Ferreira Filho integra a equipe do governador João Doria (PSDB). Aloysio é presidente da Investe SP, agência paulista de promoção de investimentos. A Investe SP, fica sob a responsabilidade da Secretaria da Fazenda, Planejamento e Gestão, chefiada por Henrique Meirelles. Outra investigação Aloysio é ex-senador pelo PSDB e ex-chanceler do governo Michel Temer. Em outra investigação, o ex-senador é suspeito de receber ilegalmente R$ 500 mil do grupo Odebrecht para financiar sua campanha para o Senado em troca de favores políticos. O STF autorizou a investigação contra ele, após pedido da Procuradoria-Geral da República. Nunes está no mesmo inquérito que também pede a investigação do senador José Serra (PSDB) por supostas irregularidades no processo de licitação das obras do Rodoanel Sul que favoreceram a construtora Odebrecht, líder do consórcio vencedor do contrato. De acordo com informações do documento, um grupo de construtoras combinava sua atuação na licitação para a construção do Rodoanel Sul para evitar a concorrência no processo. O grupo era formado por Andrade Gutierrez, Galvão Engenharia, Camargo Correa, Serveng Civilsan, OAS, Mendes Junior, Queiroz Galvão, CR Almeida, Constran e Odebrecht. Em outro esquema, Nunes é apontado como beneficiário de dinheiro de caixa dois da concessionária CCR. A empresa, que atua na área de infraestrutura e administra rodovias em São Paulo, criou um esquema para fomentar o pagamento ilegal para diversas campanhas políticas. Neste esquema, Aloysio Nunes teria recebido R$ 1 milhão. Ele nega a acusação. Em nota, o "PSDB esclarece que não é parte no processo em questão e não mantém qualquer tipo de vinculo com o sr. Paulo Vieira, jamais recebeu qualquer contrapartida de empresas nem autorizou terceiros a fazê-lo em seu nome. Os recursos recebidos pelo partido, em período eleitoral ou não, foram doados de maneira absolutamente legal e declarados à Justiça Eleitoral, respeitando a legislação vigente".

    Mulher é morta a facadas pelo ex-companheiro em Ouro Verde do Oeste


    Segundo a polícia, depois do crime, suspeito fugiu; vítima aguardava um pedido de medida protetiva contra o ex-marido. Uma mulher de 37 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro, de 41 anos, em Ouro Verde do Oeste, no oeste do Paraná. Segundo a...

    Segundo a polícia, depois do crime, suspeito fugiu; vítima aguardava um pedido de medida protetiva contra o ex-marido. Uma mulher de 37 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro, de 41 anos, em Ouro Verde do Oeste, no oeste do Paraná. Segundo a polícia, a mulher foi morta na rua, na noite de segunda-feira (18), depois de ter ido à casa do suspeito, que fugiu logo depois do crime. Ela tinha registrado um boletim de ocorrência contra o ex-marido e aguardava a determinação de uma medida protetiva contra ele. Ainda de acordo com a polícia, a mulher morta tinha deixado a cadeia havia poucos dias. Ela é suspeita de ter ateado fogo na casa do ex-companheiro. O caso vem sendo acompanhado pela Delegacia da Mulher de Toledo. Buscas foram feitas pela região, mas até a última atualização desta reportagem o suspeito não havia sido localizado ou preso. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
    Entenda as suspeitas contra Paulo Vieira, operador financeiro ligado ao PSDB

    Entenda as suspeitas contra Paulo Vieira, operador financeiro ligado ao PSDB


    Ex-diretor da Dersa é acusado de formação de cartel, enriquecimento ilícito e desvio de dinheiro. Defesa nega os crimes. Paulo Vieira de Souza é preso na 60ª fase da Lava Jato Paulo Vieira de Souza, preso na 60ª fase da Operação Lava Jato, é...


    Ex-diretor da Dersa é acusado de formação de cartel, enriquecimento ilícito e desvio de dinheiro. Defesa nega os crimes. Paulo Vieira de Souza é preso na 60ª fase da Lava Jato Paulo Vieira de Souza, preso na 60ª fase da Operação Lava Jato, é apontado como peça-chave na lavagem de milhões de reais em favor da empreiteira Odebrecht. Esta é a terceira vez que o ex-diretor da Dersa é preso desde o ano passado –nas duas anteriores, foi solto por decisão do ministro do Supremo Gilmar Mendes. Souza, apontado como operador financeiro ligado ao PSDB, é alvo de ações do Ministério Público Federal (MPF) por desvio de dinheiro e propina. Veja abaixo as principais acusações contra ele: - Formação de cartel: Souza é acusado de participar entre 2004 e 2013, com mais 32 pessoas (entre servidores públicos e representantes de 14 empresas), de um acordo para combinar e definir preços na concorrência do Rodoanel Sul e de outras sete grandes obras, o que é ilegal. De acordo com delatores da Odebrecht, representantes da Dersa, à época comandada por Souza, exigiram repasses ilegais do consórcio vencedor, sob pretexto de doação a campanhas eleitorais do PSDB. Souza confirmou que trabalhou em duas obras citadas na denúncia pelo MP, mas salientou que elas foram feitas corretamente. "Eu executei as obras da Marginal, Jacu Pêssego e o Rodoanel Sul - que lógico é a maior obra da América Latina, feita no prazo, sem fraude, sem corrupção", disse. - Desvio de dinheiro: segundo a Promotoria, entre 2009 e 2011, nas gestões José Serra e Geraldo Alckmin (ambos do PSDB), ele participou de esquema de desvio de R$ 7,7 milhões (valores à época) de obras públicas. Sobre essa acusação, seu advogado, Daniel Bialski, disse que ela vai "contra a investigação interna e auditoria feita pela própria Dersa, que inocentou Paulo de qualquer ato ilícito ou favorecimento a quem quer que seja”. - Enriquecimento ilícito: investigação do Ministério Público estadual paulista, com auxílio da Promotoria da Suíça, aponta que Souza mantinha o equivalente a R$ 113 milhões em contas fora do Brasil. O dinheiro estava em quatro contas bancárias, abertas em 2007, por uma offshore sediada no Panamá. Em fevereiro de 2017, o dinheiro foi transferido da Suíça para um banco nas Bahamas. - Propina: investigação da Lava Jato aponta que, entre 2010 e 2011, Souza atuou junto a Odebrecht para que a empreiteira desse dinheiro a campanhas eleitorais e pagasse propina a agentes públicos e políticos do país, entre eles gerentes e dirigentes da Petrobras. De acordo com o MPF, ele disponibilizou R$ 100 milhões em espécie a Adir Assad, um dos operadores do esquema. Assad, por sua vez, repassava o dinheiro ao doleiro Álvaro Novis, que realizava os pagamentos a agentes públicos e políticos, a mando da Odebrecht. Segundo o procurador do MPF Roberson Henrique Pozzobom, Souza mantinha um apartamento somente para guardar o dinheiro em espécie. Sobre essa ação, o advogado de Paulo Vieira de Souza, André Gerheim, informou ao G1 que "não teve acesso a qualquer documentação" e não vai comentar. Em nota, o PSDB diz que "não é parte no processo em questão e não mantém qualquer tipo de vinculo com o sr. Paulo Vieira, jamais recebeu qualquer contrapartida de empresas nem autorizou terceiros a fazê-lo em seu nome". "Os recursos recebidos pelo partido, em período eleitoral ou não, foram doados de maneira absolutamente legal e declarados à Justiça Eleitoral, respeitando a legislação vigente", completa o comunicado. Paulo Vieira de Souza TV Globo/Reprodução
    Mulher atropelada em frente de casa em Londrina diz que era perseguida pelo ex: 'Ele ficava me caçando'

    Mulher atropelada em frente de casa em Londrina diz que era perseguida pelo ex: 'Ele ficava me caçando'


    Elisângela Salomé prestou depoimento à Polícia Civil no hospital Evangélico. Ela está internada há 14 dias e passou por duas cirurgias. Suspeito, Sidney dos Santos, está preso desde o dia 5 de fevereiro. Mulher que foi atropelada pelo...


    Elisângela Salomé prestou depoimento à Polícia Civil no hospital Evangélico. Ela está internada há 14 dias e passou por duas cirurgias. Suspeito, Sidney dos Santos, está preso desde o dia 5 de fevereiro. Mulher que foi atropelada pelo ex-companheiro em Londrina prestou depoimento à polícia no hospital Reprodução/RPC A mulher que foi atropelada pelo ex-companheiro em Londrina, no norte do Paraná, contou, em depoimento à Polícia Civil, que desde que se separou do homem, com quem ficou junto por oito anos, não tinha tranquilidade. Elisângela Salomé, de 36 anos, tinha medida protetiva contra o ex. “Ele foi agressivo algumas vezes, me seguia, dizia que me amava e que não admitiria que eu estivesse com outra pessoa. Isso estava muito sufocante. Parecia uma pessoa psicótica. Na visão dele, eu era a presa. Ele ficava me caçando, ficava com medo. Não tinha mais tranquilidade, não dormia mais em paz. Nunca imaginei que alguém com quem eu vivi, com quem tenho uma filha, faria uma coisa dessas”, contou. Elisângela foi atropelada na frente de casa no dia 5 de fevereiro. Conforme imagens de uma câmera de segurança, a vítima, o atual namorado dela e um filho estão parados na frente de casa quando o suspeito pega o carro e atinge a ex-mulher e o homem de 33 anos. Os dois são prensados contra o portão do imóvel. O suspeito Sidney dos Santos tentou fugir depois, mas foi impedido pelo filho de Elisângela e por outros moradores. Ele foi espancado e detido pelo grupo até a chegada da polícia. Ele está preso preventivamente e foi indiciado por duas tentativas de homicídio, uma delas com o agravante de feminicídio. “Estava em casa com o meu namorado e meu filho, e o pai da minha filha mandou whatsapp dizendo que ia dormir na frente da minha casa. Disse que era pra ele dormir na frente da casa dele e não da minha. Disse que estava com meu namorado, foi então que ele escreveu que estava indo na minha casa. Não esperava isso dele, o meu namorado até disse que iríamos conversar com ele. Quando estávamos na frente de casa, ele parou o carro, não desceu, engatou a primeira marcha e foi contra a gente. Me jogou contra a parede”, detalhou Elisângela. Elisângela está internada há 14 dias e passou por duas cirurgias. Não há previsão dela receber alta. Na época do depoimento, ela passaria pela segunda cirurgia. “Estou impossibilitada de andar, precisando fazer outra cirurgia. Ele sabe que sou a provedora da casa, tenho dois empregos , agora não tenho como me manter. Estou sofrendo muito, corro o risco de perder uma perna. Nunca pensei que passaria por isso”, lamentou. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.